Perguntar
Fechar

Cirurgia Vascular

Qual o tratamento e cuidados para quem tem pé diabético?
Dra. Ângela Cassol
Dra. Ângela Cassol
Médico

O tratamento do pé diabético deve ser, idealmente, multidisciplinar. O mais importante é prevenir o seu aparecimento. Abordarei primeiro as medidas para quem já tem pé diabético e, mais importante, para evitar seu surgimento, que devem ser adotadas por TODO paciente diabético. Em seguida, citarei as modalidades de tratamento.

Vários estudos têm demonstrado que programas para cuidados com os pés, incluindo orientação do paciente, exame regular dos pés e classificação do risco, podem reduzir a ocorrência das lesões nos pés em até 50%. Há cinco pontos básicos para a prevenção:

  • Inspeção regular e exame dos pés e dos calçados;
  • Identificação dos pacientes de alto risco, que deverá ser feita pelo médico endocrinologista ou clínico geral que segue o paciente;
  • Educação do paciente, da família e dos profissionais de saúde;
  • Uso de calçados apropriados;
  • Tratamento das doenças não ulcerativas, como calos e micose cutânea nos pés.

Uma abordagem terapêutica conservadora deve envolver um programa de caminhadas, uso de calçados adequados, suspensão do fumo e tratamento rigoroso da pressão alta e dislipidemia, caso não haja úlcera ou gangrena presentes.

Anormalidades biomecânicas são consequências frequentes da neuropatia diabética e acarretam pressão plantar anormal no pé. Uma combinação de deformidades dos pés e neuropatia aumenta o risco de úlceras.

O alivio da pressão é essencial para a prevenção e cicatrização de uma úlcera. Os calçados e palmilhas devem ser inspecionados com frequência e trocados quando necessário. O paciente nunca deve voltar a utilizar um calçado que já lhe tenha causado ulceração.

Quando estiver presente a úlcera, o tratamento deverá ser multidisciplinar. O controle da infecção, o tratamento da doença vascular, o alívio da pressão e a abordagem da lesão são componentes essenciais no tratamento multifatorial das úlceras.

Quando há lesões, deve ser avaliada a perfusão do membro, feita pelo médico cirurgião vascular. Se houver sinais de obstrução arterial significativa, deverá ser avaliada realização de cirurgia para restabelecer o fluxo sanguíneo ao membro afetado. O diabetes não é razão para adiar a cirurgia, quando esta for necessária, pois as taxas de sucesso e recuperação são similares entre diabéticos e não diabéticos.

O controle rigoroso da glicemia é fundamental para a cicatrização da úlcera. Além do controle da glicemia, é fundamental o controle da infecção do pé diabético, pois esta é uma ameaça ao membro e deve ser tratada empiricamente e de forma incisiva.

Sinais e sintomas de infecção, tais como febre, leucocitose, elevação do VHS, podem estar ausentes em pacientes diabéticos com úlceras infeccionadas nos pés. Uma infecção superficial é frequentemente causada por bactérias Gram-positivas, enquanto infecções mais profundas, por  vários micro-organismos, envolvendo bactérias Gram-negativas e anaeróbicas.

Em uma infecção profunda e grave do pé, a remoção cirúrgica do tecido infeccioso é essencial. Uma abordagem multidisciplinar, constando de debridamento, cuidado meticuloso da lesão, adequado suprimento vascular, controle metabólico, tratamento antibacteriano empírico e alivio da pressão, é essencial no tratamento da infecção do pé.

O tratamento do pé diabético e a sua prevenção deverão ser orientados pelo médico endocrinologista ou clínico geral.

O que são varicoses?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

As varicoses são veias dilatadas, tortuosas e alongadas que ficam evidentes logo abaixo da pele, no tecido subcutâneo. Elas podem ser pequenas ou, com o passar do tempo, apresentar um calibre maior.

As veias varicosas são mais frequentes nos membros inferiores, em  mulheres e em pessoas com idade avançada. Mas, a depender da presença de outras patologias e fatores de risco, pode acometer homens e pessoas em outra faixa etária.

As complicações das varicoses não são frequentes, porém, na presença de sangramento local e/ou sinais de inflamação e infecção, a pessoa deve procurar o serviço de saúde para uma avaliação.

