Pílula do Dia Seguinte

Caso ele ejacule dentro o efeito da pílula seria o mesmo?
Dr. Charles Schwambach

O efeito da pílula do dia seguinte não tem nada haver com o fato de ejacular dentro ou fora da vagina, o efeito da pílula depende do tempo de tomada após a relação sexual. A pílula do dia seguinte é uma anticoncepção de emergência se ficar usando tanto assim vai causar sérios danos para a sua saúde (quando eu digo sérios quero dizer sérios mesmo.).

Tem problema tomar pílula do dia seguinte direto?
Dr. Charles Schwambach

Não pode tomar pílula do dia seguinte direto (risco de complicações graves). Procure um ginecologista e escolha outro método anticoncepcional.

Tomo o anticoncepcional YAZ e tive uma relação sem preservativo...
Dr. Charles Schwambach

Eventualmente a menstruação pode não vir, principalmente por ter tomado a pílula do dia seguinte, recomece a nova cartela no dia certo independente de sua menstruação. Se toma anticoncepcional não precisa ter medo, não faz sentido usar a pílula do dia seguinte.

Como funciona a pílula do dia seguinte?
Dr. Marcelo Scarpari Dutra Rodrigues

A "pílula do dia seguinte" é um método anticoncepcional de emergência que age de várias formas para impedir a gestação, em situações de emergência (estupro, falha da camisinha, expulsão do DIU, deslocamento do diafragma, eventual relação sem proteção, etc). Idealmente, deve-se utilizar outros métodos contraceptivos muito mais seguros e eficazes, como por exemplo a pílula anticoncepcional comum associada ao uso de camisinha). O remédio pode agir antes ou depois da fecundação (quando um espermatozoide fecunda o óvulo). A mulher só é considerada grávida quando além da fecundação ocorre a nidação do óvulo fecundado no endométrio (parede uterina), que a partir desse momento é chamado de embrião.

O funcionamento da pílula do dia seguinte depende da fase do ciclo menstrual em que a mulher está: Se a mulher ainda não tiver ovulado, o medicamento inibe a ovulação (impede a liberação do óvulo). Se a ovulação já tiver ocorrido, a pílula age de outra forma: altera a composição da secreção vaginal, agindo no muco cervical e endométrio, tornando o ambiente hostil para os espermatozoides, que morrem antes de conseguirem chegar às tubas uterinas (onde fecundariam o óvulo). Ainda que ocorra a fecundação, se ainda não houve a nidação, a pílula consegue interferir no processo: altera o endométrio (camada interna do útero), impedindo a fixação do óvulo fecundado. Após a nidação, a eficácia da pílula é nula.

A eficácia deste medicamento é maior quando a primeira dose é tomada até 72 horas após a relação: nas primeiras 24 horas, sua eficácia chega a 95%. Depois de 48 horas, cai para 85% e após 72 horas, apenas 58%. A segunda pílula deve ser tomada doze horas após a ingestão da primeira, e não devem ser ingeridos mais do que estes dois comprimidos.

Nestes casos, um médico, preferencialmente um ginecologista, deverá ser consultado para prescrição do medicamento e avaliação correta, caso a caso.

Tive relação e o preservativo se rompeu, tomei a pílula...
Dr. Charles Schwambach

Em relação ao seu sangramento: um aborto somente seria possível se já estivesse grávida de mais tempo, se engravidou esse mês e já abortou dificilmente teria um sangramento grande ou com dores fortes, o mais provável é um sangramento decorrente da pílula do dia seguinte ou sua menstruação mesmo. A diarreia pode ter sido mera coincidência e significa uma intoxicação alimentar ou infecção intestinal. Não acredito que precise fazer alguma coisa agora que já está melhor.

A camisinha estourou e tomei a pílula, pode ocorrer gravidez?
Dr. Charles Schwambach

Sim, existe sempre uma pequena possibilidade, mesmo tomando a pílula do dia seguinte. Porém tudo depende do período do seu ciclo menstrual, se está na menstruação ou perto da menstruação (antes ou depois) as chances de gravidez são menores, se estiver bem no meio do ciclo as chances são maiores.

Tomo anticoncepcional Yasmim e acabei não tomando...
Dr. Charles Schwambach

Pode acontecer de reduzir um pouco a eficácia do anticoncepcional, dependendo de quantos dias ficou sem tomar, mas pela sua precaução de tomar a pílula do dia seguinte, não deve haver grande risco de gravidez.

Será que a menstruação vai descer 2 vezes?
Dr. Charles Schwambach

Difícil dizer, porque esse sangramento é decorrente da pílula do dia seguinte e pode desregular um pouco sua menstruação, porém é bem provável que ela venha.

Tive relação e não usamos camisinha, posso engravidar?
Dr. Charles Schwambach

Há chances sim de engravidar, você provavelmente estava entrando em seu período fértil e como já fazem 3 dias não faz mais sentido tomar a pílula do dia seguinte, terá que contar com a sorte, agora é só esperar.

Pílula do dia seguinte e usada antes ou depois da relação?
Dr. Charles Schwambach

Pílula do dia seguinte é um anticoncepcional de emergência e deve ser usado em situações especiais em que não foi possível se precaver de outra forma, se sabe que vai ter relação não é, então emergência, e deve usar outro tipo de anticoncepção mais seguro como a camisinha por exemplo.

Qual o risco de gravidez neste caso?
Dr. Charles Schwambach

A segunda cartela já está fazendo efeito, porém não é de 100%, deve usar camisinha durante esse mês, Ao tomar a Pílula do dia seguinte (que era desnecessária) deve continuar com a cartela do seu anticoncepcional normalmente. O risco de gravidez é muito pequeno neste caso.

Como tomar a pílula do dia seguinte?
Dr. Marcelo Scarpari Dutra Rodrigues

As "pílulas do dia seguinte" devem ser usadas o quanto antes, se possível logo após a relação sem proteção. São duas - uma para ser tomada imediatamente (até 72 horas após a relação) e outra doze horas após.

Sua eficácia é maior quando a primeira dose é tomada até 72 horas após a relação: nas primeiras 24 horas, sua eficácia chega a 95%. Depois de 48 horas, cai para 85% e após 72 horas, apenas 58%. Não se esqueça de que a segunda pílula deve ser tomada doze horas após a ingestão da primeira, e não devem ser ingeridos mais do que estes dois comprimidos.

A pílula do dia seguinte geralmente contém levonorgestrel, um tipo de progesterona sintética, em alta dose (0,75 mg). O mecanismo de ação é diferente dependendo do ciclo menstrual em que a mulher estiver. Pode provocar retardamento ou inibição da ovulação, alterar a motilidade tubária e dificultar a passagem do espermatozoide no muco cervical. Depois da implantação do óvulo fecundado no endométrio, não possui efeito.

É indicado após uma relação sexual que represente risco de gravidez, como por exemplo em casos de problemas com o método de uso regular (falha da camisinha, expulsão do DIU, deslocamento do diafragma, eventual relação sem proteção). Deve ser usado apenas como método de emergência (o ideal é usar outros métodos contraceptivos muito mais seguros e eficazes, como a pílula anticoncepcional comum associada ao uso de camisinha).

Nestes casos, um médico, preferencialmente um ginecologista, deverá ser consultado para prescrição do medicamento e avaliação correta, caso a caso.