Perguntar
Fechar

Exame de Urina

Minha urina está com pouco de espuma o que pode ser?

A eliminação de substâncias pelos rins pode causar espuma na urina, como é o caso de proteínas na urina. O ideal é fazer um exame de urina para ver se isto não é uma alteração que precisa de cuidados médicos. Pode não ser nada de grave, mas em alguns casos pode significar doenças.

A pílula do dia seguinte altera os exames?

Não, a pílula do dia seguinte não altera os exames de sangue, urina e fezes. Desde que não sejam exames hormonais, os resultados não serão influenciados pela pílula.

A pílula do dia seguinte possui uma grande quantidade de hormônios que podem alterar o ciclo menstrual da mulher e por isso não deve ser usada frequentemente.

Uma mulher que tomou a pílula do dia seguinte não deve esperar alterações nos resultados dos exames de sangue, urina ou fezes.

Podem sim ocorrer efeitos colaterais, como:

  • Náusea e vômito;
  • Tontura;
  • Dor de cabeça;
  • Aumento da sensibilidade das mamas;
  • Fadiga;
  • Dor abdominal;
  • Alteração no ciclo menstrual, podendo haver antecipação ou atraso da menstruação.

Todos esses efeitos colaterais podem ser facilmente tratados com medicamentos específicos para aliviar tais sintomas.

Para maiores esclarecimentos, fale com o médico que pediu os exames.

Leia também:

Teste de farmácia pode dar positivo devido a pílula do dia seguinte?

Quanto tempo duram os efeitos colaterais da pílula do dia seguinte?

A pílula do dia seguinte pode atrasar minha menstruação?

Nitrito na urina: O que isso significa?

Nitrito na urina pode ser sinal da presença de bactérias, o que pode sugerir uma infecção urinária. Contudo, é importante a avaliação dos sintomas para confirmação diagnóstica.

A urina é rica num metabólico chamado nitrato. A associação entre nitrito e infecção urinária deve-se ao fato das bactérias converterem o nitrato em nitrito. 

Pessoas saudáveis e que não apresentam sintomas de doenças normalmente não apresentam bactérias na urina. Se estiverem presentes é em pequenas quantidades, já que existe uma flora abundante na região. 

Se o exame detectar bactérias, leucócitos e nitrito na urina, é bem provável que estaremos diante de um quadro de infecção.

Os leucócitos são glóbulos brancos, ou seja, são as células de defesa do organismo. A presença deles na urina normalmente indica alguma inflamação nas vias urinárias, geralmente infecção urinária, mas também podem estar presentes em diversas situações, como traumas, utilização de substâncias irritantes, entre outras causas.

Veja também: Leucócitos altos na urina, o que pode ser?

Cabe ao médico que solicitou o exame de urina interpretá-lo, uma vez que os resultados devem ser analisados em conjunto com a história clínica, os sintomas e o exame físico do paciente.

Também pode lhe interessar:

Corpos cetônicos positivo no exame de urina: O isso significa?

Hemoglobina na urina é grave? O que pode ser?

Células epiteliais na urina: O que isso significa?

O que são piócitos na urina?

Bactérias na urina são sinal de infecção urinária?

Uma gravidez ectópica pode ser detectada através do Beta HCG?

Sim. O beta HCG pode ser detectado tanto na urina quanto no sangue na presença de qualquer tipo de gravidez inclusive na gravidez ectópica.

A diferença é que na gravidez ectópica o aumento da concentração de HCG no sangue ocorre de maneira mais lenta e, em geral, o resultado quantitativo apresenta valores diferentes do observado em uma gravidez uterina.

Qual a diferença entre o beta HCG qualitativo e quantitativo?

O diagnóstico de uma gravidez ectópica é feito tendo em consideração os resultados dos exames quantitativos de beta-HCG, a ultrassonografia transvaginal e os sintomas clínicos da paciente. A partir desse compilado o/a médico/a ginecologista poderá diagnosticar a gravidez ectópica e prosseguir com o tratamento recomendado.

Leia também:

O que é gravidez ectópica e quais os seus sintomas?

O que é proteinúria e quais as causas?

Proteinúria é a excreção de proteína na urina feita pelos rins. O rim é o órgão responsável pela filtração do sangue removendo o excesso de água e de sal e evitando que proteínas saiam do sangue. Quando há algum dano nos rins, essa proteína pode escapar da filtração e ir para a urina, dando origem à proteinúria.

