O que é o exame PCR e para que serve?

A dosagem de proteína C reativa (PCR) é feita através de coleta do sangue do doador. A proteína C reativa, produzida no fígado, é o principal marcador de fase aguda de processos inflamatórios e/ou necróticos que ocorrem no organismo, mais frequentemente processos inflamatórios associados a infecções bacterianas. Sua pesquisa no sangue está indicada, portanto, para investigar o estado inflamatório do indivíduo. Trata-se de um método preciso, rápido, seguro e econômico, mas é também um método inespecífico, ou seja, não suficiente para diagnosticar quaisquer doenças. Pode estar elevado no sangue por virtualmente qualquer situação de inflamação sistêmica. A condição que levou a esta inflamação (doenças reumatológicas, auto-imunes, etc) deve ser investigada mais a fundo pelo médico, com outros exames.

A dosagem da proteína C reativa também serve para avaliar risco de doença cardiovascular. Nesse caso, é feita uma dosagem mais precisa (PCR ultrassensível). Muitas doenças cardiovasculares resultam de dois fatores: uma inflamação constante nas paredes dos vasos sanguíneos e a acumulação de colesterol nesses vasos. Pessoas com níveis de PCR persistentemente acima de 0,3 mg/dL (3 mg/L) apresentam maior risco de desenvolver doenças cardiovasculares, tais como infarto e AVC. Com esses valores, a PCR indica que há um processo inflamatório discreto, porém contínuo.

A interpretação dos resultados do exame deve ser realizada pelo médico que o solicitou, em conjunto com a história e o exame clínico. Para maiores informações, procure um médico clínico geral.