Perguntar
Fechar
Fiz biópsia de próstata e sei que sai sangue no esperma...
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Continue sua vida normalmente, não há necessidade de forçar a saída de esperma. O repouso é aconselhável após a biópsia.

os primeiros dias após a biópsia da próstata pode haver saída de pequena quantidade de sangue pelo esperma, pela urina ou por via retal. Com o tempo ocorre a cicatrização do local da biópsia e a melhora dos sintomas.

Outros sintomas que podem acontecer após a biópsia prostática são dor na região e eventualmente dificuldade para urinar.

Quando devo procurar um médico após a biópsia de próstata?

É muito importante estar atento a sinais de alarme que quando presentes devem levá-lo a procurar um urologista, estes sinais são a incapacidade de urinar, sangramento prolongado que não melhora com o tempo, febre e dor intensa e persistente.

Estes sinais podem indicar uma possível infecção, por isso, devem ser avaliados por um médico.

Na maioria dos casos pode-se voltar as atividades habituais logo após a biópsia, no entanto, muitos médico recomendam evitar atividade física e esforço físico durante alguns dias

Como é feita a biópsia de próstata?

A biópsia de próstata é um procedimento médico caracterizado pela retirada de pequena quantidade de tecido prostático através de uma agulha guiada por ultrassom. O exame é feito sob anestesia e é indolor, embora possa causar algum desconforto.

Esse exame está indicado na situação de suspeita de câncer de próstata, quando por exemplo é encontrado um nódulo ou observa-se alterações na consistência da próstata. Quando o paciente apresenta exames anteriores alterados como um PSA muito elevado e alterações no ultrassom da próstata, também está indicada a realização da biópsia.

Para mais informações consulte o seu médico urologista.

Qual exame fazer para saber se o homem é estéril?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Espermograma é o primeiro e o mais importante exame a ser feito na avaliação do homem infértil. Além disso, a avaliação da infertilidade abrange uma história clínica aprofundada e exame físico.

A depender do resultado também podem ser necessários outros exames. O exame de urina não serve para diagnosticar infertilidade ou a sua causa.

O que aumenta o risco de infertilidade no homem?

Diferentes condições podem ser fatores de risco para problemas de fertilidade. Por isso, durante a consulta o médico busca compreender quais desses fatores podem estar envolvidos e contribuir com a infertilidade. Entre esses fatores de risco destacam-se:

  • Antecedentes de quimioterapia;
  • Antecedentes de cirurgias testiculares;
  • Tabagismo;
  • Alcoolismo;
  • Consumo de drogas de abuso;
  • Uso de certos tipos de medicamentos (cimetidina, sulfassalazina, entre outros)
  • Casos de infertilidade na família.

Além disso, o médico também avalia a função eréctil e ejaculatória para detectar possíveis problemas que podem prejudicar a fertilidade.

O que é o espermograma?

O espermograma é um exame que avalia a quantidade e a qualidade do esperma, assim é possível avaliar a funcionalidade testicular. Quando o espermograma está normal, praticamente descarta-se a infertilidade masculina.

Caso o espermograma apresente alterações é necessário aprofundar a investigação médica. Podem ser necessário exames de avaliação hormonal, ultrassom ou avaliação genética, a depender da suspeita clínica. Mais raramente pode ser necessário realizar uma biópsia testicular para melhor avaliação.

No entanto, em cerca de 40% dos casos de alterações espermáticas não são encontradas as causas subjacentes que sejam detectáveis.

Leia também: Como é feito o espermograma?

Qual o tratamento para infertilidade masculina?

O tratamento da infertilidade masculina dependerá da causa encontrada e poderá incluir desde mudanças de hábitos, suspensão de medicamentos, reposição hormonal ou procedimentos cirúrgicos.

Para aqueles homens que apresentam alterações espermáticas, mas não foi encontrada uma causa, pode-se recorrer a técnicas de reprodução assistida, como inseminação artificial ou fertilização in vitro.

Na suspeita de infertilidade masculina procure um médico de família ou clínico geral para uma avaliação inicial. Em algumas situações pode ser necessário também a avaliação e acompanhamento por um médico urologista.

Também pode lhe interessar:

Entendendo os resultados do espermograma

Minha dúvida é que eu e minha namorada temos relações...
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Se ela toma anticoncepcional e vocês usam camisinha dificilmente ela irá engravidar, o risco de gravidez é mínimo.

