Perguntar
Fechar

Como identificar uma pessoa com TOC?

Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Os sinais que podem ajudar a identificar uma pessoa com TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo) são:

Obsessões ou ideias obsessivas: Ideias ou imagens que vêm à mente da pessoa repetidamente sem ela querer, geralmente relacionadas a:

  • Contaminação (ideias repetidas das mãos estarem contaminadas por terem tocado em objetos sujos);
  • Dúvidas (por exemplo se deixou a porta trancada ou o fogão ligado).

Compulsões ou rituais compulsivos: Tratam-se de atos ou rituais que a pessoa vê-se obrigada a fazer para aliviar ou evitar as obsessões. Se ela não executa a atitude compulsiva, fica muito ansiosa. Tais rituais são repetidos várias vezes, mesma a pessoa tendo a sensação que não fazem sentido. Algumas compulsões frequentes são:

  • Lavar as mãos ou algo repetidas vezes;
  • Verificar se a janela está trancada ou o gás está fechado;
  • Questionar repetidamente uma informação para ver se está correta;
  • Realizar de forma minuciosa uma série de atos pré-programados para evitar que aconteça alguma coisa de mal a alguém;
  • Contar ou alinhar objetos repetidamente.

objetos alinhados

A pessoa deve procurar ajuda quando as obsessões e as compulsões ocupam boa parte do seu tempo, prejudicando ou dificultando o seu dia-a-dia.

É comum a pessoa reconhecer que tais atitudes ou pensamentos não fazem sentido, tentando disfarçá-los ou mesmo evitando falar sobre o assunto e relutando em procurar ajuda profissional.

O transtorno obsessivo compulsivo (TOC) geralmente tem início no final da adolescência, perto dos 20 anos de idade.É possível controlar os sintomas com um tratamento adequado.

O tratamento do TOC geralmente inclui medicamentos e psicoterapia. A psicoterapia mais utilizada é a terapia comportamental, na qual a pessoa é estimulada a controlar os seus pensamentos obsessivos e rituais compulsivos.

O médico psiquiatra é o responsável pelo diagnóstico e tratamento do TOC.

Leia também: TOC tem cura? Qual o tratamento?