Leia também:

Varicose tem cura? Qual o tratamento?

O que é úlcera varicosa?

Varizes podem causar trombose?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Sim, as varizes aumentam o risco trombose, isto porque o fluxo sanguíneo fica mais lento dentro das veias dilatadas, o que favorece a formação de coágulos. Essa formação de coágulos sanguíneos dentro das veias é chamada de trombose venosa.

Além das varizes outras situações aumentam o risco de trombose venosa, entre elas:

  • Gravidez;
  • Uso de contraceptivos orais;
  • Obesidade;
  • Neoplasias;
  • Traumatismo;
  • Estados de hipercoagulabilidade;
  • Idade avançada.

Veja também os artigos O que é trombose venosa profunda?; Veias saltadas é normal?

As varizes podem causa sintomas como: inchaço, dor, sensação de peso nas pernas, manchas na pele, atrofia da pele da perna, coceira e descamação. Além disso, se não tratadas podem levar a outras complicações como erisipela e ocorrência de úlceras varicosas.

Caso possua varizes que estejam causando alguns dos sintomas descritos acima procure um médico de família ou clínico geral para uma avaliação.

Em casos mais graves pode ser necessário o acompanhamento por um médico angiologista ou um cirurgião vascular, quando há necessidade de realizar procedimentos cirúrgicos.

Leia também:

Quais os sintomas da insuficiência venosa?

Insuficiência venosa tem cura? Como é o tratamento?

O que é aneurisma da aorta?

Aneurisma da aorta é uma dilatação anormal e permanente de uma porção da artéria aorta, a maior artéria do corpo humano, que começa no coração, atravessa o tórax (aorta torácica) e termina na altura do umbigo (aorta abdominal). Considera-se aneurisma quando a dilatação da artéria é 50% superior ao seu calibre normal.

O aneurisma da aorta ocorre devido ao enfraquecimento da parede do vaso, sendo a aorta abdominal a mais acometida pelos aneurismas. O problema afeta sobretudo homens, fumantes, hipertensos e com histórico da doença na família. 

Trata-se de uma doença silenciosa e muito perigosa devido ao risco de ruptura da artéria, que pode ser fatal. Além da rotura da aorta, o aneurisma pode provocar trombose, embolia, corrosão das vértebras da coluna e compressão de estruturas vizinhas, podendo trazer graves consequências para o organismo.

Com o enfraquecimento da parede arterial, o vaso se dilata devido à pressão constante do sangue no seu interior. A dilatação aumenta progressivamente até que a artéria se rompe, causando uma grande perda de sangue que pode levar à morte. Quanto maior o aneurisma, maior o risco de ruptura.

A maioria dos casos de aneurisma da aorta não apresenta sintomas. Quando presentes, os sintomas são decorrentes da compressão de estruturas vizinhas pela artéria dilatada ou das complicações.

Um aneurisma grande da artéria torácica pode causar dificuldade para engolir, devido à compressão do esôfago, e falta de ar, pela compressão da traqueia.

Saiba mais em: Aneurisma da aorta: quais são os sintomas e qual é o tratamento?

O diagnóstico do aneurisma da aorta é feito principalmente através de ecografia abdominal. Contudo, a tomografia computadorizada fornece imagens mais detalhadas, que permitem ao médico obter informações mais precisas sobre o tamanho, a localização e os limites do aneurisma.

O tratamento do aneurisma da aorta é feito através de cirurgia ou terapia endovascular. O procedimento cirúrgico consiste na retirada do aneurisma e colocação de uma prótese que restabelece o fluxo sanguíneo. Já a terapia endovascular é uma técnica minimamente invasiva em que é colocada uma prótese internamente ao aneurisma.

O médico especialista responsável pelo tratamento dos aneurismas é o cirurgião vascular.

Há tratamento para tirar veias salientes dos pés?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Depende do tamanho das veias: pequenas pode ser feito por meio de laser e grandes somente com cirurgia, procure um cirurgião vascular que ele vai te ajudar com esse problema.

Apareceu uma veia grossa e dolorida embaixo do seio?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Procure qualquer médico, um clínico geral mesmo.

Formou-se uma bolha de sangue, agora estourou...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Deve ir ao médico.