Perguntar
Fechar

Infertilidade Masculina

Homem com um testículo pode ter filhos de ambos os sexos?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Sim. Homem com apenas um testículo pode ter filhos normalmente e de qualquer sexo

O que determinará o sexo do/a bebê será o conteúdo genético contido no espermatozoide que fecundará o óvulo. Espermatozoide contendo cromossomo X determinará o sexo feminino e espermatozoide contendo cromossomo Y, o sexo masculino. 

Os testículos são responsáveis pela produção de espermatozoides e, na ausência de um dos testículos, o outro continuará a produzir normalmente os espermatozoides tanto os que portam cromossomo X quanto os que contém cromossomo Y. 

Portanto, homem que tenha um testículo poderá produzir espermatozoides dos dois tipos e poderá ter descendentes de qualquer um dos sexos. 

Vasectomia é reversível?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Sim. A vasectomia é reversível. A cirurgia de reversão da vasectomia pode ser realizada com sucesso, mesmo que a vasectomia já tenha sido feita há mais de 10 anos. Sabendo que quanto mais tempo houver de vasectomia, menor será a chance de ser efetiva quanto a uma futura gravidez natural.

O sucesso da cirurgia de reversão da vasectomia está relacionado com diversos fatores, tais como: tempo da vasectomia, técnica cirúrgica e vitalidade dos espermatozoides.

Quais as chances de engravidar após a reversão da vasectomia?

Nos casos de reversão com até 10 anos de vasectomia, as taxas de gravidez chegam a mais de 70%. Em indivíduos com mais de 10 anos de vasectomia, a taxa de gravidez é próxima de 44%.

O fator principal é a idade do homem e da mulher, além do potencial fértil da companheira.

Em mulheres de até 30 anos de idade, a reversão produz cerca de 64% de gravidez. Mulheres com idade entre 30 e 35 anos, 49%. Já a partir de 36 anos, a taxa cai para 30 a 40%.

Assim, a avaliação da reserva ovariana (com hormônios e ultrassonografia transvaginal) e do potencial e funcionamento das trompas, são de fundamental importância antes da decisão de reverter ou não a vasectomia.

Como é feita a cirurgia de reversão da vasectomia?

A reversão da vasectomia é feita através da religação entre as partes do canal deferente que foram interrompidas. O canal deferente é o caminho por onde passa os espermatozoides provenientes dos testículos.

À medida que o tempo passa, entretanto, o local pode evoluir com fibroses, durante sua cicatrização, levando a formação de barreiras, obstruções, não no lugar em que foi feita a ligadura, mas abaixo desse ponto, o que complica a cirurgia e os resultados esperados no pós operatório.

Se houver positividade para retorno do fluxo, sem a presença de espermatozoides nos exames, pode ser tentada outra técnica cirúrgica, religando os ductos em um ponto mais próximo à fibrose, promovendo uma conexão, por excluir a área obstruída.

As complicações após a reversão da vasectomia são muito baixas. Quando ocorrem, as mais frequentes são os hematomas e as infecções.

Leia também:

Qual exame fazer para saber se o homem é estéril?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Espermograma é o primeiro e o mais importante exame a ser feito na avaliação do homem infértil. Além disso, a avaliação da infertilidade abrange uma história clínica aprofundada e exame físico.

A depender do resultado também podem ser necessários outros exames. O exame de urina não serve para diagnosticar infertilidade ou a sua causa.

O que aumenta o risco de infertilidade no homem?

Diferentes condições podem ser fatores de risco para problemas de fertilidade. Por isso, durante a consulta o médico busca compreender quais desses fatores podem estar envolvidos e contribuir com a infertilidade. Entre esses fatores de risco destacam-se:

  • Antecedentes de quimioterapia;
  • Antecedentes de cirurgias testiculares;
  • Tabagismo;
  • Alcoolismo;
  • Consumo de drogas de abuso;
  • Uso de certos tipos de medicamentos (cimetidina, sulfassalazina, entre outros)
  • Casos de infertilidade na família.

