Perguntar
Fechar

Hepatites

Minha mãe fez um exame GAMA GT e o resultado foi...
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Todo exame solicitado por profissionais de saúde deve ser levado em consulta de retorno para continuar a avaliação e dar seguimento ao tratamento.

Com apenas um valor isolado de Gama GT não é possível estabelecer diagnóstico específico. A pessoa deve procurar um/a médico/a de família ou clínico/a geral para uma consulta completa que envolva a análise da história de vida, com as doenças acontecidas no passado, bem como do exame físico. Isso em conjunto com o resultado do exame de sangue poderá indicar alguma situação específica que é passível ao diagnóstico e tratamento.

O valor mencionado na pergunta (213) está acima do valor de referência e, portanto a enzima Gama GT apresenta-se elevada. 

O aumento de valores de Gama GT podem acontecer em pessoas que ingeriram quantidade elevada de bebida alcoólica, em quem usa medicamentos como Fenobarbital e Fenitoína ou em diversas condições clínicas como pancreatite, diabetes, doença renal, infarto, etc. 

Esse aumento deve ser correlacionado com o valor das outras enzimas hepáticas e com o quadro clínico do/a paciente para poder estabelecer uma explicação correta. 

Leia também: 

Exame de sangue Gama GT alterado, O que pode ser?

Quais os sintomas do Gama GT alto?

Quais são os valores de referência do Gama GT?

Quais são os sintomas da hepatite B?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Os sintomas da hepatite B variam conforme a fase da doença. Na fase aguda, ou seja, no início, a pessoa pode não sentir nenhum sintoma ou apresentar quadro inespecífico com febre, cansaço, dor abdominal, náuseas, vômitos, urina escura, dor nas articulações e icterícia (pele e olhos amarelados).

Esses sintomas ocorrem em cerca de 30% dos casos de hepatite B e grande parte dos pacientes recuperam-se sem complicações. Em casos raros, a hepatite aguda pode evoluir para hepatite fulminante, em que há uma grande destruição das células do fígado. Os sintomas nessas situações podem incluir confusão mental, sonolência, dificuldade para respirar e hemorragias.

Numa pequena parte das pessoas (cerca de 5%), a hepatite B se torna crônica. Nessa fase, a doença não costuma causar sintomas. Quando presentes, eles são decorrentes da insuficiência e cirrose do fígado, tais como icterícia, acúmulo de líquido no abdômen (ascite), inchaço nas pernas e nos pés, pequenas hemorragias, como na gengiva ao escovar os dentes, aumento do baço e confusão mental.

Indivíduos com hepatite B crônica podem apresentar complicações relacionadas à doença, como cirrose hepática e câncer de fígado.

O que é hepatite B?

A hepatite B, assim como os outros tipos de hepatite, é uma inflamação do fígado. A doença é causada pelo vírus HBV. Outras formas de hepatite podem ser causadas por bactérias, consumo excessivo de álcool, medicamentos, fatores genéticos, entre outras causas.

A hepatite pode provocar lesões graves no fígado que podem evoluir para cirrose hepática ou câncer de fígado. A hepatite B está entre as formas mais graves de hepatite, podendo tornar-se crônica, evoluir para câncer e levar à morte. 

As principais formas de transmissão da hepatite B são através de relações sexuais sem proteção e partilha de seringas.

Qual é o tratamento para hepatite B?

O tratamento da hepatite B aguda é feito com repouso e dieta. O objetivo nessa fase é permitir que o fígado se recupere. Se a hepatite for crônica, são utilizados medicamentos específicos para controlar a infecção e as lesões provocadas no fígado.

A prevenção da hepatite B pode ser feita através da vacinação, podendo prevenir o contágio em mais de 90% dos casos. A vacina contra hepatite B é administrada em 3 doses.

A prevenção da hepatite B é feita com vacina, uso de preservativo nas relações sexuais e o não compartilhamento de objetos cortantes e perfurantes como agulhas, seringas e alicates de unha não esterilizados. A vacina contra hepatite B é disponibilizada gratuitamente nas Unidades de Saúde do SUS (Sistema Único de Saúde).

Saiba mais em:

Existe vacina para a hepatite b?

Tenho a pele amarela desde que nasci. Posso ter hepatite?

Pele verde: o que pode ser?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Pele verde ou de tom amarelo-esverdeado pode ser sinal de algum problema no fígado. Essa alteração na cor da pele e dos olhos é chamada icterícia.

A icterícia é causada pelo acúmulo de bilirrubina no sangue. Trata-se de uma substância de coloração amarela-esverdeada, que resulta do metabolismo da hemoglobina (substância responsável pela cor vermelha das células do sangue).

