Perguntar
Fechar

Exames de Sangue

VHS alto, o que pode ser?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

VHS alto pode ser sinal de infecções causadas por vírus ou bactérias, processos inflamatórios, ou situações crônicas como anemia, diabetes, insuficiência renal e cardíaca, ou mesmo gestação. 

O exame torna-se mais específico quando os valores de VHS atingem níveis muito elevados (acima de 100 mm/h). Nesses casos trata-se de um achado importante e que precisa ser avaliado, principalmente se a pessoa estiver com sinais e sintomas de infecção, como febre, mal-estar, inapetência e aumento do número de leucócitos (leucocitose) no exame de sangue. As causas principais que devem ser pesquisadas são: doença infecciosa aguda, polimialgia reumática, arterite temporal, inflamação no tecido conjuntivo ou ainda câncer.

Os valores de referência do VHS variam de acordo com a idade e o sexo:

IdadeHomensMulheres
menos de 50 anosaté 15 mm/haté 20 mm/h
mais de 50 anosaté 20 mm/haté 30 mm/h
mais de 85 anosaté 30 mm/haté 42 mm/h

Cabe ao médico que solicitou o exame interpretar os resultados e investigar a causa do aumento do VHS.

Saiba mais em: 

Exame VHS: Para que serve e como entender os resultados?

Quais os valores de referência do ácido úrico?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Os valores de referência do ácido úrico variam de acordo com o método utilizado na dosagem e também com o laboratório, mas, em geral, situam-se entre 3,5 a 7,2 mg/dL.

1) Valores de referência do ácido úrico no sangue:

  • Homens: 2,5 a 7,0 mg/dL;
  • Mulheres: 1,5 a 6,0 mg/dL.

2) Valores de referência do ácido úrico na urina:

  • Homens e mulheres: 250 a 750 mg/24 horas.

Os valores normais de ácido úrico no sangue podem variar de um dia para outro e até mesmo ao longo do próprio dia, sendo normalmente mais elevados de manhã.

O ácido úrico é resultante do metabolismo das purinas, principais elementos estruturais do DNA e RNA, sendo grande parte dela proveniente da alimentação.

O consumo excessivo de carne ou álcool pode elevar os níveis de ácido úrico e associado à presença de outras doenças pode causar episódios agudos de gota. O ácido úrico pode também se depositar no trato urinário e levar à formação de cálculos renais.

Quem está em tratamento para controlar o nível de ácido úrico no sangue, recomenda-se a manutenção em valores abaixo de 6mg/dL. O/a médico/a assistente fará o controle indicado para cada caso.

Também pode lhe interessar:

Qual o valor de referência da ureia?

Quais são os principais tipos de exame de sangue e para que servem?

Como baixar o nível do GAMA GT no sangue?
Dr. Gabriel Soledade
Dr. Gabriel Soledade
Médico

Para baixar o nível de GAMA GT no sangue é necessário tratar a causa do aumento.

O gama-GT é um exame que detecta inflamação no fígado e nas vias biliares. O resultado alterado não é por si só uma doença, mas sim um sinal dessa inflamação.

A inflamação pode aparecer por várias causas diferentes: pode ser apenas efeito colateral de alguma medicação que se está usando, ou ser secundária ao uso de bebidas alcoólicas, ou ainda sinal de pedras e inflamações na vesícula biliar.

Leia também: Quais os sintomas do Gama-GT baixo?

Portanto, para normalizar o valor do exame, é necessário descobrir e tratar a causa da inflamação.

O acompanhamento é feito por clínico geral, gastroenterologista, hepatologista e outros especialistas.

Pratiquei sexo oral e no dia seguinte tive alguns sintomas. Posso estar com uma infecção aguda pelo HIV?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Se você teve uma relação em que praticou sexo oral sem proteção, existe sim um risco de ter sido infectado/a pelo vírus HIV.

Porém, nem sempre na fase aguda do HIV há presença de sintomas e, quando há, geralmente só se manifestam depois de 2 a 4 semanas em que ocorreu o contágio. Entre 10% e 60% das pessoas podem ficar até 6 meses sem apresentar qualquer sintoma da infecção.

Após a infecção pelo o HIV, a doença progride de forma silenciosa, durante um tempo prolongado, sem manifestação de sinais e sintomas. É nessa fase que o HIV se instala, invade e destrói os glóbulos brancos, multiplicando-se.

