Perguntar
Fechar

Alopurinol: para que serve, como tomar e quais os efeitos colaterais?

Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

O alopurinol é um medicamento que serve para prevenir crises de gota e outras condições causadas pelo excesso de ácido úrico, como cálculo renal (pedras nos rins) e algumas formas de doenças renais.

A medicação diminui a produção de ácido úrico pelo corpo. Os seus efeitos podem ser notados depois de uma a duas semanas de tratamento.

O alopurinol não ajuda no alívio das dores na crise de gota, mas para prevenir novos casos. Durante a crise, para amenizar a dor, são indicados medicamentos analgésicos e anti-inflamatórios específicos.

Alopurinol

Como tomar alopurinol?

O alopurinol deve ser tomado 1x ao dia, após as refeições, com um copo de água. A dose varia de acordo com a intensidade dos sintomas e a idade do paciente.

Para adultos e crianças com mais de 10 anos:

Nos casos leves, a dose inicial indicada de alopurinol é de 100 mg por dia. Depois, caso não haja resposta satisfatória, as doses podem ser aumentadas gradativamente.

Nos mais moderados, as doses variam de 300 a 600 mg por dia.

Já nas condições graves, a dosagem de alopurinol pode chegar a 700 ou 900 mg por dia.

Em crianças menores de 10 anos, idosos ou pessoas portadoras de doença renal, essas doses devem ser ajustadas de acordo com o peso e função renal. O cálculo utilizado é de 2 a 10 mg por cada kg de peso.

O alopurinol pode ser tomado em dose única ou dividida em duas vezes ao dia, dependendo da dose e da tolerabilidade de cada um. No caso de intolerância gastrointestinal, como dores abdominais, diarreia, dor no estômago, essa dose deve sempre ser fracionada.

Recomenda-se também a ingesta de bastante líquido, com o objetivo de tornar a urina mais neutra ou levemente alcalina, além de aumentar o volume de eliminação de urina para 2 litros por dia, com isso eliminando mais o ácido úrico.

No tratamento da gota, pode ser preciso tomar alopurinol por várias semanas a meses para que consiga eliminar todo o ácido úrico em excesso, podendo haver nesse período novas crises de gota.

Quais são as contraindicações do alopurinol?

O uso de alopurinol é contraindicado para pessoas conhecidamente alérgicas a substância, ou a algum dos componentes da fórmula do medicamento.

Não existem evidências suficientes quanto à segurança da utilização de alopurinol durante a gravidez. Por isso, mulheres grávidas só devem tomar o medicamento se a doença colocar em risco a saúde da gestante ou do bebê. Nesses casos, cabe ao médico obstetra avaliar o risco-benefício em usar o medicamento.

O alopurinol não deve ser usado durante a amamentação, pois o medicamento é excretado no leite materno e os efeitos sobre o bebê não desconhecidos.

Quais são os efeitos colaterais do alopurinol?

Efeitos colaterais comuns (ocorrem em 1% a 10% dos casos): erupções cutâneas, náuseas, vômitos e alterações no funcionamento dos rins. Dentre todos os efeitos adversos do alopurinol, as erupções cutâneas são os mais frequentes. A erupção pode coçar e descamar.

Na presença de qualquer um desses efeitos colaterais, o uso de alopurinol deve ser suspenso imediatamente. Depois que a reação tiver desaparecido, a pessoa pode voltar a tomar o medicamento em doses mais baixas, aumentando gradualmente a dosagem.

Se as erupções voltarem a aparecer, o alopurinol não deve ser mais usado, pois é um sinal de que podem ocorrer reações alérgicas mais graves.

Efeitos colaterais incomuns (ocorrem em 0,1% a 1% dos casos): reações alérgicas, náuseas e vômitos.

Efeitos colaterais raros (ocorrem em 0,01% a 0,1% dos casos): hepatite e mau funcionamento do fígado.

Efeitos colaterais muito raros (ocorrem em menos de 0,01% dos casos): furunculose, diminuição ou desaparecimento de glóbulos brancos do sangue, anemia e redução do número de plaquetas.

O alopurinol deve ser usado apenas com orientação médica.

Para maiores esclarecimentos sobre o uso do medicamento, fale com seu/sua médico/a reumatologista, médico/a de família ou clínico/a geral.

Leia também: O que é gota e quais os sintomas?