Pergunte ao Médico
Como Funciona

Gastroenterologia

Como aliviar dor no estômago quando se come demais?

Repousar sentado ou deitado com o corpo elevado (utilizando dois ou mais travesseiros) pode aliviar o sintoma. Evitar ingerir líquidos junto com as refeições também é fundamental.

Porém, se a queixa for frequente ou durar muito tempo, certas medicações como antiácidos e outras podem ser necessárias, mas para isso é preciso consultar um médico.

Dr. Gabriel Soledade
Fiz colonoscopia e endoscopia e apareceu...

Meu parecer não é diferente da opinião que você já tem, quando faz um exame precisa estar preparada para todas as possibilidades, o mais importante é que você fez o certo e é uma pessoa preocupada com a saúde e com a prevenção, continue assim.

Dr. Charles Schwambach
Febre e dores no pé da barriga e no estômago...

Febre e dores no pé da barriga e no estômago podem ser sintomas de:

  • Apendicite: A dor começa de forma difusa ao redor do umbigo e aumenta, indo depois para o pé da barriga, mais ao lado direito. Causa dores abdominais, febre e vômitos e precisa ser tratada com urgência;
  • Gastroenterite: Neste caso, a febre e as dores no pé da barriga vêm acompanhadas também de vômitos e diarreia;
  • Diverticulite: Na maior parte dos casos, provoca febre e uma dor no pé da barriga, mais localizada no lado esquerdo, em pessoas com mais de 60 anos;
  • Pedras na vesícula biliar: A dor abdominal ocorre devido à obstrução da vesícula por uma ou mais pedra. Se a obstrução for prolongada, a vesícula pode inflamar, causando, além da dor, febre e vômitos.

No seu caso específico, as fezes amareladas podem indicar um problema no fígado, uma vez que a falta de bile nas fezes pode deixá-las amarelas.

As pedras na vesícula são uma hipótese, mas o mais indicado é procurar um médico clínico geral ou médico de família o quanto antes para que seja diagnosticada e tratada a origem dos seus sintomas.

Quando defeco sai um catarro, sinto dor e até sangramento?

Estes são sintomas que indicam a presença de uma inflamação no seu intestino, precisa realmente ir ao médico para o correto diagnóstico e tratamento.

Dr. Charles Schwambach
Uma hérnia pode estourar?

Sim, uma hérnia pode estourar em consequência de um estrangulamento herniário. O estrangulamento ocorre quando a hérnia fica presa na abertura que permitiu o seu extravasamento, dificultando o vai-e-vem do órgão extravasado, como o intestino, por exemplo.

Como resultado, a alça intestinal estrangulada sofre uma torção e deixa de receber sangue e oxigênio, matando essa porção do intestino.

A parte afetada então se rompe e ocorre uma perfuração do intestino, com extravasamento de fezes e líquido intestinal para o interior do abdômen. Como consequência, o paciente pode morrer de infecção generalizada.

A torção da alça intestinal pode causar sintomas como cólicas abdominais e dificuldade para eliminar gases e fezes.

O estrangulamento da hérnia é um quadro muito grave e só pode ser resolvido com uma cirurgia em caráter de urgência, devido ao sério risco de morte.

É possível conviver com uma hérnia durante muitos anos sem qualquer complicação ou sintoma, mas a qualquer momento pode ocorrer um estrangulamento e a hérnia pode "estourar".

Portanto, se você tem algum tipo de hérnia, deve procurar um médico especialista em gastrocirurgia para uma avaliação minuciosa e prevenir possíveis complicações.

Colite tem cura? Qual o tratamento?

Colite não tem cura, mas com um tratamento adequado é possível mantê-la sob controle, garantindo qualidade de vida aos pacientes. Restrições alimentares são necessárias somente nos episódios mais agudos de diarreia. Já os medicamentos devem ser administrados durante toda a vida para tratar, prevenir ou inibir as inflamações no intestino.

Nos casos menos graves, o tratamento da colite ulcerativa pode ser feito com monoterapia baseada em sulfa e derivados. Durante as crises são administrados corticoides, que não devem ser usados por muito tempo por causa dos efeitos colaterais.

Medicamentos imunossupressores e as novas drogas biológicas, como o infliximabe, que impede o processo inflamatório, completam o arsenal utilizado no tratamento da colite ulcerativa.

Uma vez controlada a doença, o tratamento não deve ser abandonado. A colite exige um acompanhamento permanente e o uso constante de anti-inflamatórios, pois mesmo sem apresentar sintomas, pode haver inflamações microscópicas ativas.

O diagnóstico e o tratamento da colite devem ser feitos por um médico gastroenterologista.

Qual o tratamento para pancreatite crônica?

O tratamento para a pancreatite crônica é feito com medicamentos para alívio da dor e para facilitar a digestão, mudanças de hábitos e dieta especial. Alguns sintomas da pancreatite crônica são perda de peso, náuseas, vômitos, fezes gordurosas e dor.

A dor é geralmente abdominal, podendo espalhar-se para as costas, piorando ao comer e beber. Ao tornar-se constante dificulta as tarefas do dia a dia. Em alguns casos a pessoa pode desenvolver diabetes mellitus secundário à pancreatite. O seu tratamento inicial é clínico, mas também pode ser necessária a realização de cirurgias..

Tratamento da pancreatite crônica:

  • não beber e não fumar, porque esses hábitos contribuem para a piora da pancreatite,
  • dieta controlada em pequenas quantidades, várias vezes ao dia e com redução de gorduras,
  • uso de enzimas digestivas para melhora das alterações digestivas e nutricionais,
  • uso de medicamentos para aliviar a dor,
  • procedimentos cirúrgicos ou endoscópicos para alívio da dor, dependendo da sua causa e intensidade.

A pancreatite crônica ocorre geralmente por agressões contínuas ao pâncreas durante um longo período de tempo, causando inflamação, cicatrização e podendo levar à sua destruição gradativa. Sua causa mais comum é o alcoolismo

O tratamento do pâncreas é realizado pelo gastroenterologista. O endocrinologista também poderá ser necessário caso o paciente desenvolva diabetes.

Dr. Ivan Ferreira
Quais os sintomas de gastrite?

A gastrite (inflamação da mucosa do estômago) pode se acompanhar de vários sintomas:

  • Dor e distensão no abdome (mais comum na metade superior);
  • Náuseas e vômitos;
  • Sensação de queimação no abdome ou retroesternal;
  • Perda de apetite;
  • Sensação de saciedade precoce, mesmo com pequena quantidade de alimento ingerido.

A gastrite complicada com úlcera pode dar sintomas mais graves e que necessitam de atendimento de urgência: sangramento nas fezes (fezes escuras, muito mal cheirosas e com cor similar à borra de café) ou vômitos com sangue.

No caso de sintomas similares, é importante consultar um médico gastroenterologista ou gastrocirurgião.

Dra. Ângela Cassol