Na fase inicial da infecção, o corpo aumenta a produção de glóbulos brancos para compensar a redução da quantidade dessas células e tenta combater o vírus. Todo esse período pode durar até 9 anos, variando conforme a gravidade da infecção, as defesas do organismo da pessoa, além da presença de outras doenças que baixam a imunidade.

À medida que a doença evolui, o organismo torna-se incapaz de combater infecções, já que os glóbulos brancos são células de defesa. Começam então a surgir as chamadas infecções oportunistas, como pneumonia, tuberculose, meningite, entre outras.

Vale ressaltar que, mesmo sem manifestar sintomas, o vírus pode ser transmitido e já é detectável no exame de sangue.

Quais são os sintomas da infecção aguda pelo HIV?

Os sintomas da fase aguda do HIV são inespecíficos e podem incluir: febre, fadiga, gânglios linfáticos aumentados, dor de garganta, emagrecimento, dores musculares, dor de cabeça, náuseas, suores noturnos, diarreia e Rash cutâneo (manchas na pele).

É importante lembrar que a presença desses sintomas não significa que você tenha HIV. Outras doenças comuns, como gripes, viroses e infecções de garganta podem manifestar os mesmos sinais e sintomas.

O que é a janela imunológica do HIV?

Após a infecção pelo HIV, o organismo começa a produzir anticorpos específicos contra o vírus. Porém, demora um tempo para que os anticorpos sejam suficientes para serem detectados no exame de sangue. Esse período de tempo é a chamada janela imunológica.

Normalmente, os testes de HIV são realizados com a finalidade de detectar anticorpos contra o vírus no sangue. Isso significa que, se a pessoa fizer o teste durante o período da janela imunológica, o resultado pode dar negativo.

A janela imunológica do HIV varia entre duas semanas e 4 meses, podendo chegar aos 6 meses em alguns casos. Por isso, recomenda-se que o teste seja feito depois de 3 meses após a eventual infecção. O ideal é repetir o exame após 6 meses.

O exame usado para detectar o HIV é muito sensível e específico, com uma eficácia de quase 100%. Contudo, é preciso respeitar a janela imunológica para evitar resultados “falso-negativos”, que são frequentes nesse período.

Nesse momento que você apresenta o exame negativo, deve continuar prestando atenção no seu corpo, em possíveis sintomas e procurar consulta médica caso seja necessário.

O vírus do HIV pode ser detectado pelo exame de sangue oferecido gratuitamente nas Unidades de Saúde do Sistema Único de Saúde (SUS).

Menstruação atrasada e com vários sintomas de gravidez?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Com um exame de Beta-hcg negativo as chances de ser uma gravidez são menores, mas como os sintomas são mais importantes que os exames, o ideal é que você espere completar 15 dias de atraso e se continuar sem descer a menstruação procure ginecologista. Porque sua resposta é sim, você ainda pode estar grávida, mesmo com o exame negativo.

Posso fazer exame de sangue menstruada?
Dr. Ivan Ferreira
Dr. Ivan Ferreira
Médico

A maioria dos exames de sangue podem ser feitos estando menstruada, porém alguns exames podem apresentar resultados diferentes, por isso é importante perguntar ao médico se não haverá problema em fazer o exame de sangue que ele solicitou estando menstruada.

O sangue utilizado para os exames laboratoriais é o sangue que circula pelas vasos sanguíneos do corpo, não tendo nenhuma relação direta com o sangue sai pela vagina, que é na verdade a camada interna do útero que sangra quando não há gravidez, ou seja, a menstruação, que acontece todos os meses.

O médico responsável pelo pedido de exame ou o responsável do laboratório onde será colhido o sangue poderão orientar especificamente sobre o preparo para o exame pedido.

Qualquer exame de sangue detecta se estou com aids?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Não. O exame que detecta se você está com o vírus da AIDS é um exame de sangue específico chamado anti-HIV.

O diagnóstico do HIV é feito a partir do resultado do exame de sangue específico.

Há vários tipos de testes disponíveis: teste de triagem, teste confirmatório, testes moleculares. Nesses testes, o/a paciente realiza a coleta de sangue em laboratório e o resultado é liberado em média após 4 horas.

