Inflamação

Usando pomada vaginal posso ter relação?
Dr. Charles Schwambach

Não pode ter relações enquanto usar a pomada, se tiver o tratamento pode não funcionar.

Só vai saber se a inflamação melhorou com esse tratamento se melhorar dos sintomas que fizeram você procurar o seu médico (caso não melhore ou o diagnóstico está errado, ou o tratamento está errado ou o tratamento é ineficiente contra seu tipo de inflamação, ou você não fez o tratamento de forma adequada).

Quais são as causas da inflamação no útero?
Dr. Ivan Ferreira

As causas da inflamação no útero podem estar relacionadas a infecções por germes ou a lesões provocadas por traumas e produtos químicos

A inflamação uterina mais comum é aquela que ocorre no colo do útero (cérvix ou cérvice), que é a região mais estreita do útero localizada no fundo da vagina e por onde sai o sangue menstrual. Esse tipo de inflamação (cervicite) muitas vezes não apresenta sintomas, o que pode levar a distúrbios mais graves devido à progressão dessa inflamação ou infecção para outras regiões próximas como ovários, trompas e região interna do útero (endometrite).

Causas mais frequentes de inflamação ou infecção no colo do útero:

  • Germes transmitidos por meio do contato sexual como Chlamydia trachomatis, Neisseria gonorrhoeae, Trichomonas vaginalis, vírus Herpes simplex, HPV (papiloma vírus humano), Mycoplasma genitalium,
  • germes que estão presentes normalmente na vagina como Candida albicans, Gardnerella vaginalis e Lactobacillus rhamnosus,
  • alergias ou irritações causadas por produtos químicos como espermicidas,
  • alergias ao látex de preservativos (camisinha) e diafragmas,
  • lesões causadas por traumas como os provocados pelo parto ou por duchas vaginais frequentes.

A inflamação do colo do útero não interfere na possibilidade de engravidar e nem na boa evolução da gravidez desde que seja tratada adequadamente. 

O Papanicolau ou citologia oncótica é o exame utilizado para diagnosticar as inflamações do colo do útero​ e o ginecologista e/ou obstetra são os especialistas indicados para o tratamento desses problemas.

Quais os sintomas de inflamação no útero?
Dr. Ivan Ferreira

Os sintomas de inflamação no útero podem ser corrimentosangramento e dor, principalmente durante a relação sexual. Porém, esses sintomas dependem também da localização da inflamação, que pode ocorrer no colo do útero (cervicite) ou na região interna do útero (endometrite).

A inflamação mais comum no útero é aquela que ocorre no colo do útero (cérvix ou cérvice), que é a região mais estreita do útero localizada no fundo da vagina e por onde o sangue menstrual é eliminado. A inflamação do colo do útero não interfere na boa evolução da gravidez desde que seja tratada adequadamente.​

Os sintomas da inflamação no colo do útero são:

  • corrimento vaginal (leucorreia) com mal cheiro e com coloração amarelada,
  • dor para urinar (disúria) ,
  • dor nas relações sexuais (dispareunia),
  • sangramento após a relação sexual,
  • sangramento fora do período menstrual,
  • dor na região inferior da barriga (abdominal baixa).

A cervicite, muitas vezes, não apresenta sintomas, o que pode levar à progressão dessa infecção e inflamação para regiões próximas como os ovários, trompas e região interna do útero (endometrite), causando a Doença Inflamatória Pélvica (DIP), situação mais grave, que além dos sintomas presentes na cervicite pode acompanhar-se de febre, náuseas e vômitos.

O exame Papanicolau é utilizado para diagnosticar as inflamações do colo do útero​ e o ginecologista e/ou obstetra são os especialistas indicados para o tratamento dessas doenças.

Qual o tratamento para a inflamação do útero?
Dr. Ivan Ferreira

O tratamento para inflamação do útero depende do local onde ela ocorre, se no colo do útero (cervicite) ou na sua parte interna (endometrite). Depende, também, da sua causa, que pode ser por micro-organismos ou por lesões traumáticas.

Tratamento para inflamação do útero por micro-organismos

A maioria das inflamações do útero são causadas por micro-organismos como é o caso da infecção por clamídia, tricomonas, gonorréia, herpes genital e HPV (papiloma vírus), e iniciam-se no colo do útero. Os medicamentos utilizados para o seu tratamento são antibióticos e antivirais, de acordo com agente causador da infecção, bactérias ou vírus. Os parceiros também devem ser tratados, mesmo que não apresentem sintomas​, uma vez que esses micro-organismos são transmitidos pela relação sexual.

Tratamento para inflamação do útero por lesões traumáticas

O tratamento das inflamações devido a lesões, como as causadas por alergias ao látex, produtos químicos ou duchas vaginais, é feito afastando-se o fator causador da lesão e com auxílio de medicamentos, dependendo do tipo de lesão causada.

