Perguntar
Fechar
Dor, ardência e carocinhos na língua, o que pode ser?
Dr. Ivan Ferreira
Dr. Ivan Ferreira
Médico

A dor, ardência e carocinhos na língua podem ser causados por uma irritação das papilas gustativas por alguma substância irritativa ou picante. Também pode ser causados por alergias à alimentos, temperos, álcool ou pastas de dente. Quando há uma reação alérgica ou uma inflamação, as papilas gustativas presentes na língua tendem a ficar com aspecto inchado e alisado, podendo ser acompanhada por dor e ardência.

Outras causas possíveis para dor, ardência e lesões na língua: líquen plano oral, infecção por fungos ou bactérias, alergia à substâncias irritantes como álcool, tabaco, temperos, alimentos cítricos, eritema multiforme, aftas, herpes oral, Síndrome da Ardência Bucal (SAB).

Uma boa higiene diária da boca e da língua, com sua escovação frequente, pode evitar alguns desses problemas. O dentista e o gastroenterologista são os profissionais que podem diagnosticar e tratar os problemas relacionados com a língua.

Saiba mais em: Quais são os sintomas do câncer de língua?

Como aliviar dor causada por sinusite?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Para aliviar a dor causada pela sinusite é preciso desobstruir os seios paranasais, favorecendo a eliminação da secreção acumulada, de forma a impedir a congestão nasal. Isso pode ser feito com tratamentos caseiros ou remédios específicos para tratar a sinusite.

Quais remédios posso usar para sinusite?

Os medicamentos que podem aliviar a dor da sinusite são os analgésicos, como paracetamol, dipirona ou ibuprofeno.

Descongestionantes nasais podem desentupir o nariz, mas o uso prolongado desses remédios pode piorar os sintomas e por isso cada vez mais se desestimula o seu uso. Quando necessário, devem ser utilizados apenas se recomendados pelo médico.

Em alguns casos, pode ser indicado o uso de antibióticos. Nesse tipo de situação, o médico precisa avaliar a gravidade dos sintomas para saber se é necessária a prescrição desse tipo de medicamento.

Existe algum remédio caseiro para sinusite?

Veja algumas coisas que você pode fazer em casa para amenizar a dor na testa e na face causada pela sinusite:

1. Utilize um spray nasal com soro fisiológico ou pingue o soro no nariz, várias vezes ao dia. É a forma mais eficiente de limpar e desobstruir o acúmulo de secreções nos seios paranasais. Pode ser utilizada uma seringa cheia de soro fisiológico e destilar o soro diretamente em grande quantidade dentro de ambas as narinas;

2. Faça inalação de vapor 2 a 4 vezes por dia. Você pode fazer isso usando um nebulizador ou inalando o vapor de uma bacia com água fervida;

3. Coloque uma toalha quente e úmida no rosto, várias vezes ao dia;

4. Beba bastante água para ajudar a fluidificar o muco dos seios paranasais;

5. Evite locais com ar condicionado;

6. Use umidificador para manter o ambiente úmido, desde que o aparelho tenha um filtro limpo;

7. Evite inalar substâncias que possam irritar o nariz, como fumaça de cigarro ou perfumes fortes;

8. Evite mudanças bruscas de temperatura e quando possível incline a cabeça para baixo.

Para maiores esclarecimento, consulte um médico clínico geral, médico de família ou otorrinolaringologista.

Dor no estômago e dor nas costas, o que pode ser?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

A dor no estômago e dor nas costas que acontecem ao mesmo tempo, sugerem um problema gastrointestinal, como uma gastrite, refluxo e excesso de gases.

No entanto, existem outras causas, como: pedra nos rins, infecção urinária, inflamação de vesícula, inflamação do pâncreas (pancreatite), contraturas musculares e dissecção de aorta.

Algumas situações são menos preocupantes, mas outras podem oferecer risco de morte, como a pancreatite e a dissecção de aorta. Portanto, se apresenta os sintomas com frequência ou se a dor vier associada a febre, vômitos e queda da pressão, procure um atendimento médico para avaliação.