Quanto tempo o espermatozoide sobrevive fora do corpo humano?

Além disso, o espermatozoide sobrevive pouquíssimo tempo fora do corpo humano, entre 1 a 2 minutos em ambiente sem as condições adequadas, como por exemplo, quando cai na pele, em roupas ou banheiras. Por isso, não é possível engravidar apenas ao entrar em contato com esperma presente no ambiente, em roupas ou ejaculação que tenha ocorrido fora da vagina.

Em algumas situações se estiver em um ambiente um pouco mais protegido da desidratação e com temperatura adequada os espermatozoides podem durar entre 30 minutos a no máximo 2 horas. Isso ocorre por exemplo quando há coleta de sêmen em frascos de exames ou em situações mais raras quando o sêmen fica retido num preservativo.

Quanto tempo o espermatozoide sobrevive dentro do corpo humano?

Dentro dos testículos os espermatozoides podem permanecer por longos períodos, geralmente ficam retidos entre 5 a 7 dias. Já dentro do corpo da mulher os espermatozoides sobrevivem durante horas a até 2 ou 3 dias, isto porque a vagina já apresenta uma temperatura um pouco mais favorável, embora as diferenças do pH e de composição do muco possam tornar o ambiente menos favorável.

O tempo total de sobrevivência também depende da qualidade dos espermatozoides e do líquido seminal, homens por exemplo tabagista ou usuários de drogas apresentam um sêmen espermatozoides menos resistente e um líquido seminal de pior qualidade, portanto, os espermatozoides não conseguem sobreviver durante muito tempo.

Pra mais informações consulte o seu clínico geral ou médico de família.

Quais são as causas da azoospermia?
Dr. Ivan Ferreira
Dr. Ivan Ferreira
Médico

A  azoospermia pode ser causada por uma falha na produção de espermatozoides pelos testículos (azoospermia secretora) ou por obstrução dos canais que levam os espermatozoides dos testículos para o sêmen (azoospermia obstrutiva) .

A ausência de espermatozoides no sêmen é chamada azoospermia, no entanto pode ser que haja produção de espermatozoides nos testículos sem que eles consigam chegar ao esperma. Nesse caso é necessário um exame dos testículos (biópsia) para avaliar se há produção de espermatozoides.

As possíveis causas da azoospermia são: distúrbios hormonais; doenças geniturinárias; doenças genéticas (sem causas conhecidas); criptorquidia, que é a situação onde não há a descida dos testículos até o escroto (bolsa testicular) ao nascer; ter sido submetido à vasectomia e obstrução dos canais (epidídimo e ductos deferentes) que transportam os espermatozoides dos testículos ao esperma.

O médico especialista em reprodução humana é o profissional capacitado para o diagnóstico e tratamento dos problemas de fertilidade.

Tenho 30 anos e tenho os testículos muito pequenos...
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Pode interferir sim. Só existe uma maneira de você saber sobre a qualidade do seu esperma que é através de um exame chamado espermograma. Este exame irá avaliar melhor a quantidade, qualidade e mobilidade dos espermatozoides.

Quais são os exames para avaliar a infertilidade no homem?

Além da análise do sêmen também pode ser necessária uma avaliação hormonal durante a pesquisa da infertilidade masculina, visto que disfunções endócrinas são mais frequentes nos homens inférteis e alterações hormonais podem ocasionar infertilidade.

Eventualmente também pode ser necessário a realização de uma investigação microbiológica, pois algumas doenças como infecção do trato urinário, infecção nas glândulas acessórias masculinas e doenças sexualmente transmissíveis podem aumentar o risco de infertilidade

O médico também pode solicitar uma avaliação genética, embora seja mais raro alguns casos de infertilidade podem ter origem genética

O ultrassom também é um exame frequentemente solicitado para a avaliação do homem infértil. Este exame pode indicar doenças ou anormalidade que podem acometer o testículo do homem como mal formações ou obstruções no ducto ejaculatório. Também podem ser diagnosticados casos de varicocele, microcalcificações, cistos ou tumores testiculares.

O que causa a infertilidade no homem?

