Resultado Preventivo

Resultado de Preventivo ou Papanicolau

Vou expor aqui um resultado de Preventivo considerado normal, não especificarei nenhuma alteração que exige um diagnóstico, porque a interpretação das alterações deve ser feita pelo médico.

Resultado esperado para ser normal:

  • Adequabilidade da Amostra: Satisfatória ou Satisfatório para avaliação oncótica.
  • Epitélios Representados na Amostra: Escamoso e/ou Glandular
  • Microbiologia ou Flora: Bacilos ou Lactobacilos
  • Avaliação Hormonal: eutrófico; hipotrófico (para mulheres na menopausa);
  • Conclusão Diagnóstica: Alterações celulares benignas reativas ou reparativas;
  • Inflamação ou Atrofia com Inflamação (para mulheres pós-menopausa).
O que significa ausência de malignidade?

Significa que não tem células de câncer na amostra.

O que significa colpite?

Colpite significa inflamação no colo do útero.

O que significa Gardnerella?

A presença de bacilos supracitoplasmático: sugestivo de Gardnerella mobiluncus no preventivo é sinal de que existe uma infecção vaginal provocada por esse micro organismo, não é considerada uma DST, apesar de que é prudente tratar o casal.

O que significa a presença de Candida sp?

Significa que há um fungo na amostra o que provavelmente evidencia uma infecção: candidíase.

Dr. Charles Schwambach
O que significa Papanicolau Classe II?

Papanicolau classe II significa que existem alterações nas células do colo do útero, possivelmente uma inflamação causada por problemas não relacionados à tumores (neoplasias). No entanto, os resultados do Papanicolau não são mais fornecidos baseados na classes I, II, III, IV e V.

Antes de tornar-se câncer, as células do colo do útero sofrem alterações durantes um longo período. Essa fase é chamada neoplasia intraepitelial cervical (NIC), que é classificada em NIC I, II e III, conforme o grau de alterações encontradas nas células do colo do útero. Baseado nesses resultados será orientado o tratamento e, muitas vezes, será necessário somente o acompanhamento do problema com exames periódicos.

O exame de Papanicolau ou citologia oncótica cervical é o exame ginecológico para identificação do câncer do colo do útero. Para isso são retiradas células do colo do útero, através de uma leve raspagem com uma espátula de madeira e uma escovinha, e analisadas em laboratório. O exame deve ser realizado uma vez por ano pelas mulheres que têm vida sexual, principalmente entre os 25 e os 59 anos. 

O ginecologista é o médico responsável pela avaliação do exame Papanicolau, diagnóstico das alterações encontradas e orientação sobre a necessidade de repetição do exame.

Dr. Ivan Ferreira
Fiz o exame Papanicolau, o resultado foi... O que significa?

O resultado desse exame é normal (nenhuma alteração, além do esperado), é claro que essa é uma avaliação parcial, tendo em vista que um exame é só parte de um processo, o mais importante são as suas queixas aliadas com o exame físico do médico e amparado nos resultados do exames (somando tudo isso), é que se pode ter uma resposta completa e definitiva. Vá ao médico e mostre esse exame para ele.

Dr. Charles Schwambach
Grávida pode fazer papanicolau?

Sim, a grávida pode fazer Papanicolau, que é um exame importante para identificar alterações na parte do útero que fica dentro da vagina (colo do útero) e que podem ser causadas por infecções como candidíase, tricomoníase, HPV (papiloma vírus humano) ou mesmo câncer.

Na gravidez, o Papanicolau pode ser pedido caso o último exame realizado tenha sido há mais de três anos ou se o médico considerar necessário.

Durante realização do Papanicolau o médico faz uma raspagem suave no colo e na entrada do útero a fim de retirar algumas células para serem analisadas no laboratório. Esse procedimento pode provocar uma cólica leve e um pequeno sangramento, que são considerados normais e não devem ser motivo de pânico. No entanto, se o sangramento for maior ou se houver dúvidas sobre qualquer mal-estar após o exame ou durante a gravidez, deve-se procurar um serviço médico obstétrico.

