Perguntar
Fechar
O que é amigdalite caseosa?
Dr. Marcelo Scarpari Dutra Rodrigues
Dr. Marcelo Scarpari Dutra Rodrigues
Médico

A amidalite crônica caseosa, também conhecida por tonsilite crônica caseosa, é relatada pelo paciente como sensação de desconforto ou irritação frequente da garganta. O cáseo (ou caseum) amigdaliano (do latim "caseus", que significa queijo) é formado nas amígdalas (precisamente nas criptas amigdalianas, que são cavidades nas amígdalas), e lembra pequenas bolinhas de queijo do tamanho de um grão de arroz, no fundo da garganta. 

Restos de alimentos e a própria descamação da mucosa que recobre as amígdalas entram nestes orifícios e "apodrecem" no interior destas criptas. O cáseo nada mais é que estes restos de comida e descamação putrefatos, associados a leucócitos, em forma de massa viscosa.​ Esses cáseos podem ser expelidos na fala, tosse ou espirros.

Pode ocorrer em qualquer idade, e é muito comum, inclusive em pessoas que nunca tiveram infecções nas amígdalas. Traz desconforto e insegurança no trabalho e no convívio social, uma vez que a eliminação do cáseo e a halitose (mau hálito) podem ocorrer a qualquer instante. Também pode haver maior predisposição a infecções de repetição, saburra lingual, doenças periodontais, porém geralmente não há febre.

O diagnóstico é simples, feito no exame físico através da oroscopia (visualização da cavidade bucal).

Os tratamentos propostos podem ser são clínicos (através do uso de anti-inflamatórios e gargarejos com soluções salinas e anti-sépticas) ou cirúrgicos (tonsilectomias convencionais ou assistidas por laser).

Em caso de suspeita de amigdalite caseosa, um médico (preferencialmente um otorrinolaringologista) deverá ser consultado para confirmação diagnóstica, orientação e tratamento adequados.

O que é a faringite e qual o tratamento?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

A faringite é uma infecção na garganta que pode ser causada por vírus ou bactérias. A faringe é a região da garganta que fica entre o nariz e a laringe, onde se localizam as cordas vocais. Sua localização faz com que, de certa forma, faça parte da transição entre o sistema respiratório e digestivo.

A principal forma de transmissão da faringite é através do contato direto com secreções nasais e respiratórias eliminadas por uma pessoa infectada. Após um período de incubação de 1 a 3 dias, os sintomas da faringite começam a se manifestar.

Quais são os sintomas da faringite viral e bacteriana?Faringite viral

A faringite é mais frequentemente causada por vírus, como nos resfriados comuns. Os seus sinais e sintomas incluem dor, ardência e irritação na garganta, dificuldade para engolir, febre baixa, mal-estar e indisposição.

Faringite bacteriana

Quando a faringite é causada por bactérias, além da dor e da sensação de ardência e irritação na garganta, indisposição e mal-estar, há também a presença de secreção purulenta na garganta e eventualmente de petéquias (pontinhos vermelhos) no palato.

A febre pode ser mais elevada e os gânglios linfáticos ou linfonodos do pescoço podem estar aumentados. Os linfonodos são estruturas do sistema linfático que aparentam ser pequenos caroços e são responsáveis pelo combate local às infecções.

A faringite pode se agravar e trazer complicações como otite, sinusite ou ainda formação de abscesso ao redor das amígdalas.

Qual é o tratamento para faringite viral?

O tratamento da faringite viral é feito com medicamentos anti-inflamatórios e antitérmicos (medicamentos para baixar a febre). O objetivo do tratamento da faringite viral é aliviar os sintomas, controlando a inflamação, a dor e a febre.

Dentre os remédios usados no tratamento da faringite viral estão os anti-inflamatórios nimesulida®, o diclofenaco® e o ibuprofeno®. As faringites causadas por vírus tendem a curar-se espontaneamente em poucos dias.

Qual é o tratamento para faringite bacteriana?