Diversos fatores podem aumentar o risco ou ocasionar a infertilidade masculina, entre eles tem-se:

  • Fatores congênitos, como presença de criptorquidia e disgenesia testicular ou ausência congênita dos vasos deferentes;
  • Anormalidades urogenitais adquiridas, como obstrução, torção testicular, tumor testicular ou orquite;
  • Infecções do trato urogenital;
  • Aumento da temperatura escrotal, causada por exemplo pela varicocele;
  • Anormalidades genéticas;
  • Doenças endocrinológicas;
  • Doenças autoimunes;
  • Doenças sistêmicas, como diabetes, insuficiência renal e hepática, câncer ou hemocromatose;
  • Uso de medicamentos;
  • Irradiação;
  • Obesidade;
  • Tabagismo;
  • Uso de drogas ou esteroides anabolizantes.

Cerca de 40 a 50% dos casos de infertilidade masculina não apresentam uma causa detectável, apesar da investigação médica.

Para mais informações consulte um médico de família ou clínico geral. Pode ser necessário também o acompanhamento por um médico especialista em infertilidade em algumas situações.

Quanto tempo o esperma fica com chance de fecundar?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Os espermatozoides, encontrados no esperma, podem sobreviver por 3 a 5 dias, se estiverem em local protegido, como dentro do útero da mulher. Portanto, existe a possibilidade de fecundar um óvulo e gerar uma gravidez, até 5 dias depois da relação sexual.

Contudo, para que isso aconteça, se faz necessário um ambiente favorável e a combinação de fatores ideais a uma fecundação, como por exemplo:

  • Vitalidade adequada dos espermatozoides;
  • Quantidade e qualidade satisfatórias dos espermatozoides;
  • Saúde ginecológica da mulher, por exemplo, casos de infecção podem danificar os espermatozoides durante sua passagem;
  • Uma cicatriz nas trompas, comum entrem mulheres que apresentaram doença inflamatória pélvica durante a vida, podem impedir a passagem dos espermatozoides e encontro com o óvulo;
  • Ciclos menstruais irregulares, entre outras tantas situações.

Sendo assim, para maior chance de ocorrer uma fecundação, além da vitalidade do espermatozoide e durabilidade no corpo da mulher, é importante conhecer o dia esperado da ovulação, possibilitando esse encontro e viabilidade para a gestação.

Para isso deve fazer o cálculo do seu dia ou período fértil, o período com maior probabilidade de ovulação.

Saiba mais sobre esse assunto no link: Como calcular o Período Fértil?

Para mais informações sobre a vitalidade do espermatozoide e chances de fecundação, procure um médico urologista (para os homens) e ginecologista (para as mulheres).

O que pode causar uretrite?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Uretrite é uma inflamação ou infecção da uretra, que é o canal que leva a urina da bexiga para o exterior do corpo. A maioria dos casos de uretrite é causada por infecções pelas bactérias clamídia, gonococo (uretrite gonocócica) e E. coli. A infecção na uretra também pode ter como causas vírus, fungos e protozoários.

A uretrite também pode ocorrer devido a hábitos de higiene inadequados, traumatismos, cirurgias, introdução de objetos na uretra e uso de cateter por tempo prolongado.

Também é possível que a inflamação seja provocada por irritação da uretra causada pelo preservativo ou pelo espermicida presente no mesmo, uso de cremes, produtos de higiene e outras substâncias irritantes.

Em casos mais raros, pode estar relacionada com tumores ou condiloma (verrugas genitais) dentro da uretra.

A infecção é muito mais comum nas mulheres. Isso acontece devido à proximidade da uretra com o ânus, o que favorece a entrada de bactérias que habitam o intestino, como a E. coli. Essa bactéria é responsável por cerca de 80% das infecções urinárias.

Quais as causas da uretrite gonocócica e não gonocócica?

As uretrites infecciosas, ou seja, causadas por bactérias, vírus, fungos e outros parasitas, dependendo do germe causar da doença, podem ser consideradas doenças sexualmente transmissíveis (DST). Nesses casos, são classificadas como gonocócica e não gonocócica.

A uretrite gonocócica é causada pela bactéria Neisseria gonorrhoeae, também conhecida como gonococo. As uretrites não gonocócicas podem ser causadas por Clamídia, Candida, Trichomonas vaginalis, entre outros micro-organismos.

A prevenção dessas infecções, portanto, pode ser feita através do uso de preservativos.

Quais são os sintomas da uretrite?

Os principais sintomas da uretrite, em homens e mulheres, incluem:

  • Dor ou ardência ao urinar;
  • Aumento do número de micções;
  • Vontade urgente de urinar;
  • Corrimento saindo pela uretra;
  • Presença de sangue na urina;
  • Dor durante a relação sexual.

