Perguntar
Fechar

Estética, Beleza e Saúde

Tomei Decadron e meu cabelo e pele ficaram ruins...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Pode sim ser efeito da medicação. A pele regenera rapidamente e é substituída a cada 21 dias, os cabelos são formados na raiz e a parte que cresceu do fio não modifica mais, precisa fazer tratamentos estéticos para melhorar o aspecto do seu cabelo.

Leia também: Pele e cabelo oleosos: o que pode ser e o que fazer?

Grávida pode pintar os cabelos?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Sim, somente após o quarto mês e não pode usar qualquer tipo de tintura, precisa escolher entre as tinturas a base de corantes naturais e sem amônia.

Como identificar e tratar a bulimia?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Os sinais e sintomas da bulimia geralmente incluem a ingestão compulsiva e rápida de grandes quantidades de alimentos seguida por sentimentos de culpa, vômitos autoinduzidos, uso de diuréticos e laxantes sem indicação médica e adoção de dietas muito rígidas.

Também é comum que a pessoa com bulimia tenha uma distorção da autoimagem, vendo-se gorda quando na realidade está magra.

Em geral, esses indivíduos também apresentam baixa autoestima, grandes variações de peso, ansiedade, depressão, perfeccionismo, insatisfação frequente e automutilação.

Tratamento da Bulimia

A forma mas eficaz de tratar a bulimia é através da psicoterapia associada com medicamentos antidepressivos e estabilizadores do humor.

O objetivo é tratar não somente a bulimia em si, mas as complicações e outros transtornos mentais que podem estar associados, como ansiedade e depressão. 

Sem tratamento, a bulimia nervosa pode trazer várias complicações, como arritmias, desidratação, ressecamento da pele, prisão de ventre severa, náuseas, inflamações na garganta, perda do esmalte dos dentes, inflamações na gengiva, ausência ou alterações na menstruação, entre outras.

O tratamento da bulimia envolve diversos profissionais de diferentes áreas, como médico psiquiatra, médicos de outras especialidades, psicólogo e nutricionista.

Leia também:

O que é bulimia nervosa?

Quais os tipos de transtornos alimentares e seus sintomas?

Como é o tratamento para transtornos alimentares?

Manchas causadas pelo sol na gestação são permanentes?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

As manchas são permanentes, se nada for feito elas não desaparecem mais, precisa começar a se cuidar com o uso de protetor solar todos os dias - passar uma vez pela manhã e repetir na hora do almoço (mesmo em dias nublados). Atualmente existem muitas soluções estéticas e dermatológicas. Procure uma clínica de estética ou um dermatologista.

Implante dentário: o que é e como é feita a cirurgia?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

O implante dentário consiste, na maioria das vezes, na substituição de um dente e da sua raiz por uma prótese fixa. O tratamento não só implanta um dente num espaço vago, mas confere também uma raiz para que esse dente seja fixo como um dente natural.

O implante dentário é feito de titânio ou zircônio. Trata-se de um pino semelhante a um parafuso que serve para substituir uma ou diversas raízes de dentes perdidos, permitindo depois colocar dentes artificiais (coroas) sobre esses implantes, corrigindo a mastigação e a estética. O dente artificial, ou seja, a coroa, pode ser feito de porcelana, zircônio, resina ou metal.

A cirurgia para colocar o implante dentário é relativamente simples e rápida, é feita sob anestesia local e portanto não há dor durante o procedimento cirúrgico. Exames digitais em 3D permitem que a colocação do implante dentário seja bem planejada e segura, dando à pessoa dentes com a mesma estética e funcionalidade que os dentes naturais.

Não existe propriamente uma contraindicação para a colocação de implante dentário, exceto nos casos em que a pessoa não tenha um estado geral de saúde adequado ou ideal para a realização da cirurgia. Nessas situações, cabe ao cirurgião dentista avaliar as condições de saúde do paciente e indicar ou não a colocação do implante dentário.

Como é feita a cirurgia de implante dentário?

A cirurgia de implante dentário envolve procedimentos no osso e na gengiva, já que para colocar o implante é necessário abrir a gengiva e perfurar o osso.

A cirurgia de implante dentário é feita sob anestesia local e no próprio consultório do dentista. O procedimento começa com um pequeno corte feito na gengiva para se chegar ao osso.

A seguir, o osso é perfurado para que seja colocado o implante. A perfuração é realizada com brocas muito precisas. O osso não é danificado e o orifício fica exatamente do mesmo tamanho do implante.

Feito o orifício, o implante é então introduzido no mesmo. A seguir, o local é suturado para preservar o implante e garantir a saúde bucal do paciente.