Além disso, o médico também avalia a função eréctil e ejaculatória para detectar possíveis problemas que podem prejudicar a fertilidade.

O que é o espermograma?

O espermograma é um exame que avalia a quantidade e a qualidade do esperma, assim é possível avaliar a funcionalidade testicular. Quando o espermograma está normal, praticamente descarta-se a infertilidade masculina.

Caso o espermograma apresente alterações é necessário aprofundar a investigação médica. Podem ser necessário exames de avaliação hormonal, ultrassom ou avaliação genética, a depender da suspeita clínica. Mais raramente pode ser necessário realizar uma biópsia testicular para melhor avaliação.

No entanto, em cerca de 40% dos casos de alterações espermáticas não são encontradas as causas subjacentes que sejam detectáveis.

Leia também: Como é feito o espermograma?

Qual o tratamento para infertilidade masculina?

O tratamento da infertilidade masculina dependerá da causa encontrada e poderá incluir desde mudanças de hábitos, suspensão de medicamentos, reposição hormonal ou procedimentos cirúrgicos.

Para aqueles homens que apresentam alterações espermáticas, mas não foi encontrada uma causa, pode-se recorrer a técnicas de reprodução assistida, como inseminação artificial ou fertilização in vitro.

Na suspeita de infertilidade masculina procure um médico de família ou clínico geral para uma avaliação inicial. Em algumas situações pode ser necessário também a avaliação e acompanhamento por um médico urologista.

Também pode lhe interessar:

Entendendo os resultados do espermograma

Para que serve o exame de FSH?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

O exame de análise do FSH (hormônio folicular estimulante) é utilizado para diversas investigações, especialmente na dificuldade para engravidar e desenvolvimento anormal da puberdade.

Principais indicações do exame de FSH Nas Mulheres, serve para:
  • Investigar causas de infertilidade;
  • Investigar problemas relacionados a ciclos menstruais irregulares;
  • Pesquisar doenças na hipófise ou
  • Avaliar a função dos ovários.
Nos Homens, serve para:
  • Avaliar causas para uma contagem baixa de espermatozoides;
  • Avaliar função dos testículos, e se existe dificuldade de produzir hormônios sexuais masculinos (hipogonadismo ou insuficiência gonadal).
Nas Crianças, serve para:
  • Avaliar situações de desenvolvimento anormal, como puberdade precoce ou puberdade tardia. As taxas alteradas desse hormônio pode ser uma das causas.
O que é o FSH?

O FSH é um hormônio produzido pela hipófise, que significa hormônio foliculotrófico ou folículo-estimulante.

O principal papel do FSH é regular as funções das gônadas masculinas e femininas, os testículos e os ovários. São eles que produzem os hormônios masculinos e femininos, responsáveis por originar a puberdade, com as suas características sexuais específicas.

Na puberdade acontece o desenvolvimento do corpo, distribuição dos pelos, mudança do tom de voz nos meninos, aumento dos seios nas meninas, entre outras características, que dependem da ação desses hormônios.

Uma produção reduzida ou exagerada, pode causar problemas de saúde, por vezes, bastante preocupantes.

Além das características sexuais secundárias, o FSH é responsável por estimular os ovários, para produção de óvulos; e os testículos, na produção de espermatozoides, representando papel fundamental na reprodução humana.

Exames FSH e LH

Esse conjunto de funções também é responsabilidade do hormônio luteinizante, ou LH. Hormônio produzido pela hipófise, assim como o FSH e juntos, mantém esse equilíbrio de estímulo e inibição nas gônodas.

Por isso são exames solicitados, na maioria das vezes, ao mesmo tempo, com a finalidade de investigar causas de infertilidade e alterações no desenvolvimento da puberdade.

Para mais esclarecimentos sobre o assunto, agende uma consulta com médico(a) da família, endocrinologista, ginecologista (mulheres) ou urologista (homens).

