Perguntar
Fechar

Quais são os tipos sanguíneos? Qual compatibilidade sanguínea, os tipos mais raros e os mais comuns?

Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Os tipos sanguíneos são A, B, AB ou O, chamado sistema ABO. As letras representam as proteínas encontradas na parede das suas hemácias, as principais células do sangue.

Além disso, é classificado como positivo ou negativo, de acordo com o fator Rh, outra proteína que pode estar presente na hemácia. Quando for encontrada, o sangue será classificado em Rh+ (positivo), quando ausente, Rh- (negativo).

No entanto, existem diversos tipos de fator Rh, são mais de 61 famílias descritas, e um tipo em especial aonde nenhuma dessas famílias é encontrada, o fator nulo. Uma condição rara, que recebe o nome de sangue dourado.

Qual é o tipo sanguíneo mais comum?

O tipo mais comum é o O+, seguido pelo A+, na maior parte do mundo, e o menos comum é o AB-. Contudo, o tipo mais raro é o sangue dourado.

No Brasil os tipos O+ e A+ tem praticamente a mesma percentagem, sendo também os mais comuns na sua população.

O que é sangue dourado?

O sangue dourado é assim chamado devido a sua extrema raridade. Pouco mais de 40 pessoas estão cadastradas no mundo com esse tipo de sangue.

Para a doação não existe um tipo melhor, pois não oferece risco de reação transfusional, contudo, para a pessoa que o possui é mais complicado, porque só pode receber do mesmo tipo, o que não é fácil.

Em certos países, as pessoas que possuem o sangue dourado, tem estocado parte do seu sangue de tempos em tempos, a fim de se prevenir, caso precise de transfusão de maneira urgente durante a sua vida.

No Brasil, apenas duas pessoas, que são irmãs, são cadastradas com sangue dourado, e doadoras voluntárias para casos mais graves.

Tipos de sangue compatíveis

O sangue compatível é aquele que não reage contra o outro, porque não contém anticorpos contra o sangue de quem vai recebê-lo.

O mesmo tipo de sangue é sempre compatível. Nos casos de diferentes tipos, devem ser avaliados quanto ao sistema ABO e ao fator Rh, conforme descrito na tabela abaixo:

Tipo de sangue Pode doar para o(s) tipo(s): Pode receber do(s) tipos(s):
A+ A+, AB+ A+, A-, O+, O-
A- A+, A-, AB+, AB- A-, O-
B+ B+, AB+ B+, B-, O+, O-
B- B+, B-, AB+, AB- B-, O-
AB+ AB+ Recebe de todos os tipos de sangue
AB- AB+, AB- A-, B-, AB-, O-
O+ A+, B+, AB+, O+ O+, O-
O- Doa para todos os tipos de sangue O-

Compatibilidade entre casais

Quando o casal decide ter filhos, uma das avaliações realizadas nos exames e consultas de pré-natal, é o tipo sanguíneo para avaliar o risco de incompatibilidade.

O risco está no casal em que o homem tem o fator Rh+ e a mulher Rh-, porque o bebê poderá ser Rh+ e esse antígeno chegando à corrente sanguínea da mãe, pode desencadear uma reação contra ele mesmo. Uma das complicações é o aborto.

Entretanto, essa é uma questão que já não causa grandes transtornos, porque sendo observada essa possibilidade, a mãe é logo tratada com imunoglobulina, que impede o organismo de produzir as reações.

Mostrando mais uma vez, a importância e benefícios de se manter um bom acompanhamento de pré-natal.

Qual a importância de saber o seu tipo sanguíneo?

A grande importância em conhecer o seu tipo sanguíneo, é no caso de acidentes ou situações que exigem transfusão de sangue de urgência. Sempre que o sangue não é conhecido, a única possibilidade de transfusão com o tipo O-, o doador universal, que não causa reações.

No entanto, é um sangue pouco comum, difícil de encontrar ou ter estocado em bancos de sangue.

Ao contrário, quando o sangue é conhecido, podem haver outras possibilidades de transfusão compatível, recebendo esse tratamento de maneira mais rápida e segura. Em situações de emergência, o tempo é fundamental para se salvar uma vida.

Sendo assim, é sempre recomendado que saiba qual o seu tipo sanguíneo e que ande com uma identificação na carteira ou local de fácil acesso, para essas situações de urgência.

Para maiores esclarecimentos sobre tipos de sangue e compatibilidade, converse com o seu médico de família e/ou clínico geral.