Em excesso, a bilirrubina se deposita na pele, na parte branca dos olhos e nas mucosas, deixando pele e olhos amarelados.

Porém, se a icterícia for muito acentuada ou de longa duração, a pele adquire uma coloração esverdeada devido à transformação da bilirrubina em biliverdina.

Algumas doenças que podem deixar a pele amarelada:

  • Doenças hepáticas e biliares, como hepatites, cirrose, cálculos ou tumores biliares, câncer de fígado;
  • Hemocromatose: doença genética que aumenta excessivamente a absorção de ferro;
  • Síndrome de Gilbert: condição genética que provoca um aumento dos níveis de bilirrubina;
  • Anemia falciforme;
  • Câncer de pâncreas.
Pele esverdeada é sempre sinal de doença?

Não. Se for uma mancha esverdeada pode ser uma equimose, que geralmente é causada por pancadas ou alterações na coagulação do sangue.

A equimose ocorre quando vasos sanguíneos muito pequenos (capilares) se rompem e o sangue extravasado se espalha e infiltra-se nos tecidos ao redor.

Dentre as possíveis causas de uma equimose estão:

  • Traumas;
  • Distúrbios da coagulação;
  • Efeitos colaterais de medicamentos;
  • Cirurgias;
  • Injeções;
  • Longos períodos em posturas forçadas.

Uma equimose recente geralmente tem uma coloração arroxeada, tornando-se depois amarelo-esverdeada, até ir desaparecendo gradualmente.

Consulte um médico clínico geral ou médico de família se a sua pele estiver amarelada ou esverdeada.

Leia também: Olhos amarelados, o que pode ser?

Fiz exame de sangue AST e ALT e o resultado...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Pequenas alterações nesses dois exames podem significar doença hepática (fígado) leve ou inicial ou em remissão (fase de melhora), mas muitas vezes podem não ter nenhum significado clínico.

Hepatite B tem cura? Se tem, qual o tratamento?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

A hepatite B tem cura espontânea na grande maioria dos casos da Hepatite Aguda. Porém, em torno de 5%  das pessoas evoluem para a forma crônica da doença.

A Hepatite Fulminante é bem rara e ocorre em menos de 1% das pessoas infectadas.

O tratamento da Hepatite B dependerá da forma da doença:

  • Hepatite Aguda: medicamentos para aliviar os sintomas e prevenir complicações, repouso relativo (moderar atividade física), abstinência de bebidas alcoólicas;
  • Hepatite Crônica: o tratamento deve ser ponderado em cada caso, e é feito com medicamentos que inibem a replicação do vírus e controlam a inflamação do fígado.

Também pode lhe interessar: 

Anti-HBS no exame significa hepatite B?

Existe vacina para a hepatite b?

Meus olhos estão amarelos e a urina está escura, o que pode ser?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Olhos amarelos e urina escura podem ser sintomas de doença no fígado ou na vesícula biliar, as mais comuns são: Hepatite A, B, C, Hepatite autoimune e coledocolitíase (pedra na vesícula).

Apesar das hepatites apresentarem causas distintas, os sintomas são semelhantes e incluem:

  • Olhos e pele amarelados (icterícia);
  • Urina escura;
  • Dor de cabeça e no corpo;
  • Cansaço;
  • Fraqueza;
  • Perda de apetite;
  • Aumento do abdômen, por acúmulo de líquido;
  • Febre;
  • Fezes claras.

Vale lembrar que a hepatite C não apresenta sintomas na fase aguda. 

Hepatite é uma inflamação do fígado causada por vírus (hepatites virais), bactérias, medicamentos, drogas ou álcool. Os tipos mais comuns são causados pelos vírus A, B, C, embora existam também hepatites causadas pelos vírus D, E, G.

Uma outra condição que pode deixar os olhos amarelos e a urina escura é a coledocolitíase (cálculo no principal canal biliar). Trata-se de um cálculo ("pedra") que sai da vesícula e aloja-se no principal canal (colédoco) que leva a bile ao intestino.

Além de olhos amarelos e urina escura, os sintomas incluem também:

  • Dores abdominais;
  • Cólicas, náuseas, vômitos e mal-estar;
  • Fezes claras;
  • Pode haver também febre com calafrios.

Seja qual for a causa dos olhos amarelos e da urina escura, é muito provável que você esteja com algum problema relacionado com o fígado ou vesícula, e precisa ser visto com urgência por um médico, de preferência um gastroenterologista ou hepatologista.

Saiba mais em: Urina escura: o que pode ser?

Entendendo os valores do exame HCV
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

O exame realizado para diagnosticar Hepatite C é o anti-HCV.

O resultado do exame anti-HCV pode ser:

  • Positivo (reagente) ou
  • Negativo (não reagente).

