Perguntar
Fechar

Enurese Noturna, o que é?

A Enurese Noturna é a perda involuntária de urina em uma idade em que a criança já deveria ter adquirido um controle miccional adequado. A enurese noturna caracteriza-se basicamente por um urinar involuntário durante o período de sono da criança, há uma incapacidade da criança de controlar o seu esfíncter urinário de maneira satisfatória. A enurese noturna leva a um processo de desgaste emocional do paciente e de seus familiares, trazendo para a vida da criança repercussões sérias, como limitação das atividades, vergonha, embotamento da inteligência e punições por parte dos familiares, chegando a casos de agressão física.

Acredita-se que por volta do 3º ano de vida a criança controle as micções diurnas e por volta do 4º ou 5º ano de vida a criança alcance também o controle da micção durante o horário do sono. É consenso entre os médicos que com 5 anos completos a criança não deve mais apresentar micções na cama e a partir desta época a enurese deve merecer uma atenção especial por parte dos familiares e profissionais de saúde.

A família ocupa um lugar importante no tratamento da criança com enurese noturna. Um exemplo que pode ser observado é que, dentro da categoria da responsabilização da criança, as famílias consideram urinar na cama como uma questão de fraqueza ou “birra” do paciente, devido a características de sua própria personalidade. Nesses casos, as famílias qualificam a doença como preguiça, desobediência ou até uma provocação da criança. Assim, as crianças são frequentemente castigadas e as interações positivas entre elas e seus pais ficam comprometidas.

A enurese além de causar problemas emocionais e uma série de limitações às crianças e adolescentes, também afeta, em igual escala, os pais ou responsáveis, ocasionando sentimento de culpa, vergonha, angústia e ansiedade. Apesar de a maioria dos pais encararem de forma positiva, boa parte deles tornam-se intolerantes à enurese noturna de seus filhos. São comuns os casos de violência contra estas crianças. Esse tipo de atitude além de não ajudar acaba piorando e dificultando o tratamento dessas crianças e adolescentes e devem ser evitados a todo custo. A enurese precisa ser encarada pela família como doença. Um pediatra deve ser procurado para iniciar o tratamento e orientar a família. Esperar que um dia pare sozinho, também é errado.

Os problemas emocionais que os pacientes que fazem xixi na cama apresentam são na verdade consequência e não a causa da enurese. É comum, antes do tratamento, as crianças demonstrarem baixa auto-estima e após o tratamento, as mesmas demonstraram um nível de auto-estima compatível com o normal.

A enurese representa um pesado fardo para a criança e para a sua família, por afetar a auto-estima numa idade importante para o desenvolvimento da personalidade e também porque acarreta custos econômicos e sociais consideráveis. A criança que urina na cama acaba por não poder realizar uma série de atividades comuns e importantes na infância, como dormir na casa de amigos, excursão da escola, acampamento de férias, torneios desportivos, visita a familiares e outros. Além das crianças, os pais também sofrem por não saberem como agir diante de tal dificuldade. É importante consultar o médico, um pediatra poderá orientar adequadamente os pais para o tratamento correto e como interagir com seus filhos de maneira positiva.