Perguntar
Fechar

Exame de Urina

Nitrito na urina: O que isso significa?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Nitrito na urina pode ser sinal da presença de bactérias, o que pode sugerir uma infecção urinária. Contudo, é importante a avaliação dos sintomas para confirmação diagnóstica.

A urina é rica num metabólico chamado nitrato. A associação entre nitrito e infecção urinária deve-se ao fato das bactérias converterem o nitrato em nitrito. 

Pessoas saudáveis e que não apresentam sintomas de doenças normalmente não apresentam bactérias na urina. Se estiverem presentes é em pequenas quantidades, já que existe uma flora abundante na região. 

Se o exame detectar bactérias, leucócitos e nitrito na urina, é bem provável que estaremos diante de um quadro de infecção.

Os leucócitos são glóbulos brancos, ou seja, são as células de defesa do organismo. A presença deles na urina normalmente indica alguma inflamação nas vias urinárias, geralmente infecção urinária, mas também podem estar presentes em diversas situações, como traumas, utilização de substâncias irritantes, entre outras causas.

Veja também: Leucócitos altos na urina, o que pode ser?

Cabe ao médico que solicitou o exame de urina interpretá-lo, uma vez que os resultados devem ser analisados em conjunto com a história clínica, os sintomas e o exame físico do paciente.

Também pode lhe interessar:

Corpos cetônicos positivo no exame de urina: O isso significa?

Hemoglobina na urina é grave? O que pode ser?

Células epiteliais na urina: O que isso significa?

O que são piócitos na urina?

Bactérias na urina são sinal de infecção urinária?

Que exames podem ser feitos para detectar o uso de drogas?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Existem 3 exames que podem ser feitos para detectar o uso de drogas: exame de sangue, exame de urina e materiais biológicos (cabelo, saliva, unhas e pelos) sendo o teste de cabelo o mais amplamente utilizado. Os exames toxicológicos servem para rastrear o uso de qualquer droga psicoativa, como maconha, cocaína, ecstasy, barbitúricos, opiáceos, anfetaminas entre outras.

Exame de Urina para Detectar o Uso de Drogas

As drogas normalmente são metabolizadas pelo fígado e eliminadas através da urina, daí ser possível a detecção por este meio.

Porém, a amostra de urina geralmente só é capaz de identificar o uso recente de drogas e não permite distinguir o usuário ocasional do dependente ou que faz uso abusivo das drogas.

O período que as substâncias podem ser detectadas pelo exame de urina varia conforme a frequência e a intensidade de uso, podendo ir de poucas horas a cerca de 10 dias.

maconha e a cocaína são detectáveis por períodos mais longos, enquanto que o álcool só pode ser rastreado se tiver sido usado nas últimas horas, pois é metabolizado e eliminado mais rapidamente.

Contudo, a concentração exata da droga na urina não é apresentada. O resultado diz apenas "positivo" ou "negativo". A quantificação da droga só é feita quando solicitada, em locais especializados.

Quanto tempo depois de usar droga ela pode ser detectada na urina?
  • Anfetamina: 48 hs;
  • Metanfetamina: 48 hs;
  • Barbitúricos:
    • Ação curta: 24 hs;
    • Ação intermediária: 48-72 hs;
    • Ação prolongada: 7 dias ou mais;
  • Benzodiazepínicos: 3 dias;
  • Cocaína: 2-3 dias;
  • Metadona: 3 dias;
  • Codeína/morfina: 48 horas;
  • Maconha:
    • Uso único: 3 dias;
    • Uso moderado: 4 dias;
    • Uso diário: 10 dias;
    • Uso crônico: 21-27 dias;
  • Metaquoalona: 7 dias ou mais;
  • Fenciclidina (PCP): 8 dias.
Exame de Sangue para Detectar o Uso de Drogas

O exame de sangue detecta a presença direta da droga no sangue. Portanto, só é capaz de identificar drogas que foram usadas muito recentemente, há poucas horas.

Teste de material biológico para Detectar o Uso de Drogas

A análise baseia-se no fato de que quando uma pessoa usa droga, parte da substância é transportada pelo sangue para outros tecidos, como no couro cabeludo e deposita-se no bulbo do fio de cabelo.

Cada tipo de material biológico permite o apontamento dessas substâncias por mais ou menos tempo; por exemplo, o fio do cabelo com aproximadamente 4 cm, pode detectar presença de substâncias psicoativas em até 90 dias após o consumo; já quando o material estudado são pelos, a substância pode ser detectada até 180 dias após o seu uso.

Cabelos quimicamente tratados ou tingidos não alteram o resultado pois a parte analisada é a parte interna do fio. Já uso de apliques podem atrapalhar o teste.

São poucos os laboratórios com permissão para realização desses exames no Brasil.

É importante lembrar que os exames toxicológicos só podem ser realizados com autorização por escrito da pessoa em causa ou em condições de urgência médica.

