Perguntar
Fechar

Estresse pós-traumático tem cura? Qual é o tratamento?

Estresse pós-traumático não tem cura. Trata-se de um transtorno psicológico crônico, mas que pode ser controlado. O tratamento é feito com psicoterapia e medicamentos psiquiátricos, sobretudo antidepressivos.

Após 3 meses de tratamento, os sintomas do transtorno de estresse pós-traumático tendem a estabilizar. Porém, a doença poderá voltar a se manifestar se houver novamente uma situação traumática ou que seja semelhante àquela já vivenciada.

Em geral, a psicoterapia, através da terapia cognitivo-comportamental, é a primeira opção de tratamento para o estresse pós-traumático. Contudo, dependendo da gravidade dos sintomas, o tratamento medicamentoso é necessário.

A escolha do tipo de medicamento depende de vários fatores, como a condição de saúde do paciente, presença de outros transtornos psiquiátricos ou doenças, efeitos colaterais da medicação, entre outros.

Os medicamentos mais usados e indicados para melhorar os sintomas do transtorno de estresse-pós traumático são os antidepressivos Fluoxetina, Sertralina, Paroxetina e a Venlafaxina.

Muitas vezes é necessário incluir mais de um tipo de medicamento no tratamento, especialmente quando não há resposta à terapia com antidepressivos. Esses medicamentos coadjuvantes também servem para tratar a insônia, os pesadelos, a ansiedade, a agitação e a agressividade.

Quadros de intensa ansiedade, agitação e agressividade precisam de tratamento imediato devido aos riscos e prejuízos que trazem à pessoa. Nesses casos, são indicados antipsicóticos em doses baixas, que também contribuem para aliviar a insônia.

Os benzodiazepínicos (ansiolíticos) não são recomendados para tratar o transtorno. Além de não terem eficácia comprovada nesse tipo de situação, podem causar ansiedade e insônia pelo efeito rebote. Quando prescritos, deve-se dar preferência aos de meia-vida longa para evitar o efeito rebote e não prolongar o uso por mais de 4 semanas.

Mesmo com a remissão completa dos sintomas, deve-se manter o tratamento do estresse pós-traumático por algum tempo. Lembrando que a manifestação dos sintomas é cíclica e pode piorar se a pessoa ficar exposta a situações que lembrem o trauma.

Não há um tempo definido de tratamento. Cabe ao médico psiquiatra e ao psicoterapeuta avaliar o caso, de maneira que os medicamentos sejam retirados gradualmente e o tratamento não seja interrompido abruptamente nem se prolongue por tempo demasiado quando o paciente já não apresenta sintomas.

Saiba mais em: O que é estresse pós-traumático e quais são os sintomas?