Perguntar
Fechar

Cirurgia Bariátrica

Para que serve o exame de TSA?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

O exame de TSA (Teste de Sensibilidade a Antimicrobianos) ou antibiograma serve para verificar qual o melhor antibiótico a usar em caso de uma infecção.

O TSA verifica a sensibilidade e a resistência das bactérias aos antibióticos, indicando ao/à profissional qual medicamento mais indicado para tratar a infecção em questão.

As amostras colhidas para o exame podem ser provenientes do sangue, escarro, secreções, saliva, fezes ou urina.

O procedimento consiste em "cultivar" numa estufa os micro-organismos presentes na amostra (urinocultura, se for de urina).

As bactérias e demais micro-organismos são inoculados numa placa de laboratório em que são colocados discos de papel impregnados com antibióticos ou antimicrobianos.

Depois, é analisado se houve crescimento ou inibição da multiplicação das bactérias e demais ao redor de cada disco. Os resultados são medidos e pesquisados em tabelas, de acordo com o tipo de bactéria ou micro-organismo em análise.

Assim, é possível saber qual antibiótico ou antimicrobiano é o mais apropriado para eliminar os germes responsáveis pelo atual processo infeccioso.

Cirurgia bariátrica, quanto tempo ficar sem relação sexual?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Na verdade o problema não é a relação sexual e sim o esforço durante a relação sexual, se for algo bem tranquilo, em uma posição confortável e que você não faça muito esforço (nenhum de preferência) já poderia começar a ter relações. A partir de 60 dias estaria liberada para pequenos esforços e somente depois de 6 meses liberada para grandes esforços.

Leia também: Cirurgia de apêndice, quanto tempo posso ter relações?

Meu marido fez endoscopia para cirurgia bariátrica...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Significa que ele tem uma inflamação no estômago que recebe o nome de gastrite, em relação a cirurgia tem que perguntar para o médico que irá operar.

O que é cirurgia bariátrica e como é feita?
Dr. Marcelo Scarpari Dutra Rodrigues
Dr. Marcelo Scarpari Dutra Rodrigues
Médico

São aprovadas no Brasil quatro modalidades diferentes de cirurgia bariátrica e metabólica (além do balão intragástrico, que não é considerado cirúrgico):

Bypass gástrico (gastroplastia com desvio intestinal em “Y de Roux”):

Estudado desde a década de 60, o bypass gástrico corresponde a 75% das cirurgias realizadas no Brasil, devido a sua segurança e, principalmente, sua eficácia. Promove uma redução de 40% a 45% do peso inicial.

Nesse procedimento misto, é feito o grampeamento de parte do estômago, que diminui o espaço para o alimento, e um desvio da porção inicial do intestino, promovendo o aumento de hormônios que dão saciedade e diminuem a fome. A menor ingestão de alimentos somada a um aumento da saciedade é o que leva ao emagrecimento, além de controlar o diabetes e outras doenças, como a hipertensão arterial.

Banda gástrica ajustável:

A banda gástrica ajustável foi criada em 1984 e chegou ao Brasil em 1996, representando atualmente 5% dos procedimentos realizados no País. Apesar de não promover mudanças na produção de hormônios como o bypass, essa técnica é muito segura e eficaz na perda de peso, com uma redução de 20% a 30% do peso inicial, o que também ajuda no tratamento do diabetes. É instalado um anel de silicone inflável em torno do estômago, que aperta um pouco o órgão, o que torna possível controlar o esvaziamento do estômago.

Gastrectomia vertical:

Este procedimento consiste em transformar o estômago em um tubo com capacidade de 80 a 100 ml, provocando uma boa perda de peso, que se compara à do bypass gástrico e é ainda maior que a proporcionada pela banda gástrica. É um procedimento novo, com boa eficácia no controle da hipertensão e dos níveis de colesterol e triglicérides.

Duodenal Switch

É a gastrectomia vertical associada ao desvio intestinal, em que 85% do estômago é retirado, mas a anatomia básica do órgão e a sua fisiologia de esvaziamento são mantidas. O desvio do intestino diminui a absorção dos nutrientes, proporcionando o emagrecimento. A técnica foi criada em 1978 e corresponde a 5% dos procedimentos, promovendo a perda de 40% a 50% do peso inicial.

