Saúde da Mulher

Nem sinal de menstruação, posso estar grávida?

Se as relações que você teve foram sem proteção você pode estar grávida sim, porque é assim que se consegue engravidar, independente do que aconteceu com sua menstruação ou independente dos corrimentos que teve.

Dr. Charles Schwambach
Minha menstruação veio 2 vezes neste mês de agosto...

Minha dica de amigo e de médico é que esqueça da sua menstruação, ela veio, então não deve estar grávida (visto que os dois exames foram negativos), e não houve tanta irregularidade a ponto de você se preocupar já que houveram 27 dias de diferença entre uma menstruação e outra. Provavelmente não deve ser nada de preocupante (doença séria).

Dr. Charles Schwambach
O que é bartolinite? Tem cura?

Bartolinite é a inflamação de uma ou ambas as glândulas de Bartholin, e tem cura, com um tratamento relativamente simples.

As glândulas de Bartholin são duas glândulas acessórias dos genitais externos femininos (localizadas uma de cada lado da vagina). Têm a função de lubrificar a região da vagina, principalmente durante o coito.

Às vezes, a abertura de uma ou ambas estas glândulas fica obstruída, fazendo com que o líquido produzido volte para dentro da glândula. O resultado é relativamente indolor, muitas vezes sem sintomas quaisquer, e é chamado de cisto de Bartholin.

Às vezes, o líquido dentro do cisto pode ser infectado (invasão bacteriana), com formação de pus rodeado por tecido infectado e inflamado (abscesso), o que é denominado de Bartolinite aguda. Quando isso ocorre, surgem os sintomas.

Sintomas da Bartolinite aguda

Os principais sintomas da bartolinite aguda são a eliminação de pus e sinais de inflamação (o local fica avermelhado, quente, muito dolorido e inchado), semelhante a um furúnculo. Em estágios mais avançados, é perceptível um nódulo próximo da abertura vaginal. Algumas pacientes podem referir sensação de "bola" ou "caroço" na vagina, com eventual desconforto ao caminhar ou sentar, dispareunia (dor durante a relação sexual) e febre.

A infecção pode ser causada por diversos tipos de bactérias, tais como Neisseria gonorrhoeae (gonococo, causador da gonorreia), Chlamydia trachomatis​ (clamídia), que são sexualmente transmissíveis, como também por bactérias do trato intestinal (geralmente Escherichia coli) ou da pele (geralmente Staphylococcus aureus, mas também estreptococos).

Tratamento da Bartolinite

O tratamento da bartolinite aguda passa pelos seguintes procedimentos:

  • Tratamento com antibióticos;
  • Banhos de assento;
  • Drenagem cirúrgica;
  • Marsupialização;
  • Bartolinectomia.

Em caso de suspeita de bartolinite, um médico clínico geral ou preferencialmente um ginecologista deverá ser consultado para avaliação e tratamento.

Dr. Marcelo Scarpari Dutra Rodrigues
O que causa e qual o tratamento para bartolinite?

Bartolinite é causada pela obstrução com inflamação de uma ou ambas as glândulas de Bartholin, que são duas glândulas acessórias dos genitais externos femininos (localizadas uma de cada lado da vagina), com a função de lubrificação da região vaginal, principalmente durante o ato sexual. No caso da obstrução sem infecção, forma-se um cisto de Bartholin, geralmente assintomático e que pode ter cura espontânea. Ocasionalmente, o líquido aprisionado dentro do cisto torna-se infectado (por bactérias), com formação de pus rodeado por tecido infectado e inflamado (abscesso), o que é denominado de Bartolinite aguda.

A infecção na Bartolinite aguda pode ser causada por diversos tipos de bactérias, tais como Neisseria gonorrhoeae (gonococo, causador da gonorreia), Chlamydia trachomatis​ (clamídia), que são sexualmente transmissíveis, como também por bactérias do trato intestinal (geralmente Escherichia coli) ou da pele (geralmente Staphylococcus aureus, mas também estreptococos).

tratamento da Bartolinite Aguda geralmente exige drenagem do conteúdo purulento e uso de antibióticos, além de banhos de assento:

