Perguntar
Fechar

A síndrome da hiperestimulação ovariana tem cura? Qual o tratamento?

Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Sim, a síndrome da hiperestimulação ovariana tem cura e o tratamento consiste basicamente em controlar os sintomas e reduzir os riscos de complicações mais graves.

A síndrome da hiperestimulação ovariana costuma ser autolimitada e geralmente desaparece espontaneamente após uma semana, quando não ocorreu gravidez. Contudo, se houve gravidez, os sinais e sintomas podem persistir por várias semanas.

Entre os sinais e sintomas da síndrome da hiperestimulação ovariana estão:

  • Dor abdominal leve;
  • Distensão e desconforto abdominal;
  • Aumento do tamanho dos ovários;
  • Inchaço;
  • Náuseas;
  • Vômitos;
  • Diarreia.

Já as formas graves da síndrome necessitam de cuidados intensivos, pois podem causar complicações que colocam em risco a vida da mulher, como:

  • Falta de ar e outras alterações respiratórias;
  • Derrame pleural (pulmões) e pericárdico (coração);
  • Alterações sanguíneas e renais;
  • Ganho de peso rápido.

A prevenção é o melhor tratamento para a síndrome da hiperestimulação ovariana, o que pode ser feito através da identificação dos fatores de risco e adoção de condutas que evitam o desenvolvimento dos fenômenos patológicos.

Leiam também: O que é a síndrome da hiperestimulação ovariana?