Perguntar
Fechar
Tenho medo de pegar HIV/AIDS quando vou ao cabeleireiro, devo ficar preocupado?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Sua preocupação é válida uma vez que instrumentos cortantes utilizados por barbeiros e cabeleireiros podem apresentar riscos de transmitir infecções como o vírus HIV e hepatites.

A pessoa que frequenta barbeiros deve ter o cuidado de saber se os instrumentos utilizados são devidamente esterilizados.

Quando esses instrumentos, como a navalha, são efetivamente esterilizados a cada utilização, a pessoa pode realizar os procedimentos estéticos sem receios.

Essa forma de transmissão é rara de acontecer comparativamente às outras possíveis como relação sexual desprotegida, compartilhamento de agulhas contaminadas e de mãe para filho/a.

Mesmo assim, é preciso tomar cuidado e procurar saber as práticas de higienização e esterilização utilizadas pelo profissional da estética.

O teste de HIV é oferecido gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Em casos de dúvidas, procure uma Unidade de Saúde mais próxima de você.

Leia também:

Como pode ocorrer a transmissão do HIV?

Como pode ocorrer a transmissão da hepatite B?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

A transmissão da Hepatite B ocorre através do sangue, esperma e leite materno, já que é neles que o vírus HBV está presente. Assim, a hepatite B pode pode ser transmitida através de relações sexuais sem preservativo, durante a gravidez, amamentação ou parto, partilha de seringas ou agulhas, contado direto com o sangue ou objetos contaminados (agulhas, materiais de manicure, piercing e tatuagens), entre outras formas.

Para prevenir-se e evitar a transmissão da hepatite B, deve-se tomar a vacina contra a doença, usar camisinha em qualquer forma de contato sexual e não compartilhar materiais de manicure, pedicure, piercing e tatuagens, lâminas de barbear ou depilar, seringas, agulhas, entre outros objetos cortantes e perfurantes.

Na fase aguda, a hepatite B pode ser assintomática ou causar sintomas como febre, cansaço, dores abdominais, náuseas, vômitos, escurecimento da urina, dores articulares e icterícia (pele e olhos amarelados).

Em alguns casos mais raros, a doença pode evoluir para hepatite fulminante e provocar sangramentos, confusão mental, sonolência e dificuldade para respirar.

Quando não tratada, a hepatite B torna-se crônica e não costuma apresentar sinais e sintomas. Contudo, quando presentes, têm origem na insuficiência e cirrose hepática, podendo se manifestar por icterícia, acúmulo de líquido no abdômen, inchaço nos membros inferiores, aumento de tamanho do baço e confusão mental.

A vacina contra hepatite B é eficaz e está disponível gratuitamente nas Unidades de Saúde do SUS (Sistema Único de Saúde).

Também pode lhe interessar:

Qual é o tratamento para hepatite B?

Anti-HBS no exame significa hepatite B?

Existe vacina para a hepatite b?

Qual é o tratamento para hepatite B?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

O tratamento para hepatite B depende do estágio da doença. Para a hepatite aguda, o tratamento tem como objetivo apenas aliviar os sintomas. Na fase crônica, a hepatite B é tratada com medicamentos específicos para combater a multiplicação do vírus, diminuir os danos ao fígado e prevenir a evolução da cirrose e do câncer hepático.

Hepatite B aguda

O tratamento da hepatite B aguda inclui:

  • Cuidados gerais, como evitar o consumo de bebidas alcoólicas e medicação sem prescrição médica;
  • Aumentar a ingesta de água;
  • Alimentação saudável;
  • Repouso relativo, diminuir atividade física.

Os sintomas nessa fase estão presentes na minoria dos casos e podem incluir febre, fadiga, dores abdominais, náuseas, vômitos, escurecimento da urina, dores articulares e icterícia (pele e olhos amarelados).

Embora a maioria das pessoas com Hepatite B recupere-se da doença sem complicações, há casos raros em que o quadro evolui para hepatite fulminante, que pode levar à morte.

O tratamento para esses pacientes deve ser internado em setor de terapia intensiva, para controle rigoroso de sais e líquidos corporais, batimentos cardíacos, respiração, prevenção de hemorragias e, quando necessário, transplante de fígado.

Hepatite B crônica

O tratamento da hepatite B na fase crônica se baseia no uso de medicamentos que servirão para conter a replicação viral e a inflamação hepática, prevenindo ou reduzindo o risco de evoluir para um quadro mais grave como cirrose ou câncer de fígado.

Como prevenir a Hepatite B?

