Perguntar
Fechar

Anticoncepcional

Estou usando sibutramina e anticoncepcional...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Sibutramina não corta o efeito do anticoncepcional.

Tomei anticoncepcional injetável e a menstruação veio pouco?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Sim, é normal. Geralmente a menstruação costuma vir menos quando está em uso de anticoncepcional.

O anticoncepcional injetável apresenta como principal efeito colateral as irregularidades menstruais, sendo elas: ausência de menstruação, redução do fluxo menstrual ou sangramentos no meio dos ciclos. Principalmente nos primeiros meses de uso essas alterações costumam acontecer, entretanto não são indicativos de qualquer problema, são sintomas esperados.

Independente dos sinais e sintomas que apareçam, a eficácia da medicação é mantida, os efeitos colaterais acontecem devido a uma adaptação do organismo ao estímulo hormonal constante.

Estima-se que 25% das mulheres que fazem uso de anticoncepcional injetável apresentem essas alterações. Porém após o primeiro ano de uso, quando o organismo já está adaptado, esses efeitos tendem a diminuir.

Outros efeitos colaterais possíveis para essa medicação são: sangramentos recorrentes, dores nas mamas, dores de cabeça, náuseas, tontura, queda de cabelo e aumento de peso.

Nos casos de sangramento abundante ou sintomas que sejam intoleráveis para a mulher, o médico deverá ser informado e reavaliar a opção de contraceptivos em conjunto com a paciente.

Contudo, recomendamos que mantenha a medicação conforme orientado. Não deixe de fazer uso ou mude a medicação antes de fazer contato com seu/sua médico/a assistente.

Leia também: Anticoncepcional injetável tem efeitos colaterais?

Estou tomando anticoncepcional e usando ciprofloxacina, me descuidei um dia, existe risco de gravidez?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Depende. Se o descuido foi esquecimento do anticoncepcional você tem risco de gravidez sim, apesar de ser um risco baixo. A única forma do anticoncepcional evitar com margem de segurança de mais de 90%, é o uso correto, sem esquecimentos.

O uso de ciprofloxacina não aumenta o risco de gravidez, e mais do que isso, é contraindicado nos primeiros três meses de gestação, por isso deve fazer uma avaliação o quanto antes com seu/sua médico/a.

Se o descuido foi do uso de preservativo, o risco seria de transmissão de doenças sexualmente transmissíveis (DST); a sua pílula continua te protegendo contra gravidez não planejada.

Sempre que precisar fazer uso de antibiótico, ou qualquer outra medicação, é importante informar ao/a médico/a que faz uso de anticoncepcional, para evitar associações ou redução do efeito dos medicamentos. O médico especialista para o caso é o Ginecologista.

Saiba mais nos links:

Algum desses remédios corta o efeito do anticoncepcional?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Não (em teoria). O uso por uns dias (tempo limitado ao tratamento) não interfere com a eficácia do anticoncepcional. Porém isto não é 100% garantido, em casos raros pode acontecer interferência a ponto de haver risco de gravidez.

Drogas podem cortar o efeito do anticoncepcional?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Não é possível afirmar com certeza se drogas ilícitas, como cocaína, LSD, maconha, ecstasy ou lança-perfume podem cortar o efeito do anticoncepcional ou diminuir a sua eficácia, pois faltam estudos científicos que comprovem o efeito dessas drogas sobre os anticoncepcionais.

Porém, como são drogas "químicas", apesar de faltar evidências científicas, acredita-se que possa acontecer, uma vez que essas drogas, assim como os medicamentos, incluindo os anticoncepcionais, são metabolizados no fígado. Logo, essas drogas podem competir com a metabolização do anticoncepcional no fígado, reduzindo o seu efeito. 

