Perguntar
Fechar

Anticoncepcional Injetável

Posso mudar de anticoncepcional antes de terminar a cartela?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Sim. Você pode mudar de anticoncepcional antes de terminar a cartela

Quando a mudança ocorre de pílula para outra pílula, recomenda-se iniciar a nova medicação no dia seguinte ao último comprimido da cartela antiga. Dessa forma, você emenda as duas cartelas e não realiza intervalo entre elas.

Se a mulher está tomando a pílula e vai trocar para outro método como adesivo, implante, anticoncepcional injetável ou DIU, ela deve iniciar esse novo método antes de acabar a cartela. Esse tempo é variável de acordo com o método a se iniciar. Por isso, na transição de um método contraceptivo para outro, é importante uma consulta prévia com o/a médico/a para evitar possíveis falhas.

Se você já usa uma pílula anticoncepcional e irá mudar de medicação, pode tomar 1 comprimido por dia até o fim da cartela e iniciar a nova cartela da nova pílula no dia seguinte ao término da cartela antiga. Continue tomando 1 comprimido por dia da nova medicação normalmente sempre no mesmo horário. 

Leia também: 

Posso mudar a hora de tomar meu anticoncepcional?

Antibióticos cortam o efeito do anticoncepcional?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

O único antibiótico que de fato corta o efeito do anticoncepcional é a rifampicina utilizada no tratamento da tuberculose, hanseníase e meningite, seja o anticoncepcional injetável, em pílula ou adesivo.

Outros tipos de antibióticos, não demonstraram comprovação científica em limitar a eficácia do anticoncepcional.

Se a mulher precisar tomar qualquer tipo de antibiótico, ela deve informar ao/a médico/a de que usa anticoncepcional, para que o médico possa avaliar a associação de algum método de barreira com o anticoncepcional que ela já está tomando.​

Injeção anticoncepcional interrompe a gravidez?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Injeção anticoncepcional não é abortiva (até porque se fosse não seria vendida no Brasil, já que o aborto é proibido em nosso país).

O que fazer para aumentar ou diminuir o fluxo menstrual?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

O tratamento para aumentar ou diminuir o fluxo menstrual vai depender de cada caso.

É possível aumentar o fluxo menstrual através do uso do DIU (dispositivo intrauterino), por exemplo. Já para diminuir o fluxo menstrual intenso existem diversos tratamentos, que incluem desde o uso de medicamentos hormonais à histerectomia (remoção cirúrgica do útero).

Dentre os medicamentos usados para reduzir o fluxo menstrual estão:

- Injeção anticoncepcional progesterona, ou progesterona combinado a estrogênio

- Estrogênio oral

- Anticoncepcionais orais

- Medicamentos antifibrinolíticos

Os tratamentos não-medicamentosos para diminuir o fluxo menstrual incluem:

- Curetagem uterina: Através de uma raspagem ou sucção do útero, a curetagem acaba com sangramentos intensos sem prejudicar a fertilidade da mulher. No entanto, esse método cirúrgico não trata a causa da menstruação abundante e os fluxos vão continuar a ser intensos se outro tratamento, definitivo, não for iniciado.

- Tamponamento: Trata-se da introdução de um balão com líquido na cavidade uterina. Após 3 horas, cerca de metade desse líquido é retirado e, se não houver mais sangramento, o balão é retirado. Se o sangramento persistir ou for muito intenso, o balão pode ser mantido no útero por 12 horas.

- Histerectomia: A retirada do útero é a última opção de tratamento para fluxos menstruais abundantes, sendo indicada quando todos os outros métodos falham, e a mulher já possui idade mais avançada, família constituída e não desejar mais engravidar.

- Ablação endometrial: Acaba de vez com o fluxo menstrual intenso, pois destrói definitivamente o endométrio. Porém, não é recomendado para mulheres que ainda desejam engravidar.

