Saúde da Criança

O que é síndrome de Asperger e quais os sintomas?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Síndrome de Asperger é um tipo de autismo, uma desordem cerebral que afeta o comportamento da pessoa e a forma que ela se comunica e interage com os outros. Geralmente os sintomas iniciam na infância e são mais comuns em meninos.

Crianças com síndrome de Asperger têm dificuldade em se relacionar com outras pessoas, não têm interesse em fazer amigos e interessam-se intensamente por temas muito específicos. A inteligência da criança não é afetada.

A síndrome de Asperger está incluída no conjunto de doenças que integram o espetro do autismo, que caracteriza-se por distúrbios na comunicação e no relacionamento com outras pessoas. A síndrome é uma das formas mais leves dessas doenças.

A síndrome de Asperger não tem uma causa conhecida, mas admite-se que pode haver influência de fatores genéticos. A desordem parece ter origem em alterações na estrutura do cérebro.

Quais são os sintomas da síndrome de Asperger?

Os sintomas da síndrome de Asperger são variáveis de pessoa para pessoa, sendo o mais comum associado ao desenvolvimento de um comportamento social não habitual. Isso inclui:

  • Tentar chamar a atenção de outras pessoas de uma forma rude;
  • Dificuldade em compreender algumas regras de convivência social;
  • Intolerância com mudanças da rotina;
  • Interesses repetitivos e focados nos mesmos objetos;
  • Dificuldade em mudar o foco da atenção;
  • Dificuldade em se organizar e cumprir tarefas cotidianas e deveres escolares;
  • Falas contínuas sem mudar de tópico e sem perceber se a outra pessoa está ou não interessada;
  • Distúrbios de humor, ansiedade e depressão;
  • Pouco contato visual, poucas expressões faciais, posturas pouco habituais;
  • Obsessão por temas muito específicos;
  • Falta de capacidade de compreender ou manifestar empatia em relação aos sentimentos ou humor das outras pessoas;
  • Tom de voz monótono ou rígido, fala muito rápida;
  • Falta de coordenação dos movimentos ao andar ou praticar esportes.

Esses sintomas tornam-se mais perceptíveis após os 4 anos de idade, quando o processo de sociabilização é intensificado.

Pessoas com síndrome de Asperger normalmente não apresentam atrasos no desenvolvimento da linguagem, mas têm dificuldade em manter uma conversa normal.

Os sintomas da síndrome de Asperger podem variar muito, o que torna o seu diagnóstico difícil. A criança deve passar por avaliação com médicos e psicólogos especializados, além de realizar diversos testes para avaliar as capacidades da criança.

Qual é o tratamento para síndrome de Asperger?

Não existem medicamentos ou um tratamento específico para a síndrome de Asperger. As características fundamentais da doença não são curáveis. Em alguns casos, pode ser usada medicação para controlar a ansiedade, a depressão ou a hiperatividade.

O tratamento inclui ainda o apoio especializado para orientar comportamentos e competências sociais. Com uma intervenção especializada e adequada, é possível melhorar a linguagem, a postura, a comunicação e a capacidade de se relacionar e reconhecer os sentimentos das outras pessoas.

Boa parte das crianças com síndrome de Asperger torna-se adultos funcionais, felizes e bem ajustados.

Para realizar o diagnóstico da síndrome de Asperger é importante a observação dos cuidadores familiares e escolares que têm o papel fundamental de fornecer informações quanto ao comportamento e desenvolvimento da criança e sua interação com as outras pessoas.

Fumar durante a gravidez faz mal para o bebê?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Fumar durante a gravidez acarreta profundos malefícios para o/a bebê.

O fumo durante a gravidez é associado com maiores riscos de:

  • Parto prematuro;
  • Ruptura da bolsa;
  • Placenta prévia;
  • Restrição de crescimento intra-útero;
  • Baixo peso ao nascimento;
  • Morte neonatal.

Essas consequências são advindas da restrição de oxigênio que o feto fica exposto. Com isso, o feto apresentará um aumento da frequência cardíaca e uma redução dos movimentos.

