Perguntar
Fechar

O que fazer quando não se consegue engravidar através de métodos naturais?

Considera-se infertilidade quando o casal tem relações sexuais rotineiramente, sem método contraceptivo, por um ano, sem conseguir engravidar. Nestes casos, é necessário procurar um médico ginecologista e urologista, para investigar o motivo da dificuldade para engravidar e para iniciar o tratamento.

Há diversas opções de tratamento para infertilidade. Procedimentos de baixo custo e pouco invasivos são os primeiros. Não ocorrendo a gestação, os tratamentos tornam-se progressivamente mais sofisticados, caros e invasivos.

O tratamento da infertilidade deverá sempre que possível ser dirigido à causa. Assim, as mulheres deverão realizar alguns exames laboratoriais, com dosagem de hormônios, ultrassom transvaginal, para avaliar útero e ovários e, algumas vezes, um exame para avaliar se há obstrução das trompas. O homem deverá realizar um espermograma, para avaliar a quantidade e qualidade dos espermatozoides. Na presença de alterações no espermograma, deverá investigar as causas (doenças dos testículos, alterações hormonais, varicocele, etc). Após o tratamento de alterações no aparelho reprodutivo do casal, quando encontradas, deverá ser tentada a gestação pelos métodos naturais (há algumas exceções). Quando o tratamento não tem sucesso (não resulta na gravidez), ou em casos de infertilidade sem razão aparente, o tratamento é estipulado de acordo com alguns fatores prognósticos relevantes:

  • idade da mulher: quanto mais avançada, menor a probabilidade de engravidar;
  • tipo de infertilidade: primária (o casal não tem gestações anteriores) ou secundária (casal já engravidou antes). Se for primária, a chance de engravidar é menor;
  • tempo de Infertilidade: quanto mais prolongado, menor a chance de engravidar.

Os tratamentos para infertilidade sem causa aparente preconizados são os seguintes:

  • expectante,
  • indução da ovulação (poliovulação);
  • inseminação intra-uterina (IIU);
  • indução de ovulação com inseminação intrauterina (IIU);
  • fertilização in vitro;
  • injeção intracitoplasmática de espermatozóides.

As chances de sucesso para cada método são variáveis e deverão ser discutidas com o médico especialista em fertilidade.