Terapia auxiliar - Balão intragástrico

Reconhecido como terapia auxiliar na preparação do pré-operatório, este é um procedimento não cirúrgico, efetuado através de endoscopia para o implante de prótese de silicone, visando diminuir a capacidade gástrica e provocar saciedade. O balão é enchido com meio litro do líquido azul de metileno, que, no caso de vazamento ou rompimento, será notado na urina pela cor azul.

O indivíduo permanece com o balão durante período médio de seis meses. É indicado para pessoas com sobrepeso ou no pré-operatório de indivíduos com superobesidade (IMC acima de 50 kg/m2).

Em caso de dúvidas sobre cirurgias bariátricas, um médico (preferencialmente um gastro cirurgião), deverá ser consultado. Ele poderá avaliar detalhadamente, através de anamnese, exame físico e eventuais exames complementares, qual é o seu diagnóstico correto, orientá-lo e prescrever o melhor tratamento.

Estou fazendo exames pré-operatórios cirurgia bariátrica...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Somente o médico que vai te operar e o anestesista é que podem te responder isso. não acredito que essas alterações possam impedir a realização da cirurgia.

Que complicações podem surgir durante a cirurgia bariátrica?
Dr. Marcelo Scarpari Dutra Rodrigues
Dr. Marcelo Scarpari Dutra Rodrigues
Médico

As cirurgias bariátricas podem trazer uma série de complicações, que variam com o tipo de procedimento:

Bypass jejunoileal: Neste tipo de procedimento, a complicação mais comum é a cirrose hepática, com insuficiência hepática oriunda da desnutrição e absorção de toxinas produzidas na grande extensão do intestino delgado excluído no trânsito intestinal, por este motivo esta técnica foi abandonada.

Biliopancreática de Scopinaro: As complicações mais frequentes são diarreia, flatulência, anemia, úlceras de boca anastomótica, desmineralização óssea e má absorção proteica.

Duodenal Switch: As principais complicações são diarreia, má absorção de cálcio e proteína.

Bypass gástrico em Y-de-Roux (BGYR): As complicações mais comuns são: úlceras nas anastomoses, sangramento intestinal, úlcera gástrica duodenal do segmento excluído, torção do braço do Y-de-Roux, obstrução de alça, estenose do estoma e colelitíase.

Gastroplastia vertical com banda: Neste tipo de procedimentos os índices de complicações e mortalidade são baixos, porém a recidiva da obesidade, após 10 anos é alta. por este motivo esta técnica tem sido abandonada mundialmente.

Banda gástrica ajustável (BGA): Neste procedimento, as complicações podem ser transoperatórias ou tardias. No intra-operatório, pode ter conversão para laparotomia, por lesão de vísceras. Pode haver febre persistente, como indício de infecção precoce da banda, o que pode exigir sua retirada. Nos primeiros dias após a cirurgia, pode ocorrer deslizamento da banda, decorrente de ruptura dos pontos da tunelização e das infecções. Entre as complicações tardias estão esofagite de refluxo, vômitos frequentes, megaesôfago e reganho de peso, o que pode levar alguns especialistas e autores a fazer restrições a esta modalidade.

Balão intragástrico: Podem acontecer efeitos adversos por intolerância inicial do balão, que pode gerar náuseas, vômitos e dor epigástrica. Raramente podem ocorrer úlceras e perfurações gástricas. Em casos isolados pode acontecer obstrução intestinal, que necessita de intervenção cirúrgica. As complicações neurológicas são vistas como as mais temidas por seu potencial de irreversibilidade. As deficiências nutricionais decorrentes da operação são os fatores mais importante na sua patogenia. 

Em caso de dúvidas sobre cirurgias bariátricas, um médico (preferencialmente um gastro cirurgião), deverá ser consultado. Ele poderá avaliar detalhadamente, através de anamnese, exame físico e eventuais exames complementares, qual é o seu diagnóstico correto, orientá-lo e prescrever o melhor tratamento.