Saiba mais:

Quais são as causas da azoospermia?
Dr. Ivan Ferreira
Dr. Ivan Ferreira
Médico

A  azoospermia pode ser causada por uma falha na produção de espermatozoides pelos testículos (azoospermia secretora) ou por obstrução dos canais que levam os espermatozoides dos testículos para o sêmen (azoospermia obstrutiva) .

A ausência de espermatozoides no sêmen é chamada azoospermia, no entanto pode ser que haja produção de espermatozoides nos testículos sem que eles consigam chegar ao esperma. Nesse caso é necessário um exame dos testículos (biópsia) para avaliar se há produção de espermatozoides.

As possíveis causas da azoospermia são: distúrbios hormonais; doenças geniturinárias; doenças genéticas (sem causas conhecidas); criptorquidia, que é a situação onde não há a descida dos testículos até o escroto (bolsa testicular) ao nascer; ter sido submetido à vasectomia e obstrução dos canais (epidídimo e ductos deferentes) que transportam os espermatozoides dos testículos ao esperma.

O médico especialista em reprodução humana é o profissional capacitado para o diagnóstico e tratamento dos problemas de fertilidade.

Tem homem com o esperma fraco?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Sim. Um homem com alterações no esperma pode ser infértil ou ter redução da sua fertilidade. Diferentes alterações espermáticas podem ser a causa da infertilidade no homem. O exame que consegue detectar alterações no esperma é o espermograma, que costuma ser um dos primeiros exames solicitados na avaliação da infertilidade masculina.

O espermograma pode detectar alterações no número de espermatozoides. Quando há pouca quantidade de espermatozoides tem-se a oligozoospermia e quando os espermatozoides estão totalmente ausentes tem-se a azoospermia. Também podem ser visualizadas alterações na morfologia dos espermatozoides e da sua mobilidade. Outros parâmetros também são avaliados, como o pH do sêmen.

O que altera a qualidade do esperma?

Diferentes condições podem alterar a qualidade do esperma. Entre elas:

  • Causas genéticas;
  • Infecções;
  • Disfunções hormonais;
  • Uso abusivo de álcool ou outras drogas;
  • Tabagismo;
  • Uso de medicamentos;
  • Situações de excesso de aquecimento testicular;
  • Contato com substâncias tóxicas;
  • Alterações anatômica.
Qual o resultado de um espermograma normal?

Um espermograma normal deve apresentar os seguintes valores:

  • Número de espermatozoides por mililitro >20 milhões;
  • Motilidade rápida e muito rápida >25%;
  • Morfologia >14% de espermatozoides normais;
  • Hipoosmolaridade > 50%;
  • Vitalidade > 50%;
  • Leucócitos < 1 milhão;
  • Sem fenômenos de aglutinação:

Quando há alterações de um dos fatores analisados o espermograma é considerado anormal e deve ser repetido para confirmar as alterações, a partir desse resultado o médico irá começar uma avaliação mais aprofundada da causa da infertilidade, embora, nem sempre seja possível descobrir exatamente o que causa infertilidade ou alterações espermáticas.

Consulte o seu médico caso suspeite de infertilidade.

O homem pode ter o esperma fraco?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Sim, alguns homens são inférteis ou tem dificuldades em conseguir engravidar a parceira, muitas vezes o esperma apresenta modificações como baixo número de espermatozoide, fraca mobilidade dos espermatozoides, alterações na morfologia dos espermatozoides ou mesmo alterações da viscosidade, ou PH do sêmen. Essas mudanças espermáticas podem dificultar ou mesmo impossibilitar uma gravidez.

No entanto, outros parâmetros, além do esperma, também são avaliados em um homem que suspeita de infertilidade, como a presença de distúrbios hormonais ou alterações anatômicas no sistema reprodutor, presença de outras doenças, uso de medicamentos, entre outros.

Como avaliar a qualidade do esperma?

Através de um exame chamado espermograma é possível avaliar a composição espermática e assim detectar modificações que podem contribuir para a redução da fertilidade masculina. Geralmente o espermograma é um dos primeiros exames utilizados na pesquisa da infertilidade do homem, em um casal que está tentando engravidar sem sucesso.