Para prevenir a hepatite B, basta tomar a vacina, usar preservativo em todas as relações sexuais e nunca compartilhar agulhas, seringas, materiais de manicure e pedicure ou qualquer objeto perfurante ou cortante.

A vacina contra hepatite B é disponibilizada gratuitamente nas Unidades de Saúde do SUS (Sistema Único de Saúde).

Saiba mais em:

Hepatite B tem cura? Se tem, qual o tratamento?

Existe vacina para a hepatite b?

Quais são os sintomas da hepatite B?

Quem teve hepatite pode doar sangue?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Quem teve hepatite após os 11 anos de idade não pode doar sangue.

A portaria nº 1.353 de 2011 do Ministério da Saúde indica as principais causas de inaptidão definitiva e temporária para a doação de sangue. A hepatite viral após os 11 anos de idade está na lista de inaptidão definitiva.

A exceção é feita nos casos de infecção aguda de Hepatite A, que deve ser comprovada com exames de sangue e avaliação do médico do serviço de hemoterapia.

Nos demais casos de hepatite após  os 11 anos de idade a pessoa fica impedida de doar sangue definitivamente.

Quando o gosto amargo na boca é sinal de problema de fígado? O que fazer?
Dra. Janessa Oliveira
Dra. Janessa Oliveira
Farmacêutica-Bioquímica

Popularmente, dizem que o gosto amargo na boca pode ter origem em problema de fígado ou de digestão. As doenças e problemas do fígado podem causar gosto amargo na boca, apesar de não serem as causas mais comuns.

Alguns sinais e sintomas associados ao gosto amargo na boca podem ajudar a perceber quando ele é causado por problemas de fígado:

Fraqueza, cansaço e digestão difícil

Esses são os sintomas que podem estar presentes quando você come muito, mas quando são constantes podem indicar pedras na vesícula e doença hepática gordurosa não alcoólica (gordura no fígado). Ter diabetes, colesterol alto, doença cardíaca ou ter retirado a vesícula são outros sinais associados a essas doenças.

Diminuição do apetite e alterações de paladar

Além de fraqueza e cansaço, esses são outros sinais que podem estar presentes para quem tem doenças crônicas do fígado, como a hepatite C. A percepção de alguns sabores, como o doce, pode estar aumentada e o prazer em comer diminui. Outros sinais possíveis são:

  • Perda de peso
  • Náuseas
  • Vômitos

Algumas hepatites são causadas por vírus. Você pode pegar a doença se algum líquido do corpo de uma pessoa doente (sangue, sêmen e muco vaginal) entrar no seu corpo. Isso pode acontecer no contato sexual e no uso de drogas com seringas ou agulhas compartilhadas.

Você também pode ficar doente quando um dentista, manicure, pedicure, quem coloca seu piercing ou faz sua tatuagem não lavar e esterilizar da forma adequada o material que utiliza. As hepatites virais podem ser transmitida para o bebê durante a gravidez, se a mãe tiver a doença.

Pele e branco dos olhos amarelados

Você pode perceber que a pele e branco dos olhos estão amarelados no início de uma hepatite viral ou quando uma doença hepática crônica se agrava (como no caso da cirrose). Outros sintomas, além do gosto amargo na boca, podem ser:

  • Perda de peso e de apetite
  • Fraqueza
  • Cansaço

Na cirrose, podem aparecer, ainda:

  • Inchaço, principalmente na barriga (ascite)
  • Efeitos no sistema nervoso central (confusão, problemas psiquiátricos, de equilíbrio e de locomoção)

A cirrose hepática pode ser consequência de muitos anos de alcoolismo, de uma hepatite causada por vírus ou por medicamentos, principalmente.

O que fazer para diminuir o gosto amargo na boca?

O tratamento da doença que está causando o gosto amargo é a medida mais adequada. Isso já ajuda a diminuir o gosto amargo na boca. Para identificar qual é o seu problema e iniciar o tratamento, você precisa procurar um médico de família ou clínico geral.

Há algumas medidas indicadas para diminuir a sensação:

  • Escovar os dentes e a língua
  • Beber água em quantidade suficiente

O nível de zinco no sangue normalmente diminui com os problemas do fígado. Isso é uma das causas da sensação de gosto amargo na boca. O nível baixo do mineral também pode causar piora da doença hepática, entre outros efeitos. Por isso, é indicado o uso de um suplemento à base de zinco quando você tem uma doença hepática e sente o gosto amargo na boca.