O obstetra é o médico indicado para orientar a realização dos exames durante a gravidez.

Dr. Ivan Ferreira
Quanto tempo ficar sem manter relação antes do preventivo?

Precisa ficar pelo menos 3 dias sem ter relações antes de fazer o preventivo, o motivo é que a relação pode dificultar a coleta do material (lá dentro vai haver coisas que não são suas...) e pode interferir no resultado do exame.

Dr. Charles Schwambach
Fiz exame de preventivo e o resultado foi o seguinte: ...

Exame negativo para câncer de colo do útero e demonstra a presença de uma infecção vaginal. Deve ir ao ginecologista, ou outro médico para fazer o tratamento.

Dr. Charles Schwambach
O resultado do meu exame ginecológico preventivo...

Significa que você tem uma infecção vaginal que precisa ser tratada e após o tratamento deve repetir o exame.

Dr. Charles Schwambach
Preventivo e o diagnóstico é de gardnerella/mobilungus?

O resultado do seu preventivo significa que você tem uma infecção por um germe com esse "nome estranho", não é grave, só precisa ir ao médico para fazer o tratamento que pode ser com uso de creme vaginal ou comprimidos.

Dr. Charles Schwambach
Fiz o Preventivo do Câncer de Colo do Útero e deu...

Exame dentro dos limites da normalidade.

Dr. Charles Schwambach
Fiz o preventivo e fiquei com medo de ir levar o exame...

É uma infecção vaginal. Não é grave, basta tomar o remédio que seu médico receitar e ficará bem.

Dr. Charles Schwambach
Fiz preventivo e o médico disse que tenho a bexiga baixa...

O resultado do seu preventivo, a constatação de infecção no colo uterino pelo seu médico e esse corrimento que você tem dizem respeito a mesma coisa (mesma doença) uma infecção que precisa de tratamento, seu médico pode providenciar esse tratamento. Com relação a questão da cirurgia esse é um ponto que precisa de maior cuidado, toda vez que o médico diz que necessita de cirurgia, mas essa indicação é relativa (como no seu caso) o ideal é procurar outro ginecologista, que ira fazer o mesmo exame e ver qual a opinião dele, se ele for favorável a cirurgia, tenha certeza que você realmente precisa dela, se ele discordar provavelmente você não precisa da cirurgia.

Dr. Charles Schwambach
Como é feito o exame preventivo feminino?

O exame preventivo feminino, esfregaço cervicovaginal, colpocitologia oncótica cervical ou simplesmente teste de Papanicolaou é um exame ginecológico de citologia cervical, realizado como prevenção ao câncer do colo do útero (principalmente causado pelo papilomavírus humano, ou HPV). É a principal forma de evidenciar e diagnosticar precocemente lesões e/ou displasias celulares no colo uterino, antes mesmo do surgimento de quaisquer sintomas (sangramento e dor nas relações sexuais). Recebe esse nome (Papanicolaou) em homenagem a seu idealizador, o médico grego Geórgios Papanicolaou (1883 - 1962), considerado o pai da citopatologia.

O exame preventivo é geralmente indolor, simples e rápido (minutos). Pode, no máximo, causar um pequeno desconforto que diminui se a mulher conseguir relaxar e se o exame for realizado com boa técnica e de forma delicada. Inicialmente, o médico faz a inspeção visual da vagina e ânus, externamente, procurando quaisquer alterações da normalidade (pigmentação, secreções, lesões, padrão de pilificação, etc). Em seguida, ele introduz um instrumento chamado espéculo na vagina (conhecido popularmente como “bico de pato”, devido ao seu formato). É feita nova inspeção visual nas paredes internas da vagina e colo do útero. A seguir, o médico provoca uma pequena descamação da superfície externa e interna do colo do útero, com uma espátula de madeira e uma escovinha, respectivamente. As células colhidas são colocadas numa lâmina de vidro (para microscópio) que será encaminhada para análise em laboratório especializado em citopatologia.​