No caso da inflamação crônica do colo do útero pode ser necessário, também, o tratamento por meio de cauterização (eletrocautério ou criocautério) e uso de cremes vaginais.

Quando a inflamação colo do útero progride para a sua região interna, causando a endometrite, pode ser necessário o tratamento com medicamentos por via intramuscular ou endovenosa, às vezes com indicação de internação hospitalar.

O médico ginecologista é o responsável pelo diagnóstico e tratamento dos casos de inflamações do útero.

Inflamação no útero pode atrasar a menstruação?
Dr. Marcelo Scarpari Dutra Rodrigues

Sim, a inflamação no útero, geralmente decorrente de uma infecção, que é uma condição relativamente rara, pode atrasar sua menstruação.

A infecção uterina pode ser causada por diversos microorganismos; são diversas doenças que atingem mulheres sexualmente ativas. Os sintomas podem ser:

  • Corrimento persistente, mal cheiroso, de cor branca, amarelada, marrom ou cinza;
  • Sangramento vaginal anormal;
  • Dispareunia (dor durante a relação sexual);
  • Dor na vagina;
  • Sensação de pressão na região pélvica.

É importante notar que nem todas as infecções no útero vão apresentar os sintomas descritos acima. Existe a possibilidade, inclusive, de se estar com uma infecção no útero e não apresentar qualquer tipo de sintoma.

Causas da infecção no útero: principalmente doenças sexualmente transmissíveis (geralmente devido a múltiplos parceiros sexuais, não usar camisinha nas relações) e má higiene íntima.

Tratamento para infecção uterina: Feito com antibióticos, mas isto vai depender do estado de saúde da mulher e do que originou a doença. Sempre procurar um médico ginecologista.

Outros fatores que podem levar ao atraso menstrual são:

  • Ovários policísticos: Causa comum de atrasos nos ciclos menstruais;
  • Infecções/inflamações no colo do útero: As infecções por micro-organismos como Chlamydia trachomatis e também Trichomonas vaginalis podem ocasionar sangramento no colo uterino, e esse sangramento pode muitas vezes ser confundido com uma irregularidade no ciclo menstrual;
  • Uso de determinados medicamentos: Anticoncepcionais orais, anticoagulantes, antidepressivos, corticoides, antipsicóticos dentre outros;
  • Distúrbios hormonais: O hipotireoidismo (diminuição dos níveis do hormônio T4L no sangue) e alterações nos níveis de prolactina também podem causar irregularidades no ciclo menstrual;
  • Gestação: No período pós-gestacional (durante a amamentação), há atraso no ciclo menstrual, de até nove meses, além de alterações psicológicas e principalmente físicas.
  • Prática excessiva de exercícios físicos: Associada com alguns outros fatores (como a perda de peso, dieta inadequada e quantidade insuficiente de gordura corporal), provocam alterações hormonais e consequentemente irregularidade no ciclo menstrual, como o atraso e em alguns casos cessação da menstruação por longos períodos.
  • Cisto ovariano: Diferentemente dos ovários polimicrocísticos (supracitados), um ciclo único pode influenciar no ciclo, causando o atraso. 
  • Cirurgias: Determinados tipos de cirurgias, tais como a laqueadura e as cirurgias ovarianas, também podem ocasionar atrasos no ciclo menstrual.

Em caso de atraso menstrual ou suspeita de infecção vaginal ou uterina, por qualquer motivo, um médico ginecologista deverá ser consultado para avaliação, determinação da causa e tratamento, se necessário.

É possível engravidar com inflamação no útero?
Dr. Gabriel Soledade

É possível, mas é mais difícil.

A inflamação do útero, chamada de doença inflamatória pélvica, acontece devido à infecção causada por alguns tipos de bactéria, frequentemente adquiridas por transmissão sexual.

Ela causa alteração nas secreções e nas paredes internas do útero, podendo inclusive favorecer ao aparecimento de aderências, que é quando essas paredes "grudam" uma na outra.

Isso tudo pode dificultar a engravidar durante a infecção. Além disso, essas modificações podem deixar sequelas no útero, e afetar a fertilidade mesmo depois do tratamento adequado.

Além disso, é importante lembrar que a infecção que acontece durante a gestação pode levar a sérios riscos para o bebê.

Por isso, essas pacientes precisam ser acompanhadas por um ginecologista, e o tratamento deve ser iniciado o mais rápido possível, a fim de se evitarem os riscos à fertilidade e ao bebê.

Líquido branco e gosmento com cheiro forte, pode ser DST?
Dr. Charles Schwambach

Se não teve relação sem camisinha dificilmente será uma DST, mas pode ser alguma inflamação ou infecção da uretra, deve procurar um médico.

Caroços internos na coxa, vermelho e sensível...
Dr. Charles Schwambach

Pela sua descrição parecem ser nódulos inflamatórios ou infecciosos o ideal é procurar um médico para fazer o correto diagnóstico e tratamento.

