Perguntar
Fechar
Noripurum® comprimidos mastigáveis: para que serve e como usar?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Noripurum® comprimidos mastigáveis é indicado para tratamento de anemia provocada por deficiência de ferro. É utilizado em: síndromes (conjunto de sinais e sintomas) da deficiência de ferro que ainda não se manifestou ou se manifestou de forma suave; anemias por deficiência de ferro causadas por subnutrição e/ou carências alimentares tanto de qualidade quanto de quantidade; anemias motivadas pela má absorção intestinal; anemia por deficiência de ferro (ferropriva) durante a gravidez e a amamentação ou anemia originada de sangramentos recentes.

Como usar Noripurum® comprimidos mastigáveis

Noripurum® comprimidos mastigáveis devem ser administrados durante ou logo após as refeições.

A dose e a duração do tratamento dependem do grau de deficiência de ferro.

A dosagem varia também com:

  • A idade (crianças de 1 a 12 anos, crianças com mais de 12 anos e adultos)
  • Situações especiais, como gravidez ou a lactação;
  • O grau de deficiência de ferro avaliado pela presença ou não de sintomas de anemia.

Por estes motivos, Noripurum® comprimidos mastigáveis somente devem ser utilizados com orientação médica.

Contraindicações de Noripurum® comprimidos mastigáveis

O medicamento é contraindicado em casos de:

  • Alergias a medicamentos à base de ferro;
  • Doenças hepáticas agudas;
  • Distúrbios gastrointestinais;
  • Anemias que não são provocadas pela deficiência de ferro ou por problemas de absorção de ferro.
Efeitos colaterais de Noripurum® comprimidos mastigáveis

Noripurum® comprimidos mastigáveis é, de forma geral, muito bem tolerado pelas pessoas que precisam utilizá-lo. As reações adversas são raras e ocorrem em menos de 0,01% dos pacientes que o utilizam. São elas:

  • Dor abdominal;
  • Prisão de ventre;
  • Diarreia;
  • Enjoo;
  • Dor de estômago;
  • Indigestão;
  • Vômitos e ou
  • Alterações na pele: reações na pele como vermelhidão, urticária, erupções ou coceira na pele.

Se observar algum desses sintomas, você deve informar imediatamente ao seu/sua médico/a.

Cuidados quanto ao uso de Noripurum® comprimidos mastigáveis

Noripurum® comprimidos mastigáveis devem ser utilizados com cautela nos seguintes casos:

  • Alcoolismo;
  • Hepatites;
  • Quadros de infecções agudas;
  • Estados inflamatórios do trato gastrointestinal (enterites, colite ulcerativa), pancreatite e úlcera péptica;
  • Portadores de anemias associadas a infecções e neoplasias (câncer);
  • Pessoas que sofreram transfusões sanguíneas repetidas devem ser rigorosamente acompanhadas quando em uso de Noripurum® comprimidos mastigáveis;
  • Usuários de prótese dentária devem lavar a boca e escovar as próteses logo depois de utilizar a medicação;
  • Mulheres grávidas somente devem usar Noripurum® comprimidos mastigáveis com adequada prescrição médica.

Siga a orientação médica quanto ao uso de Noripurum® comprimidos mastigáveis. Respeite os horários de administração do medicamento, as doses e a duração do tratamento.

Não utilize Noripurum® comprimidos mastigáveis sem prescrição médica.

Veja também:

Para que serve e como devo usar Noripurum® injetável (intramuscular)? Quais os efeitos colaterais?

Como saber se tenho anemia?

Quais são os tipos de anemia e seus sintomas?

O que é talassemia? Como identificar e tratar?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Talassemia é uma condição que afeta as células vermelhas do sangue. Ela é uma condição genética causada pela anormalidade de um gene. A depender do gene acometido haverá um tipo específico de talassemia com apresentação e sintomas mais graves ou mais amenos.

Os sintomas podem ser:

  • Palidez;
  • Cansaço;
  • Fraqueza;
  • Icterícia;
  • Atraso no crescimento;
  • Alterações ósseas;
  • Aumento do abdômen.