O que o espermograma analisa?

O espermograma analisa fatores como o volume do esperma, o pH (acidez ou basicidade), a viscosidade, o tempo de liquefação, a concentração, morfologia, mobilidade e resistência dos espermatozoides. Pode ainda indicar a presença de micro-organismos como bactérias, fungos, protozoários ou células de defesa e anticorpos, que podem indicar uma possível infecção.

Quais são as causas de diminuição da qualidade do esperma?

A diminuição da qualidade do esperma pode ocorrer devido a diferentes fatores como:

  • Causas genéticas;
  • Infecções;
  • Disfunções hormonais;
  • Uso abusivo de álcool ou outras drogas;
  • Tabagismo;
  • Uso de medicamentos;
  • Situações de excesso de aquecimento testicular;
  • Contato com substâncias tóxicas;
  • Alterações anatômica.

O casal que está há mais de um ano tentando engravidar sem sucesso pode procurar um médico para uma avaliação da sua fertilidade.

Que exames devem ser feitos pelo homem e pela mulher antes de tentar engravidar?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Os exames que devem ser feitos pelo homem e pela mulher antes de tentar engravidar, são:

  • Para a mulher:

    • Tipagem sanguínea e fator Rh: Exame de sangue aonde será identificado o tipo sanguíneo da mãe e principalmente o fator RH. Nas mulheres com fator Rh negativo, é importante avaliar o fator do companheiro.

    • Hemograma: É um exame de sangue usado para avaliar a série "vermelha", ou seja, o valor das hemácias da mãe, descartando anemia, um quadro que pode prejudicar a gestação.

    • Teste de glicemia: Verifica os níveis de glicose (açúcar) no sangue e serve para detectar o diabetes ou saber se a mulher tem tendência para desenvolver a doença;

    • Sorologia para toxoplasmose, sífilis, Citomegalovírus (CMV), Hepatites virais, rubéola e HIV: É importante saber se a mulher é imune a essas doenças ou não, para que sejam tomados os devidos cuidados para evitá-las. Se forem adquiridas durante gravidez, podem trazer sérias complicações para a mulher e para o feto, como:

      • Parto prematuro, aborto espontâneo;
      • Para o bebê, catarata, glaucoma, doença cardíaca, atraso mental, hidrocefalia, retardo mental, surdez, atraso do desenvolvimento;
    • Colpocitologia oncológica: Exame de rastreio para alterações celulares que podem evoluir para câncer de colo de útero.

Nos casos especiais, como mulheres acima de 35 anos de idade, obesas, diabéticas, ou com história prévia de abortos espontâneos, bebês muito grandes ou óbito fetal sem causa definida, podem ser acrescentados os seguintes exames:

  • Mamografia: Pode ser indicada para mulheres acima de 35 anos de idade, ou com risco aumentado para câncer de mama;
  • Ultrassom: Serve principalmente para detectar alterações no útero, como mudanças no seu formato e miomas, que podem causar aborto, além de endometriose, que pode dificultar a gravidez;

Tão importante quanto os exames antes de engravidar, é a avaliação médica quanto ao cartão de vacinação da mulher, atualizando todas as vacinas que forem necessárias, para prevenir doenças e ou complicações para a mulher e o bebê.

  • Para o homem:

    • Hemograma: Com o mesmo objetivo de avaliar possíveis doenças no sangue, como anemia;
    • Sorologia para HIV: Da mesma forma que na mulher, é importante identificar doenças que podem afetar a saúde da mãe e do bebê precocemente, para dar a opção de tratamento e orientações;
    • Espermograma: Não é um exame obrigatório, mas aconselhável que o homem faça se o casal pretende engravidar, pois o exame avalia a capacidade reprodutiva do homem, através da análise da quantidade e qualidade dos seus espermatozoides.

Leia também: Que exames devo fazer para saber se posso engravidar?

O/A médico/a obstetra deverá orientar o casal quanto aos exames que ambos deverão fazer antes da gravidez.