1. Gastrite

Na gastrite, inflamação da parede do estômago, os sintomas são de dor na "boca do estômago", dor localizada na região central da barriga, associada a outros sintomas típicos, como a azia, indigestão, sensação de barriga inchada e mau hálito.

A dor pode ser irradiada para as costas, devido ao incômodo, que leva a posturas de compensação e com isso, mau jeito e contraturas musculares.

O tratamento deve ser feito com antiácidos, alimentação balanceada, comer mais vezes e em menor quantidade, além de reduzir o peso (para pessoas acima do peso ideal) e acompanhamento regular por um gastroenterologista.

2. Refluxo

O refluxo gastroesofágico causa queimação no peito, que pode vir acompanhada de "dor no peito", que irradia para o dorso, por vezes confundida com infarto do coração, devido a sua localização e intensidade.

A azia e a dor no peito nos casos de refluxo, ocorrem principalmente após a alimentação.

O tratamento também deve ser acompanhado pelo gastroenterologista e se baseia na mudança de hábitos, alimentação balanceada e uso de medicamentos antiácidos.

3. Gases

O acúmulo de gases no abdome, pelo consumo de alimentos gordurosos ou bebidas gaseificadas, é uma causa comum de dores abdominais que irradiam para as costas.

Outros sintomas associados são a sensação de barriga inchada e episódios de arrotos e flatulência.

O alívio dos sintomas se dá com massagens, movimentação, e quando preciso, medicamento antigases, como a simeticona®.

4. Pedra nos rins

A doença renal, seja presença de pedra nos rins ou infecção renal, pode causar a dor na região nas costas que irradia para a barriga.

Na presença de pedras, a dor pode vir associada a náuseas, vômitos, suor frio e sangue na urina. Na infecção urinária que atinge os rins, é comum a presença de febre e ardência ao urinar, junto com a dor.

O tratamento deverá ser definido pelo urologista. Nos casos de infecção urinária é preciso uso de antibióticos. Na presença de pedra obstruindo o fluxo de urina, antibióticos e procedimento cirúrgico para a retirada e restabelecimento do fluxo urinário.

5. Cálculo na vesícula

A presença de pedras na vesícula causa cólicas, náuseas e vômitos, após a alimentação mais gordurosa. Essa dor pode ser irradiada para o dorso, especialmente se houver inflamação na parede da vesícula.

O tratamento definitivo é feito com a retirada do órgão por cirurgia. O cirurgião geral é o responsável pela avaliação e conduta.

6. Pancreatite

A pancreatite é a inflamação do pâncreas e tem como sintoma principal a dor que se inicia no meio da barriga e se espalha para a costas, formando uma dor em "cinturão de dor". Além da dor é comum a presença de náuseas,vômitos, suor frio e febre.

Trata-se de uma doença grave, que pode levar ao óbito se não for rápida e devidamente tratada.

O tratamento consiste em suspender completamente alimentação pela boca, medicamentos e pesquisa da causa desse problema. Se a causa for um cálculo impactado, pode ser indicado um procedimento cirúrgico de urgência.

Na suspeita de pancreatite, procure um serviço de emergência.

7. Dissecção de Aorta

A dissecção da artéria aorta, é o descolamento entre as suas paredes (interna e média), que formam um espaço e permite o acúmulo de samgue nesse espaço. O acúmulo de sangue (hematoma), causa uma fragilidade nesse vaso.

Com isso, um trauma ou aumento da pressão podem levar a ruptura da artéria. No entanto, por ser a maior artéria do corpo humano, a sua ruptura causa um sangramento grave e alto risco de morte.

Os sintomas são de dor súbita na região do tórax, que irradia para o meio das costas. O paciente pode sentir ainda, mal-estar, suor e queda da pressão.

Na suspeita de dissecção de aorta, procure imediatamente uma emergência médica.8. Dor muscular

A dor muscular, devido a um mau jeito, trauma, ou posturas ruins no dia a dia, causam dor no dorso ou em toda a parte das costas, pode também irradiar-se para o dorso, dependendo do grupo muscular comprometido.

