Perguntar
Fechar

Carboxiterapia remove olheiras e estrias? Como funciona?

Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Ainda não existe comprovação científica, apesar de parecer funcionar sim.

O procedimento estético com aplicação de carboxiterapia tem sido indicado para tratamento de olheiras e estrias, além de celulite, gordura localizada e flacidez, e parece apresentar benefícios, entretanto a sociedade médica de dermatologia reconhece este procedimento ainda como experimental, por falta de estudos e comprovações científicas em relação a eficácia e segurança.

Como é realizada e como funciona a carboxiterapia?

O tratamento é realizado por meio da injeção de gás carbônico no tecido abaixo da pele, através de uma agulha bem fina.

O gás carbônico causa uma dilatação dos vasos sanguíneos, aumentando de forma considerável o fluxo sanguíneo no local. Com mais sangue chegando à região da aplicação, o tecido recebe também mais nutrientes e oxigênio. Como resultado, a cicatrização melhora e existe um aumento da produção de colágeno e fibras elásticas na pele.

O colágeno produzido através da carboxiterapia promove um preenchimento das estrias de dentro para fora, deixando a pele mais lisa, elástica e regular. O aumento do fluxo sanguíneo e do aporte de oxigênio atua na dissolução dos nódulos de celulite e na quebra das células de gordura localizada.

Com uma melhor circulação, o inchaço no local diminui. A distensão da pele provocada pela injeção de gás carbônico provoca a seguir uma retração da pele, o que reduz a flacidez.

A carboxiterapia não causa dor. Durante a aplicação, pode haver uma pequena sensação de ardência ou queimação. Porém, o incômodo termina logo após a injeção do produto.

Como a carboxiterapia funciona?

Como em todo procedimento médico, nos casos bem indicados, a chance de bons resultados é maior, mas não podemos afirmar com 100% de certeza porque os organismos não são iguais e nem os profissionais realizam exatamente o mesmo procedimento.

Por exemplo, nos casos de estrias novas, ainda avermelhadas, pode haver mais chance de melhora. Além de haver outros tratamentos reconhecidos no meio médico para esta condição.

No tratamento da gordura localizada, acredita-se que a carboxiterapia atue nos casos de pouca quantidade de gordura local. Em casos de maior quantidade, funcionaria como tratamento auxiliar da lipoaspiração.

Entretanto, para ter resultados, normalmente é preciso realizar de 10 a 20 sessões de carboxiterapia, 1 a 3 vezes por semana. Cada sessão dura cerca de 15 a 30 minutos.

Quais são os riscos da carboxiterapia?

Até o momento, a carboxiterapia tem apresentado poucos relatos de efeitos adversos, sendo eles:

  • Sensação de ardência ou queimação, causada pela distensão tecidual provocada pela injeção de gás carbônico. O desconforto termina no final da aplicação;
  • Formação de pequenos hematomas no local decorrentes da punção da agulha;
  • Sensação de crepitação na área da aplicação, que dura no máximo 30 minutos.

Quais são as contraindicações da carboxiterapia?

Apesar de parecer um procedimento bastante seguro, a carboxiterapia é contraindicada em pessoas com história de infarto agudo do miocárdio, angina instável, insuficiência respiratória, cardíaca, renal e hepática, quadros de anemia grave, pressão alta, tromboflebite aguda, gravidez, presença de infecção na área a ser tratada, gangrena, epilepsia e transtornos psiquiátricos.

A recomendação tanto da sociedade brasileira de dermatologia, quanto da Anvisa, é que todo e qualquer procedimento estético invasivo, como a injeção de gás carbônico, nesse caso, seja indicado e realizado por médico/a capacitado/a, de preferência dermatologista ou cirurgião plástico, e em ambiente seguro.

Pode lhe interessar também: Como remover estrias?, Existe uma forma de prevenir estrias na gravidez?