Perguntar
Fechar

Cefaleia

O que é cefaleia tensional e quais os sintomas?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Cefaleia tensional é um tipo de dor de cabeça primária, muito comum na população, dividida em 3 grupos: Pouco frequente, frequente e crônica, de acordo com a sua periodicidade.

A causa desse tipo de cefaleia ainda é bastante controversa, porém parece estar relacionada ao aumento de tensão nos músculos da face, fronte, pescoço e mandíbula. Essa tensão muscular provoca contraturas que desencadeiam a dor de cabeça. Outras teorias acreditam que ocorra uma maior liberação de neurotransmissores da dor, ocasionadas por exemplo por estresse, ou outros fatores psicossomáticos.

No entanto, a correlação entre a cefaleia tensional com fatores emocionais, já está bem estabelecida. 

A cefaleia tensional também pode ser desencadeada por atividades que exijam uma postura viciosa, de repetição, com a cabeça e/ou pescoço, como as atividades profissionais que exigem o uso de computador por períodos longos, ou realização de trabalhos manuais.

Outras causas de cefaleia tensional incluem:

  • Bruxismo - apertar de forma contínua e intensa a mandíbula;
  • Uso irregular de óculos (causando fadiga da visão);
  • Frio - tensão muscular pela baixa temperatura;
  • Sono em posição inadequada - posição viciosa da musculatura, podendo levar inclusive a torcicolos;
  • Fumar em excesso;
  • Fadiga, esforço físico em excesso
Quais são os sintomas da cefaleia tensional?

A cefaleia tensional caracteriza-se principalmente pelos sintomas:

  • Dor de cabeça difusa, que se espalha por todo o crânio
  • Bilateral, na maioria das vezes;
  • Início lento e progressivo;
  • Dor tipo aperto, pressão;
  • Intensidade fraca ou moderada;
  • Geralmente não se altera com barulhos ou luz;
  • Podem durar apenas alguns minutos, ou se prolongar por até uma semana.

A dor tende a ser pior no couro cabeludo, na nuca e nas têmporas, podendo chegar aos ombros.

Pessoas com cefaleia tensional muitas vezes tentam aliviar a dor massageando ou apertando a base da nuca, as têmporas e o couro cabeludo. É frequente a presença de nódulos de tensão doloridos nos músculos da região dos ombros e do pescoço.

Qual a diferença entre cefaleia tensional e enxaqueca?

As principais diferenças entre elas são o tipo de dor, localização e sintomas associados, assim como apresentadas na tabela abaixo.

DIFERENÇAS ENTRE CEFALEIA TENSIONAL E ENXAQUECA
Cefaleia tensional Enxaqueca
Tipo de dor Aperto, Pressão Latejante
Localização Bilateral Unilateral
Sintomas associados Não se altera com luz ou barulho. Sem sintomas associados. Piora com luz e com barulho. Náuseas e vômitos é comum

A diferenciação entre os tipos de dor de cabeça, assim como avaliar sua gravidade e consequências na rotina diária do paciente é fundamental para elaboração do seu tratamento. As medidas e medicações prescritas para o tratamento da cefaleia tensional são distintas do tratamento para enxaqueca,

No entanto, apesar da não haver uma cura para a maioria dos casos de cefaleia. assim como de enxaqueca, os tratamentos estão cada dia mais eficientes e duradouros, auxiliam na redução de crises e melhora na qualidade de vida.

Portanto, no caso de dores de cabeça, agende uma consulta com médico/a neurologista para uma adequada avaliação e tratamento específico.

Saiba mais sobre o assunto em: Cefaleia tensional tem cura? Qual o tratamento?

Enxaqueca e Cefaleia
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Enxaqueca e cefaleia (dor de cabeça) não são a mesma coisa. A diferença é que a enxaqueca é uma doença, enquanto que a cefaleia é um sintoma que pode ter muitas origens, sendo uma delas a enxaqueca.

Existem dois tipos de cefaleia, as primárias e as secundárias. As cefaleias primárias são aquelas sem uma causa etiológica definida por investigação através de exames, entre elas tem-se as enxaquecas, cefaleias em salvas e cefaleias do tipo tensional.

Já as cefaleias secundárias são aquelas com uma causa etiológica bem definida, ou seja, são provocadas por outras doenças, como infecções sistêmicas, meningite, encefalite, tumores cerebrais, hemorragia cerebral, intoxicações ou disfunções endócrinas.

A enxaqueca é uma doença que caracteriza-se por crises de cefaleia que podem ser diárias, semanais, quinzenais ou ainda mais esparsas.

Os principais sintomas da enxaqueca são:

  • Dor de cabeça latejante, normalmente em apenas um lado da cabeça, que piora ao fazer qualquer esforço físico;
  • Náuseas;
  • Vômitos
  • Visão turva;
  • Tontura;
  • Aura visual (linhas e pontos luminosos na visão);
  • Sensibilidade à luz (fotofobia), barulhos e cheiros.

Uma crise de enxaqueca pode durar 2 ou mais dias e pode ser incapacitante, dificultando a realização das atividades da vida diária.

O diagnóstico da enxaqueca deve ser feito por um médico de família, clínico geral ou neurologista que pode fazer a diferenciação entre enxaqueca ou outros tipos de cefaleias e conduzir ao tratamento adequado para cada caso.

Cafeína tira a dor de cabeça?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Sim, a cafeína pode tirar a dor de cabeça. Acredita-se que a propriedade que a cafeína tem de dilatar os vasos sanguíneos do corpo e contrair os vasos sanguíneos do cérebro, seja, pelo menos em parte, responsável pelo alívio de algumas dores de cabeça conseguido pela ingestão de cafeína.

Substâncias que dilatam os vasos sanguíneos, como o álcool, pode causar dores de cabeça vasculares. Já a cafeína tem ação vasoconstritora, ou seja, contrai os vasos sanguíneos, o que pode ajudar a combater a dor causada pela dilatação dos vasos sanguíneos da cabeça.

A cafeína é frequentemente adicionada a medicamentos para dor porque melhora a absorção e aumenta o efeito analgésico do remédio.

Muitos pacientes afirmam que uma xícara de café forte pode ajudar a aliviar uma enxaqueca ou até mesmo acabar com ela, quando tomada logo no início da dor de cabeça.

Falta de cafeína dá dor de cabeça?

É importante lembrar que pessoas que consomem grandes quantidades de cafeína, como as que bebem café em excesso, podem apresentar vários sintomas quando deixam de ingerir a substância durante mais tempo que o habitual.

Um dos sintomas da abstinência da cafeína é a dor de cabeça. Nesses casos, a dor de cabeça costuma surgir principalmente quando a pessoa acorda mais tarde que o normal.

Isso acontece porque depois de tantas horas, os níveis de cafeína na circulação sanguínea já baixaram muito, causando sintomas, entre eles a dor de cabeça.

Este tipo de dor de cabeça geralmente é latejante, semelhante à dor da enxaqueca, e só costuma passar depois de uma ou duas xícaras de café.

Outros sintomas que a falta de cafeína pode causar:

  • Taquicardia (aumento dos batimentos cardíacos);
  • Alterações na pressão arterial, metabolismo e apetite;
  • Insônia;
  • Agitação;
  • Tremores.

Para maiores esclarecimentos sobre os efeitos da cafeína no tratamento da dor de cabeça, fale com o/a seu/sua médico/a de família ou com o/a médico/a neurologista.

Toda vez que tenho dor de cabeça sai herpes na boca?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Existem duas possibilidades: a herpes causa a dor de cabeça (então a dor se manifesta um pouco antes da erupção da herpes, é um sinal da atividade viral), ou a erupção da herpes é causada pelo mesmo fator que causa a dor de cabeça (neste caso recai a suspeita sobre problemas de ordem emocional, que podem causar a dor de cabeça e a erupção das lesões do herpes).

Cefaleia tensional tem cura? Qual o tratamento?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Depende. A cefaleia tensional pode ter cura desde que as suas causas sejam devidamente identificadas, e quando possíveis, tratadas. O tratamento da cefaleia tensional inclui o uso de medicamentos e identificação dos fatores que desencadeiam a crise de dor, para que possam ser evitados.