No homem, a uretrite pode casar ainda dor nos testículos, dor durante a ejaculação, presença de sangue no esperma, coceira, irritação ou inchaço na extremidade do pênis.

Na mulher, os sintomas da uretrite podem incluir dor na região inferior do abdômen (baixo ventre ou “pé da barriga”), febre, calafrios e dor pélvica.

Sem tratamento, a infecção que originou a uretrite pode chegar a outros órgãos, tais como testículos, epidídimo, próstata, bexiga e rins. Nas mulheres a infecção pode provocar doença inflamatória pélvica (DIP). Tanto no homem como na mulher, a uretrite de causa infecciosa não tratada pode levar à infertilidade.

Qual é o tratamento para uretrite?

O tratamento da uretrite geralmente é feito com antibióticos, uma vez que a maioria dos casos é originado por infecções bacterianas. Os mais usados são a azitromicina® e a ceftriaxona®. Também podem ser indicados medicamentos para aliviar os sintomas, como analgésicos, anti-inflamatórios e antissépticos da via urinária.

Se a uretrite for causada pelo protozoário Trichomonas, normalmente são indicados os antimicrobianos metronidazol® ou tinidazol®. Já as infecções causadas por vírus costumam ser tratadas com aciclovir® ou valaciclovir®.

Da mesma forma que o paciente que recebe o diagnóstico, é fundamental que o/a parceiro/a receba o tratamento para não voltar a transmitir a doença e prevenir recorrência da doença.

O/A médico/a urologista ou ginecologista são os especialistas indicados para diagnosticar e tratar a uretrite.

Leia também: Uretrite: Quais os sintomas e possíveis complicações?

Tem homem com o esperma fraco?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Sim. Um homem com alterações no esperma pode ser infértil ou ter redução da sua fertilidade. Diferentes alterações espermáticas podem ser a causa da infertilidade no homem. O exame que consegue detectar alterações no esperma é o espermograma, que costuma ser um dos primeiros exames solicitados na avaliação da infertilidade masculina.

O espermograma pode detectar alterações no número de espermatozoides. Quando há pouca quantidade de espermatozoides tem-se a oligozoospermia e quando os espermatozoides estão totalmente ausentes tem-se a azoospermia. Também podem ser visualizadas alterações na morfologia dos espermatozoides e da sua mobilidade. Outros parâmetros também são avaliados, como o pH do sêmen.

O que altera a qualidade do esperma?

Diferentes condições podem alterar a qualidade do esperma. Entre elas:

  • Causas genéticas;
  • Infecções;
  • Disfunções hormonais;
  • Uso abusivo de álcool ou outras drogas;
  • Tabagismo;
  • Uso de medicamentos;
  • Situações de excesso de aquecimento testicular;
  • Contato com substâncias tóxicas;
  • Alterações anatômica.
Qual o resultado de um espermograma normal?

Um espermograma normal deve apresentar os seguintes valores:

  • Número de espermatozoides por mililitro >20 milhões;
  • Motilidade rápida e muito rápida >25%;
  • Morfologia >14% de espermatozoides normais;
  • Hipoosmolaridade > 50%;
  • Vitalidade > 50%;
  • Leucócitos < 1 milhão;
  • Sem fenômenos de aglutinação:

Quando há alterações de um dos fatores analisados o espermograma é considerado anormal e deve ser repetido para confirmar as alterações, a partir desse resultado o médico irá começar uma avaliação mais aprofundada da causa da infertilidade, embora, nem sempre seja possível descobrir exatamente o que causa infertilidade ou alterações espermáticas.

Consulte o seu médico caso suspeite de infertilidade.

Os espermatozóides podem atravessar tecidos, como malhas e algodão?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Não, o espermatozoide não pode atravessar tecidos ou roupas, isto porque o espermatozoide para poder se movimentar precisa de um ambiente minimamente úmido, se o sêmen cair na roupa o espermatozoide não consegue se locomover e morre em no máximo 1 minuto.

É possível engravidar vestida ou de roupa intima?

Não, se não houver contato direto entre a região da vulva e da vagina com o sêmen não existe a possibilidade de gravidez, o espermatozoide não sobrevive mais do que um minuto fora do corpo humano.