As drogas que de fato podem diminuir a eficácia do anticoncepcional são alguns medicamentos usados para tratar:

  • Epilepsia (primidona, fenitoína, barbitúricos, carbamazepina, oxcarbazepina, topiramato);
  • Tuberculose (rifampicina);
  • AIDS e Hepatite C (antirretrovirais);
  • Infecções fúngicas (griseofulvina, antifúngicos azólicos, itraconazol, voriconazol, fluconazol, cetoconazol);
  • Infecções bacterianas (antibióticos como claritromicina e eritromicina);
  • Certas doenças cardíacas e pressão alta (verapamil, diltiazem);
  • Artrites e artroses (etoricoxibe).

Além desses, remédios com Erva-de-São-João, usada sobretudo para o tratamento de estados depressivos, também podem interferir na eficácia dos anticoncepcionais.

Comunique o seu médico ginecologista se usar qualquer tipo de droga, seja medicamentos ou drogas ilícitas, para que ele avalie o risco de interação medicamentosa com o anticoncepcional.

Leia também:

A maconha corta o efeito do anticoncepcional?

5 Coisas que Podem Cortar o Efeito do Anticoncepcional

Eu tomava anticoncepcional e parei, quero voltar a tomar...
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

A princípio não existe qualquer problema em voltar a tomar o anticoncepcional normalmente, visto que já fez uso prévio, porém o ideal é sempre passar por uma avaliação médica antes de iniciar qualquer tipo de tratamento.

Algumas das questões que devem ser avaliadas e discutidas antes do retorno do anticoncepcional são: Avaliar situação clínica atual, avaliar riscos e benefícios do seu uso, fatores de risco para doenças cardiovasculares e cerebrovasculares, interação medicamentosa e qual a melhor opção de anticoncepcional no seu caso.

Situação clínica atual

Isso porque com o tempo podemos desenvolver doenças hereditárias, adquirir outro estilo de vida, hábitos, alimentação, ou até alterações hormonais decorrentes da idade, que interfiram na opção do anticoncepcional a ser iniciado. Além da necessidade de exames de rotina para avaliação dos órgãos responsáveis pela metabolização e eliminação do remédio.

Riscos e benefícios do uso de anticoncepcionais

Uma questão extremamente importante e atual, é a discussão sobre os riscos e benefícios do uso de anticoncepcionais. Diversos estudos apresentam risco aumentado para câncer de mama, enquanto outros, evidenciam respostas benéficas, sendo considerado inclusive como um fator de prevenção para o câncer de ovário, endométrio e intestino. Não existe ainda um consenso nesse assunto, por isso deve ser avaliado caso a caso.

Leia também: Anticoncepcional pode causar nódulo ou câncer de mama?

Fatores de risco para doenças cardiovasculares e cerebrovasculares

Somado a discussão de estímulos hormonais voltado para tumores e desenvolvimento de câncer, existe uma discussão grande e comprovação de associação com doenças vasculares, como a trombose e acidente vascular cerebral (AVC). Esses casos estão mais associados a mulheres com fatores de risco e história familiar para essas doenças, embora não seja exclusivo.

Saiba mais no link: Todas as mulheres podem tomar anticoncepcional

Interação medicamentosa

A interação medicamentosa é uma situação comum, visto que atualmente a população vem aumentando muito a quantidade de medicamento que faz uso regularmente, o que interfere de maneira direta na resposta e eficácia dos anticoncepcionais. Por exemplo no caso de uso regular de medicamentos anticonvulsivantes, uso de certos antibióticos, antirretrovirais e uso de anabolizantes, mesmo que de forma intermitentes, a eficácia do medicamento pode ser reduzida. Sempre informe ao seu médico, o uso regular de qualquer medicamento, especialmente os medicamentos controlados.

Leia também: Interação dos Anticoncepcionais com outros Remédios

Qual a melhor opção de anticoncepcional?

E por fim, avaliar qual a melhor opção de anticoncepcional para o seu caso. Pode haver novas medicações, com melhores resultados ou menos efeitos colaterais, que após uma avaliação clínica e conversa médica será definida.

Portanto não há problemas em recomeçar o seu medicamento, entretanto, por tudo que foi apresentado, o mais adequado é que converse com seu médico ginecologista para decidirem juntos pela melhor opção.