Se tiver um diagnóstico de doença do fígado, consulte o médico para saber se pode usar essas ervas que costumam ajudar no seu funcionamento e podem diminuir o gosto amargo da boca:

  • Chá de boldo do Chile e de alcachofra
  • Berinjela e alcachofra (há remédios de venda livre que contêm esses alimentos)
  • Tianma Gouteng (é uma planta usada na medicina chinesa)
Outros problemas que causam gosto amargo na boca

As doenças e problemas do fígado podem causar gosto amargo na boca. Entretanto, é mais comum que ele esteja associado a:

  • Problemas na boca: cáries, língua com placa bacteriana (quando a língua fica branca) ou inflamações e sangramentos na gengiva e na boca
  • Alterações hormonais na gravidez
  • Transtornos de ansiedade e depressão
  • Fumo
  • Uso de alguns medicamentos: anti-hipertensivos, antidepressivos, remédios para gota, anti-inflamatórios, antibióticos, antialérgicos, anticonvulsivantes, antiparasitários são os principais
  • Doenças: doença do refluxo gastroesofágico, diabetes, gripe ou dor de garganta são alguns exemplos

Você pode querer ler também:

Gosto amargo na boca pode ser sintoma de quê?

O que não pode comer quem tem problemas de fígado?

Dor no fígado: 6 sintomas que indicam problemas no fígado

Remédio para boca amarga

Formas de eliminar o gosto amargo na boca

Gosto de podre na boca o que pode ser?

Referências:

Cherkashchenko NA, Livzan M A, KrolevetsT S. Clinical features of the comorbid course of non-alcoholic fatty liver disease and gallstone disease. Ter Arkh. 2020; 92(8): 29-36.

Musialik J, Suchecka W, Klimacka-Nawrot E, Petelenz M, Hartman M, Błońska-Fajfrowska B. Taste and appetite disorders of chronic hepatitis C patients. Eur J Gastroenterol Hepatol. 2012; 24(12): 1400-5.

Tuerk MJ, Fazel N. Zinc deficiency. Curr Opin Gastroenterol. 2009; 25(2): 136-43.

Meng Xing, Xing-Jiang Xiong. Traditional Chinese medicine insights of newly-diagnosed and young hypertension and clinical practice of Tianma Gouteng Decoction for hypertension treatment. Zhongguo Zhong Yao Za Zhi. 2020; 45(12): 2752-59.

Hepatite A tem cura?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Hepatite A tem cura, embora não haja um tratamento específico para a doença. Recomenda-se repouso, abstinência de álcool durante e pelo menos 3 meses após o fim da doença e medicamentos para aliviar dores de cabeça, enjoos e febre, quando necessário. Deve-se evitar medicamentos contendo Paracetamol para não sobrecarregar o fígado.

Normalmente, a pessoa que adquiriu hepatite A cura-se espontaneamente em cerca de 1 a 2 meses, com boa recuperação em casa, não necessitando de internamento hospitalar. Quando há sintomas, estes costumam ser leves. A hepatite A não evolui para doença crônica e raramente torna-se grave ao ponto de necessitar de transplante de fígado. Existe, contudo, vacina para a hepatite A.

A transmissão da hepatite A dá-se pela via fecal-oral, ou seja, de uma pessoa infectada para outra saudável ou através de alimentos ou água contaminada. Boas práticas de higiene como lavar as mãos com água e sabão, beber água filtrada, lavar verduras e frutas antes de comer são as formas de prevenir a doença.

Quais as cores do cocô que indicam um problema grave?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

As cores do cocô que podem indicar um problema de saúde grave, são:

  • Fezes muito escuras, ou mesmo pretas,
  • Fezes avermelhadas ou com presença de sangue,
  • Fezes claras ou esbranquiçadas e
  • Fezes amareladas.
Fezes escuras, pode indicar uma doença grave?

Sim. As fezes muito escuras podem indicar uma situação de sangramento (hemorragia) no início do sistema digestivo. Sendo as causas mais comuns: a úlcera de estômago, úlcera de duodeno ou tumores.

O sangue digerido pelo intestino torna-se escuro e com forte mal cheiro e por isso as fezes nesses casos são amolecidas, de coloração escura, quase negra, aspecto brilhoso e odor fétido e intenso, denominada melena.

Na suspeita de melena, é preciso procurar uma emergência médica para avaliação, devido ao risco de sangramento em atividade, especialmente se houver outros sintomas associados, como fraqueza, naúseas, vômitos e mal-estar.

Fezes avermelhadas ou com sangue, pode indicar uma doença grave?

Sim, pode indicar uma doença grave, embora esteja mais relacionado a problemas localizados na região do ânus, como as hemorroidas, fissuras no ânus e prisão de ventre.

As fezes avermelhadas ou com sangue vivo, indicam um problema próximo à região anal, por isso o sangue mantém a sua coloração vermelha intensa, não houve tempo de ser digerido.