Toda mulher gestante não deve fumar e deve evitar ficar perto de quem fuma ou em ambiente com muita fumaça (fumante passiva). Mesmo o fumo passivo é nocivo ao feto e pode provocar as consequências detalhadas acima.

Leia também:

Estresse durante a gravidez faz mal para o bebê?

7 Coisas que uma Grávida Não Deve Fazer

Fumar narguilé faz mal?

Vacina contra sarampo: quem e quando deve tomar?
Dra. Ângela Cassol
Dra. Ângela Cassol
Médico

De acordo com o esquema de vacinação brasileiro, a vacina contra o sarampo deve ser administrada em duas doses:

  • A primeira é dada logo depois que a criança completou um ano, geralmente sob a forma de vacina tríplice viral, isto é, que combina as vacinas do sarampo, rubéola e caxumba;
  • A segunda dose é dada entre 4 e 6 anos de idade.

Adultos que não tenham sido vacinados ainda, podem tomar uma dose única da vacina contra o sarampo num posto de saúde ou clínica particular.

A vacina é contra-indicada para gestantes e indivíduos imunocomprometidos.

Para que serve o exame de FSH?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Os principais objetivos do exame de FSH são:

  • Nas Mulheres:

    • Investigar causas de infertilidade;
    • Investigar problemas relacionados a ciclos menstruais irregulares;
    • Diagnosticar transtornos da hipófise ou
    • Avaliar função dos ovários.
  • Nos Homens:

    • Avaliar causas para uma contagem baixa de espermatozoides;
    • Avaliar função dos testículos, e se existe hipogonadismo ou insuficiência gonadal (dificuldade de produzir hormônios sexuais masculinos);
  • Nas Crianças:

    • Avaliar situações de desenvolvimento anormal, como puberdade precoce ou tardia.
O que é o FSH?

O FSH é um hormônio produzido pela hipófise, que significa hormônio foliculotrófico ou folículo-estimulante.

Suas principais funções são de regular o crescimento e desenvolvimento, maturação puberal e secreção de esteróides sexuais pelas gônadas masculinas e femininas, testículos e ovários.

A secreção desses esteróides sexuais origina as características sexuais secundárias na puberdade, são elas o desenvolvimento do corpo, distribuição dos pelos, mudança do tom de voz nos meninos, aumento dos seios nas meninas, entre outras.

Além das características sexuais secundárias, o FSH é responsável por estimular gônadas femininas (ovários), para produção de óvulos; e as gônadas masculinas (testículos), na produção de espermatozoides, representando papel fundamental na reprodução humana.

Portanto, a pesquisa desse hormônio pode auxiliar em diversas investigações.

Para mais esclarecimentos sobre o assunto, agende uma consulta com médico/a da família, endocrinologista, ginecologista (mulheres) ou urologista (homens).

Saiba mais sobre esse assunto nos artigos

O que é FSH e qual a sua função?,

Quais os valores normais de FSH? e

FSH alto ou baixo, o que pode ser?

Como faço para ver se vou crescer na altura?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Deve começar consultando um médico de família ou pediatra, para saber quanto tempo ainda se vai crescer é necessário fazer um exame de idade óssea, através de uma radiografia de mãos e punhos.

Além disso, avaliação do crescimento se inicia com a observação no decorrer do tempo da velocidade de crescimento, através de medidas periódicas da altura, também pode-se estimar a a estatura final através da avaliação da altura dos pais, por isso, consulte um profissional para ajudá-lo.

Caso se constaste alguma alteração na idade óssea deve-se investigar a causa dessas alterações. Geralmente a investigação é iniciada por um médico endocrinologista, especialista em crescimento.

O que pode interferir no crescimento?

Diferentes condições podem interferir no crescimento e na idade óssea. Entre aquelas que provocam aceleração do crescimento estão:

  • Obesidade;
  • Puberdade precoce;
  • Hiperplasia adrenal congênita;
  • Hipertireoidismo.

É importante ressaltar que mesmo que a criança ou adolescente cresça mais rapidamente devido a algum desse fatores, como no caso da obesidade, não significa que ele será mais alto, pois ele também irá parar de crescer mais rápido, com a estatura final sendo a esperada.