Na faringite bacteriana, o tratamento é feito com remédios antibióticos, como penicilina®, eritromicina® e amoxacilina®. Os medicamentos são administrados por via oral ou injeção. Os sintomas geralmente melhoram 48 horas depois do início do antibiótico.

Contudo, mesmo após a melhoria dos sintomas, o tratamento com antibióticos deve ser mantido pelo tempo determinado pelo médico. Geralmente, o uso de antibióticos é mantido durante 7 a 10 dias.

Suspender o tratamento da faringite bacteriana antes do tempo pode trazer sérias complicações, uma vez que as bactérias podem se tornar resistentes à medicação e causar recaídas ou outras infecções.

Além dos antibióticos, também são usados medicamentos para controlar a dor e a febre, como a dipirona® e o paracetamol®.

A dor de garganta também pode ser aliviada com pastilhas ou gargarejos com água morna e sal.

Existe algum remédio caseiro para faringite?

Um remédio caseiro que ajuda a aliviar a dor da faringite é o gargarejo com água morna e sal. Além de limpar a garganta, os gargarejos ajudam a remover o muco que se forma por causa do pus, no caso da faringite bacteriana.

Para fazer o gargarejo, misture:

  • Uma (01) colher chá rasa de sal
  • Um (01) copo de água morna

O gargarejo deve ser feito durante 1 a 2 minutos e repetido pelo menos 3 vezes ao dia.

Vale lembrar que o uso de vinagre ou limão no gargarejo é contraindicado, pois a acidez pode deixar a garganta ainda mais irritada.

Também é importante ressaltar que os gargarejos apenas auxiliam no alívio da dor, já que não tratam a causa da infecção ou da inflamação. Por isso, não substituem os medicamentos.

Para diagnosticar a causa da faringite e o seu tratamento adequado é necessária a avaliação médica e em alguns casos, quando a faringite é frequente ou prolongada, podem ser necessários exames laboratoriais para auxiliar na identificação da sua causa e do melhor tratamento.

O médico clínico geral, pediatra, médico de família ou otorrinolaringologista podem diagnosticar e tratar adequadamente a faringite.

Tenho uma mancha escura na boca o que pode ser?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Apenas com esse dado fica muito difícil sugerir uma causa para o problema. Pois uma mancha na boca pode representar diversas situações, desde uma simples inflamação local, por produtos irritantes, alimentos mais ácidos ou tabagismo; uma reação alérgica, uma infecção fúngica, seja uma cicatriz após pequenos traumas, pode ser também um sinal de uma doença sistêmica ou um tumor bucal.

Porém a maioria das situações citadas, apresenta mais algum sintoma associado, por exemplo a inflamação ou infecção causam dor e incômodo na região. As doenças sistêmicas, refletem outros sintomas como perda de peso, mau hálito ou inapetência. E os tumores em geral produzem feridas de difícil cicatrização e frequentemente com episódios de sangramento.

Portanto, como relatou ausência de qualquer outro sintoma, podemos pensar primeiro em uma reação cicatricial, após traumas, como as mordidas locais, entretanto sem uma avaliação criteriosa, não é possível descartar as doenças sistêmicas, nem tão pouco o câncer bucal.

Saiba mais em: Quais são os sintomas de câncer de boca?

Por enquanto é uma mancha escura, que está sendo investigada e o principal já foi feito, a retirada e envio para análise. Agora deve aguardar o resultado da biópsia para que o médico dê seguimento ao seu acompanhamento.

Saiba mais sobre esse assunto no link: Tenho feridas na boca, o que pode ser?

Vale ressaltar que sempre que observar feridas ou alterações na boca que durem mais de 10 dias para cicatrizar, é importante procurar um médico ou dentista, para avaliação mais detalhada.

No seu caso, recomendamos que leve o resultado do exame ao médico que o solicitou , tão logo receba, para além de esclarecer suas dúvidas, receber as orientações adequadas.

Diferenças entre Rinite, Sinusite e Resfriado
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

A melhor forma de saber as diferenças entre rinite, sinusite e resfriado é conhecer um pouco de cada doença, o que são, suas causas e sintomas.

