Perguntar
Fechar
Uma hérnia pode voltar depois da cirurgia?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Sim, uma hérnia pode voltar depois da cirurgia, embora o risco seja pequeno.

Dependendo da técnica cirúrgica utilizada, das características anatômicas da pessoa e do tipo de atividade desempenhada, há chances de uma hérnia (inguinal, umbilical, incisional, femural) voltar a depois da cirurgia.

No passado, quando se fazia uma cirurgia para tratar uma hérnia, a fraqueza ou falha na parede abdominal que provocava o aparecimento da hérnia era corrigido costurando-se o próprio tecido do/a paciente.

Como o tecido é frágil por natureza, havia mais chances dele afrouxar e a hérnia voltar a aparecer no mesmo local.

Com o passar do tempo, a cirurgia passou a ser feita com a colocação de uma tela, uma espécie de "remendo" que reforça a região. Com essa técnica, o risco da hérnia retornar é muito menor.

Em caso de recidiva (retorno da hérnia), é necessário realizar uma segunda cirurgia cirurgia para retirada da hérnia.

Leia também:

Hérnia inguinal: como é a cirurgia e recuperação pós operatório?

Quantos dias após a cirurgia de hérnia inguinal posso ter relação?

Toda hérnia tem que ser operada?

Toda hérnia tem que ser operada?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Não, nem toda hérnia umbilical ou inguinal tem indicação absoluta de cirurgia, embora o único tratamento definitivo seja a cirurgia, alguns casos de hérnia pequenas, sem queixas ou pessoas com contraindicações, pode ser indicado apenas acompanhamento.

O que pode ser feito durante esse acompanhamento é:

  • Evitar pegar peso ou fazer força exagerada e
  • Fortalecimento muscular

A sociedade brasileira de hérnia e parede abdominal desaconselha o uso de cintos e faixas.

Porém, hérnias grandes ou sintomáticas precisam ser operadas, a não ser que a pessoa tenha alguma contraindicação absoluta para a cirurgia, como doenças graves ou ter menos de 5 anos de idade. Fora esses casos excepcionais, todas essas hérnias devem ser operadas devido ao maior risco de complicação.

O estrangulamento é a complicação mais grave e temida de uma hérnia, com uma frequência estimada de 3%.

Chamamos de estrangulamento quando a parte do intestino que formou a hérnia fica presa na abertura que permitiu o seu extravasamento, e por algum motivo não consegue mais retornar para dentro do abdômen.

Se isso não for tratado com urgência, essa parte do intestino "estrangulada" deixa de receber oxigênio através do sangue. O resultado é uma isquemia (necrose), que provoca a morte dessa parte da alça intestinal, rompimento da sua parede, permitindo a passagem de líquidos e fezes que estavam no interior do órgão para dentro do abdômen. E é esse material intestinal que leva a uma infecção generalizada, muitas vezes fatal.

Saiba mais em: Uma hérnia pode estourar?

Quais os sintomas de estrangulamento da hérnia?

Os sinais e sintomas principais são: dor súbita, contínua e intensa durante várias horas no local da hérnia, febre, distensão (estufamento) abdominal, mudança de aparência da hérnia (escurecimento ou vermelhidão), aumento da frequência cardíaca, perda de apetite, náuseas e vômitos.

Na presença desses sintomas, procure atendimento médico com urgência para avaliação e tratamento imediato. É importante lembrar que o estrangulamento pode ocorrer em hérnias pequenas ou grandes.

Como é a cirurgia para hérnia?

A cirurgia para hérnia inguinal pode ser feita pelo método convencional (aberta) ou por laparoscopia. A cirurgia aberta é realizada por meio de um corte na região da virilha e a hérnia é recolocada na cavidade abdominal. Depois, a incisão é fechada e a parede abdominal é reforçada com um material sintético.

Depois da cirurgia, a pessoa pode retornar às suas atividades aos poucos. Em geral, são necessárias aproximadamente 6 semanas para uma recuperação completa.

A cirurgia por laparoscopia é realizada através de pequenos “furinhos” feitos no abdômen, por onde serão introduzidos o material cirúrgico, e por onde a hérnia será reparada. O local também é reforçado com o material sintético e o tempo de recuperação desse procedimento é menor e menos incômodo.

Quais as causas de hérnia?

As principais causas de hérnia inguinal e umbilical são o aumento da pressão dentro do abdômen e a presença de uma área de fragilidade na parede abdominal.