O procedimento de colocação do implante dentário dura cerca de 30 minutos.

Depois da cirurgia, ocorre um processo de osseointegração, que garante que o implante esteja fixo e firme. Esse processo pode durar de 3 a 5 meses. Depois desse período, a pessoa volta ao dentista para que seja colocado o dente definitivo.

Existe ainda o implante de carga imediata, em que a fixação do implante e a colocação da coroa ocorre no mesmo procedimento.

Nos primeiros dias pode haver um desconforto ou dores leves que podem ser aliviadas com medicamentos analgésicos.

O cirurgião dentista especialista em implante dentário é o especialista responsável pela indicação e realização da cirurgia.

Pele ressecada: o que fazer?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Em caso de pele ressecada, deve-se tomar alguns cuidados, que também servem para evitar o ressecamento da pele:

  • Tomar banhos de água morna (evitar banhos quentes), com 10 minutos de duração no máximo;
  • Não utilizar buchas ou esponjas na hora do banho e usar pouco sabonete, que deve ser apropriado para pele ressecada, de preferência com ceramidas, glicerina, triglicerídeos ou manteiga de karité;
  • Evitar produtos que tenham ácido salicílico, ácido glicólico ou álcool em suas composições;
  • Usar protetor solar diariamente, de preferência os que contêm hidratantes;
  • Passar hidratante todos os dias, de preferência após o banho, enquanto a pele ainda está um pouco úmida;
  • Sempre utilizar hidratante depois de ir à piscina, praia e sauna, após exposições ao sol e a produtos químicos;
  • Enxugar a pele pressionando suavemente a toalha sobre a pele, sem esfregar;
  • Evitar exposições prolongadas ao sol;
  • Usar luvas ao manipular produtos químicos;
  • Hidratar as mãos com frequência;
  • Evitar fumar;
  • Beber água com frequência.

É importante ressaltar que o ressecamento da pele pode ser passageiro e estar relacionado a fatores externos, mas também pode ser sinal de algum problema de saúde ou doenças de pele, inclusive câncer.

Se mesmo com esses cuidados a pele continuar ressecada, consulte o/a médico/a dermatologista, clínico/a geral ou médico/a de família para receber um diagnóstico e tratamento adequados.

Também pode lhe interessar: Lábios ressecados: Quais são as causas e como tratar?

Depilação a laser dói? Como funciona?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Depilação a laser pode causar alguma dor, mas a percepção da dor é variável de pessoa para a pessoa, depende um pouco da sensibilidade individual de cada um e da técnica aplicada. Além disso, com a evolução das técnicas, a depilação a laser tornou-se bem menos dolorosa.

A dor também depende do tipo de laser que é utilizado para fazer a depilação. Grande parte das depilações a laser é feita com laser fototérmico, que aquece o tecido e pode causar efeitos colaterais como manchas e até queimaduras, se não for utilizado corretamente.

Já o laser fotoacústico produz um efeito mecânico e praticamente não produz calor. A pessoa quase não sente dor, apenas um incômodo. Além disso, essa técnica de depilação a laser protege a pele do efeito térmico, reduzindo o risco de efeitos colaterais.

A depilação a laser funciona da seguinte forma: o aparelho emite um feixe de luz altamente concentrado, que é absorvido pela melanina (substância que dá ao pelo) e atinge a raiz do pelo na sua fase ativa de crescimento.

A energia absorvida aumenta a temperatura no folículo piloso, aquecendo e destruindo as suas estruturas. Como resultado, o pelo é eliminado e o seu crescimento é inibido.

Em média, são necessárias de 8 a 10 sessões de depilação a laser para obter os resultados pretendidos. O intervalo entre as sessões varia entre 3 e 5 semanas.

Em cada sessão são destruídos os pelos que estão na fase ativa. Daí a necessidade de se fazer várias sessões, já que nem todos os pelos estão na fase ativa ao mesmo tempo.

Após a depilação a laser podem ocorrer vermelhidão e um pequeno inchaço no local, que desaparecem rapidamente. Também pode haver formação de crostas em alguns casos. O uso incorreto do aparelho pode provocar queimaduras irreversíveis.

Por isso a depilação a laser deve ser realizada por um profissional devidamente habilitado, em uma clínica segura e de confiança.

Saiba mais em: Depilação a laser na virilha é definitiva?

Babosa (Aloe vera) é benéfico para a saúde da pele? É cicatrizante?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Sim. A Aloe vera, popularmente conhecida como babosa, é uma planta medicinal que traz benefícios à saúde da pele. A ação hidratante da planta já foi comprovada em diversos estudos. Entretanto, ainda não há evidências científicas suficientes para afirmar o seu efeito cicatrizante.