É importante lembrar que antes de tentar aumentar ou reduzir o fluxo menstrual, é preciso saber o que está por trás da menstruação escassa ou abundante. Consulte um médico ginecologista para receber um diagnóstico adequado e o tratamento mais indicado de acordo com o caso.

Saiba mais em:

Dúvidas sobre menstruação, sangramentos, escapes

Como reduzir o fluxo menstrual?

Bebida Alcoólica corta o efeito da injeção anticoncepcional?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Não. O uso eventual de álcool não interfere no efeito do anticoncepcional seja ele em forma de comprimido ou injeção. Portanto, a proteção contra a gravidez permanece a mesma.

Apenas em casos de uso abusivo de álcool é que pode haver alguma interação, levando a uma maior demora na metabolização do álcool, o que pode fazer com que a mulher sinta-se embriagada mais rapidamente. Pode assim ocasionar um quadro de mal-estar e vômitos, típicos da intoxicação por álcool.

Em relação aos injetáveis não há tanto problema no que se refere aos vômitos, contudo, para as mulheres que fazem uso de anticoncepcionais orais, vomitar até 4 horas após a ingestão do comprimido pode fazer a pílula perder o efeito, se isto acontecer é importante tomar novamente o comprimido daquele dia. 

Leia também: Bebida alcoólica corta o efeito do anticoncepcional?

Os efeitos do álcool também podem levar ao esquecimento de tomar o anticoncepcional no horário certo se ele for em comprimido, com os anticoncepcionais injetáveis isso já não acontece.

Vale ainda lembrar que o uso de preservativo mesmo por mulheres que fazem uso de anticoncepcional é importante para evitar doenças sexualmente transmissíveis. Existe uma associação entre uso de álcool e maior frequência de relações sexuais desprotegidas, por isso, é importante atentar-se a isso.

Para saber quais outras substâncias interferem no anticoncepcional, veja:

5 Coisas que interferem no efeito do anticoncepcional

Anticoncepcional injetável pode ser aplicado no braço?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

O anticoncepcional injetável pode ser aplicado no braço.

O anticoncepcional injetável deve ser aplicado em região intramuscular profunda, ou seja, pode ser aplicado na nádega (músculo glúteo) ou no braço (músculo deltoide). Em algumas mulheres, o deltoide pode não ser muito musculoso, por isso deve dar preferência à região da nádega.

O local mais indicado para aplicar o anticoncepcional injetável é a parte superior externa da região glútea (nádega). O glúteo é mais volumoso, permite uma aplicação profunda mais segura e facilita a absorção do medicamento.

A técnica em Z é o método de aplicação mais usado para os anticoncepcionais injetáveis, pois evita o refluxo do medicamento, a formação de nódulos e o escurecimento da pele. Vale lembrar que o local de aplicação do anticoncepcional não deve ser massageado após a injeção.

Tomar injeção de Mesigyna® pode diminuir vontade de ter relações sexuais e causar dor nas pernas?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Tomar injeção de Mesigyna® ​pode diminuir a vontade de ter relações sexuais (libido), embora esse efeito secundário seja incomum, ou seja, atinge entre 1 e 10 em cada 1.000 usuárias do anticoncepcional.

É importante lembrar que existem muitos fatores que interferem no desejo sexual feminino. Deve-se levar em consideração fatores psicológicos, como estresse, problemas que estão interferindo no momento da relação afetiva, fatores físicos, como inflamações, infecções ou outras doenças, além do uso de medicamentos.

Há poucas evidências científicas de que o uso de anticoncepcionais hormonais interfere no desejo sexual das mulheres.

Assim, o fator hormonal deve ser considerado em último caso, depois de esgotados todos os outros possíveis fatores que possam estar interferindo na libido.

Já a dor nas pernas não é um efeito secundário que se possa esperar, embora não seja impossível de ocorrer.

No entanto, é preciso estar atenta aos seguintes sintomas:

  • Inchaço de apenas uma perna;
  • Dor ou sensibilidade na perna sentida apenas quando se está em pé ou andando;
  • Sensação de calor, vermelhidão ou mudança na coloração da pele da perna.