A talassemia é identificada a partir do quadro clínico e dos exames laboratoriais.

O tratamento da talassemia poderá incluir:

  • Transfusão de sangue;
  • Uso de suplementação, como o ácido fólico e sulfato ferroso.
Espinafre cura anemia?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Depende. O espinafre é um alimento rico em ferro, e o ferro é um mineral essencial para a formação das hemácias. As hemácias são células do sangue responsáveis por transportar o oxigênio pelo corpo.

Por isso, o consumo de espinafre regularmente na dieta, aumenta a concentração de ferro no organismo e pode curar uma anemia, se foi ocasionada pela falta do ferro, a anemia ferropriva.

A anemia ferropriva é atualmente a principal causa de anemia no mundo atualmente. No entanto, dependendo da causa e gravidade da anemia, apenas o espinafre pode não ser suficiente para alcançar a cura. Pode ser preciso outro tratamento.

A causa da anemia deve ser sempre investigada pelo médico!

Espinafre e anemia

O espinafre, como os demais alimentos vegetais de cor verde-escura, são fontes de um tipo de ferro chamado ferro não-heme. Para que o ferro do espinafre seja melhor absorvido pelo organismo e ajude na prevenção e tratamento da anemia, é necessário que ele seja consumido junto com alimentos ricos em vitamina C (ácido ascórbico).

Além disso, outras medidas devem ser tomada para tratar uma anemia, como a busca pela causa desse problemas e evitar hábitos que reduzem a absorção do ferro pelo corpo. Por exemplo, o conusmo exagerado de cafeína, bebidas alcoólicas e cigarro.

Alimentos vegetais ricos em ferro
  • Espinafre
  • Brócolis
  • Couve
  • Acelga
  • Ervilha
  • Feijões (preto, branco, verde)
  • Lentilha
  • Grão-de-bico
  • Abóbora
  • Beterraba
  • Amendoim
  • Sementes de abóbora
  • Sementes de girassol
  • Noz
  • Uva passa
  • Abacate
  • Pistache
  • Cacau em pó
  • Tofu
  • Aveia em flocos

O consumo destes vegetais deve ser acompanhado de outros alimentos ricos em vitamina C, como: morangos, laranja, limão, abacaxi, pimentão.

Quais são os sintomas de anemia?

Os sintomas de anemia se iniciam de forma leve e vão se acentuando. São eles:

  • Cansaço
  • Palidez
  • Dores de cabeça
  • Dificuldade de concentração
  • Unhas frágeis
  • Tontura
  • Falta de apetite
  • Desmaio
  • Falta de ar

O diagnóstico é feito com base nos sintomas clínicos e em exames laboratoriais de sangue.

O tratamento consiste em uma alimentação rica em ferro, vitaminas, bons hábitos de vida, e nos casos mais graves, pode ser preciso incluir suplementos, ferro injetável e transfusão de sangue.

Se você suspeita que pode estar com anemia, adote uma alimentação saudável e procure um/a médico/a. Não utilize suplementos sem prescrição.

Veja mais

Referências:

ABRAN – Associação Brasileira de Nutrologia.

ABHH – Associação Brasileira de Hematologia, Hemoterapia e Terapia Celular.

Como saber se estou com falta de ferro?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Os sinais e sintomas da falta de ferro são bastante variados, porém só é possível ter certeza se está com falta de ferro através do exame de sangue, aonde será investigada taxas de glóbulos vermelhos, taxa de ferro e dinâmica do ferro no sangue.

A deficiência desse nutriente causa anemia ferropriva, que é a forma mais comum de anemia.

Os sinais e sintomas mais comuns incluem: cansaço, fraqueza, palidez de pele e mucosas (gengivas, parte interna dos olhos), batimentos cardíacos acelerados, indisposição, apatia, falta de ar, queda de cabelos, feridas nos cantos da boca, dor de cabeça, unhas quebradiças, falta de apetite ou alguns hábitos alimentares estranhos (adultos costumam ter vontade de comer gelo e crianças vontade de comer terra), ainda, dificuldade de aprendizagem e concentração.

