Perguntar
Fechar

Óleo de Coco faz bem ou faz mal? Como consumir?

Dra. Juliana Guimarães
Dra. Juliana Guimarães
Enfermeira doutorada em Saúde Pública

O óleo de coco é um extrato vegetal extraído do coco e pode ser encontrado na forma refinada ou de óleo virgem. Por ser rico em gorduras saturadas, existe uma grande polêmica em torno do uso do óleo de coco para fins nutricionais.

Alguns estudos mostram que o óleo de coco traz sim benefícios à saúde. Entretanto, fontes formadoras de protocolos em saúde (guidelines) tanto brasileiras, Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, como americanas, a exemplo da American Heart Association são contrárias ao uso de óleo de coco.

Óleo de coco

Mesmo rico em gorduras saturadas, o óleo de coco faz bem?

Alguns argumentos são utilizados para defender ou contraindicar o consumo do óleo de coco.

Os estudos que defendem o seu uso, justificam o consumo baseados no argumento de que a gordura saturada encontrada no óleo de coco é diferente da gordura saturada encontrada em outro óleos, como o óleo de canola, de girassol, entre outros. Enquanto estes últimos são ricos em gordura saturada de cadeia longa, a gordura do óleo de coco é de cadeia média, a chamada Triglicérides de Cadeia Média (TCM). Relatam estes estudos que estas gorduras de cadeia média são rapidamente metabolizadas pelo fígado e transformadas em energia, não são acumuladas no corpo em forma de gordura.

Por outro lado, as pesquisas que não recomendam a utilização indiscriminada de óleo de coco, especialmente, para fins de emagrecimento, mostram que a maior parte dos óleos de coco usados para as pesquisas contém de 13% a 14% de triglicérides de cadeia média (TCM) e 82% de cadeia insaturada, diferente do que usaram nas pesquisas, com 100% de TCM. Mostram ainda há em uma colher de sopa de óleo de coco, 11 gramas de gordura saturada. Esta quantidade representa quase o limite diário total de consumo destas gorduras.

Diante deste argumentos o melhor é buscar orientação nutricional antes de incluir o óleo de coco na sua rotina alimentar com o objetivo de usufruir de seus benefícios e afastar possíveis complicações.

Grupo contrário ao uso de Óleo de Coco

A Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia e a American Heart Association são contrárias ao uso de óleo de coco.

As duas instituições afirmam que o seu uso aumenta os riscos de doenças cardiovasculares.

Grupo a favor que defende os benefícios do Óleo de Coco

Os grupos de pesquisadores que defendem o consumo de óleo de coco já conseguem indicar benefícios. Entretanto, alguns destes benefícios foram testados somente em animais sendo sua comprovação em seres humanos ainda necessária.

1. Reforça o sistema imunológico e possui propriedades anti-inflamatórias, antibacterianas e antivirais

As capacidades anti-inflamatórias, antibacteriana, antiviral e o fortalecimento do sistema imune se dão pela presença de ácido láurico em grandes quantidades no óleo de coco. Esta característica o torna semelhante ao leite materno.

2. Promove o emagrecimento

Por ser rapidamente metabolizado no fígado e transformado em energia, o óleo de coco pode ajudar a evitar o depósito de gordura no corpo. Além disso, o ácido láurico também acelera o metabolismo. Neste processo, as células trabalham do forma mais acelerada e isto propicia um maior gasto de calorias.

Entretanto, é preciso estar atento à forma e quantidade consumida.

3. Proporciona saciedade

Os triglicerídeos de cadeia média, como é o caso das gorduras contidas no óleo de coco ativam hormônios (colecistoquinina, peptídeo YY e peptídeo inibitório intestinal) relacionados à sensação de saciedade. .

4. Tem ação antioxidante

As altas concentrações de ácido gálico e vitamina E, presentes no óleo de coco fazem com que este óleo vegetal combata os radicais livre produzidos pelo organismo prevenindo o envelhecimento precoce e doenças degenerativas, como o câncer e aterosclerose.

Óleo de Coco e Regulação do Colesterol

Ainda não há consenso científico no que diz respeito à ação do ácido láurico (presente no óleo de coco) na capacidade de regularizar os níveis de colesterol (reduz LDL e aumenta HDL) na corrente sanguínea.

A Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia indica que, sendo uma gordura saturada, o ácido láurico pode elevar os riscos de problemas cardiovasculares.

Como consumir o óleo de coco?

Você pode utilizar o óleo de coco para cozinhar os alimentos, pois ele é resistente à oxidação e por isto pode ser exposto a temperaturas mais elevadas do que, por exemplo, o azeite.

Use no preparo de:

  • Doces low carb;
  • Shakes;
  • Café;
  • Chás;
  • Legumes;
  • Carnes.

Para o uso do óleo de coco na rotina alimentar será necessário reduzir o consumo de frituras e carnes vermelhas e dar preferência a alimentos em grãos, oleaginosas e gorduras como o azeite.

O ideal é que o consumo de óleo de coco seja associado a uma alimentação saudável. São necessárias algumas adaptações alimentares para que possam ser percebidos os efeitos benéficos deste óleo vegetal.

Procure o nutricionista para orientar seu plano alimentar.