Perguntar
Fechar
Retorno da infecção urinária ou problema de coluna?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

A infecção de urina que você teve no passado e foi curada não volta mais, pode ter outras infecções, mas não é a mesma. Outra infecção urinária até pode ser mas, faltam muitos sintomas para completar o quadro. Problema de coluna, talvez, mas a região da dor não bate com a dor na coluna.

Estou com artrose na coluna, é grave?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Não é grave do ponto de vista (risco de vida), mas é um problema de coluna de difícil resolução, que vai te acompanhar para o resto da vida e como você já sabe dó muito. Volte ao médico que solicitou o exame para ver o que ele acha que pode ser feito.

Qual exame poderia fazer para saber o que eu tenho?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Os exames devem ser sempre direcionados para a verificação ou confirmação de suposições diagnósticas feitas pelo médico durante a consulta médica. Nem todas as situações precisam de exames, muitas vezes o tratamento funciona como uma forma de exame, é a chamada prova terapêutica. No seu caso uma anamnese dirigida e o exame físico podem ser suficientes para médico chegar a uma conclusão. Procure um médico.

Tive uma lesão na coluna por pegar excesso de peso...
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Dores na coluna relacionadas a excesso de peso, podem ser originadas de contratura musculares, desalinhamento da coluna, hérnia de disco, artrose, entre outras.

Deve procurar em neurocirurgião ou ortopedista, de preferência especialista em coluna.

Dores musculares

A má postura e esforço muscular podem levar a contraturas e dores musculares de forte intensidade. A contratura localizada na coluna cervical é conhecida por torcicolo Na coluna lombar, lombalgia..

O tratamento indicado para dor devido a contraturas são o repouso absoluto e medicamentos analgésicos e relaxante muscular.

Desalinhamento da coluna

As doenças da coluna, como escoliose, cifose, lordose e as listeses, são alterações ósseas e ou articulares, que causam desalinhamento, e com isso esforço muscular aumentado. O esforço muscular leva ao quadro de dor que pode irradiar para outros locais no corpo, como braços, pernas, nádegas ou sola do pé, dependendo da área acometida.

Nos casos de desalinhamento, o tratamento de repostura e fisioterapia intensificada, costumam ser eficazes e suficientes para a cura. A não ser que haja algum problema degenerativo, como a hérnia de disco, com indicação cirúrgica.

Por isso, antes de iniciar qualquer tratamento, mesmo que alternativo, é preciso antes descartar outras causas. O médico saberá orientar caso a caso.

Hérnia de disco

A hérnia de disco é um dos casos que pode vezes tem indicação cirúrgica para cura completa. Trata-se de uma extrusão de parte ou todo o disco gelatinoso, que se encontra entre duas vértebras. O disco é o amortecedor das vértebras da coluna, porém quando essa estrutura é deslocada, e sua capsula rompida, o único tratamento definitivo é mesmo a cirurgia com ressecção dessa estrutura.

Artrose

A artrose é uma doença degenerativa, sem tratamento definitivo. Nesses casos o mais indicado é manter um peso ideal para sua altura, reduzindo a sobrecarga na coluna, além de manter atividade física regular, com o objetivo de fortalecimento da musculatura paravertebral.

Saiba mais em: Qual é a diferença entre artrite e artrose?

Cabe ao médico especialista em coluna, neurocirurgião ou ortopedista, avaliar o seu caso, e sugerir as possibilidade para resolução definitiva desse problema.

Leia também: Dor na coluna, o que pode ser?

Minha filha fez um ultrassom: Hipertrofia Coluna de Bertin!
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

A hipertrofia de coluna de Bertin, ou duplicação pielocalicinal, é uma variação anatômica, que não representa uma doença ou problema renal.

Portanto não há nada a se fazer, apenas acompanhamento com médico urologista. A não ser que haja alguma dúvida nesse exame, e por isso seja pedido mais exames de imagem, como uma Tomografia Computadorizada.