Mesmo que a mulher esteja no período fértil dificilmente haverá chance de gravidez se o sêmen entrar em contato apenas com a roupa, mesmo que seja apenas a roupa íntima.

É possível engravidar sem penetração?

Há uma chance muito pequena de engravidar sem penetração, mas é possível desde que a ejaculação ocorra próximo à vulva, como entre as coxas, nesse caso a umidade do ambiente pode contribuir para a locomoção dos espermatozoides, essa é uma possibilidade com chance mínima de acontecer, mas é possível.

Da mesma forma, se a vulva ou vagina entrar em contato direto com o esperma, por exemplo, através da introdução de dedos ou objetos que contenham esperma a mulher também pode engravidar.

Caso esteja preocupada com a possibilidade de gravidez a única forma de prevenção é através do uso de um método contraceptivo eficaz, portanto, consulte um ginecologista ou médico de família que possa fornecer orientação anticoncepcional.

Há muitas possibilidades de escolha entre os diferentes métodos contraceptivos como anticoncepcional oral, injetáveis, dispositivos intrauterinos, diafragma ou preservativo. Além disso, o uso de um anticoncepcional contribui para que a mulher possa aproveitar melhora a sua vida sexual sem preocupações referentes a gravidez.

O homem pode ter o esperma fraco?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Sim, alguns homens são inférteis ou tem dificuldades em conseguir engravidar a parceira, muitas vezes o esperma apresenta modificações como baixo número de espermatozoide, fraca mobilidade dos espermatozoides, alterações na morfologia dos espermatozoides ou mesmo alterações da viscosidade, ou PH do sêmen. Essas mudanças espermáticas podem dificultar ou mesmo impossibilitar uma gravidez.

No entanto, outros parâmetros, além do esperma, também são avaliados em um homem que suspeita de infertilidade, como a presença de distúrbios hormonais ou alterações anatômicas no sistema reprodutor, presença de outras doenças, uso de medicamentos, entre outros.

Como avaliar a qualidade do esperma?

Através de um exame chamado espermograma é possível avaliar a composição espermática e assim detectar modificações que podem contribuir para a redução da fertilidade masculina. Geralmente o espermograma é um dos primeiros exames utilizados na pesquisa da infertilidade do homem, em um casal que está tentando engravidar sem sucesso.

O que o espermograma analisa?

O espermograma analisa fatores como o volume do esperma, o pH (acidez ou basicidade), a viscosidade, o tempo de liquefação, a concentração, morfologia, mobilidade e resistência dos espermatozoides. Pode ainda indicar a presença de micro-organismos como bactérias, fungos, protozoários ou células de defesa e anticorpos, que podem indicar uma possível infecção.

Quais são as causas de diminuição da qualidade do esperma?

A diminuição da qualidade do esperma pode ocorrer devido a diferentes fatores como:

  • Causas genéticas;
  • Infecções;
  • Disfunções hormonais;
  • Uso abusivo de álcool ou outras drogas;
  • Tabagismo;
  • Uso de medicamentos;
  • Situações de excesso de aquecimento testicular;
  • Contato com substâncias tóxicas;
  • Alterações anatômica.

O casal que está há mais de um ano tentando engravidar sem sucesso pode procurar um médico para uma avaliação da sua fertilidade.

Transei com quem teve relações com um portador de hiv...
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Através da relação sexual, só se contrai o HIV se tiver relações sem camisinha com uma pessoa que tenha HIV. A transmissão do HIV ocorre principalmente através de relação sexual desprotegida com pessoa que tenham o vírus da imunodeficiência humana (HIV), portanto se você teve relação com alguém que fez testes e não apresentou o vírus no exame não há nenhum risco de contrair o vírus.

No entanto, caso ainda assim esteja com receio de ter contraído em outras ocasiões em que teve relações sexuais desprotegidas, consulte um serviço de saúde para realização do teste rápido ou sorologia para o vírus do HIV.

Como se transmite o HIV?

Além da transmissão sexual,o HIV também pode ser transmitido durante a gestação, parto e amamentação de uma mãe portadora do vírus para o seu filho, uso de seringas e agulhas contaminadas com o vírus, transfusão de sangue com presença do vírus ou ainda uso de instrumentos que possam ter entrado em contato com sangue contaminado e não foram esterilizados, como material de manicure, odontológico ou hospitalar.

