Perguntar
Fechar

Coqueluche: o que é, quais as causas, sintomas e tratamento?

Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Coqueluche é uma infecção respiratória, causada pela bactéria Bordetella pertussis. Trata-se de uma doença bacteriana altamente contagiosa, caracterizada pelo quadro de tosse seca violenta e incontrolável que pode dificultar a respiração. A coqueluche é uma doença grave que pode afetar pessoas de qualquer idade e causar incapacidade permanente em bebês e até a morte.

Como ocorre a transmissão da coqueluche?

A transmissão da coqueluche se dá de pessoa para pessoa, através da inalação de gotículas de secreção eliminadas pela pessoa infectada, ao tossir ou espirrar. Pode se dar também, através de objetos recentemente contaminados, embora menos frequente.

Quais são os sintomas da coqueluche?

Os sintomas iniciais da coqueluche são semelhantes aos do resfriado comum, com febre baixa, coriza e mal-estar. Na maioria dos casos, se manifestam após uma semana do contágio.

Os episódios graves de tosse começam cerca de 10 a 12 dias depois do início do quadro. Em bebês e crianças pequenas, a tosse às vezes termina com um som característico de “grito” quando a pessoa tenta respirar.

Os episódios de tosse podem causar vômito ou ainda uma breve perda de consciência. Nos bebês, episódios de asfixia e longas pausas na respiração são comuns.

Os sintomas da coqueluche geralmente duram 6 semanas, mas podem persistir por até 10 semanas.

Como é feito o diagnóstico da coqueluche?

O diagnóstico nem sempre é fácil, devido aos sintomas inespecíficos no início da doença. Porém deve ser baseado na história clínica, sintomas apresentados e para confirmação, exames laboratoriais.

Para confirmar o diagnóstico, é realizada a coleta de uma amostra de secreção nasal para ser analisada em laboratório. Porém, o resultado do exame leva algum tempo para ficar pronto. Por isso, na maioria das vezes, o tratamento é iniciado antes que os resultados do teste estejam prontos.

Qual é o tratamento para coqueluche?

O tratamento da coqueluche é realizado com antibióticos, como a eritromicina®. A medicação pode fazer com que os sintomas desapareçam mais rapidamente, desde que seja administrada a tempo.

Entretanto, a maioria dos pacientes recebe o diagnóstico muito tarde, quando os antibióticos já não são muito eficazes para combater a doença. Mesmo assim, os medicamentos diminuem as chances da pessoa continuar transmitindo a doença.

Bebês com menos de 18 meses necessitam de supervisão constante, pois a respiração pode parar temporariamente durante as crises de tosse. Bebês com quadros graves de coqueluche devem ser hospitalizados.

O tratamento da coqueluche pode incluir ainda o uso de oxigênio, soro fisiológico, por via intravenosa para casos de crises de tosse intensas, que impeçam a ingesta de água adequada. Para crianças pequenas, podem ser indicados ainda medicamentos sedativos.

Xaropes para tosse, expectorantes e supressores de tosse geralmente não funcionam para tratar a coqueluche e não devem ser utilizados.

Quais as possíveis complicações da coqueluche?

A coqueluche pode causar complicações, como pneumonia, convulsões, sangramento nasal, infecções de ouvido, danos cerebrais devido à falta de oxigênio, hemorragia cerebral, incapacidade intelectual, interrupção temporária da respiração e morte.

Como prevenir a coqueluche?

A prevenção da coqueluche é feita através da vacina tríplice bacteriana (DPT), que protege a criança contra a difteria (D), a coqueluche (P - pertussis) e o tétano (T). São recomendadas 5 doses da vacina: aos 2 meses, 4 meses, 6 meses, dos 15 aos 18 meses e entre os 4 e os 6 anos de idade.

A vacina do tipo adulto (dTpa) é recomendada para adultos com mais de 10 anos de vacinação. Também para gestantes, a partir da 20ª semana de gestação e para profissionais de saúde.

Durante um surto de coqueluche, crianças menores de 7 anos que não foram vacinadas não devem ir à escola, nem estar em locais com aglomeração de pessoas. Essas medidas devem ser tomadas até 14 dias depois do último caso relatado da doença.

Em caso de suspeita de coqueluche, procure um médico clínico geral ou médico de família para receber um diagnóstico e tratamento adequados, o mais rápido possível.

Saiba mais em: O que é coqueluche e quais os sintomas?