Amamentação

Mastite na amamentação é perigoso?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Não, desde que devidamente tratada, a mastite na amamentação não é perigoso e não impede o aleitamento materno, excepto por indicação médica.

Em caso de mastite, a mulher deve continuar a amamentar. Depois de dar de mamar no lado afetado, ela deve esvaziar manualmente a mama com uma bomba ou com as próprias mãos, até se sentir confortável e obter o esvaziamento completo da mama.

Esvaziar a mama evita o ingurgitamento mamário e permite a melhora mais rápida inflamação, por isso é essencial continuar a amamentação mesmo apresentando sintomas de mastite.

O que é mastite?

A mastite é uma inflamação nos ductos da mama que acomete sobretudo mulheres que estão amamentando. Costuma surgir entre a segunda e a quinta semana de amamentação, geralmente em apenas uma das mamas. Na maioria dos casos, as mastites não trazem complicações e apresentam boa evolução.

Quais as causas de mastite?

A inflamação ocorre quando o leite permanece nos ductos por tempo prolongado ou quando as fissuras no mamilo atuam como porta de entrada para bactérias.

De fato, a principal causa das mastites é a infecção por bactérias, sendo o Staphylococcus aureus responsável por mais de 90% dos casos.

Embora seja mais frequente durante a lactação, a mastite também pode surgir em outros períodos. Nesses casos, pode haver fatores que favoreçam o aparecimento da inflamação, tais como fumo, diabetes, lesão na mama e cirurgias com quadros de infecção no pós-operatório.

Quais são os sintomas de mastite?

Os sinais e sintomas da mastite incluem vermelhidão, inchaço, aumento da temperatura e dor na mama afetada, bem como a presença de um nódulo no local. A mama também fica mais tensa e pode haver febre.

Qual é o tratamento para mastite?

O tratamento da mastite começa com o esvaziamento da mama por meio de bomba ou da ordenha manual. Para aliviar os sintomas, recomenda-se aplicar compressas frias na mama afetada.

Para facilitar a saída do leite no momento da amamentação, é indicada a aplicação de uma compressa morna antes do bebê mamar.

O tratamento da mastite também pode incluir medicamentos analgésicos, anti-inflamatórios e antibióticos. A cirurgia pode ser necessária em alguns casos quando tem formação de abcesso, para drena-lo..

Durante o tratamento, não é necessário suspender a amamentação, exceto por indicação do médico.

A prevenção da mastite é feita através de uma pega adequada do bebê na hora de amamentar e redução das fissuras.

Casos mais leves de mastite podem ser tratados pelo médico de família ou ginecologista/obstetra, em algumas situações pode ser necessário a avaliação por um mastologista.

Estou amamentando e tomei pílula do dia seguinte. Devo suspender a amamentação?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

A mulher que usou a pílula do dia seguinte não precisa suspender a amamentação.

A pílula do dia seguinte pode ser usada apenas após 6 semanas do parto devido aos riscos de eventos trombogênicos na mulher. Após esse período, a pílula pode ser utilizada sem acarretar danos ao/à bebê ou à mulher.

Apesar de ser secretada pelo leite materno em pequena quantia, a pílula do dia seguinte não acarreta problemas no desenvolvimento da criança.           

Essa medicação contém uma quantidade elevada de hormônio, por isso pode, em alguns poucos casos, reduzir a produção de leite por um curto período. 

Leia também:

Quais os riscos para o bebê de tomar pílula do dia seguinte enquanto estiver amamentando?

A mãe que precisou tomar pílula do dia seguinte pode continuar amamentando normalmente.

Caso você queira utilizar métodos contraceptivos de longo prazo, converse com o/a ginecologista, médico/a de família ou clínico/a geral para escolherem juntamente com você o método mais adequado nesse período da amamentação.

Como tomar o anticoncepcional Norestin
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

A pílula anticoncepcional Norestin deve ser tomada 1 comprimido por dia sempre no mesmo horário.

Por ser composta apenas por progestágeno, as mulheres que estão amamentando podem usá-las. Essa medicação não apresenta riscos no desenvolvimento da criança, sendo segura no período da amamentação.

As mulheres que estão em aleitamento exclusivo podem iniciar a medicação 6 semanas (40 dias) após o parto. Mulheres que estão em aleitamento parcial podem iniciar a medicação 3 semanas após o parto.

A pílula anticoncepcional deve ser tomada todos os dias e sempre no mesmo horário. Dessa forma, evita-se possíveis falhas da medicação e garante uma melhor eficácia.