 As causas são vinculadas a algumas doenças renais e outras que prejudicam os rins como diabetes mellitus, hipertensão arterial, câncer, doenças autoimunes.

Há 3 tipos de proteinúria:

  • Transitória: a forma mais comum, que acontece em algumas situações pontuais como episódios de febre ou excesso de atividade física. Geralmente se resolve sem tratamento.
  • Ortostática: perda de proteína que ocorre quando está em posição de pé e não ocorre quando deitado. Acomete uma porcentagem reduzida de adolescentes, desaparece com a idade e não precisa de tratamento.
  • Persistente: essa é preocupante e que demonstra um acometimento renal prolongado característicos de algumas doenças crônicas como a diabetes e hipertensão arterial.

Normalmente, a proteinúria é avaliada na urina coletada em 24 horas e é também comparada com alguns resultados do exame de sangue como a creatinina.

O tratamento dependerá da causa e do tipo da proteinúria e pode variar desde o uso de medicamentos específicos, controle da dieta e ingestão de água até medidas de acompanhamento sem um tratamento específico. Essa orientação é fornecida pelo/a médico/a que está cuidando do/a paciente.

Bilirrubina na urina, o que pode ser?

Bilirrubina na urina é um sinal de doenças no fígado ou na bile, já que em condições normais a bilirrubina não costuma estar presente na urina. Dentre as doenças que podem aumentar a concentração dessa substância na urina estão: hepatites, cirrose, câncer de fígado, anemia falciforme, tumores ou cálculos biliares, entre outras.

A bilirrubina é uma substância excretada pelo fígado e pela bile, proveniente da degradação dos glóbulos vermelhos do sangue, também conhecidos como hemácias ou eritrócitos.

Assim, quando há bilirrubina na urina, a sua concentração no sangue também está alta. Isso indica um mau funcionamento do fígado, uma obstrução na vesícula que esteja impedindo o fluxo da bile ou ainda uma possível lesão hepática.

Quando sua taxa está alta, a bilirrubina deposita-se na pele e na conjuntiva (parte branca dos olhos), deixando a pessoa com a pele e os olhos amarelados. É a chamada icterícia.

Contudo, o exame de urina é capaz de detectar a presença de bilirrubina antes mesmo da icterícia se manifestar.

Veja também: Bilirrubina alta: o que pode ser?

Para maiores esclarecimentos, fale com o médico que solicitou o exame ou consulte um hepatologista.

Saiba mais em:

Para que serve o exame de bilirrubina no sangue?

Olhos amarelados, o que pode ser?

Proteinúria durante a gravidez é normal?

Não, a presença elevada de proteína na urina não é normal durante a gestação.

Durante a gravidez, a quantidade de proteína excretada pelos rins aumenta comparativamente com outra pessoa não grávida. Porém, uma proteinúria acima de 300mg em 24 horas é sinal de alerta para algumas patologias, em especial a pré-eclâmpsia.

A proteinúria não altera a coloração nem o odor da urina, ela é apenas detectável pelo exame de urina ou testes de fitas.

A gestante deve realizar as consultas de rotina do pré-natal juntamente com os exames requisitados pela/o médica/o ou enfermeira/o. Com o acompanhamento correto, a maioria das patologias são detectadas.

Caso a mulher apresente alguma situação agravante ou sintomas repentinos, ela deve procurar o serviço de urgência.

Como funciona o clearance de creatinina?

O clearance de creatinina é um método mais fidedigno para saber a taxa de filtração glomerular (TFG), ou seja, como estão funcionando os rins.

Ele pode ser calculado através de exames de laboratório. É necessária a dosagem da creatinina no sangue e a excretada na urina colhida durante 24 horas. O clearance é calculado multiplicando-se o valor da creatinina urinária pelo volume urinário em 24 horas e dividindo-se este valor pela creatinina sérica.

Os valores normais para a TFG dependem da superfície corporal e variam, em média entre:

  • Homens: 90 a 120 mL/min
  • Mulheres: 80 a 110 mL/min

A taxa de filtração glomerular também pode ser estimada através de um fórmula matemática que utiliza a creatinina sérica, a idade e o peso do paciente, porém é menos fidedigna.

Para melhor avaliação deve ser procurado um clínico geral.