Cloreto de Magnésio é bom para a saúde? Para que serve e quem pode tomar?

Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Sim, o cloreto de magnésio é bom para a saúde, quando mantem o magnésio em concentrações adequadas no sangue. A deficiência, ou o excesso de magnésio, são prejudiciais à saúde.

O magnésio é um mineral que está relacionado à produção de energia das células e faz parte da atividade muscular, do funcionamento cardíaco e cerebral, da respiração, entre outras funções orgânicas.

O magnésio participa de mais de 300 reações químicas do nosso organismo, sendo, portanto, essencial para a saúde. A forma mais comum de suplementação, quando indicada, é através do cloreto de magnésio.

Cloreto de Magnésio
Cloreto de magnésio é a forma mais comum de suplementação de magnésio.

Para que serve o cloreto de magnésio?

1. Manutenção da saúde cardíaca

Alguns estudos demonstraram que o magnésio auxilia no controle do ritmo cardíaco e ajuda a evitar as arritmias. Pesquisas também indicam que pessoas com níveis reduzidos de magnésio no interior das células desenvolveram doenças cardíacas. O que sugere seu benefício na prevenção dessas enfermidades. Entretanto, esta função ainda vem sendo estudada.

2. Controle glicêmico

Os diabéticos costumam ter baixo nível de magnésio no seu organismo. Nestes casos, a suplementação com cloreto de magnésio melhora a produção e a ação da insulina, além da metabolização do açúcar. Deste modo, o cloreto de magnésio ajuda a controlar os níveis de glicose no sangue.

3. Promoção de uma melhor contração muscular

O magnésio é um importante mineral para a realização da contração muscular. Em praticantes de atividade física, que eliminam magnésio rapidamente por meio do suor, a reposição com cloreto de magnésio é bastante benéfica, pois aumenta o rendimento durante os treinos.

4. Redução dos episódios de enxaqueca

O magnésio tem também a função de relaxar a musculatura presente na parede dos vasos sanguíneos, reduzindo a tensão, uma das teorias mais aceitas como causa de dores de cabeça crônica. Assim, o cloreto de magnésio ajudaria a melhorar a crises de enxaqueca.

5. Diminuição das crises asmáticas

Da mesma forma que o magnésio relaxa a musculatura dos vasos sanguíneos, também ajuda no relaxamento dos brônquios. As crises de asma são causadas por espasmos das paredes dos brônquios, que levam ar aos pulmões, e provocam sintomas como tosse, sibilância e dificuldade de respirar. O uso do sulfato de magnésio não está indicado como tratamento de manutenção, mas em casos graves ou de ausência de resposta aos tratamentos convencionais, oferece benefícios.

6. Reduz problemas digestivos

A suplementação com cloreto de magnésio ajuda o estômago a melhorar o metabolismo e a absorção dos nutrientes presentes no alimentos. O magnésio aumenta a produção do ácido clorídrico (ácido gástrico) reduzindo problemas relacionados à sua excreção no estômago como, má digestão, mal funcionamento do intestino e má absorção de vitaminas e outros minerais.

7. Diminui a tensão pré-menstrual (TPM) e cólicas

Algumas pesquisas mostram que, se administrado antes do período menstrual, o cloreto de magnésio pode reduzir os sintomas da TPM e as cólicas menstruais. O mecanismo que provoca este efeito ainda não é conhecido, por isso vem sendo investigado.

8. Previne a osteoporose

O magnésio é responsável pela fixação do cálcio nos ossos e, portanto, auxilia na prevenção da osteoporose, quando administrado em pessoas com deficiência deste mineral.

Quem pode tomar o cloreto de magnésio?

Por não ser de região vulcânica, o solo do Brasil é deficiente em magnésio. Isto faz com que uma parte da população tenha deficiência do mineral, e indicação de seu suplemento.

O magnésio pode ser encontrado nos alimentos ou ingeridos como suplementos alimentares.

As outras formas de apresentação do magnésio - magnésio dimalato, magnésio treonato - são comumente apresentados em cápsulas e devem ser usados conforme prescrição médica.

Como detectar deficiência de magnésio?

Não é possível detectar a escassez de magnésio no organismo por meio de exame de sangue, pois o mineral fica em maior concentração no interior das células. Para saber a dosagem real de magnésio no corpo, é preciso fazer um mineralograma. Este exame traz a dosagem de todos os minerais presentes no organismo e a presença de metais tóxicos, como o chumbo. É feito por meio da análise laboratorial do cabelo.

Alimentos ricos em magnésio

Sementes de Abóbora

  • Semente de abóbora
  • Banana
  • Coco
  • Água de coco
  • Folhas e legumes verde escuros : brócolis, couve, espinafre, rúcula
  • Peixes de águas profundas: sardinha, atum, bacalhau
  • Algas marinhas
  • Cacau

Efeitos Colaterais

  • Diarreias e
  • Reações alérgicas

Contraindicações

Pessoas que não tenha esse déficit. O excesso de vitaminais e ou minerais também podem causar danos. Em pessoas que não tenham deficiência de magnésio, o uso suplementar e o excesso do mineral podem causar:

  • Aumento da pressão arterial
  • Redução da frequência respiratória
  • Alteração do sistema nervoso

Antes de consumir cloreto de magnésio ou qualquer outro suplemento, procure orientação médica ou de um nutricionista.