Perguntar
Fechar
Refluxo em bebê tem cura? Qual o tratamento?
Dra. Ângela Cassol
Dra. Ângela Cassol
Médico

Refluxo nos bebês é comum e tem cura. Algumas medidas são eficazes para evitá-lo ou minimizá-lo:

  • Evitar balançar o bebê;
  • Não vestir roupas que apertem a barriga;
  • Ter uma boa posição durante as mamadas para evitar que entre ar pela boca do bebê;
  • Para arrotar, após as mamadas, o bebê deve ficar na posição vertical no colo do adulto por 30 minutos;
  • Nas mamadas, deixar as narinas do bebê livres para respirar;
  • Evitar dar grandes quantidade de leite de uma só vez;
  • Aumentar a frequência das mamadas;
  • Deitar o bebê de lado e com a cabeceira do berço elevada cerca de 30 graus.

Nos casos mais graves de refluxo, pode ser necessário tratamento com remédios, como bromoprida ou domperidona, que deverá ser orientado pelo médico pediatra. Em alguns raros casos, pode ser necessária cirurgia para refluxo.

Amamentando posso tomar qualquer anticoncepcional?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Amamentando somente pode tomar anticoncepcionais que contenham apenas progestágenos e que não contenham estrógenos.

A pílula anticoncepcional Siblima é composta por gestodeno e etinilestradiol, ou seja, é um anticoncepcional combinado que contém progestágeno e estrógeno. Por isso, a mulher que está amamentando não deve usar o Siblima. É importante realizar uma nova consulta médica para mudança de pílula anticoncepcional.

A lactação pode ser afetada pelos contraceptivos orais combinados, pois contraceptivos orais combinados podem reduzir a quantidade e alterar a composição do leite materno. Em geral, não deve ser recomendado o uso de contraceptivos orais combinados até que a mulher tenha deixado totalmente de amamentar a criança.

Durante o período de amamentação é indicado o uso de outras pílulas como as que apresentam apenas progestágeno ou outro método contraceptivo como o DIU (Dispositivo Intra Uterino) ou injeção.

A mulher que amamenta deve tomar cuidado com uso de qualquer medicação e fazer uso de contraceptivo adequado a esta fase da vida; para isso deve se informar durante a consulta seu médico/a ginecologista e definir o tratamento mais indicado.

Leia também:

É possivel engravidar durante a amamentacao?

Anticoncepcao e amamentacao

Tomo Contracep há 02 anos, e nunca veio minha menstruação...
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Pequenas sangramentos que as vezes duram vários dias são uma ocorrência comum em quem usa Contracep. É possível tanto apresentar um pequeno sangramento de escape, como parece ser o seu caso, quanto ter a menstruação cessada por alguns períodos e não menstruar, ambas as situações são normais.

Quais mudanças no sangramento podem acontecer com o Contracep?

Como o Contracep, é um anticoncepcional injetável composto de progesterona, mudanças no padrão menstrual são comuns. Nos primeiros três meses de uso é possível haver irregularidade menstrual ou mesmo um aumento do sangramento.

Com o decorrer do tempo a tendência é o sangramento tornar-se mais escasso. É possível que ocorra em um ano de uso ausência de sangramento, apenas um sangramento raro ou que a irregularidade menstrual persista. A irregularidade menstrual pode incomodar algumas mulheres, no entanto, a tendência é essa irregularidade diminuir com o decorrer do tempo.

É prejudicial ficar sem menstruar?

Não menstruar com o uso do Contracep não é prejudicial, não corresponde a nenhuma doença. Quando a mulher deixar de fazer uso do contraceptivo em alguns meses ela voltará a apresentar os ciclos menstruais como anteriormente.

Para algumas mulheres o efeito de não menstruar é desejável por contribuir com a redução de cólicas, sangramento e sintomas menstruais. No entanto, outras podem ficar incomodadas em não menstruar, nesse caso podem avaliar a troca por outro método em que a menstruação não seja suprimida tão frequentemente, como com o uso do injetável mensal.

Para mais esclarecimentos sobre o efeito do anticoncepcional injetável trimestral na menstruação converse com o seu médico ginecologista ou médico de família.