Injeção de anticoncepcional pode causar dores nas mamas?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Sim. Os contraceptivos injetáveis sejam eles mensais ou trimestrais podem causar dores nas mamas e outros sintomas adversos tais como dores de cabeça, náuseas, tontura, alterações do humor, diminuição na libido, ganho de peso, irregularidade menstrual, sangramento de escape (spotting) entre outros.

Cada mulher responde de uma forma individual aos anticoncepcionais hormonais. Algumas raramente sentem algo diferente, outras apresentam maior sensibilidade a ação hormonal no corpo e têm mais sintomas.

Alguns efeitos colaterais podem ser mais intensos no inicio do uso e reduzir ou cessar com o decorrer do tempo. Outros se mantém, e há ainda algumas mulheres que relatam aparecimento de efeitos adversos apenas após longo tempo de uso.

 Conheça os outros efeitos adversos em: Anticoncepcionais injetáveis tem efeitos colaterais?

Caso apresente dor ou sensibilidade mamária você pode tentar aliviá-la através da aplicação de compressas quentes na mama. Nesse tipo de situação a sustentação dos seios com um sutiã confortável e de alças largas pode ajudar, principalmente para quem tem mamas grandes.

Dores mais intensas também podem ser aliviadas com analgésicos simples, mas nesse caso pode ser mais interessante avaliar a escolha do método anticoncepcional, considerando que há outras opções eficazes sem ação hormonal, como o DIU de cobre.

Converse com o seu médico de família ou ginecologista caso apresente efeitos adversos da pílula muito frequentes e intensos.

Caso ainda tenha dúvidas sobre os anticoncepcionais injetáveis, leia também:

Dúvidas sobre anticoncepcional injetável

Esqueci de tomar o anticoncepcional 2 dias posso engravidar?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Pode sim, as chances são pequenas, mas pode acontecer.

Sempre que esquecer de tomar uma pílula, a mulher deverá evitar relações ou fazer uso de outro método de barreira, como o uso da camisinha, especialmente se estiver no período fértil.

Saiba mais no link: Como calcular o Período Fértil?

Outra opção, seria o uso do contraceptivo de emergência, a pílula do dia seguinte, que deve ser tomado dentro das primeiras 72 h após a relação, o mais cedo possível. Quanto antes tomar a pílula, menor é a chance de gravidez.

Leia também: A pílula do dia seguinte faz efeito depois de 2 dias?

O que fazer quando esquecer de tomar a pílula?

Se o esquecimento for menor do que 12h, não há o que se preocupar. Os níveis da medicação no sangue continuam adequados, por isso basta tomar assim que se lembrar, e a próxima no horário habitual, dando seguimento na cartela.

Caso ultrapasse 12 h, as orientações variam conforme o número de dias que esqueceu a pílula e em qual semana se encontra na cartela (para a maioria dos anticoncepcionais):

  • 1 pílula, mais de 12h - Quando a mulher esquecer de tomar apenas uma pílula, um dia sem a medicação, a recomendação é de tomar a pílula assim que se lembre, e depois continuar a cartela como de costume. Entretanto, deverá acrescentar um método de barreira, como a camisinha, para manter relações, por pelo menos 7 dias. Até que os níveis da medicação no sangue estejam novamente adequados para a prevenção da gestação.
  • 2 dias ou mais - Quando esquece de duas ou mais pílulas, as orientações se baseiam na fase do ciclo menstrual em que se encontrava.
    • Na primeira semana da cartela o risco de gravidez é maior! A orientação, portanto, é para manter o uso normal da pílula, tomar logo que lembrar e seguir a cartela, porém deverá fazer uso de mais um método de barreira por pelo menos 7 dias.
    • Na segunda e terceira semanas, costuma ser indicado parar a medicação, usar outro método contraceptivo e aguardar a próxima menstruação para recomeçar em nova cartela.

Vale lembrar que sempre que houver relação sem proteção, ou esquecimento da pílula, é fundamental acrescentar mais um método de contraceptivo, seja de barreira ou de emergência, para evitar uma gravidez não planejada.

Para mais esclarecimentos fale com seu/sua médico/a ginecologista.

