Perguntar
Fechar

Endocardite é grave? Como é o tratamento?

Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Sim. A endocardite infecciosa é grave, com elevada taxa de sequelas e mortes.

A endocardite tem início na presença de uma lesão na camada mais interna do músculo cardíaco, causada por turbulência decorrente da passagem do sangue pelo coração. Essa turbulência pode ser gerada por defeitos na válvula cardíaca ou determinadas doenças cardíacas.

São nessas lesões que os agentes infecciosos se instalam e proliferam, dando origem à endocardite. A localização mais frequente dessas lesões é na porção em que ocorre o fechamento da válvula.

Diagnóstico e tratamento

O diagnóstico da endocardite se baseia na história clínica, no exame médico, em exames laboratoriais e principalmente no exame de imagem, o ecocardiograma, que permite ver o interior do coração e a presença da lesão.

O tratamento da endocardite consiste na administração intravenosa de medicamentos antibióticos durante 4 a 6 semanas, podendo ser estendido. Por isso deve ser realizado em ambiente hospitalar com uma monitorização e acompanhamento médico adequados.

A cirurgia pode ser necessária nos casos em que a infecção danifica a válvula cardíaca ou casos mais graves que não respondem ao tratamento inicial. O procedimento em geral substitui a válvula por uma outra artificial, restabelecendo o funcionamento adequado do coração.

Para pessoas com risco elevado de desenvolver endocardite, que serão submetidas a procedimentos que podem levar à contaminação do sangue com bactérias, é indicado o uso de antibióticos como medida preventiva, antes do procedimento.

Uma das indicações é para portadores de doença cardíaca valvar ou história prévia de endocardite que serão submetidos à procedimento dentário com manipulação da gengiva. Embora controversa, a antibioticoterapia preventiva tem sido amplamente utilizada, com bons resultados, segundo a maioria dos estudos.

O tratamento da endocardite é difícil, principalmente pela dificuldade em fazer chegar os antibióticos aos micro-organismos, daí o tempo de tratamento ser prolongado. Além disso, o diagnóstico precoce nem sempre é fácil, porque a clínica pode ser variada e pouco específica, especialmente no início.

O sucesso do tratamento está diretamente relacionado ao diagnóstico precoce, e início do tratamento.

Na suspeita de endocardite procure imediatamente seu/sua médico/a de família, clínico/a geral ou uma emergência médica para avaliação e tratamento adequados.

Saiba mais em:

Endocardite: Quais são os sintomas e possíveis complicações?

O que pode causar endocardite?