Para garantir um resultado correto, a mulher não deve ter relações sexuais (mesmo com camisinha) e evitar também o uso de duchas, medicamentos vaginais e anticoncepcionais locais (espermicidas, por exemplo) nas 48 horas anteriores à realização do exame. Não realizar exame ginecológico com toque, ultrassonografia transvaginal e/ou ressonância magnética da pelve. É importante também que não esteja menstruada, porque a presença de sangue pode alterar o resultado. Mulheres grávidas também podem se submeter ao exame, sem prejuízo para sua saúde ou a do bebê.​

Os exames devem ser realizados com a seguinte periodicidade (como estabelecido em 2009 pelo Colégio Americano de Ginecologia e Obstetrícia):

  • Primeiro exame aos 21 anos;
  • Uma vez a cada dois anos, a partir de então, até os 29 anos.
  • A partir dos 30 anos, se você tiver três exames consecutivos normais (negativo), pode ser realizado a cada três anos.
  • Encerrar a realização dos exames: de 65 a 70 anos, nas mulheres que tiveram três exames negativos consecutivos e nenhum resultado anormal nos últimos dez anos. Exceções: portadoras do HIV, mulheres com depressão imunológica, história de NIC-I ou NIC-II e aquelas com muitos parceiros sexuais.

Essas indicações não precisam ser seguidas à risca e cabe ao seu médico ginecologista alterá-las se considerar necessário, caso a caso. Considera-se a necessidade da realização de exames mais precocemente ou com maior frequência, por exemplo, em pacientes portadores de HIV ou HPV, imunosuprimidos, que não utilizam métodos de proteção (camisinhas), têm múltiplos parceiros sexuais, fazem uso prolongado de anticoncepcionais orais, são tabagistas e/ou têm má higiene íntima.

Resultados:

  • Se houver alteração do tipo NIC I, repetir o exame após seis meses;
  • Outras alterações (NIC II e NIC III): o médico decidirá a melhor conduta. A mulher precisará fazer outros exames, como a colposcopia (exame feito com o colposcópio: aparelho com lentes de aumento e câmera para visualizar o colo do útero, vagina, períneo);
  • Infecção pelo HPV: deverá repetir o exame seis meses depois;
  • Amostra insatisfatória: a quantidade de material não deu para fazer o exame. Ela deve repetir o exame logo que for possível.

Independente desses resultados, a mulher pode ter alguma outra infecção que será tratada. Além do câncer de colo do útero e de suas lesões, o exame ajuda a diagnosticar infecções vaginais comotricomoníase, candidíase e vaginose bacteriana. Como a coleta do exame envolve inspeção detalhada dos genitais, também é possível perceber doenças sexualmente transmissíveis, como sífilis, gonorreia, condilomatose, clamídia e cancroide. A mulher deve seguir o tratamento corretamente e, às vezes pode ser preciso que o seu parceiro também receba tratamento. Nesses casos, é bom que ele vá ao serviço de saúde receber as orientações diretamente dos profissionais de saúde.

A principal causa do câncer de colo de útero é o contágio pelo Papilomavírus Humano (HPV). Entretanto, a presença do vírus não significa o desenvolvimento de um tumor. Pelo menos 80% das mulheres podem ter contato com o vírus uma vez na vida, mas apenas 1% delas realmente desenvolve a doença.

A prevenção começa com o uso de preservativo durante a relação sexual. Atualmente, já é recomendado tomar a vacina contra o HPV, disponível em clínicas de vacinação, antes do inicio da vida sexual. Deve-se também adotar uma alimentação saudável, praticar exercícios físicos e não fumar. E, o mais importante, realizar o rastreamento através do exame de Papanicolaou.

Pode ser feito gratuitamente em postos ou unidades de saúde da rede pública e em todas as faculdades de Medicina do Brasil que tenham profissionais capacitados. É de fundamental importância, pois o câncer de colo de útero só costuma gerar sintomas tardiamente, portanto sua realização periódica reduz a mortalidade por este câncer consideravelmente.

Dr. Marcelo Scarpari Dutra Rodrigues