Rinite

O que é: Trata-se de um processo inflamatório da mucosa nasal. Pode ter várias causas. A forma mais comum é a rinite alérgica, frequente em pessoas atópicas e desencadeadas por alérgenos. A rinite alérgica está muito associada a fatores genéticos e ambientais.

Quais os sintomas mais comuns da rinite?

Os principais sintomas da rinite incluem coriza, congestão nasal, coceira no nariz, olhos e céu da boca, espirros, lacrimejamento e olheiras.

Outros sinais e sintomas que podem estar presentes: roncos nasais, tosse, falta de ar, respiração oral, dor de cabeça, rouquidão, diminuição do paladar e do olfato.

Os sintomas da rinite se manifestam após a exposição a algum tipo de alérgeno (pó, pólen, fungos, ácaros, pelos de animais), poluentes, como fumaça de cigarro, ou devido a mudanças bruscas de clima.

As infecções virais também podem provocar uma crise ou piorar os sintomas, uma vez que os vírus lesionam e irritam a mucosa que recobre o aparelho respiratório, tornando-a mais sensível aos alérgenos.

Quais as causas da rinite?

A rinite pode ser causada por inalação de alérgenos (ácaros, pó, pólen, pelos, fumaça, perfumes, entre outros), infecções virais, bacterianas ou fúngicas, inalação de irritantes respiratórios e fatores hormonais.

Sinusite

O que é: Inflamação dos seios paranasais, localizados atrás da testa, bochechas, olhos e osso nasal. Normalmente está associada a processos infecciosos causados por vírus, bactérias ou fungos, processos alérgicos ou irritativos.

A sinusite pode ser aguda ou crônica. Na aguda, a inflamação dos seios paranasais é recente, normalmente decorrente de complicações de algum resfriado. Já na sinusite crônica a inflamação dos seios paranasais pode durar meses ou anos.

Veja também: Qual a diferença entre sinusite aguda e sinusite crônica?

Quais os sintomas mais comuns de sinusite?

Os principais sintomas da sinusite incluem dor na face, dor de cabeça, febre, tosse, espirros, secreção, nariz entupido, dificuldade para respirar e inchaço ao redor dos olhos.

Saiba mais em: Quais são os sintomas da sinusite?

Se a sinusite for causada por bactérias, pode haver ainda mau hálito, perda do apetite e cansaço. Por inclusive haver presença de pus na secreção nesses casos.

Quais as causas da sinusite?

A sinusite tem como principais causas: infecção bacteriana, fúngica ou viral, gripes e resfriados, alergia respiratória e desvio de septo nasal.

Algumas doenças e condições favorecem o desenvolvimento da sinusite, como asma, rinite, bronquite, amigdalite, faringite, gripe ou resfriados.

A sinusite ocorre quando os túneis que escoam o muco produzido nos seios paranasais ficam obstruídos por secreção, inchaço da mucosa ou outra causa. Isso provoca acúmulo desse muco, favorecendo a proliferação de bactérias e causando sinusite.

Por essa razão, a principais causas da sinusite são os distúrbios que causam inchaço da mucosa, como rinite e infecções respiratórias virais.

Resfriado

O que é: Infecção do trato respiratório superior (nariz e garganta), causada por um vírus.

Quais os sintomas mais comuns do resfriado?

O resfriado caracteriza-se pela presença de coriza, congestão nasal, espirros ou tosse, lacrimejamento dos olhos e febre, normalmente baixa.

No início, a pessoa pode apresentar um pouco de dor de garganta. A tosse seca pode ainda permanecer durante semanas após o desaparecimento dos sintomas. A febre em adultos é rara, mas pode ocorrer.

Os sintomas do resfriado geralmente se manifestam entre 24 e 72 horas depois do contágio. O tempo de duração dos sintomas varia entre 5 e 7 dias. Em alguns casos de resfriado, os sintomas podem persistir por até duas semanas.

Qual a causa do resfriado?

Os resfriados são causados por vírus como Rinovírus (RV), Adenovírus e Parainfluenza.