Pode lhe interessar também: Tem algum problema não tomar anticoncepcional na hora certa?

Quero mudar o horário do anticoncepcional, como devo fazer?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Você pode mudar o horário de um dia para o outro, sem correr riscos de engravidar, se não ultrapassar 12h sem a medicação, lembrando que quanto menos tempo ficar sem a medicação é melhor para o organismo.

Por exemplo, se até ontem costumava tomar às 18:00, hoje pode tomar às 22:00, e depois manter esse horário daqui por diante, sem riscos de engravidar. As trocas não devem ser frequentes, apenas quando necessário. O mais importante é fazer o uso de um comprimido por dia, sem esquecimento.

O uso do contraceptivo oral é uma forma bastante segura de proteção quanto aos riscos de gravidez, porém vale lembrar que além da gravidez, uma relação implica riscos de doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), algumas delas sem tratamento ou cura ainda conhecidos.

Por isso, é recomendado, além do uso de anticoncepcional, sempre fazer o uso associado de um contraceptivo de barreira, como a camisinha, para evitar doenças danosas à sua saúde.

Leia também: Atrasei o anticoncepcional mais de 1 hora posso engravidar?

Atrasar horário do anticoncepcional pode diminuir o efeito?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Atrasar 10 ou 15 minutos o horário da tomada do anticoncepcional não vai interferir com sua eficácia (desde que sejam apenas 10 ou 15 minutos). Tomar o comprimido sem água, também não tem problema nenhum.

Com o anticoncepcional a menstruação diminuiu muito...
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

É possível que mulheres que iniciam o uso de anticoncepcional oral apresentem dor de cabeça e redução do fluxo menstrual. No entanto,qualquer dor de cabeça que piora em intensidade ou frequência precisam ser avaliadas por um médico.

Da mesma forma, quando ocorrem dores de cabeça que caracterizam enxaqueca o anticoncepcional com estrógeno deve ser descontinuado e substituído por outro método contraceptivo.

A dor de cabeça da enxaqueca é uma dor aguda, latejante, na maioria das vezes ocorre apenas de um lado da cabeça, barulhos, luz e odores podem piorar a dor. Também podem ocorrer náusea e vômitos. Os episódios podem durar algumas horas ou até 3 dias.

Quais as possíveis mudanças no padrão menstrual causados pelo anticoncepcional oral hormonal?

Em relação ao fluxo menstrual também é comum ocorrer mudanças no padrão menstrual que a mulher apresentava até então. É possível que ocorra:

  • Sangramento em menor quantidade e menos dias de sangramento
  • Sangramento irregular, que pode ser caracterizado sangramento que ocorra fora da pausa do anticoncepcional, em momentos inesperados.
  • Sangramento ocasional
  • Ausência de menstruação

Todas essas são alterações esperadas durante o uso do anticoncepcional oral hormonal, não representam nenhuma ameaça a saúde ou fertilidade e tendem a melhor com o decorrer do tempo.

Caso essas alterações no fluxo menstrual se agravem com o decorrer do uso da pílula ou estejam gerando muito incomodo é recomendado procurar um médico de família ou ginecologista para avaliar se de fato o sangramento é decorrente do anticoncepcional ou se existe alguma outra causa para esses sintomas.

Também pode ser do seu interesse:

Anticoncepcional oral tem efeitos colaterais?

Infecção urinária ou vaginal corta o efeito do anticoncepcional?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Não. Infecção urinária e infecção vaginal não cortam o efeito do anticoncepcional.

A mulher que está com infecção urinária ou vaginal deve continuar tomando o anticoncepcional como habitualmente. A presença dessas infecções não afeta o efeito do anticoncepcional.

O que pode cortar o efeito do anticoncepcional é o uso de alguns medicamentos antibióticosanticonvulsivantes anti retrovirais.

Leia também:

5 coisas que podem cortar o efeito do anticoncepcional

Quais são os sintomas e causas de uma infecção urinária?

Caso apresente infecção urinária ou vaginal procure um serviço de saúde e realize o tratamento completo como indicado pelo/a médico/a.