Diagnóstico

Preventivo e o diagnóstico é de gardnerella/mobilungus?

O resultado do seu preventivo significa que você tem uma infecção por um germe com esse "nome estranho", não é grave, só precisa ir ao médico para fazer o tratamento que pode ser com uso de creme vaginal ou comprimidos.

Tenho hipotireiodismo que começou com o diagnóstico de TSH...

Os sintomas podem sim ser causados por isso, Talvez ou depende é a resposta para o hipotereoidismo ter evoluído para hipertireoidismo. "Normal" é não ter alteração no TSH.

Ardência durante e após evacuar o que fazer?

Antes de procurar um tratamento para qualquer doença ou sintoma que estamos tendo o ideal é procurarmos um diagnóstico e a partir do diagnóstico correto o tratamento fica muito mais fácil. O ideal é procurar um médico para saber exatamente o que você tem, pode ser hemorróida, fissuras no ânus ou outra doença.

Fiz um EEG e o diagnóstico foi de Atividade Irritativa?

É uma alteração no eletroencefalograma que significa que seu neurônios estão com a atividade elétrica acima do normal o que predispõe a pessoa a ter convulsões.

Fiz um ultrassom, o diagnóstico foi Tireoidite de Hashimoto?

Não há muito o que dizer, você está com uma doença auto-imune chamada Tireoidite de Hashimoto, é um tipo de inflamação da tireoide causada por anticorpos produzidos pelo seu próprio corpo.

Meu marido está com candidíase, mas eu não tenho?

Fique tranquila, isso não é indício de uma traição, candidíase não é uma DST, não é preciso ter relação sexual para ter candidíase.

Como é o diagnóstico e tratamento da ginecomastia?

Primeiro de tudo precisa ir ao médico, geralmente quem cuida dessa parte é o Mastologista que é uma sub-especialidade da ginecologia, mas pode procurar qualquer ginecologista, ele fará o exame da suas mamas e então decidirá o que fazer. Provavelmente terá que fazer uma ultrassonografia das mamas e a partir do resultado desse exame é que provavelmente vai dar para definir se o tratamento é cirúrgico ou com remédios.

Como é feito o diagnóstico do HIV?

O diagnóstico do HIV é feito a partir do resultado do exame de sangue específico.

Há vários tipos de testes disponíveis: teste de triagem, teste confirmatório, testes moleculares. Nesses testes, o/a paciente realiza a coleta de sangue em laboratório e o resultado é liberado em média após 4 horas.

Os testes rápidos ganharam visibilidade pela facilidade na realização, acessibilidade e a rapidez na liberação do resultado que pode demorar menos de meia hora. Eles podem ser feitos a partir de uma gota de sangue retirada do dedo da pessoa ou a partir da saliva captada por um dispositivo. Os testes rápidos são disponibilizados em unidades móveis e em algumas unidades de saúde e hospitais.       

Apesar de atualmente ser rara, falha no diagnóstico pode ocorrer e, em alguns casos, pode ser necessária a repetição com outros testes para confirmação. Outra consideração que deve ter é a questão da janela imunológica, o período no qual há presença do vírus no organismo da pessoa, porém ainda não houve uma resposta do sistema imune capaz de ser detectada nos testes.  

Todos esses testes são gratuitos e podem ser feitos a qualquer momento nas Unidades de Testagem Móvel ou nas Unidades de Saúde do Sistema Único de Saúde (SUS). 

Leia também: Para que serve o exame ELISA?

Como é feito o diagnóstico do HPV?

O diagnóstico do HPV é mais facilmente feito nos homens, pois as lesões normalmente estão visíveis na pele e no pênis. Em casos específicos deve ser feita uma anuscopia, quando há relações sexuais anais, para observação das lesões.

Já nas mulheres, quando a doença ainda não apresenta sintomas, o diagnóstico pode ser feito através do exame de células descamadas do útero e da vagina, e também de células obtidas por meio de uma raspagem delicada do colo do útero (Papanicolau).

Com a evolução da doença, podem surgir sintomas como sangramento vaginal, corrimento e dor. Nessa fase, o exame colposcópico tem como objetivo delinear os limites da extensão da doença no colo uterino e na vagina. Uma biópsia dirigida confirma o diagnóstico.