O aumento de pressão na cavidade abdominal pode ser causado por esforço excessivo para evacuar, levantamento de pesos, gestação, obesidade, tosse crônica, entre outras condições.

Já a fragilidade na parede abdominal costuma estar presente desde que a pessoa nasce. Contudo, também pode surgir posteriormente com a idade, sedentarismo, ou exercícios físicos intensos, tosse crônica, predisposição genética, traumatismos, cirurgias no abdômen, permanecer de pé por períodos prolongados, entre outros fatores.

Em geral, a hérnia pode ser empurrada suavemente para dentro da cavidade abdominal quando a pessoa está deitada. Aplicar gelo sobre a hérnia diminui o inchaço e auxilia essa manobra chamada redução. Quando a redução não for possível, pode ser um sinal de encarceramento.

Uma vez que a hérnia não é um tipo de lesão com cura espontânea e que pode causar complicações graves, a indicação da cirurgia para correção é bastante comum.

Para maiores esclarecimentos e avaliação do seu caso, recomendamos consultar um médico cirurgião geral.

Leia também: Quais são os tipos de hérnia?

Quem teve hérnia inguinal pode ter filhos?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Sim, quem teve hérnia inguinal pode ter filhos. Contudo, alguns homens que fizeram cirurgia para corrigir a hérnia inguinal podem ficar com aderências que obstruem os canais por onde passa o esperma, impedindo a saída do sêmen e causando infertilidade.

Outra possível consequência da cirurgia que pode impedir o homem de ter filhos é a colocação de uma tela, que se ficar muito justa também pode obstruir os ductos e bloquear a saída do esperma. Contudo, a cirurgia de correção da hérnia inguinal pode ser feita sem essa tela e, dependendo do caso, o médico pode optar por não utilizar o material para evitar eventuais problemas de fertilidade.

Além da obstrução, a operação também pode prejudicar a produção de esperma devido a aderências que podem comprimir vasos sanguíneos e diminuir o fluxo de sangue para os testículos.

Uma hérnia inguinal que surge na infância e não é tratada também pode interferir no desenvolvimento dos testículos e afetar a fertilidade a longo prazo. Além disso, uma hérnia que não recebe tratamento cirúrgico corre sempre o risco de ficar estrangulada e comprimir os vasos sanguíneos que nutrem os testículos, causando atrofia dos mesmos.

Veja também: Uma hérnia pode estourar?

Por isso toda hérnia inguinal deve ser operada. O tratamento cirúrgico consiste em colocar de volta no abdômen a porção do intestino que extravasou pela hérnia e fechar o "buraco" por onde ele saiu.

Saiba mais em: Hérnia inguinal: como é a cirurgia e recuperação pós operatório?

O médico urologista é o responsável pelos exames e avaliações necessárias para identificar as causas de infertilidade no homem.

Também podem ser do seu interesse:

Hérnia inguinal durante a gravidez é perigoso?

O que é hérnia inguinal e quais os sintomas?

Quantos dias após a cirurgia de hérnia inguinal posso ter relação?

Tenho hérnia umbilical há 2 meses. Posso continuar malhando?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Não. Se tem hérnia umbilical deve primeiro fazer uma avaliação médica criteriosa antes de continuar malhando. Levantar pesos na academia ou fazer exercícios físicos que exigem muita força aumenta a pressão dentro do abdômen e empurra a hérnia umbilical para fora.

Como a hérnia é recente, pode ser possível retornar o seu conteúdo para o local de origem. Hérnias pequenas e que não causam sintomas podem ser apenas acompanhadas e na maioria das vezes não precisam ser operadas de urgência.

Porém, se a hérnia umbilical for muito volumosa e o local por onde ela passa for muito estreito, pode não ser possível retornar para a cavidade abdominal após um esforço físico, por exemplo. Essa situação é muito perigosa devido ao risco de estrangulamento herniário, que pode levar à morte se não for tratado a tempo.

O estrangulamento é a porção do intestino, que forma a hérnia, deixar de receber suporte sanguíneo adequado, por estar comprimida naquela região, podendo gerar isquemia deste tecido herniário e complicações graves, como a perfuração da alça intestinal estrangulada, infecção generalizada, sepse e até óbito do paciente se não for abordado a tempo.