Neste caso, o tratamento deve ser feito com repouso e uso de relaxante muscular.

Quando procurar uma emergência?

Quando apresentar dor associada a um dos sinais e sintomas listados abaixo, procure imediatamente uma emergência médica.

  • Dor em cinturão, associada a náuseas e vômitos
  • Febre alta (acima de 37.8º)
  • Queda da pressão arterial, suor frio
  • Icterícia (olhos ou pele amarelada)
  • Alteração neurológica (dor associada a desmaio ou perda da consciência).

Para maiores esclarecimentos, converse com o seu médico de família ou clínico geral.

Saiba mais sobre como tratar a gastrite e problemas gástricos nos seguintes artigos:

Referências:

FBG - Federação Brasileira de Gastroenterologia

É normal sentir dores na barriga antes da menstruação?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Dor antes da menstruação tipo fisgada, cólica ou contínua (vários tipos) são muito comuns, podem significar apenas variações hormonais normais ou fazer parte da TPM (tensão pré-menstrual), como podem estar associadas com várias doenças como no caso dos cistos de ovário. Precisa ir a um ginecologista para ver o que está acontecendo e tratar.

Leia também: É normal ter cólica fora do período menstrual? O que pode ser e o que fazer?

Senti muita dor nos seios, posso estar grávida?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Se você teve relações sexuais sem usar nenhum método contraceptivo existe sim a chance de ser gravidez, mas o principal sintoma é o atraso menstrual. Os outros sintoma juntos com o atraso menstrual são importantes. Dor nos seios sem mais nada associado é somente dor nos seios e mais nada, não significa gravidez, a princípio.

O que pode ser dor na virilha durante a gravidez?
Dra. Ângela Cassol
Dra. Ângela Cassol
Médico

Dor na virilha durante a gravidez é muito comum, pois, nesta época, as articulações ficam mais "soltas", o que é normal, especialmente no terceiro trimestre de gravidez, quando a barriga já está mais pesada. A dor na virilha por esta causa não traz prejuízo ao bebê.

A dor na virilha pode ser pior em algumas situações, como deitar de barriga para baixo, ao andar, ao abrir as pernas, no fim do dia e depois de algum tipo de esforço físico.

O tratamento para a dor na virilha consiste no uso de anti-inflamatórios e analgésicos, sob prescrição médica, e pode ser utilizada um tipo de lingerie especial que dá mais estabilidade à região pélvica. Podem ser benéficas também sessões de fisioterapia.

É importante lembrar que a gestante também pode ter dor na virilha por outras causas, como:

  • artrose ou bursite de quadril;
  • apendicite;
  • infecção urinária;
  • ínguas;
  • pedras nos rins;
  • inflamação dos intestinos.

Para determinar a causa da dor na virilha, deverá ser consultado um médico gineco-obstetra. No caso de associação com febre e alterações do hábito urinário e/ou intestinal, deverá ser procurado um pronto atendimento.

Dor pélvica na gravidez, o que pode ser?
Dr. Marcelo Scarpari Dutra Rodrigues
Dr. Marcelo Scarpari Dutra Rodrigues
Médico

Dor pélvica na gravidez é bastante comum (ocorre em cerca de 50% das gestantes) e pode ocorrer por diversos motivos, como por exemplo:

  • O aumento da produção do hormônio chamado relaxina, responsável em tornar os ligamentos e articulações da pelve mais elásticas, facilitando a passagem do bebê na hora do parto;
  • Postura física que se modifica com o avanço da gravidez e o peso do bebê, pressionando órgãos, músculos, ligamentos e articulações e ocasionando a dor;
  • Aumento dos gases intestinais;
  • Embora geralmente seja fisiológica (normal), a dor também pode ser devido a causas graves e que requerem intervenção cirúrgica imediata, tais como gestação ectópica, rotura uterina, endometriose, apendicite, etc, por isso sempre consulte seu ginecologista!

Leia também: O que é calcificação pélvica?