Já entre as possíveis causas de retardo no processo de crescimento, destacam-se:

  • Deficiência do hormônio de crescimento;
  • Hipotireoidismo;
  • Atraso da puberdade;
  • Uso de corticoesteroides.

Fatores genéticos são muito importantes para a determinação do crescimento e da estatura final. Cerca de 80% da estatura é determinada pela altura dos pais. Outros fatores que influenciam nesse processo são:

  • Qualidade da nutrição;
  • Sono adequado;
  • Prática moderada de atividade física;
  • Presença de doenças crônicas.

Para mais informações sobre o crescimento consulte um médico.

Posso tomar Amoxicilina amamentando?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

A Amoxicilina pode ser usada pela mulher que está amamentando.

Porém, vale ressaltar que qualquer antibiótico somente deve ser usado com recomendação médica e pelo período e dosagem indicados na receita médica. O uso de antibióticos de forma não segura e sem uma necessidade pode causar resistência antibiótica.

Os antibióticos são indicados em casos de infecções causadas por bactérias. Em alguns casos, o medicamento é usado para prevenir infecções bacterianas, como em pós-operatórios, por exemplo.

Vale lembrar que os antibióticos não servem para tratar doenças causadas por vírus, como gripes, Dengue, amigdalites virais, entre outras.

O uso incorreto do antibiótico, como no caso do antibiótico não ser adequado para aquela infecção bacteriana específica, não elimina as bactérias infecciosas e pode fazer com que as bactérias desenvolvam resistência a antibióticos.

Para evitar a resistência das bactérias ao antibióticos, é fundamental seguir o tratamento até ao fim, no tempo e nas doses prescritas pelo médico, mesmo que os sintomas tenham aliviado ou desaparecido.

Apesar de ser secretada pelo leite materno em pequena quantia, a Amoxicilina não acarreta problemas no desenvolvimento da criança.

Use medicamentos apenas com indicação médica e, em caso de dúvidas, procure uma unidade de saúde para uma consulta médica.

Transtorno desintegrativo da infância é grave?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

O transtorno desintegrativo da infância (TDI), também conhecido como síndrome de Heller, é uma doença grave, rara, de causa desconhecida, que provoca perda das habilidades já adquiridas nas áreas da linguagem, interação social e capacidades motoras.

Crianças com transtorno desintegrativo da infância apresentam um desenvolvimento aparentemente normal nos primeiros 2 anos de vida, mas antes de completarem 10 anos de idade começam a manifestar uma profunda regressão na comunicação e nas habilidades sociais.

A causa do transtorno não é conhecida, mas acredita-se que a sua origem esteja associada a fatores genéticos, acidentes antes ou durante o parto, infecções e doenças neurológicas.

A doença causa retardo mental grave, epilepsia, prejudica severamente o funcionamento global da criança e o seu desenvolvimento durante toda a vida.

O transtorno desintegrativo da infância é raro, com cerca de 1,5 casos em cada 100.000 nascimentos, sendo bem mais comum em meninos do que em meninas. Apresenta algumas semelhança com o autismo, porém, trata-se de um quadro bem diferente no início, na evolução e nas consequências.

O tratamento do transtorno desintegrativo da infância deve começar o mais cedo possível, com abordagem multidisciplinar na área educacional, social e psicológica, é possível em algumas crianças recuperar até 20% das capacidades e habilidades perdidas.

Os pais também merecem apoio psicológico, pois costuma ser muito difícil saber que o filho que até então vinha desenvolvendo-se normalmente está a perder capacidades e habilidades de maneira quase totalmente irreversível.

Saiba mais em: Transtorno desintegrativo da infância: Quais os sintomas e como tratar?

O que faço para livrar minha filha dos piolhos?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Talvez deve-se usar novamente os remédios, tanto o por via oral, quanto o remédio para usar no cabelo (mas procure um médico para adaptar bem a dose ao máximo possível para sua filha para ter certeza que vai resolver) e também é importante saber de onde ela está pegando os piolhos, precisa eliminar o contato com a fonte dos piolhos, senão eles voltam a toda hora, mesmo que você faça o tratamento correto.

Saiba mais em: Qual é o melhor tratamento para acabar com piolhos?