A transmissão do resfriado ocorre pelo contato com vírus presentes em partículas de secreção expelidas por uma pessoa infectada.

Apesar de apresentarem sintomas semelhantes, rinite, sinusite e resfriado são doenças diferentes, mas que podem estar associadas umas às outras.

Caso apresente sintomas de rinite, sinusite ou resfriado, consulte o seu médico de família ou clínico geral para uma avaliação, diagnóstico e tratamento adequados. Em casos de recorrência de sintomas da rinite ou sinusite pode ser necessária uma avaliação pelo médico otorrinolaringologista.

Herpangina: o que é, quais os sintomas e qual é o tratamento?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Herpangina é uma infecção viral causada pelos vírus coxsackie A, coxsackie B ou echovírus. A doença provoca vesículas ("bolhas") no fundo da garganta que atingem o céu da boca, a úvula ("campainha") e os pilares amigdalianos. Quando se rompem, as vesículas deixam feridas esbranquiçadas espalhadas pela garganta.

A herpangina é comum em crianças, sobretudo no verão. A doença geralmente é assintomática. Quando presentes, os sintomas podem incluir, além das vesículas, febre, dor de cabeça, dor no pescoço, perda de apetite, dor ou dificuldade para engolir e vômitos.

Também podem surgir nódulos no pescoço devido ao aumento dos linfonodos como resposta à infecção.

Nos casos mais graves, aparecerem feridas na parte anterior e posterior da cavidade oral. As lesões na garganta são múltiplas, pequenas, de coloração branco-acinzentada e com as bases avermelhadas.

As bolhas se rompem em 2 a 3 dias e deixam úlceras que podem aumentar de tamanho. Já as lesões na boca podem durar mais de uma semana.

Não há um tratamento específico para a herpangina. A doença normalmente resolve-se espontaneamente em 5 a 10 dias. O tratamento visa apenas aliviar os sintomas, com medicamentos para dor e febre, além de hidratação oral.

Consulte o pediatra ou o médico de família caso apareçam sintomas sugestivos de herpangina.

Também pode lhe interessar:

Bolhas na boca, quais as causas?

Perda de olfato tem cura? Qual o tratamento?
Dra. Ângela Cassol
Dra. Ângela Cassol
Médico

Dependendo da causa, a perda de olfato pode sim ter cura, e o tratamento será direcionado à causa. Os quadros obstrutivos/condutivos, que ocorrem nas gripes, resfriados e sinusites são auto-limitados e se beneficiam com uso de antialérgicos, descongestionantes, anti-inflamatórios e, algumas vezes, antibióticos.

Nos casos de desvio de septo, pólipos nasais e alterações decorrentes de traumatismo, pode ser necessária a realização de cirurgia para correção.

Se a alteração estiver no epitélio olfatório, como ocorre em decorrência de tabagismo, inalação de substâncias químicas, falta de vitamina B12 e zinco também podem ser reversíveis, se interrompidos ou corrigidos precocemente. Nestes casos, deve-se interromper o tabagismo e a inalação das substâncias químicas e repor a vitamina B12 e o zinco, se comprovadas as suas deficiências.

Se a alteração estiver no nervo olfatório, em decorrência de um tumor, por exemplo, poderá haver recuperação do olfato, se possível retirada cirúrgica do tumor.

Nos casos de doenças neurológicas, como Mal de Parkinson e Mal de Alzheimer, há pouca chance de recuperação do olfato, embora haja medicações para tratamento destas doenças. Recentemente alguns medicamentos têm sido testados na recuperação da função dos receptores e nervos olfativos com resultados promissores.

Vale ressaltar que é fundamental a avaliação médica por um profissional qualificado (otorrinolaringologista) para identificar corretamente a causa da alteração do olfato e iniciar um tratamento adequado.

O que é palato duro e palato mole?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

O palato duro e o palato mole formam o céu da boca. O palato é o teto que separa a cavidade bucal da cavidade nasal, sendo dividido em duas partes:

  • Palato duro: Porção anterior do palato; recebe esse nome porque é formado por osso, é a parte esquelética do palato;
  • Palato mole: Porção posterior do palato, formada por músculos, daí a denominação "mole".