A maioria das hérnias umbilicais em adultos precisa de tratamento cirúrgico, pois o anel herniário geralmente é muito estreito e rígido, o que aumenta as chances de haver encarceramento e estrangulamento.

Saiba mais em: Uma hérnia pode estourar?

Portanto, antes de continuar frequentando a academia, consulte um médico cirurgião geral ou um gastroenterologista para que a sua hérnia umbilical seja avaliada e receba o tratamento adequado, e não correr riscos.

Também podem lhe interessar:

Como é a cirurgia de hernia umbilical e qual é o tempo de recuperação?

Toda hérnia tem que ser operada?

Quem tem hérnia umbilical pode engravidar?

Qual o tempo de recuperação da cirurgia de hernia de disco?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

O tempo de recuperação da cirurgia de hérnia de disco lombar ou cervical depende da experiência de cada equipe, do tipo de técnica utilizada e da altura em que estava localizada a hérnia, ou hérnias, mas em média varia entre uma e seis semanas. Normalmente o paciente não precisa ficar internado e sai do hospital no mesmo dia da cirurgia ou em 24 h. Depois, é preciso ficar uma semana de repouso em casa. Se o trabalho não exigir esforço físico, dependendo de cada caso, pode ser permitido retomar a atividade após esse período.

Em geral, a cirurgia de hérnia de disco permite que o paciente retorne gradualmente às suas atividades diárias. Durante o período de repouso domiciliar, é possível realizar tarefas simples que que não exigem esforço. Não é necessário ficar em repouso absoluto. 

Uma semana depois da cirurgia de hérnia de disco é feita uma reavaliação. Se estiver tudo bem, já é possível realizar mais atividades e até voltar a trabalhar, dependendo do tipo de trabalho.

Para retomar as atividades que exigem esforço físico ou uma maior movimentação, como praticar esportes, é preciso esperar cerca de 6 semanas.

As cirurgias para tratamento de hérnia de disco busca cada vez técnicas menos invasivas, em alguns casos, de apenas abaulamento, antes da formação da hérnia, já é possível realizar o procedimento sem necessidade de cortes, através de laser e radiofrequência.

O objetivo do tratamento cirúrgico é remover a hérnia e os fragmentos do disco para aliviar a compressão dos nervos que saem da medula espinhal.

Quando existe instabilidade da coluna, pode ser necessário estabilizá-la com hastes e parafusos, e nesse caso o procedimento é mais complexo.

O disco intervertebral também pode ser substituído por uma prótese, mas existem grupos que defendem que a substituição não traz melhores resultados do que os procedimentos tradicionais.

A cirurgia de hérnia de disco deve ser realizada de preferência por um médico neurocirurgião.

Também podem lhe interessar:

Hérnia de disco tem cura? Qual o tratamento?

Quando a cirurgia de hérnia de disco é indicada?

Hérnia pode virar câncer?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Não, hérnia não vira câncer. Porém, a hérnia de hiato pode causar refluxo gastroesofágico, que, com o passar do tempo, pode favorecer o aparecimento de câncer de esôfago.

Pacientes com hérnia de hiato frequentemente apresentam refluxo gastroesofágico, que é a passagem do conteúdo ácido de estômago para o esôfago.

Como o esôfago não está preparado para receber o suco gástrico, suas células sofrem uma transformação e ficam parecidas com as do estômago, como forma de defesa. Essa alteração é chamada de esôfago de Barrett e surge em casos crônicos de refluxo.

O esôfago de Barrett é encontrado em cerca de 10% dos pacientes com refluxo e pode evoluir para câncer em até 1% dos casos.

Sabe-se que pacientes com alteração na parede do esôfago com mais de 2 cm de espessura apresentam maiores riscos de desenvolverem câncer de esôfago.

Assim, pode-se concluir que a hérnia de hiato em si não se transforma em câncer, mas pode contribuir para o aparecimento do esôfago de Barrett, que pode eventualmente evoluir para câncer de esôfago.

Para maiores esclarecimentos sobre as complicações e tratamento da hérnia de hiato, consulte o seu médico.

Veja também os artigos: Hérnia hiatal tem cura? Qual o tratamento? ; O que é hérnia hiatal e quais os sintomas?

Quem tem hérnia umbilical pode engravidar?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Sim, quem tem hérnia umbilical pode engravidar, pois a hérnia não oferece risco para mãe ou para o bebê, desde que a hérnia no umbigo não seja muito grande ou não provoque muita dor. Inclusive a presença da hérnia não interfere na escolha da via de parto, que pode ser normal.

