Perguntar
Fechar

Com quantos dias aparecem os primeiros sintomas de gravidez?

Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Os primeiros sintomas de gravidez começam a surgir na 5ª ou 6ª semanas de gestação. Lembrando que as semanas devem ser contadas a partir do primeiro dia da última menstruação (DUM). Na maioria das vezes, aparecem com 7 a 14 dias de atraso menstrual.

O exame do hormônio beta HCG, no sangue ou na urina, já pode ser detectado 6 a 8 dias após o início da gestação, mas os sintomas levam mais tempo para serem percebidos ou identificados no exame médico.

Primeiros sintomas de gravidez

Em geral, o primeiro sintoma da gravidez é a ausência de menstruação ou atraso menstrual detectado quando o período não vem na data esperada. Após o atraso menstrual, com o passar das semanas, os outros sintomas vão surgindo, naturalmente.

5 - 6 semanas:

  • Náuseas, com ou sem vômitos - Comum na maioria das gestantes, com início entre a quinta e a sexta semana de gestação, sendo pior por volta da nona semana e melhora espontaneamente, após 16 a 20 semanas.
  • Aumento do volume das mamas e sensibilidade nos mamilos - as mamas começam o aumento do volume, os mamilos se tornam mais sensíveis e pode começar a apresentar uma coloração mais escurecida.
  • Aumento da frequência urinária - também é um sinal bastante precoce, o aumento da vontade e do volume de urina, mas sem outros sintomas. Se houver sinais de ardência, dor ou mau cheiro ao urinar, não deve ser entendido como sintoma normal da gravidez. Deve-se procurar um atendimento médico.
  • Distúrbio do sono - A gestante costuma ter alterações de sono, sono noturno insuficiente, sonolência diurna, ou mesmo insônia pelas modificações naturais da gravidez, como aumento do volume urinário, dificuldade de mobilização na cama e queda da pressão.
  • Cansaço (fadiga) - A sonolência durante o dia e o cansaço físico também podem ser percebidos nas primeiras semanas. A fadiga melhora no segundo trimestre, mas pode retornar ao final da gestação.
  • Dores de cabeça - as dores de cabeça, nariz entupido e calorões acontecem devido ao aumento de estrogênio no sangue, responsável pela dilatação dos vasos.

8 a 10 semanas:

  • Aumento do volume do útero - a partir da oitava semana, o útero já pode ser percebido, semelhante ao tamanho de uma pera. Esse aumento pode cursar ainda com desconforto pélvico, e sensação de "inchaço abdominal".
  • Mudança no paladar - aversão a certos alimentos é outro sintoma comum a muitas gestantes.

12 a 20 semanas:

  • Vulva azulada - Por volta da decima segunda semana, a mulher já percebe um aumento da vulva e coloração azulada, devido ao aumento da vascularização no local.
  • Dor lombar - pode ter início já no segundo trimestre por fatores como postura inadequada, fraqueza muscular, frouxidão ligamentar e desenvolvimento do bebê. Pode piorar ainda mais no terceiro trimestre.
  • Saída de colostro - secreção clara pelo mamilo.

Após 28 semanas:

  • Azia - No início do terceiro trimestre, os sintomas de azia e constipação se tornam mais evidentes, devido a toda a modificação do organismo da mulher, tamanho e desenvolvimento normal do bebê.
  • Inchaço dos pés e tornozelos - O edema nos membros inferiores, especialmente tornozelos começam a incomodar no terceiro trimestre de gestação, e para aliviar os sintomas é indicado beber mais água, reduzir o consumo de sal na comida e colocar as pernas para cima durante o dia, sempre que for possível, para auxiliar na drenagem linfática.

Atividade física devidamente acompanhada e drenagem linfática podem ser indicadas pelo médico.

Sintomas menos comuns no início da gravidez

Algumas mulheres grávidas também podem apresentar outras manifestações menos frequentes no início, como cólicas ou sangramento no momento da implantação do óvulo no útero, o que geralmente acontece na metade do ciclo.

Ao detectar uma gravidez, a mulher deve procurar o serviço de saúde para iniciar os cuidados de pré-natal.

Conheça um pouco mais sobre esse assunto nos artigos a seguir:

Referências:

Lori A Bastian, et al. Clinical manifestations and diagnosis of early pregnancy. UpToDate. Sep 08, 2020.

FEBRASGO - Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia.