Perguntar
Fechar

Ansiedade

Deixei de fumar e agora meus intestinos não funcionam...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Primeiro deve realmente parar de fumar e segundo deve procurar ajuda ou de um médico para te receitar medicamentos ou um psicólogo para fazer psicoterapia e tentar "organizar" essas suas ansiedades. dieta rica em fibras e exercícios físicos regulares vão fazer seu intestino funcionar bem depois que resolver o restante.

Zyprexa é um anti-psicótico mais eficaz que Risperidona?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Em primeiro lugar precisa seguir a risca a orientação da sua médica, caso contrário não faz sentido consultar com ela, se tem vontade de mudar a medicação precisa conversar com ela e somente mudar com a aprovação da sua médica. Em se tratando de doenças tão complexas e de avaliação subjetivas como a sua doença é difícil dizer se um remédio é melhor ou pior que o outro,tudo depende da sua adaptação ao medicamento e também do efeito que ele te sobre você.

Eu sou muito estressada como controlar meu estresse?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Existem muitas formas de controle do estresse: remédios, psicoterapia, auto-controle, mudança de vida (afastamento de fatores estressantes e aproximação a fatores que te trazem calma, harmonia e tranquilidade, ou seja desestressantes)...

Sinto muitas coisas e não sei qual é a causa!
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Não posso dar diagnósticos pela internet, porém acredito que com os seus sintomas e nada encontrado no exame (afastadas todas as doenças físicas) pode ser algo emocional, fale com seu médico sobre seus problemas emocionais atuais e antigos e procure ajuda nesse sentido.

Meus sintomas parecem genéricos, qual médico procurar?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Procure um clínico geral ou um psiquiatra. Deve sempre relatar todos os seus sintomas, todos são importantes; a recomendação do psiquiatra pode assustar um pouco, porém essa é minha opinião. Pode começar com um clínico geral e a partir de então seu médico pode orientá-la qual o melhor caminho a seguir.

O meu cunhado teve, vamos dizer, um surto...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Sim. Mas precisam procurar um psiquiatra, ir ao pronto socorro não adianta muito, ele somente vai ser medicado para aquele momento e nada mais.

Toda vez que minha mãe se alimenta ela passa mal...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

O fato de "inchar o músculo" estar associado com a mastigação deve significar que é uma questão de posicionamento dos dentes e mandíbula, nesse caso o ideal seria procurar um dentista e não um médico, todos os outros sintomas que você descreveu devem estar relacionados com problemas emocionais.

Como saber se estou sendo medicado sem autorização?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Converse com sua família, uma conversa franca e verdadeira. Caso isto realmente esteja acontecendo, reveja suas atitudes e sua real situação. Vá procurar ajuda você mesmo, não deixe que os outros façam o que você deveria estar fazendo. Respondendo sua pergunta: exames de sangue podem detectara maioria dos remédios usados em casos de Depressão e Ansiedade

Valeriana serve para tratar ansiedade?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Sim, a valeriana é uma planta com propriedades calmante e sedativa, sendo indicada para casos leves de ansiedade, estresse, irritabilidade, agitação nervosa e insônia. A Valeriana officinalis, nome científico da planta, possui em sua composição diversas substâncias que atuam juntas para produzir todos esses efeitos, com benefícios comprovados na melhora da qualidade do sono e bem estar.

A Valeriana officinalis pode ser consumida sob a forma de extrato, cápsulas ou chá. O seu principal efeito é diminuir o tempo de indução do sono, ou seja, a pessoa adormece mais rápido. Trata-se de um “sonífero” natural. Por isso, a planta serve para auxiliar o tratamento de insônia associada à ansiedade leve.

Para usufruir dos benefícios sedativos e melhorar a qualidade do sono, recomenda-se tomar o extrato, a cápsula ou o chá da planta 30 minutos a 2 horas antes de se deitar.

A valeriana também tem ação antiespasmódica, significa que a planta previne e alivia os espasmos musculares de músculos lisos presentes em órgãos como intestino, estômago, útero e bexiga, sendo também indicada para alívio de cólicas. E ainda, é muito utilizada na substituição de ansiolíticos alopáticos, como os benzodiazepínicos (diazepam e lorazepam), por não causar dependência química.

Como a valeriana funciona?