No entanto, o mais indicado é tratar a hérnia umbilical antes da gravidez, principalmente se ela for dolorosa ou aumentar de tamanho. Isto porque, com o aumento da barriga a hérnia pode crescer ainda mais e aumentar o desconforto e a dor.

Tal situação pode ser perigosa devido ao risco de estrangulamento hernial, que ocorre quando a hérnia fica presa na abertura que permitiu o seu extravasamento, levando a sintomas como dor abdominal intensa, náuseas, vômitos, febre e obstipação. 

Para evitar tal complicação, que pode ocorrer independentemente da mulher engravidar ou não, é recomendável tratar a hérnia umbilical nas seguintes situações:

  • Hérnia dolorosa;
  • Hérnia maior que 1,5 cm;
  • Ocorrência de encarceramento ou estrangulamento.

O tratamento da hérnia umbilical é cirúrgico e a operação é bastante simples, com retorno às atividades diárias em apenas 24 horas.

Leia também:

Toda hérnia tem que ser operada?

Uma hérnia pode estourar?

Mulheres que já estão grávidas e tem a indicação de parto cesárea, podem ter o problema corrigido no momento do parto.

Para maiores esclarecimentos, fale com o seu médico obstetra.

Também pode lhe interessar:

Como é a cirurgia de hernia umbilical e qual é o tempo de recuperação?

Tenho hérnia umbilical. Posso continuar malhando?

Hérnia inguinal durante a gravidez é perigoso?

Quais são os tipos de hérnia?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Os tipos de hérnia abdominal mais frequentes são:

  • Hérnia inguinal: Ocorre na virilha e representa cerca de 75% das hérnias abdominais, sendo muito mais comum em homens. Quando diagnosticada e tratada precocemente, não traz complicações. Se a hérnia sofrer estrangulamento, necessita de cirurgia de urgência devido ao risco de infecção generalizada e morte;
  • Hérnia inguinoescrotal: Ocorre no saco escrotal, geralmente como consequência da expansão da hérnia inguinal, que invade a região dos testículos;
  • Hérnia epigástrica: Surge entre o umbigo e o tórax devido ao afastamento dos músculos abdominais. O tratamento é cirúrgico, pois esse tipo de hérnia não desaparece espontaneamente;
  • Hérnia umbilical: É mais comum em mulheres e ocorre no umbigo devido a algum defeito na cicatriz umbilical, podendo ser desencadeada principalmente por esforço excessivo, gravidez ou obesidade. O tratamento desse tipo de hérnia é cirúrgico pois há risco de estrangulamento (Leia também: Quem tem hérnia umbilical pode engravidar?);
  • Hérnia femoral: Ocorre na raiz da coxa e é muito mais frequente nas mulheres. Trata-se de um tipo de hérnia mais raro e frequentemente confundido com a hérnia inguinal pela proximidade com a virilha. Apresenta mais complicações (estrangulamento) que as hérnias inguinais e o tratamento é cirúrgico (veja também: Toda hérnia tem que ser operada?);
  • Hérnia incisional: Podem ocorrer em qualquer local do abdômen que já sofreu uma incisão cirúrgica.

Uma hérnia é o extravasamento através de uma fraqueza da parede abdominal de um órgão (geralmente uma parte do intestino) ou de um tecido gorduroso do interior do abdômen.

Se a hérnia ficar encarcerada ou estrangulada no orifício que permitiu a sua saída ela pode "estourar", podendo causar infecção generalizada e morte.

Também podem lhe interessar:

Uma hérnia pode estourar?

Como saber se tenho uma hérnia?

O que é hérnia inguinal e quais os sintomas?

Quais são os tipos de hérnia de disco?
  • Hérnia de disco cervical: Ocorre no pescoço, geralmente entre as vértebras C5-C6 e C6-C7;
  • Hérnia de disco lombar: Surge na região inferior das costas, geralmente entre as vértebras L4 e L5;
  • Hérnia de disco lombossacral: Ocorre na junção entre a coluna lombar e o osso sacro, entre as vértebras L5 e S1.

Uma hérnia de disco é o extravasamento do núcleo gelatinoso do disco que fica entre as vértebras da coluna, que atua como um amortecedor e facilita a mobilidade da coluna.

Saiba mais sobre hérnia de disco em: Quais os sintomas de hérnia de disco?