Perguntar
Fechar

Alterações Hormonais

Tenho ovários policísticos vou transmitir algo ao parceiro?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Não. A presença de cistos nos ovários não apresenta nenhum risco ao parceiro da mulher, uma vez que não é uma condição infecciosa.

Cistos nos ovários é uma situação frequente na maioria das mulheres. Esses cistos surgem porque o folículo que se desenvolve dentro do ovário não cresce o suficiente para se transformar em óvulo, ser expulso do ovário e desencadear a ovulação. Dessa forma, os folículos vão se acumulando no ovário na forma de cisto.

A presença de cistos nos ovários pode ser uma condição benigna que não apresenta riscos para a mulher. Isso dependerá de como o cisto se apresenta, se há ruptura ou torção e se, em consequência disso, há algum sintoma preocupante como dores em baixo ventre, sangramento vaginal intenso, febre, etc.

Quando os ovários com policistos são associados a um conjunto de outros sinais e sintomas, a mulher pode manifestar a Síndrome dos Ovários Policísticos. 

Sendo assim, quem tem ovários policísticos não transmite nada ao parceiro.

Leia mais em:

Ovários policísticos têm cura? Qual o tratamento?

Ultrassom transvaginal mostrou cistos nos ovários é grave?

Porque quem tem mais hormônios não pode engravidar?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Até pode engravidar, porém é mais difícil e isso se deve ao fato de qualquer desordem hormonal (incluindo o excesso de hormônios masculinos) dificulta ou impede a ovulação.

Obesidade pode atrapalhar meus hormônios e ovulação?

Sim, a obesidade pode interferir na produção dos hormônios e na ovulação devido à grande quantidade de gordura nos tecidos do corpo, provocando alterações no ciclo menstrual.

Isso acontece porque os hormônios femininos são metabolizados e armazenados no tecido adiposo, ou seja, na gordura corporal.

Assim, o excesso de tecido adiposo observado na obesidade pode interferir no funcionamento da glândula hipófise localizada no cérebro, deixando o ciclo menstrual desregulado.

Se a obesidade estiver causando amenorreia (ausência de menstruação), você deve seguir um plano alimentar e um programa de exercícios físicos para ajudar a perder peso.

O mais indicado é consultar um médico ginecologista para que o seu caso seja devidamente avaliado e você receba as orientações quanto ao tratamento que deverá ser seguido.