Como é feito o diagnóstico do diabetes?

O diagnóstico do pré-diabetes e do diabetes pode ser feito através dos seguintes exames:

  • Exame de glicemia em jejum (pré-diabetes ou diabetes): É o mais utilizado para diagnosticar o diabetes. Nele, mede-se a glicose sanguínea após um período de jejum de pelo menos 8 horas;
  • Teste oral de tolerância à glicose (pré-diabetes ou diabetes): Mede-se a glicose sanguínea após 8 horas de jejum e também 2 horas após a ingestão de um líquido com glicose;
  • Teste aleatório de glicose plasmática (diabetes): Este teste analisa a glicose sem considerar a última refeição e o seu resultado é avaliado juntamente com os sintomas do paciente;
  • Hemoglobina Glicada (HbA1c): Reflete o histórico da glicemia nos últimos 120 dias e os valores mantêm-se estáveis depois da coleta.
Valores de Referência para Diagnosticar o DiabetesExame de Glicemia em Jejum
  • Glicemia entre 100 mg/dl e 125 mg/dl: Pré-diabetes (propensão para desenvolver diabetes tipo 2);
  • Glicemia igual ou superior a 126 mg/dl: Diabetes. O diagnóstico é confirmado após repetição do exame num outro dia.
Teste Oral de Tolerância à Glicose:
  • Glicemia entre 140 mg/dl e 199 mg/dl: Pré-diabetes;
  • Glicemia igual ou superior a 200 mg/dl: Diabetes. O diagnóstico é confirmado após repetição do exame num outro dia.
Teste Aleatório de Glicose Plasmática (Exame de Glicose Random)

Pode haver diagnóstico de diabetes se a glicemia for igual ou superior a 200 mg/dl e estiver associada a algum dos seguintes sintomas:

  • Aumento do volume de urina;
  • Sede excessiva;
  • Fome excessiva;
  • Emagrecimento sem motivo aparente;
  • Cansaço;
  • Visão turva;
  • Feridas que demoram para cicatrizar.

O diagnóstico é confirmado após a realização de um exame de glicemia em jejum ou exame oral de tolerância à glicose, em outro dia.

Hemoglobina Glicada 
  •  HbA1c superior a 6,5% (com confirmação posterior): Diabetes (a confirmação é desnecessária se houver sintomas ou o paciente apresentar glicemia superior a 200 mg/dl);
  • HbA1c entre 5,7 e 6,4 %: Risco elevado de desenvolver diabetes.

O diagnóstico do diabetes deve ser feito pelo médico endocrinologista.

Como é feito o diagnóstico da doença de Alzheimer?

O diagnóstico do mal de Alzheimer pode ser feito clinicamente ou através de biópsia cerebral (raríssimos casos). O diagnóstico clínico tem os seguintes critérios:

  • Demência atestada pelo exame clínico e por testes padronizados, como o mini-mental;
  • Déficit em duas ou mais áreas cognitivas (memória, linguagem, raciocínio, concentração, juízo, pensamento, etc.);
  • Déficits cognitivos com piora progressiva;
  • Início depois dos 40 anos e antes dos 90 anos de idade;
  • Não apresentar outra doença neurológica ou sistêmica que cause déficits cognitivos.

Os critérios acima conseguem identificar corretamente a doença de Alzheimer em até 90% dos casos.

O diagnóstico definitivo da doença de Alzheimer é confirmado através de biópsia do tecido cerebral, sendo por isso raramente realizado.

Análises de sangue e exames de imagens (tomografia computadorizada, ressonância magnética) auxiliam no despiste de outras causas de demência, mas não são capazes de estabelecer o diagnóstico de doença de Alzheimer.

Em caso de suspeita de Doença de Alzheimer (você ou um familiar/amigo), um médico (preferencialmente um geriatra) deverá ser consultado.

Ele poderá avaliar detalhadamente, através de anamnese, exame físico e eventuais exames complementares, se este é realmente seu diagnóstico, orientá-lo e prescrever o melhor tratamento, caso a caso.

Enjoo a partir de diagnóstico de miomas múltiplos é normal?

Miomas não dão enjoo, mas ansiedade porque descobriu que tem miomas sim.