Perguntar
Fechar
Toda dor ao ter relação pode ser endometriose?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Não, nem toda dor durante a relação sexual é causada por endometriose, apesar dessa ser uma das causas mais comuns. Sentir dor na relação também pode estar relacionado com:

  • Falta de lubrificação: Pode causar dor no momento da penetração, pois o atrito pode provocar microfissuras na mucosa da vagina se ela não estiver com a lubrificação adequada. Como a dor diminui a excitação e o prazer, a lubrificação fica ainda mais reduzida, o que cria um ciclo vicioso;
  • Cistite (infecção na bexiga): Pode causar ardência, incômodo ou dor durante ou após a relação sexual devido à proximidade entre a vagina e a bexiga;
  • Candidíase: Normalmente provoca dor intensa na hora da penetração. A candidíase é uma infecção causada por um fungo e que geralmente está associada a um corrimento branco e coceira intensa (saiba mais em: Quais são os sintomas da candidíase?);
  • Vaginismo: Provoca dor durante a tentativa de penetração. A dor é decorrente de um espasmo muscular do assoalho pélvico, que fecha a entrada da vagina e impede a penetração. O vaginismo pode ter origem fisiológica ou psicológica (veja também: O que é vaginismo e quais os sintomas?).

Outras causas frequentes de dor durante a relação sexual incluem:

  • Foliculites, furúnculos;
  • Bartolinites (inflamação das glândulas de Bartholin - leia também: O que é bartolinite? Tem cura?);
  • Doença inflamatória pélvica;
  • Aderências pélvicas;
  • Retroversão uterina;
  • Cistos, tumores e inflamação dos ovários.

O tratamento da dor durante a relação (dispareunia) depende da doença ou condição responsável pelo problema. Causas físicas podem ser tratadas com medicamentos e cirurgias. Se a origem for psicológica, é indicada terapia sexual.

O/A médico/a ginecologista é o/a responsável pelo diagnóstico e deverá conduzir ou indicar o tratamento mais adequado, de acordo com cada caso.

Quando vou menstruar sinto muitas cólicas. Isso pode ser endometriose?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Um dos sintomas da endometriose é a dor, tipo cólica, durante a menstruação ou fora do período menstrual. Porém, se as suas dores ocorrem antes de menstruar, pode ser um sintoma de TPM (tensão pré-menstrual).

Os sintomas da endometriose podem começar logo na adolescência, com dor pélvica e cólicas menstruais que têm início já nessa fase da vida da mulher. Outros sinais indicativos de endometriose são cólicas menstruais muito fortes, dor durante as relações sexuais e dor pélvica fora do período menstrual.

Durante a menstruação, a endometriose pode causar ainda diarreia ou prisão de ventre, mudança na consistência das fezes, dor ou sangramento ao evacuar ou urinar.

A endometriose é uma das principais causas de infertilidade na mulher. O tratamento em mulheres mais jovens pode ser feito com medicamentos que suspendem a menstruação.

Consulte o/a médico/a de família ou ginecologista para fazer uma avaliação e identificar a causa das suas cólicas.

Leia também:

Quais são os sintomas de TPM?

Quais são os sintomas da endometriose?

Endometriose tem cura? Qual o tratamento?

Dor na barriga do lado direito. O que pode ser?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

A dor na barriga do lado direito é uma queixa bastante frequente e na maioria das vezes está relacionada a situações simples, como o excesso de gases ou prisão de ventre.

No entanto, algumas vezes pode representar um problema mais grave como uma hepatite, apendicite ou um tumor.

Sendo assim, é importante ter atenção aos sintomas, e se a dor piorar ou vir associada a outros sintomas como febre alta, vômitos ou perda de peso, o ideal é que procure um clínico geral ou gastroenterologista para avaliação médica.

O que causa dor do lado direito da barriga?

As causas mais relacionadas à dor na barriga no lado direito são:

  • Gases: Dor de intensidade variada, do tipo cólicas (dor que vai e vem), ou do tipo pontadas, associada a "barulhos" na barriga e história de má alimentação;
  • Prisão de ventre: Dor tipo cólica, mais localizada, inchaço na barriga, dificuldade de evacuar, com ou sem massa palpável na barriga (fezes endurecidas);
  • Hepatite aguda: Dor forte do lado direito do abdome, próximo das costelas, associado a náuseas, vômitos, febre e icterícia (coloração amarelada da pele e olhos);
  • Pedras na vesícula (Colecistite ou colelitíase): Dor tipo cólica, de forte intensidade, do lado direito da barriga, associada a náuseas e vômitos, que piora após uma alimentação gordurosa;
  • Apendicite aguda: Dor na barriga, que pode ter início no umbigo e mais leve, que depois se mantém fixa na região mais baixa da barriga, à direita, associada a febre, náuseas e vômitos;
  • Endometriose: Dor na barriga, que pode se localizar em diversas regiões, não só a direita, associada ao ciclo menstrual, quando os hormônios agem para a realização da ovulação;
  • Gravidez ectópica à direita - Mulher em idade reprodutiva como dor intensa no baixo ventre, apenas de um lado (direito ou esquerdo), suor frio, mal-estar, náuseas e vômitos, com história de atraso menstrual, sugere a gravidez nas trompas;
  • Tumor - Dor localizada, febre baixa e perda de peso. Os tumores em geral, são doenças silenciosas, que quando desenvolvem sintomas já estão em estágios avançados, dificultando um tratamento adequado.

Além destas, situações como cólicas menstruais, infecção urinária, pedra nos rins, gastroenterite, obstrução intestinal (fecaloma), vermes ou ansiedade podem causar uma dor localizada à direita.

O mais importante, deve ser compreender os sinais de perigo que indicam a necessidade de procurar um atendimento de urgência. Para outros casos, procure o seu médico de família ou gastroenterologista, que deverá iniciar uma avaliação mais criteriosa.

Quando devo procurar uma emergência?

Os sinais de risco, que indicam a necessidade de procurar uma emergência imediatamente, são:

  • Febre alta (maior que 38,5º),
  • Náuseas e vômitos que não melhoram com a medicação habitual,
  • Piora da diarreia,
  • Sinais de desidratação (muita sede, boca seca, urina pouco),
  • Presença de sangue na urina ou nas fezes,
  • Coloração amarelada na pele ou nos olhos (parte branca) ou
  • Confusão mental ou desorientação.

Referência:

FBG - Federação Brasileira de gastroenterologia.