As propriedades medicinais da valeriana vêm da ação conjunta de 3 princípios ativos que atuam no funcionamento das células cerebrais:

  • Valepotriatos: estabilizam as respostas emocionais e induzem à sedação;
  • Sesquiterpenos: aumentam os níveis de GABA, um neurotransmissor que desacelera a atividade cerebral;
  • Lignanas: têm ação sedativa.

Os mecanismos de ação da valeriana, responsáveis pela sua propriedade sedativa, não estão totalmente esclarecidos. Contudo, acredita-se que a sua capacidade de induzir o sono esteja relacionada com o aumento da produção ou com a diminuição da degradação do neurotransmissor GABA.

O GABA é uma substância que atua na modulação da transmissão dos sinais entre as células nervosas. Trata-se de um inibidor do sistema nervoso central, ou seja, diminui a atividade cerebral, causando sonolência e relaxamento.

Quais os efeitos colaterais da valeriana?

Desde que usada nas doses indicadas, a valeriana não produz efeitos colaterais. Porém, em excesso, pode causar cansaço, diminuição dos batimentos cardíacos (bradicardia), arritmia, prisão de ventre, sonolência, cólicas abdominais, tontura, tremores e dilatação das pupilas. Porém, esses efeitos colaterais desaparecem em até 24 horas depois de suspender o seu uso.

O uso de Valeriana officinalis por tempo prolongado pode causar dor de cabeça, cansaço, insônia, dilatação das pupilas e distúrbios cardíacos.

Deve-se ter cuidado quando optar por suspender a valeriana após uso de altas doses e por períodos prolongadas, devido ao risco de síndrome de abstinência.

Quando utilizada junto a outros medicamentos sedativos ou tranquilizantes, a valeriana pode potencializar o efeito dos mesmos. Da mesma forma, o álcool aumenta o efeito sedativo da valeriana. Por essa razão, não se deve misturar bebidas alcoólicas com Valeriana officinalis.

Mulheres grávidas ou que estão amamentando só devem utilizar valeriana com orientação médica.

Como tomar valeriana?

As doses de Valeriana officinalis variam conforme a forma de consumo da planta, os efeitos pretendidos e a sensibilidade de cada pessoa. Em geral, recomenda-se tomar valeriana da seguinte forma:

  • Chá: 1,5 g de valeriana para cada 150 ml de água - tomar até 3 xícaras por dia;
  • Extrato líquido: 30 a 50 gotas, uma a três vezes ao dia;
  • Extrato seco (cápsulas): 100 mg a 400 mg ao dia.

No caso do chá, recomenda-se esmagar a planta e utilizar água fria, deixando depois em repouso durante várias horas (todo o dia ou toda a noite) antes de beber.

Para maiores informações sobre as indicações da valeriana, consulte um médico clínico geral, médico de família ou homeopata.

Depressão e ansiedade: quais os sintomas e as diferenças entre elas?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

A depressão e a ansiedade são transtornos mentais que muitas vezes surgem juntos, mas que apresentam diferenças marcantes, com características diferentes entre eles, embora alguns sintomas possam surgir tanto na ansiedade como na depressão.

O que é depressão?

A depressão é um distúrbio de humor que caracteriza-se por sentimentos de tristeza, perda, raiva ou frustração, que interferem na vida diária da pessoa. A duração dos sintomas pode ser de algumas semanas, meses ou anos.

O que é ansiedade?

A ansiedade é um distúrbio mental que deixa a pessoa excessivamente preocupada e apreensiva com muitas coisas. A preocupação e a tensão nesses casos é desproporcional à situação em si e a pessoa sente muita dificuldade em controlar a ansiedade. Para ser considerada uma doença, os sintomas da ansiedade devem durar por mais de 6 meses.

Qual a diferença entre ansiedade e depressão?

A melhor forma de identificar as diferenças entre ansiedade e depressão é analisar os sintomas de cada um dos transtornos.

Quais são os sintomas de depressão?

Os sintomas de depressão incluem:

  • Humor irritável ou deprimido;
  • Dificuldade para adormecer ou excesso de sono;
  • Grandes mudanças no apetite, geralmente com ganho ou perda de peso;
  • Cansaço e falta de energia;
  • Sentimentos de inutilidade, auto-aversão e culpa;
  • Dificuldade de concentração;
  • Movimentos mais lentos que o normal;
  • Inatividade e desinteresse por atividades habituais;
  • Sentimentos de desesperança e abandono;
  • Pensamentos repetitivos de morte ou suicídio;
  • Perda de interesse em atividades que antes despertavam prazer e satisfação.