Aloe vera e cicatrização Folhas de Aloe Vera

O uso da Aloe vera para a cicatrização de feridas ainda é questionado. Alguns estudos realizados em seres humanos demonstraram redução da dor pós-operatória e melhora da cicatrização, com redução do consumo de medicamentos analgésicos.

Contudo, houve pesquisas que mostraram o contrário, um aumento no tempo de cicatrização. O uso do gel de Aloe vera associado com ultrassom, micro corrente ou na forma de lipossomas parece estar mais relacionado aos casos de melhora na cicatrização de feridas e redução da inflamação.

Para confirmar o efeito cicatrizante da Aloe vera são necessários mais trabalhos, e se possível envolvendo populações maiores.

Aloe vera e seu efeito hidratante

Um benefício importante da Aloe vera para a saúde da pele é a sua ação hidratante. O efeito hidratante do gel de Aloe vera, se deve possivelmente, por um mecanismo umectante que ajuda a reter a água na sua superfície.

O uso do gel é bastante difundido na indústria cosmética e higiene pessoal em forma de cremes, xampus, sabonetes, entre outros.

Aloe vera e ação bactericida Polpa das folhas de Aloe vera: porção da planta de onde são extraídos os princípios ativos

O pirocatecol, ácido cinâmico, ácido ascórbico e ácido p-cumárico são algumas das substâncias envolvidas no efeito bactericida (destroem bactérias) e bacteriostático (impede a proliferação de bactérias) da Aloe vera. A planta tem ação antimicrobiana e combate alguns tipos de fungos, vírus e bactérias.

Aloe vera e ação anti-inflamatória

A atividade anti-inflamatória da Aloe vera foi confirmada em estudos com ratos ou pesquisas de laboratório, o que não permite afirmar que o mesmo efeito possa ser observado em seres humanos. Por este motivo, a ação anti-inflamatória da planta não é aceita.

Aloe vera e queimaduras

O uso de creme contendo Aloe vera pode auxiliar na cicatrização e na reepitalização (reparo do tecido da pele) em um curto período, se for adequadamente indicado, em caso de queimaduras.

No entanto, o uso de qualquer produto em queimaduras aumenta o risco de infecção secundária, visto que a barreira de proteção (epiderme) foi danificada. Sendo assim, nunca deve fazer uso de cremes ou hidratantes sem a orientação da equipe médica assistente.

Aloe vera e câncer

Alguns estudos mostram que a Aloe vera pode contribuir com atividade antineoplásica, ou seja, pode apresentar capacidade de destruir células malignas ou inibir seu crescimento e proliferação. Esta ação depende da dose utilizada e do tipo de câncer e parece estar ligada a presença da aloína, aloe-emodina e a acemanana na planta.

Alterações no desenvolvimento das células tumorais, estímulo ao bom funcionamento do sistema imunológico e a atividade antioxidante da Aloe vera são outros mecanismos envolvidos no combate a proliferação do câncer.

No entanto, são poucos os estudos que evidenciam estes efeitos, por isso, apesar dos bons resultados, serão necessários mais estudos clínicos com um número maior de pacientes para confirmar estes efeitos.

Aloe vera e psoríase

Existem estudos que comprovam a eficácia da Aloe vera no tratamento de pessoas com psoríase (doença inflamatória e autoimune que afeta a pele). O uso do creme de Aloe vera provocou a melhora dos sintomas clínicos da psoríase e da qualidade de vida dos pacientes.

Aloe vera e redução de colesterol e diabetes

Estudos indicam ainda indícios de que há benefícios no uso da Aloe vera para redução da glicose e do colesterol. Porém, da mesma forma que referido para o uso na psoríase e no câncer, são poucos os estudos, portanto, não foram suficientes para a compreensão desse benefício. Acredita-se que mais estudos poderão esclarecer e confirmar essa ação, de forma consistente.

Uso de Aloe vera oral na Gravidez

A administração oral de Aloe vera não é recomendada durante a gravidez. As antraquinonas presentes na planta estimulam o intestino grosso e podem se refletir na musculatura uterina induzindo ao aborto.

Efeitos colaterais da Aloe vera Administração oral
  • Diarreia
  • Cólicas
  • Náuseas
  • Hepatite aguda
Uso tópico
  • Dermatite de contato
  • Sensação de queimação

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) proibiu a comercialização de sucos e outros alimentos que contenham Aloe vera. A proibição se deve ao fato de que ainda há poucas evidências científicas que comprovem a segurança do seu consumo em forma de alimentos além de relatos de reações adversas.

Veja também

Plantas medicinais são seguras para a saúde?