No entanto, problemas graves como um tumor de cólon, retocolite ulcerativa, doença de Crohn ou outras doenças inflamatórias do intestino, também podem apresentar fezes com sangue vivo, como primeiro sintoma da doença.

Portanto, na presença de sangue vivo nas fezes, associado a perda de peso, falta de apetite ou cansaço sem motivos aparentes, procure um médico gastroenterologista ou proctologista para avaliação e tratamento.

Fezes claras ou esbranquiçadas, podem indicar uma doença grave?

Sim. As fezes brancas ou esbranquiçadas, também podem indicar doenças graves, como um tumor de vesícula biliar ou doenças no fígado.

O fígado tem como uma de suas funções, a produção da bile, um fluido que fica armazenado na vesícula biliar e é lançado no intestino para auxiliar na digestão. A bile além de auxiliar na digestão, é responsável pela coloração acastanhada das fezes.

Portanto, doenças hepáticas como a hepatite e o câncer de fígado, podem reduzir a sua produção, causando fezes mais esbranquiçadas. Assim como doenças na vesícula, como o tumor que impede a passagem da bile, originam a mesma alteração.

As doenças hepáticas e de vesícula, apresentam ainda um quadro de dor abdominal, náuseas e vômitos, sobretudo após alimentação gordurosa. E nos casos mais avançados, a perda de peso, urina escura e icterícia (pele amarelada).

Fezes amarelas, podem indicar uma doença grave?

Sim. As fezes amareladas ou de aspecto gorduroso, podem indicar um problema grave como a pancreatite crônica.

Na pancreatite crônica, o pâncreas não consegue produzir as enzimas que auxiliam na quebra da gordura e sua absorção, portanto a gordura é perdida nas fezes, dando esse aspecto amarelado e gorduroso.

A doença celíaca, intolerância a lactose e uso de medicamentos para emagrecer, podem causar o mesmo problema. Sabendo que a gordura também é essencial para o bom funcionamento do organismo, junto as fezes amareladas pode haver queixa de dor na barriga, náuseas, vômitos, mal-estar, cansaço e falta de apetite.

Nesse caso, o mais recomendado é que procure um médico gastroenterologista para avaliação.

Qual é a cor normal das fezes?

A coloração normal do coco é acastanhado ou marrom escuro. Pode haver mudanças temporárias, por exemplo, quando faz uso de alguns medicamentos, ou quando tem uma infecção intestinal. Contudo, essa característica volta ao normal em poucos dias.

Na presença de mudança de cor nas fezes, que dure mais de 5 dias, assim como mudança na consistência e forma do coco, é fundamental que procure um médico gastroenterologista para uma avaliação.

Especialmente se junto com as mudanças do hábito intestinal, houverem sintomas de perda de peso, fraqueza, náuseas, vômitos e constipação intestinal.

Saiba mais sobre esse assunto nos artigos:

Existe vacina para a hepatite B?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Sim, existe vacina para a hepatite B, que está inclusive disponível gratuitamente nas Unidades Básicas de Saúde do SUS (Sistema Único de Saúde), para pessoas de todas as idades.

Geralmente, a primeira dose da vacina para hepatite B é dada ainda na maternidade, nas primeiras 12 horas após o nascimento, e a segunda dose no primeiro mês de vida. Depois, o bebê recebe a terceira dose aos 6 meses de idade. O intervalo entre a primeira e a segunda dose é de 30 dias e, da primeira para a terceira, de 180 dias.

Para as pessoas adultas que ainda não forma vacinadas também são dadas três doses de vacina. Nesse caso, a pessoa toma a segunda dose 30 dias depois da primeira, como os bebês, mas a terceira dose é administrada mais cedo, 6 meses após a primeira.

Em gestantes é essencial confirma se já foram vacinadas ou não, caso não tenham sido realiza-se a atualização vacinal durante o pré-natal.

A vacina contra a hepatite b é administrada sob a forma de injeção, normalmente aplicada na parte lateral da coxa ou no braço. É importante lembrar que a vacina só é eficaz para prevenir a hepatite B se a pessoa receber as 3 doses.

A vacinação é a forma mais eficaz de proteger a Hepatite B, doença transmitida por um vírus.

Procure o seu médico de família para mais esclarecimentos.

Saiba mais em:

Quais são os sintomas da hepatite B?

Qual é o tratamento para hepatite B?

Hepatite B tem cura? Se tem, qual o tratamento?

Tenho a pele amarela desde que nasci. Posso ter hepatite?

Como pode ocorrer a transmissão da hepatite B?