É normal uma íngua diminuir e ficar indolor antes de sumir?
Dr. Charles Schwambach

Pela sua descrição as características são de um nódulo inflamatório (abcesso que se resolveu é o mais provável), como o material não foi secretado ele permaneceu na forma de um cisto ou nódulo, o ideal é você ir ao médico, porque mesmo sendo benigno (maior probabilidade) ele pode voltar a incomodar.

Inflamação na bexiga e garganta posso tomar 2 antibióticos?
Dr. Charles Schwambach

Até pode, apesar que o ideal seria você tomar apenas um que servisse para os dois problemas, mas como deve estar tomando um e agora vai começar o outro o jeito é tomar pá dois mesmo. importante: desde que você tenha receita dos remédios, jamais tome antibióticos ou qualquer outre medicamento sem receita médica.

O que causa inflamação nas amígdalas e qual o tratamento?
Dr. Marcelo Scarpari Dutra Rodrigues

A amigdalite (inflamação nas amígdalas) é uma doença infecciosa que atinge as amídalas, órgãos de defesa contra infecções. Pode ser causada principalmente por vírus (mais frequentemente em crianças de até três anos) e bactérias (jovens e adultos) ou uma associação dos dois agentes. Também pode ser causada por alérgenos, queda de pH que leva à irritação da mucosa das amígdalas (refluxo gastroesofágico), irritação causada por fumaça de cigarros ou álcool, frio e baixa umidade do ar.

Tratamento para Amigdalite

O tratamento das amigdalites bacterianas é feito com antibióticos específicos, e deve ser feito religiosamente nos horários corretos prescritos pelo médico e até o final. Suspender a medicação assim que desaparecem os sintomas (geralmente após 48 horas do início do tratamento) pode provocar complicações graves (febre reumática, escarlatina, glomerulonefrite pós-estreptocóccica, psoríase gutata), porque a bactéria ainda permanece ativa no organismo e pode tornar-se resistente àquele antibiótico. As amigdalite virais só precisam de tratamento sintomático, com analgésicos e anti-inflamatórios.

Se a amigdalite for crônica, outras causas devem ser pesquisadas para descobrir a razão da inflamação e buscar o tratamento adequado. A remoção cirúrgica das amígdalas (amigdalectomia ou tonsilectomia) só é indicada em casos específicos que não respondem ao tratamento clínico, causam grande incômodo ao paciente (caso da amigdalite caseosa) e/ou se repetem várias vezes ao ano, as chamadas amigdalites de repetição.

Sintomas da Amigdalite

Os sintomas mais comuns são febre, dor de garganta, dores no corpo, falta de apetite, halitose (mau hálito), cefaleias, prostração, dificuldade para engolir e, às vezes, inchaço dos gânglios do pescoço e da mandíbula, que têm a função de evitar a propagação da doença pelo organismo. É importante observar os sintomas para não os confundir com os de outras doenças como gripe e mononucleose.

Diagnóstico

O diagnóstico é simples, feito no exame físico da cavidade oral (oroscopia). É possível diferenciar a amidalite causada por vírus da bacteriana: nas amidalites bacterianas há inflamação importante nas amídalas, com edema e vermelhidão bastante visíveis e associada ao aparecimento de placas de pus na garganta e amígdalas. Nas amigdalites virais, a infecção é mais branda, atinge preferencialmente a região da orofaringe (amídalas e faringe) e não há presença de pus (com exceção do vírus Epstein-Barr - que causa a mononucleose infecciosa).

Recomendações e Prevenção
  • Evite o tabagismo. Fumantes ativos e passivos estão mais propensos às infecções das amígdalas;
  • Evite ambientes com ar-condicionado, que resseca as mucosas e diminui a resistência das amígdalas;
  • Em amigdalites de repetição, é importante afastar a hipótese de refluxo gastroesofágico, responsável pela mudança no pH da garganta e que pode facilitar o surgimento de inflamações;
  • Prefira ingerir bebidas mornas, sopas e alimentos macios, uma vez que são mais tolerados durante as crises;
  • Tome muito líquido para hidratar as mucosas;
  • Não deixe de tomar os remédios prescritos pelo médico mesmo após os sintomas da amidalite bacteriana desaparecerem para evitar complicações da doença;
  • Nunca se automedique. Medicamentos usados sem indicação precisa podem favorecer o aparecimento de bactérias resistentes.

​​Em caso de suspeita de amigdalite, um médico (preferencialmente um otorrinolaringologista) deverá ser consultado para confirmação diagnóstica, orientação e tratamento adequados, caso a caso.

Minha garganta sempre tem secreção e inflamação
Dr. Charles Schwambach

Isso é uma faringoamidalite crônica, precisa procurar um otorrinolaringologista, ou um homeopata, ou qualquer médico que possa te examinar, fazer o diagnóstico e o tratamento adequado.