Boca

Coceira e fissuras nos cantos da boca. O que pode ser?

Coceira e fissuras nos cantos da boca são sintomas de queilite angular, popularmente conhecida como "boqueira". Trata-se de uma inflamação no ângulo da boca, geralmente causada por fungos (candidíase), sendo mais comum em pessoas idosas.

A queilite angular geralmente aparece quando a pessoa acumula saliva em excesso no canto da boca. Isso deixa as células do lábio encharcadas, criando portas de entrada para o fungo.

A umidade e o calor no canto da boca favorecem o desenvolvimento da candidíase, assim como baixa imunidade, uso prolongado de antibióticos e diabetes.

Além da coceira e das fissuras nos cantos da boca, a queilite angular também pode provocar os seguintes sintomas:

  • Pequeno inchaço;
  • Vermelhidão;
  • Descamação;

É comum a infecção se manifestar com períodos de diminuição e exacerbação espontânea dos sintomas.

O tratamento da queilite angular é feito através da identificação e correção dos fatores desencadeantes, como:

  • Adequação da prótese dentária;
  • Correção das carências nutricionais;
  • Tratamento da doença de base.

Além desses cuidados, o médico dermatologista deverá prescrever o uso de medicamentos antifúngicos.

Hérnia de hiato pode causar boca amarga?

Sim, hérnia de hiato pode causar boca amarga e mau hálito devido ao refluxo dos ácidos estomacais e do conteúdo alimentar (refluxo gastroesofágico).

Os sintomas da hérnia de hiato são, na realidade, provocados pela doença do refluxo, um problema muito comum em pacientes com hérnia hiatal. Dentre os principais estão:

  • Azia persistente (sensação de queimação no esôfago, sentida desde a porção superior do abdômen até à garganta);
  • Regurgitação de ácido e restos de alimentos;
  • Dificuldade para engolir;
  • Gosto amargo na boca;
  • Mau hálito.

Outros sintomas menos frequentes são:

  • Irritação na garganta;
  • Tosse crônica;
  • Rouquidão;
  • Sensação de engasgo noturno.

É importante lembrar que o refluxo gastroesofágico pode ocorrer mesmo sem hérnia de hiato, embora esta seja a sua principal causa.

A hérnia de hiato é o deslocamento do estômago para o tórax através do hiato esofágico, um orifício que permite a passagem do esôfago do tórax para o abdômen.

Quando o refluxo é pequeno, o tratamento da hérnia de hiato pode ser clínico, através de dieta adequada, orientação postural e medicamentos específicos. Se o refluxo for intenso ou se não houver resposta ao tratamento clínico, opta-se pela cirurgia.

O diagnóstico e o tratamento da hérnia de hiato é da responsabilidade do médico gastroenterologista.

Dormência na boca: o que pode ser?

Dormência na boca pode ser sintoma de diversas doenças e condições. Uma delas é a compressão ou rompimento de algum nervo da face, que pode ocorrer após uma anestesia ou um implante dentário, por exemplo.

Outras possíveis causas de dormência na boca incluem doenças neurológicas (derrames, esclerose múltipla, paralisia facial), herpes labial, enxaqueca, síndrome da boca ardente e até câncer bucal.

O herpes labial caracteriza-se pelo aparecimento de grupos de bolhas dolorosas nos lábios. A sensação de dormência na boca geralmente antecede o surgimento da lesão e é localizada na mesma região da ferida. 

Em algumas pessoas, crises de enxaqueca também podem causar dormência ao redor da boca.

A síndrome da boca ardente é uma alteração hormonal que acomete principalmente mulheres após a menopausa. Pode causar formigamento ou dormência na boca ou na língua, embora o principal sintoma seja a dor intensa que pode afetar os lábios, a língua, o céu da boca e a gengiva. 

A dormência na boca também pode ser um sintoma de câncer bucal. Este tipo de câncer pode surgir nos lábios, no interior da boca, na garganta, nas amígdalas e ainda nas glândulas salivares. Suas principais causas são o tabagismo e o consumo excessivo de álcool. Outros sintomas de câncer bucal incluem: 

  • Feridas nos lábios, na gengiva e dentro da boca, que normalmente sangram com facilidade;
  • Caroços nas bochechas;
  • Manchas vermelhas ou brancas na língua e na gengiva;
  • Dificuldade engolir ou mastigar;
  • Mudanças na voz.

O diagnóstico e o tratamento da dormência na boca depende da condição ou da doença que provocou a perda de sensibilidade. O profissional mais indicado para fazer essa avaliação é o médico neurologista ou um cirurgião dentista.

Também podem lhe interessar: 

Dormência no rosto, o que pode ser?

Bolhas na boca, quais as causas?

Água oxigenada clareia os dentes? Faz mal usar na boca?

Água oxigenada não clareia os dentes, apesar do peróxido de hidrogênio, que é a água oxigenada, ser utilizado em géis clareadores. Porém, a água oxigenada vendida em farmácias possui uma concentração muito baixa de peróxido de hidrogênio e não contém os compostos que dão mais estabilidade à essa substância.

Para clarear os dentes, a água oxigenada deveria ter uma concentração muito mais elevada, sendo um produto completamente diferente do gel clareador.

A sensação de dentes limpos que as pessoas referem está relacionada com o fato da água oxigenada remover o esmalte do dente e, com ele, as manchas e a sujeira.

A desmineralização do esmalte deixa-o poroso e favorece o acúmulo de alimentos e a formação de manchas, aumentando a necessidade de mais bochechos. É um ciclo vicioso.

Faz mal usar água oxigenada na boca?

Faz mal usar água oxigenada na boca, por diversas razões:

  • O peróxido de hidrogênio, quando quebrado dentro do corpo, libera radicais livres, que está associado ao envelhecimento dos tecidos e alguns tipos de câncer;
  • Pode provocar irritação e lesão na mucosa bucal, garganta e gengiva, que podem ter potencial carcinogênico, ou seja, pode levar ao desenvolvimento de câncer de boca;
  • Pode destruir o esmalte, dentina, cemento, polpa e gengiva;
  • Além da água oxigenada promover o desenvolvimento de câncer bucal, ela potencializa o efeito de outros agentes indutores do câncer de boca, garganta, esôfago, estômago e intestino, como cigarro, álcool, vírus, entre outros;
  • A água oxigenada deixa as mucosas bucais e a gengiva vermelhas devido à agressão, com início de dissolução dos tecidos e inflamação;
  • Queima e pode até necrosar (matar as células) das papilas gengivais;
  • Desmineraliza o esmalte do esmalte, deixando-o mais poroso, o que faz com que o alimento deixe-o ainda mais sujo.

O clareamento de dentes deve ser feito por um dentista e mesmo que o paciente opte por um método caseiro, com gel clareador, deve haver supervisão do profissional.

Toda vez que tenho dor de cabeça sai herpes na boca?

Existem duas possibilidades: a herpes causa a dor de cabeça (então a dor se manifesta um pouco antes da erupção da herpes, é um sinal da atividade viral), ou a erupção da herpes é causada pelo mesmo fator que causa a dor de cabeça (neste caso recai a suspeita sobre problemas de ordem emocional, que podem causar a dor de cabeça e a erupção das lesões do herpes).

Será que minha namorada tem alergia de mim?

O site só serve para tirar dúvidas, de maneira nenhuma serve para "consulta médica", sua namorada precisa procurar um médico, preferencialmente quando esteja com as lesões (vai ser mais fácil para o médico fazer o diagnóstico. Com o diagnóstico correto será possível tratar.

Piercing no smile (freio superior da boca) dói? Quais os riscos?

Colocar um piercing no smile (freio superior da boca) dói, mas a dor é suportável, podendo ainda persistir durante algumas semanas.

Porém, falar em dor é sempre muito relativo, porque o que pode ser dolorido para uns, pode não passar de um incômodo para outros. Cada pessoa tem uma sensibilidade diferente para a dor.

Os riscos de colocar um piercing no freio labial da boca são vários. Alguns deles:

  • Possibilidade de inflamação e infecção: A boca é um local muito propício para o desenvolvimento de bactérias, que podem facilmente causar infeções depois de se colocar um piercing no smile. Sempre que tocar no piercing, aumenta também o risco de contrair uma infecção;
  • Ferimentos e retração gengival: Além da aparência desagradável, a retração da gengiva aumenta as chances de cáries e periodontite;
  • Dilaceração do freio labial: O freio pode rasgar, não só no momento da colocação do piercing como também depois, causando uma intensa hemorragia difícil de controlar;
  • Endocardite bacteriana: Trata-se de uma inflamação das válvulas e dos tecidos do coração. A ferida causada pela perfuração funciona como uma porta de entrada para as bactérias da boca, que entram na corrente sanguínea e podem chegar ao coração. Qualquer piercing na boca pode causar endocardite;
  • Transmissão do vírus da hepatite: As hepatites B, C, D e G são transmitidas pelo sangue, o que torna a colocação de qualquer piercing um possível meio de transmissão.

Para maiores esclarecimentos e orientações sobre os riscos associados ao piercing no freio labial (smile), fale com o seu dentista.

Tenho manchas escuras na boca, existe tratamento?

O tratamento de qualquer situação ou doença médica é baseado num diagnóstico, a partir do estabelecimento do diagnóstico segue-se o tratamento que na medicina costuma ser específico e já pré definido, então você precisa ir a um médico, preferencialmente um dermatologista, esse médico fará o diagnóstico pela visualização da lesão e então vai propor a você um tratamento.