Parei de amamentar, mas o Norestin ainda não acabou. Devo parar ou continuar tomando?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

O Norestin é uma pílula anticoncepcional composta apenas por progestágeno. Ela pode ser usada pelas mulheres não apenas durante a amamentação. Por isso, mesmo tendo parado de amamentar, a mulher pode continuar o uso do Norestin normalmente.

A medicação deve ser tomada em 1 comprimido por dia sempre no mesmo horário.

Caso você pretenda mudar de método anticoncepcional, é recomendado uma consulta com o/a médico/a ginecologista, médico/a de família ou clínico/a geral para uma avaliação e ponderação de qual método é mais adequado à você.

Enquanto estava amamentando o médico receitou Cerazette...
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Não há necessidade de trocar de anticoncepcional, ele pode ser usado para quem não amamenta também.

O Cerazette é uma pílula anticoncepcional composto apenas por desogestrel, um progestógeno de 3ª geração. Por não conter estrógeno é uma pílula que pode ser usada durante todo o período de amamentação e por aquelas mulheres que não podem fazer uso de estrógeno.

Quando a mulher para de amamentar, pode ser recomendada a mudança de pílula anticoncepcional para uma que seja combinada (contendo progestágeno e estrógeno).

Os anticoncepcionais só de progestógenos em baixas doses podem ocasionar mudanças no padrão menstrual levando a irregularidades no fluxo menstrual.

São pílulas que apresentam uma eficácia maior quando usadas por mulheres que estão amamentando e se forem usadas corretamente, ou seja, se forem tomadas todos os dias no mesmo horário, sem nenhum esquecimento.

O uso do Cerazette pode levar a alterações do padrão menstrual podendo causar sangramento irregular, com maior ou menor frequência ou levar a amenorreia (ausência de menstruação), principalmente em mulheres que estão amamentando.

Outros efeitos esperados são a presença de dores de cabeça, tontura,náuseas, dores abdominais, sensibilidade no seios e alterações no humor.

Para mais informações realize uma consulta com o/a médico/a de família, clínico/a geral ou ginecologista.

Amamentar corta o efeito da pílula do dia seguinte?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Não. A amamentação não corta o efeito da pílula do dia seguinte.

A mulher que amamenta pode utilizar a pílula do dia seguinte e continuar amamentando.

O uso desse medicamento não está indicado para mulher em amamentação no período das 6 semanas primeiras semanas após o parto. A pílula do dia seguinte traz uma concentração hormonal muito alta, por isso aumenta os riscos de distúrbios tromboembólicos, como trombose venosa profunda e tromboembolismo.

Para o bebê, não existem estudos científicos que comprovem riscos ou malefícios, apesar de saber que a substância pode alcançar, em pequena quantidade o leite materno.

A mulher que amamenta deve tomar cuidado com uso de qualquer medicação e fazer uso de contraceptivo adequado a esta fase da vida; para isso deve se informar durante a consulta seu médico/a ginecologista e definir o tratamento mais indicado.

Caso você queira utilizar métodos contraceptivos de longo prazo, converse com o/a ginecologista, médico/a de família ou clínico/a geral para escolherem juntamente com você o método mais adequado nesse período da amamentação.

Leia também:

Quais os riscos para o bebe de tomar pilula do dia seguinte enquanto estiver amamentando

Estou amamentando e minha menstruação ainda não desceu, isto é normal?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Sim. Normalmente enquanto a mulher amamenta, a menstruação costuma não descer.

Como fica a menstruação amamentando e usando anticoncepcional?

Pode ficar sem menstruação, pode vir regularmente, assim como pode vir de forma irregular (várias vezes por mês ou demorar bem mais de 1 mês para descer.

Amamentar realmente diminui o risco de engravidar?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

A mulher que amamenta jamais deve tomar a pílula do dia seguinte. A mulher que amamenta normalmente não ovula, não fica fértil e portanto não engravida (em teoria), precisa usar outro método anticoncepcional e nunca, jamais a pílula do dia seguinte amamentando A eficácia da pílula do dia seguinte não se altera por causa dessas situações.