O que é cervicite crônica com metaplasia escamosa?

Cervicite crônica com metaplasia escamosa é um diagnóstico histológico (por biópsia) da inflamação da camada interna do colo uterino (endocérvice), que pode ocorrer em resposta à infecção pelo HPV, dentre outras causas.

O epitélio de revestimento da endocérvice, que deveria ser cilíndrico mucoso com glândulas, sofre transformação (metaplasia) para epitélio escamoso, semelhante ao da ectocérvice. Na zona de transformação ou zona T, que é a região mais próxima do orifício do colo uterino, é comum a ocorrência de metaplasia escamosa, assim como de cervicite crônica. Os cistos de Naboth, também freqüentemente observados nesta região, são glândulas endocervicais dilatadas porque seu orifício de saída foi obstruído pelo epitélio metaplásico.

A importância da zona de transformação é que o epitélio metaplásico pode ser sede de atipias celulares chamadas de displasia (de graus leve, moderado ou grave). A displasia grave é considerada um câncer in situ, que é precursor do carcinoma do colo uterino.

Para o tratamento, pode ser necessária cauterização do colo uterino, procedimento ambulatorial, que é feito com anestesia local.

Toda mulher deve consultar anualmente o ginecologista, para diagnóstico precoce e prevenção do câncer de colo uterino.