O exame deve ser levado para os dois médicos, para o médico que pediu, porque existem outros dados a serem avaliados no exame, mas também para um médico urologista, por ser o especialista em hipertrofia de coluna de Bertin.

Coluna de Bertin

A coluna de Bertin, ou coluna renal, é uma região do córtex renal localizada entre duas pirâmides (renais).

5Hipertrofia da coluna de Bertin

A hipertrofia de coluna de Bertin é apenas uma variação anatômica comum nessa região, que se caracteriza pelo aumento (hipertrofia) de uma coluna, ou junção de mais de uma coluna.

Essa variação não interfere nas funções renais normais e pode ser encontrada em até 20% da população.

Outras causas de hipertrofia de colunas renais

A hipertrofia da coluna de Bertin pode ser semelhante a outras situações encontradas no córtex renal, como cistos e tumores.

Sendo assim, quando houver dúvidas entre a hipertrofia de Bertin e uma tumoração verdadeira, por exemplo, pode ser necessário continuar a investigação com outros exames mais específicos, como a tomografia computadorizada (TC).

Leia também: O que é hipertrofia da coluna de bertin?

Fiz uma radiografia da coluna: vértebra de transição?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

É uma variação anatômica da sua coluna, geralmente não é grave e não constitui nenhuma doença, não há ainda consenso sobre a relação entre a presença de vértebra de transição e a ocorrência de dores de coluna ou alterações degenerativas.

Para mais esclarecimentos sobre o resultado da sua radiografia, consulte o médico que a solicitou, pois só ele poderá avaliar o resultado mediante o seu contexto clínico individual.

Alguns investigadores acreditam que esse tipo de alteração lombar possa predispor a dores na coluna e outros problemas, no entanto, essa associação ainda não foi suficientemente comprovada em pesquisas científicas.

Por isso, é possível que pessoas que apresentam uma vértebra de transição lombo-sacra não venham a sofrer com dores ou outros problemas na coluna, ou caso apresentem dores lombares é possível que essa dor não esteja diretamente relacionada a presença da vértebra de transição.

Síndrome de Bertolotti

Quando há dor lombar na vigência de uma vértebra de transição esse quadro passa a ser chamado de Síndrome de Bertolotti. Geralmente, esse é um quadro semelhante a lombalgia inespecífica. O tratamento na maioria dos casos é conservador através de fisioterapia e medicamentos para controle da dor, raramente está indicada cirurgia para esses casos.

Formas da vértebra de transição

A vértebra de transição pode se apresentar de diferentes formas, pode tanto corresponder a uma fusão entre os processos vertebrais da última vértebra lombar e da primeira vértebra sacral, com apenas um dos lados das vértebras pode apresentando alterações, quanto os dois lados podem ser acometidos.

Prevalência da vértebra de transição

A prevalência da vértebra de transição varia entre 4,0% a 35,9%, e está presente mais nos homens do que nas mulheres.

Caso apresente dores lombares consulte um médico de família ou clínico geral para uma primeira avaliação.

Estou com muitas dores na coluna, nas pernas, músculos e uma dor de cabeça que não passa. O que pode ser?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Os seus sintomas são genéricos e nos "falam" de alguma doença que acometa todo seu corpo, o mais provável é algum tipo de infecção viral, pode até ser o início de uma gripe ou virose, o ideal é você ir ao médico para saber realmente o que pode ser.

Dor na coluna, o que pode ser?
Dr. Gabriel Soledade
Dr. Gabriel Soledade
Médico

A maioria das dores na coluna é de origem muscular, ou seja, causada por algum esforço físico feito de maneira exagerada ou incorreta. E isso inclui também dormir de mau jeito, carregar peso excessivo (inclusive o próprio peso, no caso de pessoas obesas) e ter uma postura ruim.

Em alguns casos, entretanto, ela pode ser sinal de doenças mais sérias, como por exemplo inflamações dos ossos, dos tendões, dos músculos e além de infecções da pele e até mesmo alguns tipos de câncer.