Há várias táticas que podem ser adotadas para combater a dor fisiológica na pelve, na virilha e no púbis:

  • Tenha cuidado ao realizar suas atividades diárias. Existem técnicas de fisioterapia que podem ajudar a manter a estabilidade da pelve em tarefas que causam dor, caminhar ou ficar em pé.
  • Pilates ou outros exercícios melhoram a estabilidade da pelve e das costas, sendo muito importante fortalecer os músculos da barriga e do assoalho pélvico.
  • Cintas de suporte são aconselhadas por vários especialistas, pois podem aliviar a dor e ser usada durante toda a gravidez.
  • Calcinhas altas e com costura reforçada no abdome aliviam o peso na bacia.
  • Sessões de massagem suave e fisioterapia podem aliviar o stress acumulado nas costas, bacia e pelve.
  • A acupuntura pode ser uma solução, mas é importante procurar um profissional especializado no tratamento de gestantes.
  • Se você tem dores quando está na cama e tenta se virar de um lado para o outro, pode se levantar usando a seguinte técnica: segure os joelhos, aproximando-os do peito; contraia os músculos do abdome e do assoalho pélvico e dê um impulso para a frente para se sentar. Essa técnica ajudará a manter a estabilidade da pelve.
  • Deve evitar deitar com as pernas esticadas e com a barriga virada para cima. Quando não tem outra solução, coloque um travesseio atrás das costas, perto da cintura e tente manter os joelhos dobrados. Descansar na banheira ou no sofá pode forçar essa posição e por isso outras posições confortáveis devem ser treinadas.  O mesmo se aplica se você for fazer uma massagem.
  • Quando caminhar, faça uma pequena curvatura com as costas e balance os braços, como se estivesse marchando. Esse movimento ajudará a fixar a pelve.
  • Não esqueça de fazer os exercícios de Kegel para o assoalho pélvico com regularidade, porque eles fortalecem a pelve.
  • Evite sempre que puder carregar peso ou mover objetos pesados. Mesmo o carrinho com compras pode prejudicar a situação. Quando for possível, recorra a um serviço de entregas ou peça ajuda para cumprir essa tarefa.
  • Descanse sempre que puder. Sentar em uma bola de ioga pode ajudar, assim como a posição de gato, com as mãos e joelhos no chão.
  • Evite fazer muito esforço físico. Você pode não sentir a consequência na hora, mas a dor pode surgir apenas no fim do dia.
  • Na hora de dormir, uma superfície fofa pode ajudar, por isso deite por cima de um cobertor macio.
  • Quando se vestir, fique sentada na hora de tirar e colocar a calça e a calcinha.
  • Aplicar uma bolsa de água quente pode ajudar a aliviar a dor.

Em caso de dor pélvica na gravidez, um médico (preferencialmente um ginecologista) deverá ser consultado. Ele poderá avaliar detalhadamente, através de anamnese, exame físico e eventuais exames complementares, qual é o seu diagnóstico correto, orientá-la e prescrever o melhor tratamento, caso a caso.

Quem tem gastrite e esofagite sente dor no peito?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Sim, quem tem gastrite e esofagite pode sentir dor no peito, principalmente a esofagite, já que o esôfago fica localizado dentro da caixa torácica. Muitas vezes os pacientes sentem dor no peito por causa da esofagite e ficam preocupados, pois acham que estão sofrendo de alguma doença do coração.

Já na gastrite, a dor localizada na boca do estômago pode irradiar para outros locais, podendo também provocar dor no peito.

Alguns dos sintomas da esofagite e gastrite:

  • Esofagite:

    • Sensação de queimação no peito, pescoço e garganta;
    • Regurgitação ácida;
    • Dificuldade para engolir alimentos;
    • Dor no peito, que nos casos mais graves pode parecer uma dor cardíaca;
    • Rouquidão;
    • Dor de garganta, 
    • Mau hálito;
    • Tosse seca.
  • Gastrite:
    • Dor na boca do estômago que pode irradiar para outras partes do corpo, incluindo o tórax;
    • Azia;
    • Perda de apetite;
    • Náuseas e vômitos;
    • Sangue nas fezes ou no vômito.

Leia também: Quais os sintomas de gastrite?; O que é esofagite erosiva e quais os sintomas?