  • Tratamento com antibióticos: Sempre é realizado, para agilizar o tratamento e prevenir novos episódios. É importante determinar qual a bactéria causadora, através de exames específicos. Se os exames revelarem uma doença sexualmente transmissível, pode ser necessário o tratamento do parceiro(a) para assegurar que não haverá reinfecção.​
  • Banhos de assento: Fazer uma imersão em uma bacia ou banheira de água morna (apenas alguns centímetros é suficiente) normalmente auxilia no alívio das dores, para além da drenagem espontânea (eliminação do pus e bactérias). O banho de assento pode e deve ser feito algumas vezes ao longo do dia, em conjunto com o uso de antibióticos. A prática deve continuar até melhora completa dos sintomas.
  • Drenagem cirúrgica: Em casos em que a bartolinite está mais avançada, a paciente já experimenta um grau de dor elevado e já apresenta dificuldades para andar ou até sentar-se, torna-se imprescindível fazer uma drenagem do abscesso. Regra geral a drenagem pode ser feita no próprio consultório médico. É utilizada anestesia local, mesmo que infelizmente algumas vezes a inflamação e infecção são tão severas que a aplicação do anestésico não auxilia muito no alívio da dor. É feita uma pequena incisão local para auxiliar no processo de drenagem.
  • Marsupialização:  Quando os cistos incomodam muito e surgem recorrentemente, existe a possibilidade de se recorrer a uma marsupialização, após resolução do quadro agudo. Este método tem boas taxas de eficácia na prevenção de recaídas para além de preservar a glândula de Bartholin. A marsupialização funciona abrindo o cisto e expondo suas bordas. As bordas são depois unidas à pele do vestíbulo, de cada lado do corte, criando assim uma abertura permanente.
  • Bartolinectomia​: Quando nenhum dos procedimentos é eficaz e as recidivas são frequentes, o médico pode decidir fazer a remoção completa da(s) glândula(s) de Bartholin. No entanto, é raro haver essa necessidade. A bartolinectomia é normalmente feita no hospital, com anestesia raquidiana.

A prática do sexo seguro, através do uso do preservativo principalmente, e boas práticas de higiene íntima são duas boas maneiras de ajudar a prevenir infecções de cistos e a formação de abcessos. No entanto, não existe uma maneira de evitar com toda a certeza ter um cisto de Bartholin.

Em caso de suspeita de bartolinite, um médico clínico geral ou preferencialmente um ginecologista deverá ser consultado para avaliação e tratamento.

Dr. Marcelo Scarpari Dutra Rodrigues
Quais são os sintomas do condiloma acuminado?

O condiloma acuminado é caracterizado por verrugas, que aparecem em áreas como vulva e vagina, ânus e reto, pênis e boca.

Trata-se de uma doença sexualmente transmissível, causada pelo vírus HPV e que se trata por meio de medicações ou da cauterização elétrica ("queimar") das lesões.

O acompanhamento da doença deve ser feito por dermatologista ou ginecologista.

Dr. Gabriel Soledade
Corrimento Vaginal é Normal?

A vagina da mulher é recoberta por um tipo especial de "pele" chamada mucosa. E de uma maneira geral todas as mucosas são úmidas e possuem pequenas glândulas produtoras de muco, que é um tipo de secreção viscosa.

Isto significa que a vagina pode ter aquilo que chamamos de uma secreção normal, que é um líquido espesso com cor  transparente ou levemente esbranquiçada, sem cheiro e com sabor levemente salgado como lágrima. Algumas mulheres podem apresentar devido as alterações hormonais durante o ciclo menstrual um aumento da secreção vaginal normal. A excitação sexual também provoca o aumento das secreções normais.

Porém corrimento com com amarelada, verde ou braco leite e com odor desagradável tipo podre ou azedo, geralmente significam algum tipo de infecção ou inflamação vaginal que precisa ser avaliado por um Ginecologista e tratado adequadamente.

Dr. Charles Schwambach
O exame transvaginal pode detectar se a mulher pode ou não ter filhos?

Não. Em alguns casos a ultrassom transvaginal pode sim já dizer se a mulher pode ou não ter filhos, porém não é o melhor exame, existe uma sequência de investigação da infertilidade: que começa com a investigação primeiro do homem e depois da mulher. Procure um médico ginecologista que ele pode conduzir a investigação, todo bom ginecologista conhece esta sequência de investigação.

Dr. Charles Schwambach
A pílula do dia seguinte pode alterar resultado do beta-hcg?

Não o uso da pílula do dia seguinte não interfere com o resultado do exame de Beta-hcg (interfere com o fato de ter ocorrido ou não ocorrido a gravidez). Resultados falsos negativos existem em quase todos os tipos de exames (mas é a minoria, geralmente devemos acreditar no resultado do exame, caso contrário não faz nem sentido fazer o exame).

Dr. Charles Schwambach