Os medicamentos usados para tratar a cefaleia tensional incluem analgésicos comuns (aspirina, ibuprofeno, paracetamol), analgésicos opioides, antidepressivos e anticonvulsivantes. 

É importante lembrar que os analgésicos devem ser evitados se a cefaleia tensional ocorrer mais de duas vezes por semana. Isso porque esses medicamentos, se forem tomados em excesso, podem desencadear outro tipo de dor de cabeça comum, chamado cefaleia por uso abusivo de analgésicos.

As medidas não medicamentosas usadas para tratar a cefaleia tensional incluem:

  • Criar o hábito de anotar em um diário, sua rotina, incluindo alimentação;
  • Fisioterapia, para alongar, relaxar, fortalecer a musculatura, além de corrigir a postura, quando necessário;
  • Uso de placa odontológica, em caso de pessoas que sofrem de bruxismo ou que têm muita tensão acumulada nos músculos mastigatórios;
  • Praticar atividade física regularmente;
  • Praticar técnicas de relaxamento;
  • Psicoterapia cognitiva comportamental;
  • Acupuntura.

É importante que a pessoa esteja atenta e anote os fatores que provocam a dor, para que mudanças individuais e específicas, reconhecidas nas anotações, possam ser feitas, reduzindo a frequência de dor de cabeça. Atualmente, o diário da dor tem se mostrado muito eficaz no auxílio ao tratamento. 

O objetivo do tratamento da cefaleia tensional é aliviar os sintomas e prevenir novos episódios de dor de cabeça, evitando fatores que desencadeiam as crises.

O diagnóstico e o tratamento medicamentoso da cefaleia tensional são da responsabilidade do/a médico/a neurologista.

Meu filho sente dor nos olhos e não se sabe porque...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Se já consultou um neurologista e já fez os devidos exames para afastar as causas dessa dor e os médico chegaram a conclusão que é uma forma idiopática de dor (sem explicação médica) então procure um médico homeopata, os remédios homeopáticos podem ajudar em muito seu filho.

Nos últimos meses tenho tido dor de cabeças muito fortes...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Dores de cabeças em crises com hora certa para acontecer geralmente entra dentro dos diagnósticos diferenciais de enxaqueca, como a principal causa de enxaqueca são os problemas emocionais, repousa sobre você o que seu médico chamou de "estresse". Normalmente quem cuida de dor de cabeça é a especialidade médica: neurologia. Não trabalhar, só estudar e não ter namorado não significa que você não possa ter algo que emocionalmente gera um desconforto, que pode ser chamado de muitos nomes (estresse, ansiedade, nervosismo ou depressão).

2 dias internada por dor na região do fígado, cefaleia...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Pode ser algo relacionado ao seu pulmão ou fígado (ou víscera próxima) ou osteomuscular. A pessoa mais indicada para dizer o que é, é o médico que cuidou de você nesses dois dias, o ideal é, se está novamente com a mesma dor (além de outros sintomas de alerta: febre, vômitos, mal-estar geral) deve voltar para o hospital.

Há anos sofro com dores de cabeça terríveis...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Sua dor de cabeça parece ser algum tipo de enxaqueca. Seu problema de pele pode ser algum tipo de alergia. Precisa procurar ajuda para os dois problemas, não acredito que eles possam estar relacionados.

Quando tomo leite tenho dor de cabeça e mal-estar?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Pode ser algum tipo de alergia ou intolerância ao leite.

Tenho enxaqueca 2 a 3 vezes por semana...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Existe tratamento já bem definido e com vasta experiência por parte dos médicos para tratamento da enxaqueca, procure um médico, se possível um neurologista. Exercícios físicos regulares, alimentação equilibrada, dormir adequadamente (qualidade e quantidade), evitar fatores estressantes e evitar alimentos (queijos envelhecidos, frutas cítricas... entre outros que você possa identificar) e bebidas alcoólicas, podem ajudar a reduzir o número e a intensidade das crises.

Minha mãe teve dor de cabeça e perda dos movimentos...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Sempre há esse risco, no mesmo local ou em outro local, quem acabou de ter um AVC é uma pessoa muito propensa a ter outro, independente do que se faça. Claro que tudo depende agora do controle dos fatores de risco (controle da pressão no caso da sua mãe).