De maneira geral, melhora da postura, alongamento muscular e atividade física leve podem ajudar bastante no alívio dos sintomas, mas é sempre importante que a pessoa procure um médico para uma avaliação mais detalhada, principalmente nos casos de dores que durem muito tempo ou que não melhorem com analgésicos comuns.

O que é hérnia de disco? Quais as causas, sintomas e tratamento?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Hérnia de disco ou hérnia discal é o extravasamento parcial ou total do núcleo do disco intervertebral, localizado entre as vértebras da coluna. Ao extravasar por uma parte enfraquecida do disco, o núcleo pode pressionar as raízes dos nervos na medula espinhal e causar dor, formigamento, dormência e até perda de força muscular.

A hérnia de disco lombar, localizada na parte inferior das costas (coluna lombar), é a mais comum, seguida pela hérnia de disco cervical, que ocorre no pescoço (coluna cervical). Já os discos da coluna torácica raramente são afetados, o que torna a hérnia discal torácica ou dorsal pouco comum.

A hérnia de disco lombar surge com mais frequência entre as duas últimas vértebras da coluna lombar (L4 e L5) e entre a última vértebra lombar e o osso sacro (L5 e S1).

Já a hérnia discal cervical é mais comum entre as duas últimas vértebras cervicais (C6 e C7) e entre a última vértebra cervical e a primeira vértebra torácica (C7 e T1).

Quais as causas da hérnia de disco?

As vértebras da coluna protegem os nervos que saem do cérebro e descem pelas costas para formar a medula espinhal. Na medula estão as raízes de nervos longos, localizadas entre cada vértebra.

As vértebras são separadas por discos que contêm um núcleo gelatinoso. Os discos intervertebrais amortecem impactos e permitem o movimento entre as vértebras durante a flexão, extensão e rotação da coluna vertebral.

A hérnia de disco ocorre quando o disco se rompe devido a alguma lesão ou tensão, levando ao extravasamento do núcleo, que pode comprimir os nervos próximos à coluna. Isso pode causar dor, dormência, formigamentos e perda de força.

Os principais fatores que aumentam o risco de hérnia discal incluem:

  • Levantar objetos pesados curvando a coluna para frente. O risco é ainda maior se houver movimento de rotação da coluna;
  • Excesso de peso;
  • Flexionar ou torcer repetidamente a coluna lombar;
  • Sentar-se ou permanecer na mesma posição por muitas horas, principalmente com postura incorreta;
  • Falta de atividade física.
Quais os sintomas de hérnia de disco?

A dor da hérnia de disco ocorre com mais frequência em apenas um lado do corpo. Muitas vezes, a dor começa lentamente, podendo piorar depois de ficar em pé ou na posição sentada, ao espirrar, tossir ou rir, ao inclinar a coluna para trás, ao caminhar e ao prender a respiração. Os sintomas variam de acordo com a localização da hérnia.

Em casos raros, a hérnia de disco pode causar complicações como dor prolongada nas costas, no pescoço, nos braços ou nas pernas, perda do movimento ou da sensibilidade em pernas, pés, braços e mãos, perda da função da bexiga e do intestino e lesão permanente na medula espinhal (muito raro).

Quais os sintomas da hérnia de disco lombar?

Uma hérnia de disco na região lombar pode causar dor aguda local, que pode irradiar para uma parte da perna, quadril ou nádegas, além de dormência ou formigamento na panturrilha ou planta do pé. Também pode haver perda de força no membro afetado.

Quais os sintomas da hérnia de disco cervical?

A hérnia de disco cervical pode causar dor ao mover o pescoço, dor profunda próxima ou acima da escápula (omoplata) ou dor que irradia para braço, antebraço e dedos. Também pode haver dormência e formigamento em ombro, cotovelo, antebraço e dedos.

Como saber se tenho hérnia de disco?

Uma ressonância magnética ou tomografia computadorizada da coluna vertebral pode identificar e mostrar a localização da hérnia. A eletromiografia é usada para detectar a raiz nervosa exata que está comprometida. Já a mielografia pode determinar o tamanho da hérnia e a localização do disco herniado.

