Pergunte ao Médico
Como Funciona

Amamentando

Mulher grávida ou que está amamentando pode tomar anestesia no dentista?

Sim, mulher grávida ou que está amamentando pode tomar anestesia no dentista.

A mulher grávida ou que está amamentando pode realizar os procedimentos no dentista normalmente, mesmo que haja exigência de anestesia.

As medicações contidas na anestesia usada pelo/a dentista podem ser utilizadas tanto pela gestante quanto pela mulher em aleitamento materno.

Mesmo assim, é prudente informar essas condições ao/à profissional para que fique ciente em caso de alguma necessidade.

Peito com caroço durante a amamentação: o que pode ser?

Nódulos ou caroços na mama podem ser benignos ou malignos. Particularmente durante a amamentação, eles podem ser resultado de cistos lácteos (bolsas cheias de leite) e infecções (mastite), que são condições benignas, mas que requerem avaliação do ginecologista e tratamento em determinadas ocasiões.

Outras causas de nódulos na mama são: alterações fibrocísticas benignas, fibroadenomas, cistos e câncer de mama. Apenas após a avaliação do médico ginecologista e, se necessário, a realização de mamografia e ultrassonografia mamárias, poderá ser diagnosticada a causa do nódulo, e instituído o adequado tratamento.

Estou amamentando: posso usar água oxigenada e pó descolorante nos pelos?

Sim. Tanto a água oxigenada quanto os descolorantes são permitidos durante a amamentação.

Deve-se ter o cuidado de evitar a utilização na região do tórax, principalmente nos seios, além de lavar bem as mãos com água e sabão para evitar o contato do produto diretamente com o/a bebê.

Com esses cuidados a água oxigenada e os descolorantes podem ser utilizados sem risco tanto para a mãe quanto para o/a bebê que está amamentando.

É muito importante o acompanhamento da amamentação durante as consultas de puericultura para tirar dúvidas quanto aos produtos permitidos e proibidos, bem como acompanhar o desenvolvimento da criança.

A amamentação é fundamental para que a criança desenvolva adequadamente e deve ser exclusiva até os 6 meses de idade.

Estou amamentando, posso tomar Amoxicilina?

Pode sim. Não há contra-indicações da amoxicilina na amamentação (salvo caso de alergias ou outras situações especiais constatadas pelo pediatra).

Estou com um bebê de 5 meses, amamentação exclusiva...

Provavelmente não. Para a mulher que está amamentando o normal é não descer a menstruação, a menstruação até pode vir, mas o mais comum é ela não descer.

Posso tomar ibuprofeno durante a amamentação?

O ibuprofeno pode ser tomado durante a amamentação.

A Academia Americana de Pediatria classifica o ibuprofeno como de baixo risco para a amamentação.

O ibuprofeno passa da mãe para o bebê pelo leite materno apenas em pequena quantidade. Estudos não identificaram potenciais riscos para o bebê. Por isso, o ibuprofeno pode ser usado durante a amamentação.

Sempre deve ter precaução com relação a dosagem e o tempo de uso da medicação.

Tome medicação apenas receitada pelo/a médico/a e na dosagem indicada.

Posso tomar óleo de cártamo amamentado?

Não. É um produto extraído de uma planta e não há estudos que dão segurança para seu uso durante a gravidez ou amamentação, portanto deve ser evitado, não sabemos os possíveis efeitos colaterais.

Fluoxetina pode ser usada durante a amamentação?

Sim. A fluoxetina pode ser tomada durante a amamentação.

A fluoxetina é um antidepressivo bastante seguro para ser usado pelas mulheres que amamentam.

A mulher que toma antidepressivos precisa ser fortemente estimulada a amamentar, pois geralmente apresentam chance maior de abandonar a amamentação. A amamentação deve ser exclusiva nos 6 primeiros meses de vida.

Por isso, o apoio familiar e o incentivo da equipe médica são fundamentais.

Quem esta amamentando pode tomar paracetamol?

Sim. O paracetamol é uma medicação compatível com o aleitamento materno.

A mulher que está amamentando pode tomar paracetamol quando for necessário sem interromper a amamentação.

O paracetamol é uma medicação de combate à dor e à febre. Ele é contraindicado para pessoas com lesões no fígado.

É importante usar medicações apenas com receita médica para evitar reações não desejadas.

O leite materno é de extrema importância para o desenvolvimento e crescimento da criança, além de ser um potente protetor contra infecções inoportunas. Os benefícios do aleitamento materno são de curto e longo prazo para a criança, mãe e família.

Frequente as consultas de rotina da puericultura e procure tirar suas dúvidas com o/a profissional de saúde.

Posso tomar Perlutan amamentando?

Não, o Perlutan é contraindicado nos primeiros 6 meses após o parto para mulheres que estão amamentando, pois o uso de contraceptivos combinados injetáveis pode reduzir a quantidade e a qualidade do leite materno, prejudicando assim a saúde do bebê.

Os métodos anticoncepcionais hormonais permitidos nos primeiros 6 meses depois do parto e durante a amamentação devem conter apenas progesterona, pois aqueles que são combinados com estradiol (estrogênio) inibem a lactação.

Uma vez que o Perlutan contém estrogênio na sua formulação, ele pode interferir na lactação e por isso não pode ser usado durante a amamentação.

O Perlutan também é contraindicado nas primeiras 6 semanas após o parto, mesmo para mulheres que não estejam amamentando, pois a coagulação sanguínea ainda não está normalizada nesse período.

Outros métodos anticoncepcionais devem ser usados pelas mulheres que estão amamentando. Para saber o melhor método, consulte o/a seu/sua médico/a ginecologista, clínico/a geral ou médico/a de família.

Faz mal tomar Cimelide se estiver amamentando?

Tomar Cimelide durante o período da amamentação pode fazer mal ao bebê.

O Cimelide (nimesulida) é um anti-inflamatório que pode passar através do leite durante amamentação e causar problemas à saúde do bebê. Só deverá ser usado se for prescrito e orientado pelo médico.

Deve-se consultar o obstetra ou o pediatra sempre que for necessário utilizar medicamentos durante o período de amamentação

Estou amamentando posso tomar anticoncepcional?

Pode tomar os anticoncepcionais especiais para amamentação que podem ser prescritos pelo seu ginecologista. Não fazem mal ao bebê e não diminui o leite.