O que é creatinina?
Dr. Marcelo Scarpari Dutra Rodrigues
Dr. Marcelo Scarpari Dutra Rodrigues
Médico

A creatinina é um produto da degradação da fosfocreatina (creatina fosforilada), presente nas proteínas dos músculos. É produzida em nosso corpo, em uma taxa praticamente constante, que é diretamente proporcional à massa muscular da pessoa, ou seja, quanto maior a massa muscular, maior essa taxa.

Através da medida da creatinina no sangue e na urina, podemos calcular a taxa de filtração glomerular, que é um parâmetro utilizado em exames médicos para avaliar a função renal.

A creatinina é filtrada principalmente nos rins, embora uma pequena quantidade seja secretada ativamente. Não sofre reabsorção renal, sendo livremente filtrada. Se a filtração do rim está deficiente, os níveis sanguíneos de creatinina aumentam, por isso ela é utilizada como um indicador da função renal.

Para que serve o exame de creatinina?

O exame de creatinina serve para medir a concentração de creatinina no soro sanguíneo. Trata-se de um teste simples usado como o principal indicador da função renal.

Contudo, os resultados do exame de creatinina só se alteram quando já houve destruição das estruturas responsáveis pela filtração renal, os néfrons. Sendo assim, este teste não é adequado para detectar uma doença renal em seu estágio inicial.

O teste de depuração de creatinina confere uma melhor estimativa da função renal. A depuração (clearance) de creatinina pode ser estimada usando a concentração de creatinina no soro sanguíneo e algumas ou todas as seguintes variáveis: sexo, idade, peso e raça.

Creatinina baixa, o que pode ser?

Valores baixos de creatinina podem ser sinal de baixa estatura, pouca massa muscular (mulheres, idosos, pacientes acamados), doença hepática avançada e desnutrição.

Vale ressaltar que a creatinina baixa não é necessariamente um sinal de mau funcionamento dos rins. Em muitos casos, os valores obtidos nos resultados dos exames refletem de forma indireta a quantidade de massa muscular da pessoa ou o seu grau de nutrição.

Creatinina alta, o que pode ser?

A creatinina pode estar alta nas seguintes condições: ingestão de carne, doenças musculares, uso prolongado de cortisona, hipertireoidismo, uso de medicamentos, como metildopa, trimetoprim, cimetidina e salicilatos.

Vale lembrar que valores altos de creatinina indicam uma redução da capacidade de filtração dos rins. Como resultado, a creatinina começa a se acumular no sangue e os seus valores ficam mais altos.

Porém, não se pode esquecer que a creatinina é proveniente do metabolismo da creatina presente no tecido muscular. Por isso, pessoas com mais massa muscular ou que praticam exercícios físicos regularmente podem apresentar creatinina alta sem ter qualquer problema nos rins.

Como baixar a creatinina?

Para baixar a creatinina, os rins precisam recuperar a capacidade de filtrar o sangue. Não existe um tratamento ou medicamento específico para baixar os níveis de creatinina.

Se a agressão aos rins for pontual, como na insuficiência renal aguda, os órgãos podem recuperar por completo a sua função. Nesses casos, o tratamento incide sobre a doença que está lesionando os rins.

Porém, na insuficiência renal crônica, quando os rins já apresentam lesões irreversíveis, é muito difícil baixar a creatinina, já que os rins não recuperam completamente a sua função.

No início da doença renal crônica, pode ser que os rins se recuperem e os níveis de creatinina fiquem mais baixos. Porém, para isso, é importante controlar os fatores de risco, como diabetes, hipertensão arterial, ou uso ou ajuste de medicações.

Contudo, na fase final da doença renal crônica, a recuperação da função renal é muito difícil. Nos casos mais graves, os danos aos rins são tão extensos que só é possível baixar a creatinina por meio de hemodiálise.

Quais são os valores de referência da creatinina?

No Brasil e nos EUA, os valores de referência normais para a creatinina no sangue variam entre 0,7 mg/dL e 1,5 mg/dL.

Os valores de referência da creatinina podem variar conforme o laboratório. Porém, os valores médios são os seguintes:

  • Crianças de 1 a 5 anos: 0,3 mg/dL a 0,5 mg/dL;
  • Crianças de 5 a 10 anos: 0,5 mg/dL a 0,8 mg/dL;
  • Homens adultos: 0,7 mg/dL a 1,2 mg/dL;
  • Mulheres adultas: 0,5 mg/dL a 1,1 mg/dL.

O laboratório que faz o exame de creatinina deve informar os valores de referência. Os valores de creatinina devem ser analisados individualmente, uma vez que podem variar conforme a idade, o sexo e a quantidade de massa muscular da pessoa.

Mais importante que níveis absolutos de creatinina é a evolução dos níveis de creatinina ao longo do tempo. Níveis crescentes indicam dano renal, níveis decrescentes significam uma melhoria das funções dos rins.

A interpretação dos exames laboratoriais deve ser feita pelo médico que solicitou os exames. Em caso de alteração no exame de creatinina, deve ser procurado um médico clínico geral, médico de família ou nefrologista.

