Perguntar
Fechar

Como identificar uma pessoa bipolar?

Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Não é uma tarefa fácil identificar uma pessoa bipolar, nem mesmo para o profissional na área, nesse caso o médico psiquiatra. Principalmente porque o transtorno bipolar é com frequência associado a outros transtornos psicossomáticos, dificultando na identificação dessas doenças.

Entretanto, podemos afirmar que uma pessoa bipolar apresenta como principais sintomas as mudanças acentuadas ou extremas de humor. O transtorno bipolar ou transtorno afetivo bipolar se caracteriza por períodos de tristeza ou depressão alternados com períodos de alegria e atividade exageradas, ou ainda com mau humor e irritação.

Os episódios ou períodos de extrema felicidade e muita atividade ou energia, constituem a fase da “mania”, enquanto os episódios de tristeza, baixa atividade ou energia caracterizam a fase da “depressão”. Por isso a bipolaridade também é conhecida como transtorno maníaco-depressivo.

Saiba mais em: O que é a Doença Bipolar?

Quais os sintomas da bipolaridade?

Os sintomas da bipolaridade são divididos entre as fases da mania e da depressão. A fase maníaca de uma pessoa bipolar pode durar de dias a meses e pode incluir os seguintes sintomas:

  • Distração fácil;
  • Participação excessiva em atividades;
  • Pouca necessidade de dormir;
  • Fraca capacidade de discernimento;
  • Falta de controle do temperamento;
  • Comportamentos imprudentes e falta de autocontrole, como beber, usar drogas, ter relações sexuais com muitos parceiros, jogar e fazer gastos exagerados;
  • Humor muito irritado;
  • Pensamentos acelerados;
  • Conversar bastante;
  • Ter falsas crenças sobre si mesmo ou suas habilidades.

Os episódios de depressão são mais frequentes que os de mania e podem incluir esses sintomas:

  • Tristeza ou humor deprimido diariamente;
  • Dificuldade de concentração, memória ou tomada de decisões;
  • Problemas com a alimentação, como falta de apetite e perda de peso ou consumo exagerado de alimentos e ganho de peso;
  • Fadiga ou falta de energia;
  • Sentimentos de incapacidade, desesperança ou culpa;
  • Perda de prazer por atividades que gosta de fazer;
  • Falta de autoestima;
  • Pensamentos de morte ou suicídio;
  • Dificuldade em adormecer ou dormir demais;
  • Afastar-se de amigos ou atividades que antes despertavam interesse.

Os sintomas maníacos e depressivos podem se intercalar, um após o outro, chamado ciclagem rápida, assim como acontecer ao mesmo tempo, denominado de estado misto.

Bipolaridade tem cura? Como é o tratamento?

O transtorno afetivo bipolar não tem cura. Contudo, é possível manter a doença sob controle. O principal objetivo do tratamento da bipolaridade é tornar os episódios menos frequentes e intensos, ajudando a pessoa a ter um bom desempenho na execução das suas atividades diárias e na sua vida pessoal, social e profissional.

O tratamento inclui:

  • Medicamentos, os mais utilizados são os Estabilizadores de humor, Antipsicóticos e Antidepressivos);
  • Psicoterapia e ou
  • Eletroconvulsoterapia.

Na fase maníaca, o paciente pode precisar permanecer em hospital especializado, até que seu humor se estabilize e seu comportamento esteja sob controle.

Especialmente porque pessoas portadoras de transtorno bipolar, apresentam maior propensão de cometer suicídio. Sendo assim, nas fases mais graves, esses pacientes devem ser vigiados por 24 h, diariamente, para seu próprio benefício.

Além disso, são paciente com forte ligação a outros vícios, como o consumo excessivo de álcool ou outras substâncias, o que pode piorar ainda mais os sintomas e o risco de suicídio.

O médico psiquiatra é o especialista responsável pelo diagnóstico e tratamento do transtorno afetivo bipolar. Na observação de algum desses sintomas, não hesite em procurar um especialista.