37 anos, sedentária, fumante, dores na boca e dor no peito?

Pode começar com um clínico geral mesmo ele iniciará o seu tratamento e investigação, caso haja necessidade te encaminhará para outras especialidades.

Bolhas na boca, quais as causas?

Bolhas na boca podem ser sinal de herpes labial, mucocele, ou ainda outras doenças como herpes zoster e infecções virais da garganta.

O herpes labial caracteriza-se pelo aparecimento de grupos de bolhas dolorosas nos lábios, podendo também surgir abaixo do nariz e no queixo. As bolhas são causadas por um vírus e a doença é altamente contagiosa.

A infecção pelo vírus Herpes simplex tipo 1 normalmente acontece na infância. Uma vez infectada, a pessoa permanece com o vírus no corpo. As crises surgem de tempos em tempos, normalmente quando há uma queda da imunidade.

As bolhas do herpes labial tendem a desaparecer espontaneamente em uma semana. A doença não tem cura e as bolhas podem voltar a aparecer em qualquer situação que provoque uma queda da imunidade, como estresse, exposições ao sol, febre, alergias, entre outras. O tratamento é feito com medicamentos antivirais específicos, que ajudam a controlar a infecção.

A mucocele geralmente é causada pelo rompimento do ducto de uma glândula salivar. A saliva fica então acumulada e distende o tecido conjuntivo, dando origem à bolha. Os locais mais afetados são a mucosa da boca, a língua e o soalho bucal.

As glândulas salivares mais propensas a se romperem são as menores, localizadas no lábio inferior, devido à ocorrência de mordidas acidentais na região.

O tratamento da mucocele é feito através da remoção cirúrgica da bolha, bem como de toda a glândula salivar envolvida.

Outras doenças que podem causar bolhas na boca:

  • Herpes zoster: Pode formar bolhas apenas em um lado da boca, além de aftas na bochecha, na língua, na gengiva e no céu da boca;
  • Herpangina (infecção da garganta causada por vírus): Provoca a formação de bolhas na boca e na faringe, sendo mais frequente no verão, em crianças com menos de 4 anos (saiba mais em: Herpangina: o que é, quais os sintomas e qual é o tratamento?);
  • Doença da mão-pé-boca: Surgem bolhas na boca e na faringe que evoluem para aftas dolorosas, sendo mais comum em crianças com menos de 10 anos de idade;
  • Carcinoma mucoepidermoide: Trata-se de um tipo de câncer com manifestações semelhantes à mucocele.

Em caso de bolhas na boca, consulte um dentista para receber um diagnóstico adequado.

Também pode lhe interessar:

Bolhas na garganta: o que pode ser?

Bolha na gengiva: o que pode ser e o que fazer?

Dormência na boca: o que pode ser?

O que é a síndrome mão-pé-boca? Quais os sintomas?

A síndrome mão-pé-boca é uma infecção que causa feridas na boca, mãos, pés, nádegas e às vezes na região genital. Essa síndrome é causada pelos vírus do tipo enterovírus, principalmente o Coxsackie vírus.

A transmissão ocorre pela via fecal-oral através do contato direto com secreções (fezes e saliva) ou objetos contaminados. A síndrome é mais frequente em crianças menores de 5 anos.

Em geral, a síndrome é auto-limitada e tem a duração de 2 a 3 dias.

Os principais sintomas são:

  • Feridas que podem aparecer na boca, mãos, pés, nádegas e às vezes na região genital podendo ser caracterizadas como pequenas bolhas ou vesículas que ulceram;
  • Dor ao engolir ou refusa para comer caso a criança seja pequena;
  • Aumento da salivação;
  • Dor nas áreas afetadas;
  • Febre;
  • Dor abdominal;
  • Diarreia;
  • Vômitos.

Continue a leitura em:

Qual é o tratamento para a síndrome mão-pé-boca?

Qual é o tratamento para a síndrome mão-pé-boca?

A síndrome mão-pé-boca não tem um tratamento específico. Por ser auto-limitada, a síndrome involui em torno de 2 a 3 dias.

Para aliviar os sintomas como a febre e as dores, pode ser indicado o uso de analgésicos ou anti-inflamatórios.

Deve ser evitado o uso de aspirina pelo risco de Síndrome de Reye, uma doença que causa inflamação do cérebro e pode ser fatal

Como a criança pode ter dificuldade em engolir, é importante observar e manter uma boa hidratação. Oferecer alimentos mais leves e de fácil aceitação também pode facilitar a recuperação.

Como forma de prevenção da doença, as pessoas devem manter as mãos limpas e higienizadas, principalmente após o uso do sanitário.

Leia também:

O que é a síndrome mão-pé-boca? Quais os sintomas?