Os testes rápidos ganharam visibilidade pela facilidade na realização, acessibilidade e a rapidez na liberação do resultado que pode demorar menos de meia hora. Eles podem ser feitos a partir de uma gota de sangue retirada do dedo da pessoa ou a partir da saliva captada por um dispositivo. Os testes rápidos são disponibilizados em unidades móveis e em algumas unidades de saúde e hospitais.

Apesar de atualmente ser rara, falha no diagnóstico pode ocorrer e, em alguns casos, pode ser necessária a repetição com outros testes para confirmação. Outra consideração que deve ter é a questão da janela imunológica, o período no qual há presença do vírus no organismo da pessoa, porém ainda não houve uma resposta do sistema imune capaz de ser detectada nos testes.

Todos esses testes são gratuitos e podem ser feitos a qualquer momento nas Unidades de Testagem Móvel ou nas Unidades de Saúde do Sistema Único de Saúde (SUS).

Leia também:

O que é AIDS e quais os seus sintomas?

Portador do vírus HIV pode não apresentar sintomas?

Leucograma: Para que serve e quais os valores de referência?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

O leucograma está incluído no hemograma completo e serve para verificar o número de glóbulos brancos presentes no sangue e avaliar as características dessas células. 

Os glóbulos brancos, também chamados de leucócitos, são células de defesa do organismo que protegem o corpo contra corpos estranhos, micro-organismos invasores e até células cancerosas. 

Existem 5 tipos de leucócitos que desempenham diferentes papéis no sistema imunológico: eosinófilos, basófilos, neutrófilos, linfócitos e monócitos. 

Quando o resultado do leucograma indica um aumento do número de leucócitos (leucocitose), pode ser apenas um aumento causado por estresse, sendo portanto considerado normal, desde que seja baixo.

Por outro lado, um nível de leucócitos alto pode ser sinal de inflamações, infecções ou leucemia. A doença é definida pela contagem de cada tipo de glóbulo branco.

Quando os neutrófilos estão altos, a causa provável é uma inflamação. Já o nível de eosinófilos pode estar elevado em casos de alergia e verminoses.

Veja aqui o que significa eosinófilos baixo no exame de sangue.

Os bastonetes são neutrófilos jovens. Quando detectados no leucograma, dá-se o nome ao achado de "desvio à esquerda". Normalmente a presença de bastonetes na circulação é acompanhada por um aumento da quantidade de neutrófilos durante um processo inflamatório.

O surgimento de bastonetes no sangue durante a leucocitose normalmente indica que o organismo está reagindo bem à inflamação. Porém, se o número de bastonetes for superior ao de neutrófilos, é um sinal de que a medula não está conseguindo liberar células maduras suficientes e por isso acaba por enviar as mais jovens, que são os bastonetes.

Veja também: Bastonetes altos no hemograma, o que pode ser?

Quando o leucograma indica uma diminuição do número de leucócitos (leucopenia), geralmente é porque os glóbulos brancos estão sendo destruídos ou retirados da circulação, o que pode ocorrer em casos de infecções, inflamações e doenças autoimunes, genéticas, da medula óssea, da tireoide e do baço.

Leia também: O que é leucopenia e qual o tratamento adequado?

A redução no número de neutrófilos (neutropenia) associada a um aumento dos bastonetes indica a presença de um processo inflamatório grave.

Abaixo seguem os valores de referência do leucograma:

Leucócitos totaisValor absoluto  Valor relativo
Basófilos                                                              RarosRaros
Eosinófilos                                                   0 - 1.000/mm³1 - 6%
Neutrófilos jovensRarosRaros
Bastonetes                                             0 - 300/mm³1 - 2%
Segmentados3.000 - 8.000/mm³36 - 53%
Linfócitos1.500 - 6.000/mm³42 - 53%
Monócitos0 - 1.000/mm³1 - 7 %

Lembrando que o leucograma deve ser analisado pelo/a médico/a que solicitou o exame, que levará em consideração a história do/a paciente, o exame clínico, o resultado de outros exames, bem como outros fatores que devem ser considerados para interpretar o exame.

Saiba mais em:

Segmentados alto no leucograma, o que pode ser?

Segmentados baixos no leucograma, o que pode ser?

Nível de leucócitos alto pode indicar uma infecção grave?

Quais são os valores de referência de um hemograma?

Leucócitos baixos, o que pode ser?