O raio-x não serve para diagnosticar a hérnia de disco, mas pode ser indicado para descartar outras causas de dor lombar ou cervical.

Qual é o tratamento para hérnia de disco?

O tratamento da hérnia de disco pode incluir repouso, cuidados gerais, medicamentos, fisioterapia e cirurgia. O tratamento inicial é feito com repouso e medicamentos analgésicos e anti-inflamatórios. Quando a dor estiver controlada, deve ter início a fisioterapia. Alguns casos necessitam de injeções de corticosteroides ou cirurgia.

Durante uma crise, deve-se reduzir as atividades habituais durante os primeiros dias e retomá-las lentamente. Após 2 a 3 semanas, a pessoa pode começar gradualmente a se exercitar novamente. Contudo, deve-se evitar levantar objetos pesados ou torcer as costas durante as primeiras 6 semanas após o início da dor.

Medicamentos

Os medicamentos usados no tratamento da hérnia de disco ajudam a aliviar a dor. Podem ser prescritos anti-inflamatórios para controle da dor a longo prazo. Se a dor for intensa e não responder aos anti-inflamatórios, pode ser indicado o uso de opioides. O tratamento pode incluir ainda o uso de medicamentos para acalmar os nervos e relaxantes musculares para aliviar os espasmos.

Fisioterapia

A fisioterapia desempenha um importante papel no tratamento da grande maioria do casos de hérnia de disco. Além de ensinar a pessoa a levantar objetos, caminhar, vestir-se e realizar outras atividades adequadamente, a fisioterapia inclui exercícios que fortalecem, relaxam e aumentam a flexibilidade dos músculos que sustentam a coluna.

Mudanças no estilo de vida

Praticar exercícios físicos devidamente orientados e fazer dieta são muito importantes para melhorar a dor nas costas se a pessoa estiver acima do peso.

Injeções

As injeções de medicamentos corticosteroides no local da hérnia de disco podem ajudar a controlar a dor por alguns meses. Essas injeções reduzem a inflamação ao redor do disco e aliviam muitos sintomas. Contudo, não resolvem a causa da dor, que pode voltar depois de algumas semanas ou meses.

Cirurgia

A cirurgia para hérnia de disco é a última opção de tratamento, sendo indicada quando os sintomas não desaparecem com os outros tratamentos ao longo do tempo. A cirurgia pode retirar uma parte ou todo o disco intervertebral.

A maioria das pessoas melhora com o tratamento adequado da hérnia de disco. No entanto, mesmo após o tratamento, a pessoa pode ter dores prolongadas, sobretudo nas hérnias lombares.

Pode levar vários meses, 1 ano ou mais para poder retomar todas as atividades sem dor. Pessoas que têm trabalhos pesados ou que envolvem esforço físico podem precisar alterar suas atividades.

Hérnia de disco tem cura?

Hérnia de disco pode ter cura e tem tratamento para aliviar os seus sintomas. Porém, após o extravasamento do núcleo, não há formas de voltar a introduzir o conteúdo novamente dentro do disco. Isso significa que não é possível "empurrar" a hérnia para dentro.

Por isso, a única forma de curar a hérnia discal é através de cirurgia, que consiste na retirada parcial ou total do disco intervertebral comprometido. Mesmo assim, a cirurgia pode não garantir a cura completa dos sintomas e a pessoa pode ter dores crônicas e limitações permanentes.

O médico neurologista é o especialista indicado para diagnosticar e tratar casos de hérnia de disco.

Gostaria de saber sobre o resultado destes exames: Espondilose, Osteoartrose, Protusão Discal e Nódulo Sólido no Corpo Vertebral
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

De um maneira simplificada e popular (sem enrolação).

Espondilose: uma vértebra (osso da coluna) "escorrega" sobre a outra, saindo de sua posição normal;

Osteoartrose: degeneração (destruição) da cartilagem e consequentemente, degeneração da articulação;

Protusão Discal: famosa hérnia de disco;

Nódulo sólido de corpo vertebral: é um nódulo bem no meio do osso (vértebra).