No caso das crianças, os sintomas podem ser diferentes dos adultos. Nesses casos, deve-se observar sobretudo as mudanças no desempenho escolar, no sono e no comportamento.

Quais são os sintomas de ansiedade?

O principal sintoma do transtorno de ansiedade é a presença constante de preocupação ou apreensão por pelo menos 6 meses, mesmo quando não há uma causa aparente ou ela é pouco relevante. As preocupações parecem flutuar de um problema para outro, podendo incluir problemas que envolvem família, relacionamentos interpessoais, trabalho, dinheiro e saúde.

Outros sintomas do transtorno de ansiedade incluem:

  • Dificuldade de concentração;
  • Fadiga;
  • Irritabilidade;
  • Dificuldade para adormecer e permanecer dormindo ou ter um sono pouco tranquilo e reparador;
  • Inquietação ao acordar.

A ansiedade também pode causar sintomas físicos, como tensão muscular, problemas estomacais, transpiração e falta de ar.

Quais as causas de depressão e ansiedade?

A depressão é causada por uma combinação de fatores psíquicos, sociais e biológicos. Pode ser desencadeada por situações adversas e estressantes no decorrer da vida como desemprego, luto, trauma psicológico.

Outros fatores como alcoolismo, dependência de drogas e isolamento social também podem contribuir para o aparecimento de um quadro de pressivo. Também há uma associação familiar seja por causas genéticas ou sociais, por exemplo, filhos de pais que apresentam depressão tem maior risco de também desenvolverem o transtorno.

As causas do transtorno de ansiedade também se relacionam a fatores biológicos, psicológicos e relacionados a eventos ou experiências de vida. É possível que os distúrbios ansiosos tenham influência genética, no entanto, eventos traumáticos, estresse crônico e outras circunstâncias relacionados a história pessoal também contribuem para o aparecimento dos transtornos ansiosos.

Qual é o tratamento para depressão e ansiedade?

O tratamento da ansiedade e da depressão é feito com psicoterapia e medicamentos antidepressivos, estabilizadores de humor, ansiolíticos e sedativos.

A psicoterapia desempenha um papel muito importante no tratamento desses transtornos, pois ajuda a pessoa a identificar as causas da ansiedade ou depressão e entender a relação entre seus pensamentos, comportamentos e sintomas.

O médico psiquiatra é o especialista responsável pelo diagnóstico e tratamento da ansiedade e da depressão.

Terapia floral (florais de Bach): Para que serve? É bom para ansiedade e estresse?
Dra. Juliana Guimarães
Dra. Juliana Guimarães
Enfermeira doutorada em Saúde Pública

Os florais de Bach são essências florais extraídas de flores silvestres, especialmente selecionadas. Considerado um aliado no tratamento de transtornos de ansiedade e estresse.

Florais de Bach Indicações dos Florais de Bach

A terapia com Florais de Bach é composta por 38 essências e mais um floral emergencial, Rescue remedy, que é constituído por uma combinação de cinco destas essências e serve para situações de emergência pontuais. Cada uma dessas essências atua em estados emocionais e mentais específicos.

As essências florais foram agrupadas de acordo com o estado mental de cada indivíduo e divididas em sete emoções básicas, cada uma com a sua complexidade.

Para os que sentem medo
  • Aspen: Para medos e apreensões indefinidos e desconhecidos.
  • Cherry Plum: Indicada para o medo de perder o controle.
  • Mimulus: Para medos definidos e conhecidos.
  • Red Chestnut: Para os medos de que algo de ruim possa acontecer às pessoas queridas.
  • Rock rose: Para situações de terror e pânico.
Para os que sofrem de indecisão
  • Cerato: Para a falta de confiança em si para tomar as próprias decisões.
  • Gentian: Para os que desanimam facilmente diante do menor entrave ou dificuldade.
  • Gorse: Para situações de desesperança, quando se perde a fé de que algo possa ser feito a seu favor.
  • Hornbeam: Para os que sentem que não tem força suficiente, física ou mental, para cumprir suas obrigações.
  • Scleranthus: Para os que são incapazes de decidir entre duas coisas, inclinando-se ora em direção de uma, ora a outra.
  • Wild Oat: Para os indecisos em relação a que ocupação desejam se entregar.
Para a falta de interesse pelas circunstâncias atuais
  • Chestnut Bud: Para a dificuldade em aprender com a vida, seja por falta de interesse, indiferença, etc.
  • Clematis: Para os que vivem em devaneios ou mais no futuro do que no presente.
  • Honeysuckle: Para os que vivem mais no passado do que no presente.
  • Mustard: Para os que sentem tristeza, desalento sem razão aparente e que aparecem de repente.
  • Olive: Para os que sentem esgotamento físico ou mental.
  • White Chestnut: Para os que não conseguem evitar pensamentos repetitivos e recorrentes.
  • Wild Rose: Para a apatia e resignação, para os que se renderam à vida.
Para a solidão
  • Heather: Para os que não suportam a solidão e buscam constantemente companhia.
  • Impatiens: Para os que têm o ritmo rápido e dificuldade em aceitar o ritmo alheio, preferindo trabalhar sozinhos.
  • Water Violet: Para os que na saúde e na doença acreditam estar só.