Dentre as possíveis causas de dor no peito, além de gastrite e esofagite, estão:

  • Gases;
  • Ansiedade;
  • Infarto;
  • Doenças respiratórias, como pneumonia, pleurite, câncer no pulmão, embolia pulmonar;
  • Lesões musculares ou nas costelas;
  • Herpes-zoster;
  • Úlceras.

Para ter a certeza de que a dor no peito é mesmo proveniente da gastrite e da esofagite, é recomendável consultar o/a médico de família, clínico/a geral, ou o próprio gastroenterologista, de maneira a despistar outras possíveis causas mais graves.

Também pode lhe interessar: 

Esofagite causa perda de peso? O que fazer para evitar isso?

Esofagite pode virar câncer?

Sinto pontadas no peito. O que pode ser?

Dor no ovário direito durante dois dias o que pode ser?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

A dor sentida na região do ovário direito pode ser , na realidade, uma dor pélvica, que pode ter origem nos ovários, nas trompas, no útero, no aparelho urinário (ureteres, bexiga), ou ainda nos intestinos, músculos ou nervos localizados na porção inferior do abdômen.

Em geral, uma dor pélvica que dura dois dias e depois desaparece está associada à ovulação e é bastante comum.

Existe uma série de causas para as dores pélvicas femininas, cujas características podem fornecer pistas importante quanto ao órgão afetado:

  • Dor de início súbito, que aumenta de intensidade progressivamente: Pode se tratar de uma emergência cirúrgica, como apendicite, torção de cisto ovariano, ruptura de uma gravidez tubária. O diagnóstico é confirmado através de exame físico, exames de sangue e urina, raio-x, ultrassom, tomografia ou ressonância magnética;
  • Dor periódica, associado a momento específico do ciclo menstrual: Pode ter várias causas, desde cólicas menstruais a dores com duração máxima de 48 horas, que ocorrem durante a ovulação;
  • Dor crônica, de instalação lenta e com episódios que duram mais de 6 meses: Pode ter origem nos intestinos ou outras vísceras pélvicas, coluna lombar, parede abdominal ou ainda ser causa por aderências ou endometriose.

Em caso de dor pélvica, a mulher deve consultar o/a médico/a ginecologista, clínico/a geral ou médico/a de família. Através das informações prestadas pela paciente, dos resultados do exame físico e exames complementares (sangue, urina, ultrassom) o/a médico/a poderá diagnosticar a origem da dor e indicar o tratamento correto.

Depois que tirei a vesícula tenho muita dor abdominal...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Bom partindo do princípio que há uma ligação com a ausência de sua vesícula, pode ser algo relacionado com a digestão das gorduras, caso não seja isto pode ser algo relacionado com a "não aceitação" por parte do seu organismo da sua nova "configuração corporal". Procure um médico homeopata.

Leves enjoos e dor de cabeça há 2 semanas, o que pode ser?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Os seus sintomas podem ser de gravidez, visto que o coito interrompido tem uma alta taxa de falha. Em média, 20% das mulheres que se protegem apenas dessa maneira, engravidam.

Contudo, existem outras possibilidades para os sintomas de enjoo e dor de cabeça, como a amamentação, alimentação ruim, jejum prolongado, pressão alta, distúrbios do sono, enxaqueca, problemas de vista, ansiedade, entre outras.

Principais causas de dor de cabeça e estômago embrulhado: 1. Gravidez

O sintoma mais conhecido e comum para a suspeita da gravidez é o atraso menstrual, ou seja, a ausência da menstruação após 14 dias do dia esperado.

No entanto, a ação dos hormônios nesse período pode causar outros sintomas, como:

  • Dor de cabeça leve;
  • Enjoo, especialmente no período da manhã;
  • Maior sensibilidade nas mamas;
  • Aumento de peso, sensação de inchaço;
  • Aumento da frequência urinária,
  • Cansaço e
  • Desconforto na região da bacia (na cintura).

Embora não aconteça em todas as mulheres e nem em todas as gestações, são sintomas comuns no início de uma gravidez, e por isso, é preciso investigar.