O vírus do HIV está presente nos fluidos vaginais, esperma, sangue e leite materno, por isso a infecção pelo vírus ocorre quando há contato com esse fluidos.

A forma de transmissão mais frequente do vírus do HIV é através da relação sexual sem preservativo, principalmente através do sexo vaginal e anal. Não há um consenso sobre a transmissão através de sexo oral do vírus do HIV, parece haver um risco de transmissão, mas que é mínimo.

Por isso, a forma mais segura de se proteger do vírus é usar camisinha em todas as relações sexuais, do início ao fim do ato sexual.

O que é o HIV e a AIDS?

O HIV é o vírus causador da Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (AIDS), que é uma doença causada pela depleção do número de linfócitos T CD4 do sistema imunológico, essas células são infectadas pelo HIV, que se multiplicam e a rompem, infectando outras células continuamente.

Esse processo a longo prazo favorece o aparecimento de vários sintomas e doenças oportunistas que conseguem desenvolver-se por conta da queda da imunidade, quando esse processo tem inicio esse quadro clínico é chamado de Síndrome da Imunodeficiência Humana.

Portanto, algumas pessoas podem ter o vírus do HIV e não desenvolverem AIDS se fizerem o tratamento adequadamente, já que ao tomarem a medicação antiviral, podem diminuir o número de vírus no organismo e assim manter a atividade do seu sistema imunológico, evitando o desenvolvimento das doenças oportunistas que caracterizam a AIDS.

Quais são os sintomas do HIV e AIDS?

A infecção pelo vírus do HIV pode causar poucos sintomas no seu início ou mesmo ser assintomática. Algumas pessoas podem desenvolver sintomas da infecção aguda pelo HIV algumas semanas após a infecção pelo vírus. Esses sintomas se assemelham a sintomas de outras infecções virais, sendo muitas vezes inespecíficos. Nesse caso os sintomas mais frequentes são:

  • Febre;
  • Mal estar;
  • Manchas vermelhas pelo corpo;
  • Dores musculares e articulares;
  • Dor de cabeça;
  • Ínguas (gânglios no pescoço ou axilas);
  • Sintomas gastrointestinais como náuseas, vômitos ou diarreia.

Quando o vírus permanece longos períodos no organismo sem tratamento a pessoa pode desenvolver doenças oportunistas devido a imunossupressão, essas doenças caracterizam a AIDS, algumas doenças comuns nesse estágio são a tuberculose, a neurotoxoplasmose, meningite, alguns tipos de tumores como câncer de colo de útero ou sarcoma de Kaposi, entre outras.

Caso tenha tido relação sexual desprotegida consulte um serviço de saúde para realização de um teste rápido ou sorologia do HIV. Pode ainda ser realizada profilaxia pós exposição (PEP), até 72 horas da relação sexual desprotegida.

O que é inseminação artificial e como funciona?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

A inseminação artificial é um tratamento de infertilidade que consiste na introdução dos espermatozoides no trato genital feminino visando a fecundação do óvulo. A técnica de inseminação artificial mais utilizada em humanos é a intrauterina, em que o esperma é introduzido diretamente no interior do útero.

O início do tratamento com inseminação artificial começa com a estimulação da ovulação através de medicamentos hormonais específicos. A formação e o desenvolvimento dos óvulos são monitorados através do exame de ultrassom e, assim que os mesmos atingem a maturação, é feita a inseminação do sêmen no útero da mulher.

O procedimento não provoca dor e consiste na injeção do sêmen, previamente preparado, através de um pequeno cateter que é introduzido na cavidade uterina da mulher.

A diferença entre a inseminação artificial e a fertilização in vitro ("bebê de proveta") é que nesta última a fecundação do óvulo ocorre fora do corpo, em laboratório, sendo a seguir transferido para o útero.

Quando o sêmen é proveniente do marido ou companheiro, a inseminação artificial é denominada de homóloga, enquanto que a inseminação artificial heteróloga é aquela em que o sêmen provém de um doador estranho.

Alguns casos em que a inseminação artificial é indicada:

  • Disfunções sexuais;
  • Presença de anticorpos anti-esperma;
  • Alterações no muco cervical ou no colo do útero;
  • Endometriose;
  • Espermatozoides em baixa quantidade e pouca motilidade e penetração;
  • Infertilidade sem causa aparente;
  • Ausência de espermatozoides no parceiro.

A inseminação artificial é feita por um médico especializado em procedimentos de reprodução humana.