Para os que são susceptíveis a influências e ideias alheias
  • Agrimony: Para os que não gostam de discussões a ponto de renunciarem a muitas coisas.
  • Centaury: Para os que se mostram excessivamente ansiosos por servir aos outros.
  • Holly: Para os que sentem às vezes suspeita, vingança, ódio.
  • Walnut: Para as pessoas que se veem tentados a se afastar de suas próprias ideias devido às opiniões alheias.
Para o abatimento ou desespero
  • Crabapple: Para os que se encontram ansiosos por se livrarem de algo que lhes parece maior do que é.
  • Elm: Para os que sentem que a tarefa que empreenderam é demasiado difícil e ultrapassa as suas forças.
  • Larch: Para os que não se consideram tão capacitados quanto os que o rodeiam.
  • Oak: Para os que se sentem vencidos e exaustos, mas continuam corajosamente e não desistem.
  • Pine: Para os que se culpam, inclusive quando a erro é de outro.
  • Star of Bethlehem: Para os que estão muito angustiados, por situações de trauma ou choque.
  • Sweet Chestnut: Para os que sentem angústia muito grande e que parece insuportável.
  • Willow: Para os que sofreram uma adversidade e acham difícil aceitá-la sem ressentimentos.
Para aqueles que se preocupam excessivamente com o bem-estar dos outros
  • Beech: Para os que precisam ser mais tolerantes com os outros.
  • Chicory: Para os que pensam muito nas necessidades dos outros.
  • Rock Water: Para os que são austeros consigo e desejam servir de exemplo.
  • Vervain: Para as pessoas que desejam converter os outros para o seu modo de ver.
  • Vine: Para as pessoas que querem impor sua vontade aos outros.
Os florais de Bach podem ajudar a quem sofre de ansiedade e estresse?

Alguns estudos já mostram que a terapia Floral pode sim auxiliar no tratamento de transtornos de ansiedade e estresse, reduzindo de maneira consistente os sintomas. As essências mais utilizadas para o controle e redução do estresse e ansiedade são:

  • Rescue
  • Impatiens
  • Cherry Plum
  • White Chesnust
  • Beech

Embora sejam benéficas no tratamento de transtornos de ansiedade e estresse, os florais de Bach não devem substituir os medicamentos prescritos pelo/a médico/a. Como terapia complementar, a terapia Floral potencializa o tratamento tradicional com medicamentos e psicoterapia.

Os florais de Bach foram reconhecidos em 1993 pela Organização Mundial de Saúde como terapia complementar. Porém vem sempre sofrendo questionamentos e modificações de regulamentação.

Desde 2015 foram abertos pedidos e questionamentos à ANVISA, que decidiu por criar um grupo técnico para a elaboração de um modelo regulatório, onde haverá a identificação e mapeamento das necessidades da terapia, com objetivo de um controle mais seguro para os usuários. Um dos questionamentos frequente, é em relação a quantidade de álcool utilizado em algumas formulações indicadas para crianças. Essa regulamentação ainda está em discussão.

Os florais de Bach foram desenvolvidos pelo médico inglês Edward Bach que mostrou que a saúde e a enfermidade estão intimamente relacionadas com o estilo de vida de cada pessoa.

Tudo começou há 1 semana atrás, quando eu fui...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Seus sintomas são compatíveis com ansiedade ou síndrome de pânico, precisa procurar um médico psiquiatra para fazer avaliação e tratamento.