O teste de farmácia pode ser comprado sem receita, é simples e bastante confiável. Basta colher a urina em um recipiente e colocar o teste na urina. A presença de duas linhas, ou de "positivo", confirma a gravidez. Apenas lembre de realizar após 14 dias de atraso. Assim como o teste de sangue (Beta HCG).

O teste de sangue, onde é feita a pesquisa do hormônio Beta HCG no sangue, é mais fidedigno e pode sugerir o tempo de gestação. Mas esse deve ser pedido pelo médico, durante a consulta.

2. Amamentação

A própria amamentação é um momento da vida da mulher em que o organismo está mais sobrecarregado. Além disso, na amamentação existem condições como acordar a noite, fragmentando o sono, quando se amamenta de noite, que pode ser suficiente para resultar em sintomas de cansaço, dores de cabeça, insônia, distúrbios de humor e enjoos.

3. Alimentação

Comer pouco, permanecer muito tempo em jejum, ou não se alimentar bem, pode resultar em um quadro de anemia, carência de vitaminas e distúrbios hormonais, já que faltam nutrientes para a formação dessas substâncias.

Especialmente para as mulheres que estão amamentando, é fundamental uma boa alimentação, sem restrição de alimentos ou dietas. Além dos alimentos, o organismo precisa de grande quantidade de água. Procure beber bastante água durante o dia.

4. Pressão alta

O aumento da pressão arterial é uma outra causa possível. A pressão alta pode resultar pode se apresentar inicialmente com dor de cabeça, na nuca ou por toda a cabeça, associada a enjoo, mal-estar, embrulho no estômago, calor, vermelhidão no rosto e palpitação.

Por ser uma doença muito comum na população é responsável por problemas graves como o AVC e o infarto do coração, procure sempre medir a pressão quando sentir esses sintomas.

O médico da família, clínico geral ou cardiologista, podem avaliar e orientar quanto ao tratamento de pressão alta.

5. Distúrbios do sono

O sono pode desencadear diferentes problemas na saúde.

O organismo precisa de 6 a 8 horas de sono, passando por todas as etapas do sono, para a recuperação celular e armazenamento de energias para um novo dia. O acúmulo de sono ruim ou falta de sono reparador, é uma causa comum de dores de cabeça, crises de enxaqueca, enjoo e cansaço extremo.

Os distúrbios do sono podem ser tratados pelo médico da família, clínico geral ou neurologista.

6. Enxaqueca

A enxaqueca é uma doença crônica, que se caracteriza por dores de cabeça associada a enjoo, mal-estar, visão borrada, que pioram com a luz e o barulho.

A crise de dor de cabeça pode ser leve, moderada ou grave e pode durar dias consecutivos.

O tratamento varia de acordo com a intensidade e a frequência de dor. Procure um neurologista para essa avaliação e orientações.

7. Problemas de visão

Os problemas de vista também são uma causa comum de dores de cabeça e enjoo, principalmente se forem mais frequentes no fim da tarde, quando a vista está cansada pelo esforço exercido durante todo o dia.

O oftalmologista é o médico responsável pela avaliação e tratamento dos problemas de vista.

8. Ansiedade

A ansiedade e o estresse, distúrbios de humor em geral, promovem alterações no organismo, que contribuem para sintomas como dores de cabeça, mau-humor, enjoo, bolo na garganta e cansaço físico.

A ansiedade é mais uma causa a ser investigada, especialmente quando os sintomas forem mais frequentes e associados a tensão e uma situação de estresse.

Em caso de distúrbios de humor, procure um psicólogo ou psiquiatra para uma avaliação. A grande maioria dos quadros de ansiedade tem cura, não deixe de procurar atendimento.

O que fazer para melhorar o enjoo e as dores de cabeça?

As orientações são diferentes para cada situação. Inicialmente recomendamos que faça o teste de gravidez, porque sendo essa a causa, deverá iniciar um acompanhamento muito específico, de pré-nata e evitar medicamentos que possa interferir na formação do bebê.

Sendo afastada a possibilidade de gravidez, outras medidas ajudam no alívio desses sintomas.