Pessoas com resultado positivo (reagente) devem realizar outro exame mais sensível para detectar o RNA do vírus no sangue. Quando esse segundo resultado é negativo, indica que a pessoa já teve contato prévio com o vírus e curou-se. Quando o resultado desse segundo exame é positivo, há grande indicativo da presença da Hepatite C.

Quando o resultado do exame anti-HCV é negativo (não reagente), indica que a pessoa não teve contato com o vírus da Hepatite C. Em casos particulares, como na presença de baixa imunidade (SIDA ou pós transplante), esse resultado pode ser falso-negativo, ou seja, a pessoa está com o vírus , mas o exame deu negativo e não conseguiu detectar a presença do vírus. Nesses casos, é indicado a realização de outro teste mais sensível.

Em torno de 20% das pessoas que entraram em contato com o vírus da Hepatite C curam, enquanto que em torno de 80% das pessoas desenvolvem a doença crônica.

É importante saber que a Hepatite C pode ser prevenida com medidas como:

  • Não compartilhar agulhas e seringas com outras pessoas;
  • Usar os equipamentos de proteção individual indicados em cada ocasião;
  • Rastrear os doadores de sangue.

exame anti-HCV é oferecido gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e pode ser feito nas Unidades de Saúde.

Dengue pode virar hepatite, meningite ou pneumonia?

Sim, o vírus da dengue pode causar hepatite, meningite viral e favorecer o desenvolvimento de pneumonia bacteriana.

Casos de hepatite provocados por dengue não são comuns, mas podem acontecer se o vírus da dengue provocar uma inflamação no fígado (hepatite). 

O próprio paracetamol, usado no controle dos sintomas da dengue, pode favorecer o desenvolvimento de hepatite. Isso porque os medicamentos são processados no fígado, o que aumenta a toxicidade e fragilidade do órgão.

O principal sintoma da hepatite nessa situação é a dor abdominal, mas é muito difícil detectar a inflamação no fígado apenas por esse sintoma, pois a própria dengue provoca dor no abdômen.

Leia também: Posso tomar dipirona com dengue?; Quem tem dengue pode tomar dipirona e paracetamol?

Dengue e Meningite

Casos de meningite viral e outras doença neurológicas, como encefalite (inflamação no cérebro ou cerebelo) e mielite (inflamação na medula espinhal) são frequentemente observadas em pacientes com dengue.

Cerca de 1% a 5% dos casos de dengue provocados pelos vírus da dengue (tipos 2 e 3) evoluem para doenças neurológicas.

No entanto, é importante frisar que a meningite resultante da dengue não se transmite pelo ar como a meningite tradicional. Neste caso, o vírus é transmitido pelo mosquito, que pode atingir as meninges e provocar uma inflamação das mesmas (meningite).

Tanto a dengue como a meningite podem apresentar sinais e sintomas semelhantes no início, mas que vão se diferenciar bastante na evolução do quadro.

Veja mais sobre o assunto em: Sintomas que qualificam os casos como suspeitos de Dengue.

Porém, a principal diferença é que a meningite provoca rigidez de nuca, ou seja, o paciente não consegue encostar o queixo no peito. Isso não acontece na dengue, apesar da dor muscular.

A boa notícia é que as doenças neurológicas associadas à dengue geralmente sãobenignas e raramente deixam sequelas. O tratamento é feito com medicamentos específicos e os sintomas normalmente desaparecem em poucos dias.

Veja também o artigo: Meningite deixa sequelas?

Dengue e Pneumonia

Já a pneumonia pode aparecer na fase final da dengue, fazendo com que a febre se estenda por mais de uma semana. Além da pneumonia, quadros de infecções bacterianas associados à dengue são relativamente comuns, tais como otite e faringite, sendo tratados da maneira habitual.

Também pode lhe interessar: Quais são os sintomas da pneumonia bacteriana e qual é o tratamento?

Quais os sintomas da dengue?

A dengue pode causar febre alta, dor de cabeça, dores no corpo, náuseas ou ainda não apresentar qualquer sintoma.

No entanto, a ocorrência dos seguintes sinais e sintomas podem indicar um caso de dengue hemorrágica, que é grave e precisa de intervenção médica urgente pois pode levar à morte:

  • Manchas vermelhas na pele;
  • Sangramentos no nariz ou gengivas;
  • Dor abdominal intensa e permanente;
  • Vômitos persistentes.

Leia também: O que é a Dengue Hemorrágica?

Em caso de suspeita de dengue, não tome nenhum medicamento com ácido acetilsalicílico, como aspirina, pois pode desencadear uma hemorragia. Tome dipirona e procure atendimento médico o mais rápido possível.