A falta de ferro pode se manifestar de diferentes formas, conforme o grau de deficiência do mineral. Em alguns casos, os níveis de ferro podem estar baixos, sem necessariamente causar anemia, outras vezes, a sua carência mais acentuada resulta em anemia ferropriva, afetando todo o organismo.

Vale lembrar que a anemia também pode ser causada pela falta de outras vitaminas, minerais e nutrientes, como proteínas, ácido fólico (vitamina B9) e vitamina B12. Contudo, ainda assim, a carência de ferro continua sendo a principal causa.

Quais as causas da anemia por falta de ferro?

A anemia causada pela deficiência de ferro é provocada pelo consumo insuficiente de alimentos ricos em ferro, sobretudo aqueles que o organismo consegue aproveitar melhor o mineral, como a carne vermelha e alimentos verde escuro, como brócolis e espinafre, por exemplo.

Durante a gravidez, a anemia por falta de ferro ocorre principalmente pelo aumento da demanda do mineral pelo corpo durante esse período. Se a gestante tiver uma reserva baixa de ferro no organismo antes de engravidar, pode desenvolver a anemia.

Qual é a função do ferro?

O ferro é um mineral essencial para a produção de glóbulos vermelhos do sangue, também conhecidos como hemácias ou eritrócitos. O ferro é necessário para o organismo produzir a hemoglobina, uma proteína encontrada nas hemácias e que dá a cor vermelha a essas células.

A hemoglobina tem a função de se ligar ao oxigênio para que este seja transportado para o resto do corpo através do sangue. Por isso, a maioria dos sintomas da falta de ferro está relacionada com a diminuição da oxigenação das células corpo.

O ferro também é um nutriente importante para o crescimento normal da criança e para o sistema imunológico, além de melhorar a capacidade de aprendizagem e diminuir o risco de parto prematuro, nascimento com baixo peso e morte materna durante ou logo após o parto.

Quais são as consequências da falta de ferro?

Se a deficiência de ferro ocorrer na infância, pode haver atraso do crescimento, prejuízos na capacidade de aprendizagem, coordenação motora, no desenvolvimento da fala, cansaço, menor resistência a infecções e por vezes desejo.

Nos adultos, a deficiência de ferro produz sobretudo cansaço, fraqueza, dificuldade em praticar exercício físico, falta de ar ao realizar esforços, irritabilidade e dor de cabeça.

A falta de ferro em gestantes está associada ao baixo peso no nascimento, parto prematuro e maior risco de morte da mãe durante ou logo após o parto.

Quais são os alimentos ricos em ferro?

O ferro está presente em alimentos de origem animal e vegetal. Porém, o organismo aproveita melhor o mineral presente nos alimentos de origem animal. Por isso, as melhores fontes de ferro são a carne vermelha, a carne de porco, os miúdos (fígado, coração, moelas), os peixes, as aves e os mariscos crus.

Os alimentos de origem vegetal ricos em ferro incluem: agrião, couve, brócolis, beterraba, feijão, ervilha, grão-de-bico, lentilha, cereais matinais enriquecidos com ferro, aveia (farinha), nabo, nozes e castanhas. Apesar da biodisponibilidade de ferro desses alimentos ser baixa, por isso o organismo pouco aproveita o mineral presente, é mais uma fonte de ferro disponível.

É importante ressaltar a importância do consumo de alimentos ricos em vitamina C, que aumentam a absorção de ferro pelo organismo. As melhores fontes de vitamina C são: acerola, pimentão amarelo e vermelho crus, salsa, caju, goiaba, mamão papaia, kiwi, morango, laranja e abacaxi.

Da mesma forma, por outro lado, alguns alimentos prejudicam a absorção de ferro, como café, chá mate, chá preto, cereais integrais, leite, queijos, iogurtes e outros derivados do leite, por isso devem ser evitados nos casos de anemia ferropriva.

Saiba mais em: Que alimentos são indicados para quem tem anemia?

Em caso de sinais e sintomas de falta de ferro, consulte um médico clínico geral ou médico de família, que poderá solicitar um exame de sangue se suspeitar de anemia.