Esses sintomas podem ser sinal de uma trombose venosa profunda e sabe-se que existe uma correlação entre o uso de contraceptivo hormonal combinado e o risco aumentado de coágulos principalmente no primeiro ano de uso.

A Mesigyna® é um anticoncepcional injetável que deve ser utilizado todo mês. Os efeitos colaterais geralmente são presentes nos primeiros meses de administração, porém depois desse período de adaptação ela é bem aceitável pelas mulheres. Os efeitos colaterais mais relatados pelas mulheres são alterações no ciclo menstrual, dor e sensibilidade nas mamas, instabilidade no humor, dores de cabeça e aumento do peso.

Se você está usando a injeção de Mesigyna® e apresenta algum desses ou outros sintomas procure o/a médico/a ginecologista, médico/a de família ou clínico/a geral para uma avaliação.

Tomei injeção anticoncepcional, tive relação no outro dia...
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Sim, o risco de engravidar é pequeno, mas existe. Há um pouco de controvérsia sobre quando o anticoncepcional injetável começa a fazer efeito, alguns médicos referem que logo após a aplicação já existe proteção contra a gravidez, outros consideram que a proteção definitiva ocorre após 1 semana do começo do uso do anticoncepcional, semelhantemente ao que ocorre com a pílula em comprimido.

De maneira geral, existe a recomendação de usar um outro método de barreira, como a camisinha, pelo menos durante a primeira semana após a aplicação da injeção.

Leita também: Quantos dias depois de tomar o anticoncepcional injetável posso ter relação?

Caso tenha dúvida sobre gravidez é possível realizar um teste de gravidez ao se confirmar o atraso menstrual. Ao contrário do que comumente se pensa os anticoncepcionais não alteram o resultado. 

Consulte o seu médico ginecologista ou médico de família caso apresente mais dúvidas.

Pode também interessar:

Vantagens e desvantagens do anticoncepcional injetável

Dúvidas sobre anticoncepcional injetável

Vantagens e desvantagens do anticoncepcional injetável
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Anticoncepcional injetável é uma ótima opção contraceptiva de longa duração e altamente efetivo.

Vantagens:

  • Método reversível: a fertilidade da mulher volta ao parar o uso da medicação;
  • Diminuição nas falhas: a frequência mensal ou trimestral evita esquecimentos constantes como evidenciado no uso das pílulas o que, por consequência, diminui as possíveis falhas;
  • Redução do fluxo menstrual: pode ser benéfico para as mulheres que apresentam um intenso fluxo menstrual;
  • Redução do risco de câncer do endométrio;
  • Diminuição do risco de doença inflamatória pélvica.

Desvantagens:

  • Alterações menstruais: principalmente no início, a mulher pode apresentar sangramentos não programados e escapes ao longo do ciclo menstrual;
  • Amenorreia: o fato de não haver sangramento menstrual uma vez por mês pode gerar preocupações em algumas mulheres que identificam a menstruação como um sinal de segurança do método anticoncepcional;
  • Não prevenção de doenças sexualmente transmissíveis;
  • Dor de cabeça;
  • Alterações no humor;
  • Redução da densidade óssea (efeito reversível ao parar o uso);
  • Outras desvantagens menos frequentes: tontura, inchaço e redução da libido.

A decisão de iniciar o uso do anticoncepcional injetável deve ser feita pela mulher considerando seu histórico pessoal e familiar, bem como alguns hábitos de vida como o tabagismo. Uma consulta com o/a ginecologista, médico/a de família ou clínico/a geral pode sanar dúvidas, ponderar as vantagens e desvantagens e avaliar o método anticoncepcional mais indicado no seu caso.

É possível engravidar tendo implante contraceptivo?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

É muito difícil engravidar tendo implante contraceptivo, uma vez que a eficácia desse método anticoncepcional é de 99,95%. Em cada 10.000 mulheres que usam o implante contraceptivo, apenas 5 terão alguma falha, o que faz dele um dos métodos anticoncepcionais mais seguros.