O palato duro possui saliências ósseas transversais que podem ser sentidas ao passar a língua pelo céu da boca.

No palato mole está a úvula palatina, conhecida popularmente como "campainha da boca". Do lado direto e esquerdo da úvula, ou seja, nos cantos do palato mole, estão as tonsilas palatinas, mais conhecidas como amígdalas.

A fenda palatina (fissura no céu da boca) e o lábio leporino (fissura no lábio superior) são os defeitos físicos de nascença mais comuns em bebês.

Essas alterações ocorrem devido a problemas genéticos ou pelo consumo de álcool ou cigarro, uso de medicamentos, exposição a algum vírus ou deficiência nutricional durante a gravidez.

Leia também: Caroço no céu da boca: o que pode ser?

O que pode causar nariz entupido?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

O nariz entupido pode ter várias causas, como doenças virais (gripe, resfriado, sinusite) ou distúrbios estruturais, como o desvio do septo ou a presença de pólipos no nariz.

O nariz entupido ocorre nas crianças e nos adultos. Na infância, as causas mais frequentes são as rinites crônicas (a mais comum é a rinite alérgica) e a hipertrofia das adenoides. Já as deformidades congênitas, como a atresia e os desvios de septo, são causas menos comuns de nariz entupido.

Nos adultos, as causas mais frequentes de obstrução nasal são as rinites crônicas, não necessariamente as rinites alérgicas. Os desvios de septo e alguns tumores também são causas importantes.

Uma das principais causas de congestão nasal é a inflamação da mucosa nasal, que reveste internamente o nariz. O principal fator associado a esse processo inflamatório é a rinite alérgica, que caracteriza-se pela presença de um agente irritante na mucosa ao qual a pessoa é alérgica.

Os ácaros, animal microscópico que se alimenta de restos de pele humana e é muito encontrado na poeira, estão entre os principais fatores que desencadeiam as rinites, juntamente com pelo de animais, fungos, pólen e baratas.

Quando causada por uma infecção por vírus, a congestão nasal é passageira. Contudo, em algumas situações, os sintomas podem ser persistentes, como nas rinites alérgicas e se houver uma barreira anatômica que impeça a passagem do ar.

O que fazer em caso de nariz entupido?

Para desentupir o nariz em casos de hipertrofia das adenoides e alterações no septo nasal, pode ser necessária a realização de procedimento cirúrgico para correção.

No casos das rinites alérgicas, é importante manter-se distante de todos os alérgenos, ou seja, aqueles que sabidamente provocam a reação alérgica. Se o problema for o contato com a fumaça do cigarro ou com o mofo, é conveniente tentar eliminá-los dos lugares em que você mais permanece.

Além disso, podem ser utilizados medicamentos sob a forma de sprays nasais e anti-histamínicos que ajudam a controlar as crises de congestão nasal, mas não promovem a cura definitiva.

É importante evitar o uso abusivo de descongestionantes nasais, que podem criar dependência que envolvem implicações perigosas, devido à contração que esses medicamentos provocam nos vasos sanguíneos em todo o organismo.

Ter o nariz entupido constantemente traz complicações?

O nariz tem a função de aquecer e umidificar o ar, além de filtrar as impurezas do mesmo. Quando o nariz fica entupido, esse papel é prejudicado, aumentando a ocorrência de infecções das vias aéreas.

O nariz entupido pode prejudicar o sono, além de causar cansaço, ronco e secura na boca. O desvio de septo sem tratamento, por exemplo, aumenta a predisposição para doenças e problemas como sinusites e apneia do sono.

Além disso, a respiração constante pela boca durante a infância prejudica o crescimento facial e provoca o desalinhamento dos dentes, causando grandes deformidades no rosto.

Para o diagnóstico e tratamento da obstrução nasal recorrente, deverá ser procurado um médico otorrinolaringologista.