Pergunte ao Médico
Como Funciona

Pressão Alta

Perda memória, tremores, diabético e hipertenso, o que será?

O que é talvez não seja tão importante agora, mais importante é o que você vai fazer:deve procurar um serviço de emergência para que ele posa ser examinado e tratado por um médico.

Dr. Charles Schwambach
O que é pré-eclâmpsia e quais os sintomas?

Pré-eclâmpsia é o surgimento de hipertensão arterial após a 20ª semana de gravidez, associada a perda de proteínas na urina, chamada de proteinúria. Contudo, a pré-eclâmpsia desaparece após o parto.

A pré-eclâmpsia parece ocorrer devido a problemas no desenvolvimento dos vasos da placenta no início da gravidez, durante sua implantação no útero. Conforme a gravidez se desenvolve e a placenta cresce, a falta de uma vascularização perfeita leva a baixa perfusão sanguínea, podendo causar isquemia placentária. A placenta em sofrimento por falta de circulação adequada produz uma série de substâncias que, ao caírem na circulação sanguínea materna, causam descontrole da pressão arterial e lesão nos rins.

A pré-eclâmpsia ocorre em 5% a 10% das gestações. Setenta e cinco por cento dos casos são leves e 25% são graves. Pode surgir em qualquer altura da gestação, entre as 20 semanas e alguns dias após o parto.

A hipertensão que aparece depois da 20ª semana de gravidez é o sintoma mais comum. No entanto, para ser pré-eclâmpsia e não somente hipertensão gestacional, é necessário que também ocorra proteinúria (presença de pelo menos 300 mg de proteínas em exame de urina).

Quase todas as gestantes apresentam edemas (inchaços), mas quando eles pioram de forma rápida e súbita, sobretudo na face e mãos, pode indicar uma pré-eclâmpsia.

Em caso de suspeita de pré-eclâmpsia, um médico (preferencialmente um ginecologista), deverá ser consultado. Ele poderá avaliar detalhadamente, através de anamnese, exame físico e eventuais exames complementares, qual é o seu diagnóstico correto, orientá-la e prescrever o melhor tratamento.

Dr. Marcelo Scarpari Dutra Rodrigues
Infecção urinária pode alterar a pressão arterial?

Sim, infecção urinária pode alterar a pressão arterial e causar hipertensão, quando a infecção atinge os rins. Isso porque o rim é o maior responsável pelo controle do volume de água e sódio do corpo, o que faz das doenças renais uma causa comum de hipertensão arterial (pressão alta).

A infecção urinária nos rins é chamada de nefrite ou glomerulonefrite. Trata-se da inflamação dos glomérulos, que são os "filtros" dos rins. A nefrite provoca lesão nos glomérulos e reduz a capacidade dessas estruturas de filtrar o sangue.

Além de elevar a pressão arterial, uma glomerulonefrite também pode provocar hematúria, que é a presença de sangue na urina.

Para evitar complicações graves, como insuficiência renal ou até uma infecção generalizada (sepse), a infecção urinária deve receber um tratamento adequado com medicamentos antibióticos.

Leia também: Qual o tratamento para infecção urinária?; Quais as causas da hipertensão arterial?

Em caso de infecção urinária, consulte um médico de família, um clínico geral ou preferencialmente um urologista, que é o especialista responsável pelo diagnóstico e tratamento de doenças do sistema urinário masculino e feminino.

Qual o tratamento para pré-eclâmpsia?

tratamento definitivo para a pré-eclâmpsia é a indução do parto. Entretanto, nem sempre a pré-eclâmpsia ocorre em idades gestacionais que permitam a indução do parto sem prejuízos para o feto. No entanto, não interromper a gravidez pode trazer sérias consequências para a mãe, por isso, a decisão de quando induzir o parto leva em consideração a idade gestacional, a gravidade da pré-eclâmpsia e a condição de saúde da mãe e do feto.

Se a mulher já completou 38 semanas de gestação ou está com pré eclampsia grave acima das 34 semanas, a opção pelo parto é a mais indicada. Nas outras situações, cada caso é avaliado em sua particularidade e o tratamento é feito com acompanhamento em ambulatório ou internamento hospitalar para um acompanhamento mais próximo da progressão da doença e uso da medicação apropriada. A preferência é pelo parto normal, sempre que possível.

A hipertensão arterial deve estar sob controle, embora isso não interfira no curso da doença ou na mortalidade da mãe ou feto. É importante lembrar que alguns anti-hipertensivos famosos como o Enalapril, Captopril e Adalat® são contraindicados na gestação e a medicação específica deve ser prescrita pelo/a médico/a obstetra.

As crises convulsivas são prevenidas com administração de sulfato de magnésio intravenoso.

Nas consultas de pré natal de rotina, o/a obstetra e/ou médico/a de família avaliam os casos de suspeita de pré-eclâmpsia através da história clínica, exame físico e exames complementares, para quem com o diagnóstico correto, orientar a paciente e prescrever o melhor tratamento.

Dra. Nicole Geovana
Quais os efeitos colaterais da losartana potássica?

Os principais efeitos colaterais da losartana podem ser: 

  • Diarreia; 
  • Dor no peito; 
  • Tosse; 
  • Hipoglicemia; 
  • Anemia; 
  • Fadiga e cansaço; 
  • Queda da pressão; 
  • Tontura. 

Outros efeitos colaterais podem aparecer, mas são menos comuns

  • Náusea; 
  • Dor abdominal; 
  • Congestão nasal; 
  • Ganho de peso; 
  • Infecções; 
  • Gastrite. 

Na presença de algum efeito colateral, a pessoa deve comunicar ao/à médico/a. Esses efeitos colaterais podem ser provisórios a depender de cada caso. É importante relatar a presença desses efeitos para que o/a médico/a possa avaliar uma possível troca de medicação ou mudança na dosagem

Use medicações apenas com a receita médica e na dosagem devidamente indicada. 

Leia também: 

Para que serve a losartana potássica?

Dra. Nicole Geovana
Para que serve a losartana potássica?

A losartana é uma medicação utilizada no tratamento da Hipertensão Arterial e na proteção dos rins em alguns pacientes com diabetes tipo 2

A losartana pode ser indicada para pessoas com pressão arterial elevada e que estão em tratamento de controle. Essa medicação deve ser usada todos os dias e na quantidade indicada na receita médica. 

Por apresentar um efeito renal, ela também serve para proteger os rins de algumas lesões causadas pela diabetes. Além disso, ela serve para reduzir o risco de infarto em pessoas com hipertrofia do ventrículo esquerdo e hipertensão. 

Em alguns casos, ela será usada juntamente com outras medicações.  

Para manter o efeito prolongado de controle da pressão arterial, a losartana deve ser usada de forma contínua, sem esquecimentos e no período do dia que melhor convier para a pessoa.    

Leia também:

Quais os efeitos colaterais da losartana potássica?

Dra. Nicole Geovana
Posso tomar cerveja e remédios para pressão alta?

Se for em pequena quantidade (1 latinha) e eventualmente (não todos os dias) pode sem nenhum problema.

Dr. Charles Schwambach
Tomo remédio da pressão posso tomar cerveja?

Pode tomar em pequena quantidade (1 latinha) e não deve parar os medicamentos.

Dr. Charles Schwambach