A eficácia do implante contraceptivo é superior a de todos os outros contraceptivos hormonais, como pílulas, sistema intrauterino, adesivo, injeções e anel vaginal.

Durante 3 anos, o implante contraceptivo libera diariamente na corrente sanguínea as doses de hormônio necessárias para inibir a ovulação, evitando assim a gravidez. Portanto, durante esse período, a mulher estará muito bem protegida contra uma gravidez indesejada. 

Os implantes contraceptivos são uma boa opção para mulheres que possuem contraindicações para usar métodos anticoncepcionais hormonais combinados.

Além disso, por não ser de utilização diária, ter grande eficácia e apresentar índices elevados de satisfação e continuidade de uso, o implante pode ser recomendado como a primeira opção de contraceptivo para mulheres em idade reprodutiva, sobretudo adolescentes.

De acordo com os estudos, os implantes contraceptivos estão entre os melhores métodos reversíveis para prevenir a gravidez, juntamente com o DIU.

Para maiores esclarecimentos sobre o implante contraceptivo, fale com o/a seu/sua médico/a ginecologista, clínico/a geral ou médico/a de família.

Depo-provera é o mesmo que Contracep?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Sim. Depo-provera e Contracep são nomes comerciais da mesma injeção anticoncepcional, formulada com acetato de medroxiprogesterona. Ambos são contraceptivos injetáveis de longa duração, ou seja, fornecem proteção eficaz contra a gravidez durante 3 meses. 

São contraceptivos que não contém estrógeno, por isso, muitas vezes são indicados para mulheres que não podem usar estrogênios e durante a amamentação. 

A medroxiprogesterona, que é o constituinte básico dessas duas injeções é uma progestina sintética, semelhante ao hormônio feminino progesterona. Atua na inibição da ovulação, levando ao efeito contraceptivo esperado.

Leia também: Vantagens e desvantagens do anticoncepcional injetável

Em algumas situações a medroxiprogesterona pode ser usada como tratamento de algumas doenças, como da endometriose.

Pode ainda apresentar alguns efeitos colaterais como irregularidade menstrual, ganho de peso, tontura, alterações no humor e na libido, entre outros.

Leia mais sobre os efeitos adversos em: Anticoncepcional injetável tem efeitos colaterais?

Muitas mulheres optam pelo uso dos anticoncepcionais injetáveis por conta da praticidade, já que não requer ter que lembrar diariamente de tomar o comprimido, basta aplicar a injeção trimestralmente. Além disso, algumas mulheres gostam do efeito de redução do sangramento menstrual proporcionado em alguns casos pela medroxiprogesterona.

Caso tenha mais dúvidas sobre o uso de anticoncepcionais injetáveis consulte o seu médico ginecologista ou médico de família.

Pode também interessar:

Dúvidas sobre anticoncepcional injetável

Tomo a injeção Mesigyna há quatro anos e nunca menstruei?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

A Mesigyna® pode causar redução do sangramento menstrual, inclusive a supressão da menstruação.

Porém, com o uso contínuo da medicação, sempre é válida uma reavaliação com o/a ginecologista, médico/a de família ou clínico/a geral para identificar se há outras causas para a ausência da menstruação.

A Mesigyna®  é um anticoncepcional injetável que deve ser utilizado todo mês. Os efeitos colaterais geralmente são presentes nos primeiros meses de administração, porém depois desse período de adaptação ela é bem aceitável pelas mulheres. Os efeitos colaterais mais relatados pelas mulheres são alterações no ciclo menstrual, dor e sensibilidade nas mamas, instabilidade no humor, dores de cabeça e aumento do peso.

Apesar da ausência da menstruação ser um dos efeitos provocados pela Mesigyna®, você pode consultar um/a desses/dessas profissionais citados para uma avaliação detalhada.