Na presença de algum efeito colateral, a mulher deve procurar o/a médico/a para uma avaliação detalhada.

É normal ter um seio maior do que o outro durante a amamentação?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Sim. Durante a amamentação é normal ter um seio maior que o outro.

Normalmente, as mulheres já apresentam um seio maior e isso fica mais evidente durante o processo da amamentação.

Certas mulheres têm mais facilidade de segurar o bebê de um lado e em consequência pode haver maior estímulo de sucção em uma das mamas o que resulta em um seio maior.

É importante oferecer os dois seios na mesma mamada, mesmo que eles estejam com tamanho diferentes. Essa diferença não prejudica a saúde do bebê nem a da mãe.

Converse com a enfermeira, pediatra ou médico/a de família sobre suas dúvidas de amamentação durante as consultas da puericultura.

Fazer academia pode secar o leite?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Fazer academia não seca o leite, mas é importante que os exercícios sejam feitos de maneira gradativa, sob orientação e respeitando os limites de adaptação do corpo de cada mulher.

Além disso, é essencial que a mulher mantenha uma alimentação e hidratação adequadas. Isso porque a atividade física aumenta o gasto calórico do corpo, que já está queimando calorias a mais devido a amamentação.

Portanto, a mulher deve alimentar-se adequadamente, de forma balanceada e diversificada e preferir uma dieta fracionada, ou seja, alimentar-se a cada 3 horas em menores quantidade. Desta forma não haverá nenhum prejuízo a produção de leite e amamentação.

Além dos cuidados com a alimentação, é fundamental aumentar a ingestão de água para repor os líquidos perdidos na academia, a mulher deve ingerir de 1 a 2 litros a mais do que costuma, por conta da maior demanda hídrica na amamentação.

É válido lembrar que a atividade física intensa aumenta a concentração de ácido lático no corpo e pode alterar o sabor do leite materno, além disso pode diminuir a quantidade de imunoglobulinas no leite que são benéficas para o bebê. Por isso, recomenda-se esperar de 30 a 60 minutos após o exercício para amamentar, de formar a manter a composição ideal do leite.

Se você está amamentando e pretende voltar ou começar a fazer academia, fale com o seu médico ou um educador físico.

Leia também: Quando a mulher que está amamentando engravida, o leite seca?

Estou amamentando posso tomar anticoncepcional?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Pode tomar os anticoncepcionais especiais para amamentação que podem ser prescritos pelo seu ginecologista. Não fazem mal ao bebê e não diminui o leite.

Estou amamentando e tomei pílula do dia seguinte, posso continuar amamentando?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Sim. A mulher que fez uso de pílula do dia seguinte pode continuar amamentando.

O uso desse medicamento não está indicado para mulher em amamentação antes de 6 semanas após o parto. A pílula do dia seguinte traz uma concentração hormonal muito alta, por isso aumenta os riscos de distúrbios tromboembólicos, como trombose venosa profunda e tromboembolismo.

Para o bebê, não existem estudos científicos que comprovem riscos ou malefícios, apesar de saber que a substância pode alcançar, em pequena quantidade o leite materno.

A mulher que amamenta deve tomar cuidado com uso de qualquer medicação e fazer uso de contraceptivo adequado a esta fase da vida; para isso deve se informar durante a consulta seu médico/a ginecologista e definir o tratamento mais indicado.

Saiba mais sobre o assunto em:

Refluxo em bebê tem cura? Qual o tratamento?
Dra. Ângela Cassol
Dra. Ângela Cassol
Médico

Refluxo nos bebês é comum e tem cura. Algumas medidas são eficazes para evitá-lo ou minimizá-lo:

  • Evitar balançar o bebê;
  • Não vestir roupas que apertem a barriga;
  • Ter uma boa posição durante as mamadas para evitar que entre ar pela boca do bebê;
  • Para arrotar, após as mamadas, o bebê deve ficar na posição vertical no colo do adulto por 30 minutos;
  • Nas mamadas, deixar as narinas do bebê livres para respirar;
  • Evitar dar grandes quantidade de leite de uma só vez;
  • Aumentar a frequência das mamadas;
  • Deitar o bebê de lado e com a cabeceira do berço elevada cerca de 30 graus.

Nos casos mais graves de refluxo, pode ser necessário tratamento com remédios, como bromoprida ou domperidona, que deverá ser orientado pelo médico pediatra. Em alguns raros casos, pode ser necessária cirurgia para refluxo.