Proteinúria: quais os valores de referência?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

A proteinúria é a avaliação da quantidade de proteína presente na urina. Esse exame normalmente é feito com a urina coletada em 24 horas e não deve ser maior que 150 mg/dia.

Um valor superior a esse pode indicar comprometimento da função renal, o que é agravado na presença de algumas doenças como a diabetes e a hipertensão arterial.

Na gestante, como há um excesso de excreção de proteína, o valor de referência é até 300mg/24 horas.

Outros exames podem ser solicitados para complementar a avaliação como o exame de microalbuminúria e exame de sangue (creatinina).

Todo resultado de exame deve ser interpretado pelo/a médico/a que solicitou para que faça uma correlação com os sintomas clínicos e a história pessoal de cada paciente.

Uma gravidez ectópica pode ser detectada através do Beta HCG?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Sim. O beta HCG pode ser detectado tanto na urina quanto no sangue na presença de qualquer tipo de gravidez inclusive na gravidez ectópica.

A diferença é que na gravidez ectópica o aumento da concentração de HCG no sangue ocorre de maneira mais lenta e, em geral, o resultado quantitativo apresenta valores diferentes do observado em uma gravidez uterina.

Qual a diferença entre o beta HCG qualitativo e quantitativo?

O diagnóstico de uma gravidez ectópica é feito tendo em consideração os resultados dos exames quantitativos de beta-HCG, a ultrassonografia transvaginal e os sintomas clínicos da paciente. A partir desse compilado o/a médico/a ginecologista poderá diagnosticar a gravidez ectópica e prosseguir com o tratamento recomendado.

Leia também:

O que é gravidez ectópica e quais os seus sintomas?

Minha urina está com pouco de espuma o que pode ser?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

A eliminação de substâncias pelos rins pode causar espuma na urina, como é o caso de proteínas na urina. O ideal é fazer um exame de urina para ver se isto não é uma alteração que precisa de cuidados médicos. Pode não ser nada de grave, mas em alguns casos pode significar doenças.

A pílula do dia seguinte altera os exames?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Não, a pílula do dia seguinte não altera os exames de sangue, urina e fezes. Desde que não sejam exames hormonais, os resultados não serão influenciados pela pílula.

A pílula do dia seguinte possui uma grande quantidade de hormônios que podem alterar o ciclo menstrual da mulher e por isso não deve ser usada frequentemente.

Uma mulher que tomou a pílula do dia seguinte não deve esperar alterações nos resultados dos exames de sangue, urina ou fezes.

Podem sim ocorrer efeitos colaterais, como:

  • Náusea e vômito;
  • Tontura;
  • Dor de cabeça;
  • Aumento da sensibilidade das mamas;
  • Fadiga;
  • Dor abdominal;
  • Alteração no ciclo menstrual, podendo haver antecipação ou atraso da menstruação.

Todos esses efeitos colaterais podem ser facilmente tratados com medicamentos específicos para aliviar tais sintomas.

Para maiores esclarecimentos, fale com o médico que pediu os exames.

Leia também:

Teste de farmácia pode dar positivo devido a pílula do dia seguinte?

Quanto tempo duram os efeitos colaterais da pílula do dia seguinte?

A pílula do dia seguinte pode atrasar minha menstruação?

Bilirrubina na urina, o que pode ser?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Bilirrubina na urina é um sinal de doenças no fígado, na vesícula biliar ou distúrbios no sangue, já que em condições normais a bilirrubina não costuma estar presente na urina. Dentre as doenças que podem aumentar a concentração dessa substância na urina podemos citar: hepatites, cirrose, câncer de fígado, anemia falciforme, tumores ou cálculos biliares, entre outras.

A bilirrubina é um pigmento da bile (líquido produzido pelo fígado), que fica armazenada na vesícula biliar. A maior parte da produção de bilirrubina é proveniente da degradação dos glóbulos vermelhos do sangue, também conhecidos como hemácias ou eritrócitos, que circulam no sangue, e a menor parte é produzida diretamente no fígado.

Assim, quando a bilirrubina está presente na urina, podemos assegurar que a sua concentração no sangue está elevada, o que indica um mau funcionamento do fígado, uma obstrução na vesícula que esteja impedindo o fluxo da bile, uma degradação exagerada de hemácias, ou ainda uma possível lesão hepática.

Quando as taxas de bilirrubina estão altas, além de ser excretada na urina, causando uma coloração escura, esse pigmento também se deposita na pele e na conjuntiva (parte branca dos olhos), resultando em coloração amarelada na pele e nos olhos. É a chamada icterícia.

Contudo, na maioria das vezes, a bilirrubina pode ser detectada no exame de urina mesmo antes da icterícia se manifestar.

Veja também: Bilirrubina alta: o que pode ser?

Para maiores esclarecimentos, fale com o médico que solicitou o exame ou consulte um hepatologista.

Saiba mais em:

Para que serve o exame de bilirrubina no sangue?

Olhos amarelados, o que pode ser?