Perguntar
Fechar

O que causa depressão?

Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

As causas da depressão ainda não são totalmente conhecidas, mas sabe-se que o transtorno é causado pela combinação de fatores genéticos e hereditários com situações de estresse, tristeza e dificuldades. Alguns tipos de depressão são herdados, enquanto outros podem ocorrer mesmo que a pessoa não tenha história familiar da doença.

Acredita-se que alterações químicas no cérebro sejam responsáveis pela depressão. Nesse caso, a depressão seria causada pela falta de noradrenalina, serotonina e dopamina, substâncias cerebrais conhecidas como neurotransmissores e que estão relacionadas com humor, sensação de prazer e bem estar, entre outras funções. Isso pode ocorrer devido a problemas com determinados genes.

A depressão também pode ter como causa, eventos estressantes ou infelizes na vida, como a morte ou doença de alguém próximo, perder um emprego, divórcio, problemas de saúde, abuso ou rejeição na infância, solidão (comum em adultos mais velhos) e fim de um relacionamento.

Outras possíveis causas de depressão incluem:

  • Alcoolismo ou dependência de drogas;
  • Hipotireoidismo, câncer ou dor prolongada (crônica);
  • Certos tipos de medicamentos, como esteroides;
  • Dificuldades para dormir.

O que é depressão?

A depressão é um transtorno de humor, que se caracteriza por sentimento de tristeza, angústia, desinteresse, raiva ou frustração. Sentimentos que chegam a interferir na vida diária da pessoa por um longo período. A depressão também altera o funcionamento normal do corpo.

A doença pode mudar ou distorcer a forma como a pessoa se vê, a sua vida e as pessoas ao seu redor. Um indivíduo com depressão costuma ver tudo de maneira negativa, sendo difícil para ele imaginar que um problema ou situação possam ser resolvidos de maneira positiva.

Quais são os sintomas de depressão?

Os sintomas de depressão podem incluir:

  • Agitação, inquietação, angústia, irritabilidade e raiva;
  • Isolamento social;
  • Fadiga e falta de energia;
  • Sentimentos de falta de esperança, desamparo, inutilidade, culpa e auto aversão;
  • Perda de interesse ou prazer em atividades que antes a pessoa tinha interesse;
  • Mudanças repentinas no apetite, geralmente com ganho ou perda de peso;
  • Pensamentos de morte ou suicídio;
  • Dificuldade de concentração;
  • Dificuldade em adormecer ou excesso de sono;
  • Alucinações e delírios (depressão muito intensa).

A depressão em crianças e adolescentes pode ser mais difícil de reconhecer. Problemas na escola, no comportamento ou o uso de álcool ou drogas podem ser alguns sinais do transtorno.

Qual é o tratamento para depressão?

Medicamentos

O tratamento da depressão é feito com medicamentos antidepressivos, associados ou não com psicoterapia. Se a pessoa estiver com pensamentos suicidas ou extremamente deprimida e não conseguir estar funcional, o tratamento pode precisar ser realizado inicialmente em ambiente hospitalar, com internação para uma abordagem multidisciplinar mais eficaz.

Os antidepressivos são os medicamentos usados para tratar a depressão. A medicação restabelece os níveis adequados dos neurotransmissores no cérebro, ajudando a aliviar os sintomas. Em caso de delírios ou alucinações, podem ser prescritos ainda outros medicamentos.

Crianças, adolescentes e adultos jovens devem ser monitorados de perto se apresentarem comportamentos suicidas, especialmente durante os primeiros meses de uso da medicação.

Psicoterapia

A psicoterapia desempenha um papel importante no tratamento da depressão, pois ajuda a pessoa a falar sobre seus sentimentos e pensamentos e aprender a lidar com eles.

A terapia cognitivo-comportamental é uma das formas de psicoterapia mais usadas para tratar a depressão, pois ajuda a combater pensamentos negativos. A pessoa aprende como estar mais consciente dos seus sintomas e detectar os fatores que pioram a depressão, além de desenvolver habilidades para resolver problemas.

A psicoterapia também pode ajudar o indivíduo a entender os problemas que podem estar por trás de seus pensamentos e sentimentos.

Atividade física

A atividade física com profissional capacitado e praticada de maneira regular, auxilia no tratamento, devido ao aumento de neurotransmissores que trazem sensação de bem estar, como a endorfina, sendo portanto considerada uma forma indireta de terapia.

As atividades em grupo e ou associadas à música proporcionam ainda um melhor resultado.

Outros tratamentos para depressão

A eletroconvulsoterapia pode melhorar o humor em casos de depressão grave ou pensamentos suicidas que não respondem a outros tratamentos.

O médico psiquiatra é o especialista responsável pelo diagnóstico e tratamento da depressão.

Leia também: As 4 Formas para Combater a Depressão