Perguntar
Fechar

Ansiedade

Gostaria saber qual médico recorrer? Sinto mal estar...

Seus problemas devem ser de origem emocional, minha opinião é que você procure um médico homeopata.

Procure um psiquiatra ou homeopata.

Estresse pós-traumático tem cura? Qual é o tratamento?

Estresse pós-traumático não tem cura. Trata-se de um transtorno psicológico crônico, mas que pode ser controlado. O tratamento é feito com psicoterapia e medicamentos psiquiátricos, sobretudo antidepressivos.

Após 3 meses de tratamento, os sintomas do transtorno de estresse pós-traumático tendem a estabilizar. Porém, a doença poderá voltar a se manifestar se houver novamente uma situação traumática ou que seja semelhante àquela já vivenciada.

Em geral, a psicoterapia, através da terapia cognitivo-comportamental, é a primeira opção de tratamento para o estresse pós-traumático. Contudo, dependendo da gravidade dos sintomas, o tratamento medicamentoso é necessário.

A escolha do tipo de medicamento depende de vários fatores, como a condição de saúde do paciente, presença de outros transtornos psiquiátricos ou doenças, efeitos colaterais da medicação, entre outros.

Os medicamentos mais usados e indicados para melhorar os sintomas do transtorno de estresse-pós traumático são os antidepressivos Fluoxetina, Sertralina, Paroxetina e a Venlafaxina.

Muitas vezes é necessário incluir mais de um tipo de medicamento no tratamento, especialmente quando não há resposta à terapia com antidepressivos. Esses medicamentos coadjuvantes também servem para tratar a insônia, os pesadelos, a ansiedade, a agitação e a agressividade.

Quadros de intensa ansiedade, agitação e agressividade precisam de tratamento imediato devido aos riscos e prejuízos que trazem à pessoa. Nesses casos, são indicados antipsicóticos em doses baixas, que também contribuem para aliviar a insônia.

Os benzodiazepínicos (ansiolíticos) não são recomendados para tratar o transtorno. Além de não terem eficácia comprovada nesse tipo de situação, podem causar ansiedade e insônia pelo efeito rebote. Quando prescritos, deve-se dar preferência aos de meia-vida longa para evitar o efeito rebote e não prolongar o uso por mais de 4 semanas.

Mesmo com a remissão completa dos sintomas, deve-se manter o tratamento do estresse pós-traumático por algum tempo. Lembrando que a manifestação dos sintomas é cíclica e pode piorar se a pessoa ficar exposta a situações que lembrem o trauma. 

Não há um tempo definido de tratamento. Cabe ao médico psiquiatra e ao psicoterapeuta avaliar o caso, de maneira que os medicamentos sejam retirados gradualmente e o tratamento não seja interrompido abruptamente nem se prolongue por tempo demasiado quando o paciente já não apresenta sintomas.

Saiba mais em: O que é estresse pós-traumático e quais são os sintomas?

De repente parece que vou ter um ataque cardíaco...

Na verdade pela sua descrição parece mais um quadro de ansiedade, um transtorno ou síndrome de pânico e não uma depressão, deve procurar um médico psiquiatra.

Como identificar o transtorno de ansiedade social?

O transtorno de ansiedade social, também conhecido como fobia social, caracteriza-se pelo medo exagerado e constante de situações sociais ou daquelas em que a pessoa precisa desempenhar alguma tarefa em público. São indivíduos que têm medo de terem comportamentos humilhantes ou embaraçosos na presença de outras pessoas e serem desaprovados ou rejeitados por elas.

Também são excessivamente inibidas e críticas em relação a elas mesmas quando estão numa situação social que causa ansiedade, o que gera comportamentos tensos e rígidos, além de dificuldade de se expressar verbalmente, prejudicando a vida social do indivíduo.

Em alguns casos, o transtorno de ansiedade social pode gerar medo e desconforto somente em situações em que a pessoa tenha que desempenhar tarefas em público, como falar ou fazer alguma apresentação. Em outros, o medo está associado apenas a situações sociais. 

Transtorno da personalidade esquiva

Vale lembrar que grande parte dos indivíduos com transtorno de ansiedade social apresentam também transtorno da personalidade esquiva. Esse transtorno de personalidade tem com principais sintomas o medo excessivo de avaliações e os sentimentos de inadequação.

Pessoas com transtorno da personalidade esquiva evitam situações sociais em que tenham que estar em contato direto com outras pessoas devido ao medo da crítica ou da desaprovação.

Pela semelhança entre os sintomas, o transtorno da personalidade esquiva pode ser considerado uma forma mais grave do transtorno de ansiedade social.

Leia também: Como identificar alguém com transtorno da personalidade esquiva?Qual é o tratamento para o transtorno da personalidade esquiva?

A fobia social afeta principalmente adolescentes e adultos jovens. Sem tratamento, esse tipo de transtorno de ansiedade dificilmente irá regredir ou desaparecer espontaneamente, trazendo graves prejuízos nas relações sociais da pessoa.

Saiba mais em:

Transtorno de ansiedade social: Quais as causas e como tratar?

Quais os tipos de transtorno de personalidade e suas características?

Quais os sintomas dos transtornos de ansiedade?

Quando ansiosa e nervosa tenho fincadas nos dedos e pés...

Não fique ansiosa nem nervosa. Sem remédios a única maneira de conseguir isso é com a mudança de vida (eliminar o que te incomoda e colocar no lugar o que te faz bem), procure um psicólogo que ele pode te ajudar.

Transtorno de ansiedade social: Quais as causas e como tratar?

Dentre as possíveis causas para o desenvolvimento do transtorno de ansiedade social estão os fatores genéticos e neurológicos, eventos traumáticos, timidez durante a infância, violência física e psicológica, entre outras. 

O transtorno de ansiedade social normalmente começa gradualmente durante a infância, trazendo posteriormente graves prejuízos nas relações profissionais, sociais e afetivas do indivíduo.

Indivíduos com transtorno de ansiedade social ou fobia social, como também é conhecido, apresentam um medo excessivo quando têm que desempenhar alguma tarefa em público, como falar, ou estar presentes em situações sociais.

O medo é decorrente do medo de serem humilhados ou serem vistos tendo comportamentos constrangedores em frente a outras pessoas. 

Esses pacientes têm medo de serem avaliados de forma negativa pelos outros e sentem-se constrangidos, humilhados e envergonhados.

Leia também: Como identificar o transtorno de ansiedade social?

Tratamento

O tratamento do transtorno de ansiedade social é feito com psicoterapia e medicamentos. Contudo, o papel da psicoterapia é fundamental para o sucesso do tratamento, uma vez que o uso constante da medicação pode causar tolerância e dependência.

Dos métodos de psicoterapia utilizados para tratar o transtorno de ansiedade social, a terapia cognitivo-comportamental é a que tem se mostrado mais eficaz, com resultados rápidos e duradouros.

Saiba mais em:

Quais os sintomas dos transtornos de ansiedade?

Quais os tipos de transtorno de personalidade e suas características?

Nos últimos meses eu não tenho sentido fome...

Precisa procurar um médico, a falta de apetite é somente um dos sintomas do seu problema de saúde, precisa tratar a doença toda e não somente um dos sintomas.

Leia também: Sinto muita fome: o que pode ser?

Sou uma pessoa muito ansiosa?

O ideal é procurar um médico, qualquer um, para primeiro fazer o diagnóstico e depois começar a tratar, dependendo da situação precisa de medicamentos e psicoterapia.