Fazer uso regular das suas medicações. Procure tomar as medicações conforme a orientação médica, em um mesmo horário, especialmente medicamentos controlados.

Alimentar-se adequadamente, ajuda bastante porque em quase todas as situações, a nutrição ajuda ou resolve completamente o problema. Por exemplo, na anemia, na carência nutricional, jejum prolongado, fadiga, problemas hormonais e até para a enxaqueca, uma boa alimentação é o primeiro passo do tratamento.

Os alimentos são fontes de vitaminas, aumentam a produção de hemácias, hormônios e trazem bem-estar. Uma das causas de enxaqueca é o jejum prolongado. O cérebro depende de glicose e oxigênio para funcionar bem. Evitar o jejum reduz consideravelmente as crises de enxaqueca.

Beber água durante o dia, pelo menos 1 litro e meio, é uma outra medida fundamental para o bom funcionamento do organismo, que é composto de água na sua imensa maioria.

Adotar bons hábitos de vida. Praticar atividades físicas com regularidade, evitar hábitos ruins como consumo de bebidas alcoólicas com frequência, fumar cigarro e estresse, quando possível, favorecem o bom funcionamento do organismo, bem-estar e controle do humor.

Se mesmo com o cuidado de alimentar-se bem, beber água e evitar maus hábitos, continuar com os sintomas, procure um médico para investigar outras causas e orientar quanto ao melhor tratamento.

Para maiores esclarecimentos, converse com o seu médico de família ou ginecologista.

Referência:

  • Ministério da Saúde do Brasil
  • FEBRASGO - Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia
Dor no pênis. O que pode ser?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Dor no pênis pode ser causadas por ereção prolongada, inflamações na glande ("cabeça do pênis") ou na próstata, presença de pequenas fissuras, doenças sexualmente transmissíveis, ou por traumas no pênis provocados durante a penetração, principalmente se os movimentos forem mais intensos.

Ereção prolongada

A ereção prolongada pode acarretar uma má oxigenação dos corpos cavernosos, que se enchem de sangue quando o pênis está ereto e são responsáveis pelo seu aumento de tamanho e volume.

A diminuição da chegada de oxigênio a essas estruturas pode resultar em dor no pênis se ele permanecer ereto por muito tempo.

Balanite

A inflamação da glande é chamada de balanite e pode ou não estar associada a uma infecção. A balanite normalmente está relacionada com micro-organismos infecciosos transmitidos através de relação sexual desprotegida.

A inflamação também pode ser causada por doenças de pele, alergias, traumas, má higiene ou ainda câncer de pênis.

Os principais sintomas da balanite são dor na cabeça do pênis, vermelhidão e aumento da temperatura local. Também pode haver inchaço e feridas na glande.

Quando há infecção, também podem estar presentes bolhas com pus, além de coceira e secreção com mau cheiro.

Prostatite

Outra causa de dor no pênis é a prostatite (inflamação na próstata), que também pode provocar dor no abdômen inferior, dor durante a ejaculação e dores na região do períneo, que fica entre os testículos e o ânus.

A ejaculação dolorosa é um dos principais sintomas de prostatite. A dor costuma surgir logo após a ejaculação e pode durar horas ou dias. Uma possível causa de prostatite são as doenças sexualmente transmissíveis, sobretudo em homens jovens.

Leia também:

O que é prostatite e quais os sintomas?

Dor na hora da ejaculação é normal? O que pode ser e o que fazer?

Doenças sexualmente transmissíveis

Doenças como Sífilis, Gonorreia ou infecção pela Clamídia costumam causar coceira e vermelhidão, mas também em alguns casos podem levar a quadro de dor local, ou pequenas fissuras.

 Em caso de dor no pênis, consulte um médico urologista para que a causa da dor seja devidamente identificada e tratada.

Também podem lhe interessar:

Tenho o pênis inchado, o que pode ser?

Corrimento no pênis: o que pode ser e como tratar?

Coceira no pênis, o que pode ser?

Tenho feridas no pênis. O que pode ser e o que fazer?

Rompimento no freio do pênis: o que fazer?